sábado, 8 de abril de 2006

O.M. AÏVANHOV - Perguntas & Respostas [08/04/2006] (1a. Parte) - Autres Dimensions



08 de abril de 2006.

do site AUTRES DIMENSIONS



Áudio da Mensagem em Português

Link para download: clique aqui

Bem, caros amigos, estou extremamente contente por encontrá-los aqui e espero encontrar novos amigos que quererão, efetivamente, interagir, para ajudá-los a atravessar este período extremamente importante na história da humanidade.

Um período que deve permitir-lhes, enfim, aceder ao seu Si Divino, à sua Divindade interior, e isso não a título individual, mas a título coletivo, ao mesmo tempo que a Terra, a fim de que o máximo de entidades encarnadas presentes sobre a Terra sejam capazes de aceder a essas dimensões diferentes daquela que vocês conhecem há 50.000 anos, que é marcada de transformações extremamente importantes.

Basta olhar ao redor de si o que acontece, mas, também, em vocês.
Tudo o que vocês veem no exterior, e eu já disse isso, está acontecendo no Interior de vocês.

Todas essas mudanças, todas essas lutas entre o antigo e o novo que quer vir, que nem sempre chega a vir, em função de apegos, em função de circunstâncias de suas vidas pessoais é, entretanto, extremamente importante compreender hoje.

Há um mecanismo extremamente potente que está colocando-se no caminho que vocês vivem, cada um, em diferentes níveis. Mas, se vocês estão aqui presentes, e se permitem que eu os chame de «caros amigos», é que, entretanto, vocês estão engajados nesse caminho, engajados nessa transformação.

O mais importante é convencer sua cabeça.
Em um segundo tempo, vocês verão, também, com a Mamãe celeste, que é importante convencer o coração, e abrir o coração para essa nova dimensão. Mas, aí, através das coisas que eu quero instituir com vocês, é fazê-los compreender e aceitar certo número que são, para nós, em nossas dimensões superiores, extremamente evidentes e, para vocês que se põem como presas de interrogações em relação a sofrimentos, por vezes, resistências, que vão chocar sua sensibilidade de alma no desenvolvimento dessa nova vibração, no desenvolvimento dessa nova consciência que está chegando sobre a Terra.

Assim, vou, agora e já, deixar-lhes a palavra, a fim de que possamos trocar, o mais possível, sobre esses eventos e sobre o que acontece em vocês, nesse momento.

Está com vocês, caros amigos.

>>>

Questão: poderia dar-nos informações sobre o período dito pascal e a importância que ele reveste em relação às nossas vibrações atuais?

Cara amiga, em minha vida, sempre falei do grande neófito que se encarnou sobre este planeta, que vocês chamaram Jesus Cristo.

Efetivamente, o período pascal é, certamente, o período de ressurreição, o período o mais místico, bem além do mistério da encarnação que é festejado no período do Natal.

O período de Páscoa corresponde a um período de interiorização extremamente importante, de renascimento da natureza, obviamente, mas, também, um período que vai permitir-lhes reencontrar-se, recarregar-se, alinhar-se com as novas energias da recriação da Terra.

A Terra, que vive um período de transformação extremamente importante, é evidente que cada período pascal é, em resumo, o que deve acontecer a um nível muito mais importante e muito mais geral.

E, cada ano que avança para essa transformação, é um período extremamente abençoado, no qual vocês devem encontrar sua Divindade interior muito mais facilmente do que em outros períodos do ano, quaisquer que sejam as circunstâncias exteriores e quaisquer que sejam as resistências ligadas à encarnação na terceira dimensão.

>>>

Questão: pessoas reagrupam-se em torno de projetos coletivos, como eco-cidades ou projetos de ordem social, política, para mudar as coisas. O que você pensa dessas novas formas de reagrupamento e de maneira de encarar a sociedade?

Obviamente, caro amigo, a cada período de transformações vibratórias (e não, unicamente, sobre este planeta, mas a cada vez que há fenômeno de basculamento, de transformação de um nível de consciência a outro nível de consciência, o que está se preparando sobre a Terra), naquele momento, as almas estão muito mais abertas e têm tendência a tentar reagrupar-se para elaborar novos modos de vida.

Efetivamente, há afinidades vibratórias que se criam.
É extremamente importante colocar, eu diria, as bases de um novo modo de funcionamento da civilização, da sociedade.

As regras sociais devem ser mudadas.
Os mecanismos de transformações espirituais que eram descritos, igualmente, em minha vida e durante os séculos passados, agraves de diferentes modelos (tanto os modelos orientais como os modelos ocidentais) sempre fizeram referência a um caminho espiritual, de um acesso individual e pessoal à dimensão divina do ser humano.

Mas as coisas estão mudando.
Inúmeras almas abrem-se a esse novo espaço de vibração: há uma necessidade de reagrupamento. Essa necessidade de reagrupamento, de associar vontades, de almas de Luz é extremamente importante.

Vocês devem compreender um fenômeno essencial: é que vocês vivem em um mundo que se chama a terceira dimensão, mundo distanciado, separado, no qual vocês e os outros são diferentes, no qual cada entidade vive como distanciada, separada das outras.

Em outro nível de consciência, em especial na dimensão que vem para vocês e para a qual vocês vão, a que chamamos a quinta dimensão, é evidente que não há mais consciência distanciativa.

Não há mais consciência separada.
A Luz, as regras de funcionamento da Luz que vocês conhecem na terceira dimensão não são mais, de modo algum, válidas na quinta dimensão.

De fato, as regras de funcionamento são profundamente diferentes.
A consciência evolui para uma forma de coletividade.
Isso não quer dizer que se perca a individualidade.

Mas compreendam, efetivamente, que os seres que vivem no Intraterra, que vivem há 300.000 anos com um corpo físico (mesmo se não sejam humanoides, mas delfinoides que vivem no Intraterra, na quinta dimensão, há extremamente muito tempo), funcionam na personalidade individual, mas associada no coletivo de vinte e quatro almas.

Não há barreiras, tais como vocês as conhecem, de pensamentos, de emoções. Os pensamentos viajam e são captados de maneira instantânea, porque não há o filtro da terceira dimensão.

O que vocês sentem, para a maior parte que se abre a dimensões espirituais, é, obviamente, essa vontade de reunir-se, de reagrupar-se, é a palavra mais exata para pequenos grupos, para coletivos muito menos importantes do que a sociedade que, obviamente, funciona de acordo com regras, em breve, obsoletas, efetivamente.

E vocês têm necessidade de construir novos modos de vida, novos modos de funcionamento, mais em acordo com a Divindade, a Luz de sua alma que cresce, fortemente, em vocês, para fazer emergir em vocês essa nova consciência, essa nova vibração.

Então, efetivamente, os fenômenos de reagrupamento são extremamente importantes. Mas, por vezes, os grupos, vocês sabem bem, eles explodem, porque há, ainda, personalidades de terceira dimensão que estão aí. Mas, quanto mais os meses passarem, mais os anos passarem e mais os grupos serão sólidos, porque haverá afinidades vibratórias extremamente importantes.

Esses grupos vão funcionar um pouco como uma unidade coletiva de vinte e quatro pessoas. Nesses grupos, haverá afinidade vibratória, afinidade de pensamento, ressonância.

Vocês vão aperceber-se de que, nesses grupos, nesses reagrupamentos, as entidades individuais vão funcionar muito mais potentemente na noção de empatia, na noção de simpatia e, também, na noção de telepatia, ou seja, vocês vão, realmente, entrar na unidade coletiva. É um modo de aprendizado extremamente importante para a passagem à nova dimensão.

Aí está o que se pode dizer, rapidamente, sobre essa noção de reagrupamento. Ela prefigura, se querem, o que é chamado, realmente, a acontecer quando vocês estiverem, totalmente, na quinta dimensão.

>>>

Questão: essa passagem à quinta dimensão que você acaba de evocar far-se-á para todo mundo ao mesmo tempo ou em um momento preciso?

A maior parte dos seres que sentem a Luz que cresce, a maior parte dos seres que sentem a necessidade de mudar, essa necessidade de reagrupar-se, como foi evocado na questão anterior, passaram, já, em parte, à quinta dimensão.

É evidente que haverá o que se chama uma noção de «limiar crítico».
Quando suficientemente seres estiverem prontos para passar e quando a Terra estiver pronta para passar, todos os seres passarão ao mesmo tempo à quinta dimensão.

Essa passagem já existe.
Há, há, povos que viveram e desapareceram de um dia para o outro.

Eu penso nos Mayas.
Eu penso em algumas tribos ameríndias, também, em outros países sobre o planeta, em outras épocas, que, de repente, desapareceram, todos ao mesmo tempo.

Eram fenômenos coletivos que diziam respeito a alguns grupos em especial, grupos sociais que estavam mais avançados do que outros.

Mas, agora, o processo é completamente diferente, porque é o planeta inteiro que deve aceder à quinta dimensão, ou seja, à sua sacralização.

A Terra é um planeta sagrado.
Ela tem um objetivo de sacralização importante.

É o que está acontecendo.
Agora, só Deus sabe o momento preciso em que isso sobrevirá.

Mas a preparação acelera-se.
Cada vez mais seres acedem a essa nova Luz, percebem os mecanismos de funcionamento de sua alma, percebem os mecanismos energéticos que são ligados a uma revolução interior, a uma transformação extremamente importante de paradigma.

Vocês vão mudar de paradigmas.
Vocês vão mudar de modos de funcionamentos.
Tudo o que foi conhecido, tudo o que foi aprendido nas tradições, nas religiões, não terá, em breve, mais sentido, porque a grande descoberta que vocês vão fazer é que vocês são seu próprio Mestre.

Vocês são Luz e são Divino.
A partir do momento em que vocês colocarem isso em sua cabeça, em seu coração, em suas células, nada mais será como antes. E é esse momento no qual haverá a passagem à quinta dimensão, o momento no qual o que se chama, em algumas tradições, o momento em que o véu cai. Mas, aí, o véu não cai, a nível individual, mas, aí, ele cai ao nível da coletividade, para aqueles que estão prontos, em todo caso.

Há os que recusarão isso, que terão necessidade de refazer ciclos na distanciação, na separação, na terceira dimensão.

Não há julgamentos sobre isso.
Cada um é livre de fazer o que quiser.

Simplesmente, eu atraio sua atenção sobre um evento extremamente importante, que é a noção de escolha.

Se vocês estão aí, é que ouvem, em vocês, os apelos de sua alma, sentem os apelos da Divindade interior.

Vocês sentem os apelos da mestria.
Vocês vão compreender que não têm necessidade de Mestre exterior, não têm necessidade de guru.

Vocês têm necessidade de estarem, vocês mesmos, centrados em si, autenticamente.

O que não quer dizer que era simples antes.
É simples hoje, por uma razão que é extremamente simples, é, simplesmente, porque as energias divinas vêm a vocês.

Os véus estão rasgando-se.
É muito mais fácil contatar a energia de sua alma.
É muito mais fácil entrar em contato com seu ser interior, muito mais do que no passado.

Agora, vocês não têm que se preocupar com eventos exteriores.
Lembrem-se, simplesmente, de que tudo o que acontece no exterior acontece, também, no interior.

É, também, o melhor modo de ver os eventos exteriores.
Não é preciso fazer catastrofismo e dizer: «oh lá la, está bem!», «oh la la, não está bem!».

Não.
Simplesmente, observar, de maneira lúcida, o que acontece no exterior e compreender que o que acontece no exterior (esse Estado de Ser em relação ao passado, esse medo do desconhecido, a iminência do perigo para o planeta) é, também, o que acontece no interior de vocês: a iminência do perigo interior de fazer as escolhas de ir para esse desconhecido, para essa quinta dimensão, para esse novo estado de consciência ou vou ter necessidade de permanecer um pouco mais de tempo na terceira dimensão, porque minha alma não está pronta, ainda, para entrar na Unidade, para entrar na coletividade da Divindade e voltar a tornar-se filho da Luz, filho da Lei do Um, filho da Unidade.

>>>

Questão: a que corresponde a quarta dimensão de que não se fala nunca?


Não se fala, jamais, cara amiga, porque é uma dimensão intermediária.
Os planos de vida são planos dimensionais, e todos os planos dimensionais não são ocupados pela vida.

Há planos que são planos de junção, planos que são as ligações em relação aos diferentes planos vibratórios.

Há Mestres de Luz, que vêm da décima primeira dimensão.
Meu venerado Mestre, aquele a quem chamaram Bença Deunov, era, de fato, um walk-in, que era o walk-in de Orionis.

Orionis é o gerente de Órion e o gerente deste planeta, é o que se chama, na tradição Oriental, os Lipikas cármicos, ou seja, os Senhores do carma, aqueles que têm o encargo do destino de todas as almas que estão presentes sobre a Terra.

Esse ser era o que vocês apelidaram Melquisedeque no Antigo Testamento, o Ancião dos Dias.

É a mesma entidade luminosa.
E essa entidade vem da vigésima quarta dimensão.
Ela não pode descer até a quinta e, ainda menos, até a terceira.

Em contrapartida, ela pode descer suas vibrações, densificar suas vibrações até a décima primeira. Então, se um ser humano fosse capaz de subir até a décima primeira dimensão em vibração, seria capaz de ser investido, quase permanentemente, pela própria egrégora de Orionis.

Orionis tem um papel extremamente importante sobre este planeta, Melquisedeque, o Ancião dos Dias, se querem. Agora, é preciso, efetivamente, compreender que todas as dimensões não são habitadas.

A terceira é habitada, mas vocês são constituídos de vibrações de primeira e segunda dimensão.

A quarta é a vibração do que se chama a estrutura mental, com sua subdivisão que havia sido muito bem descrita por Sri Aurobindo, a que se chama o mental inferior, o mental superior e o supramental.

Isso é extremamente importante a compreender.
Agora, na quarta dimensão, não há vida possível.

As dimensões de vida são a terceira, a quinta e a décima primeira.
Todas as dimensões intermediárias são, de algum modo, as dimensões – permanecendo no simples – que são ligadas a distorções do espaço e do tempo.

Não o espaço e o tempo tais como vocês concebem, mas, mais, a meandros multidimensionais.

Compreendam, efetivamente, que eu venho da décima primeira dimensão, e eu me exprimo através de um canal que está na terceira dimensão e que teve que subir até a quinta.

E os planos dimensionais são assim.
Há seres que pertencem ao além de Orionis, que pertencem, por exemplo, à vigésima quarta dimensão que, eles, são os gerentes dos universos e não de sistemas solares, por exemplo, alguns seres de Sírius, como, por exemplo, Sereti, que vive na vigésima quarta dimensão e que pode descer até a décima oitava dimensão. E cada dimensão é ocupada por esferas que não são, forçosamente, humanoides.

Não há mais, quando vocês chegam à vigésima quarta dimensão, de modo algum, antropomorfismo. Há seres que são estruturas luminosas triangulares, e nada mais. Mas que são, entretanto, os regentes do conjunto dos universos e são, entretanto, entidades.

O que vocês chamam, por exemplo, os Anjos, vão manifestar-se a partir da quinta dimensão.

Eles são os habitantes comuns da quinta dimensão.
Alguns seres realizados que estiveram encarnados sobre este planeta e que foram grandes guias vivem na décima primeira, ou mesmo na décima oitava dimensão.

Portanto, é preciso ver as dimensões como espaços de expansão da Luz interior de cada ser, cada um em seu nível.

Agora, as regras de funcionamento na quinta dimensão são totalmente diferentes daquelas que vocês conhecem na terceira.

Há seres que vivem na quinta dimensão.
Vocês são chamados a viver na quinta dimensão, mas com seu corpo físico transfigurado, transformado, com um DNA completamente transformado, com cadeias proteicas que serão, também, transformadas.

Mas isso, de momento, não deve ocupá-los.
O que deve ocupar seu espírito, permanentemente, é alinhar-se com seu ser interior, reencontrar sua própria mestria, reencontrar quem vocês são, ou seja, um filho de Luz.

Aí deve estar a única preocupação.
E isso é extremamente simples, em todas as fases da vida cotidiana.
Não vale a pena ir orar à esquerda e à direita, fazer rituais, como eu o fiz em minha vida.

Hoje, a Luz está aí, por toda a parte.
Não há necessidade de ir levantar-se ao Sol nascente, para saudar o Sol.

Pensem no Sol e o Sol está aí.
Vocês são Luz e é-lhes solicitado fazer uma verdadeira revolução, compreender que vocês são seres divinos e que o período de separação das dimensões está terminando.

O aprendizado que vocês vivem há mais de 50.000 anos está terminando.
E aqueles que desejarem aceder a essa dimensão nova, abandonar o conhecido para ir para o desconhecido, bem, eles serão capazes de ir, na condição de querer, de decidir, de reconhecer sua mestria interior, de reconhecer seu ser de Luz interior e de exteriorizá-lo, de deixá-lo eclodir, como um filho que nasce.

Aí está o que se chama o acesso à quinta dimensão.
Esse fenômeno de quinta dimensão acompanha-se do que se chama, no plano vibratório, uma noção de reversão da consciência, que não é mais dirigida para si, mas para o exterior.

Reversão do planeta, ilustrada pelo que se chama a reversão dos polos e assim por diante.

Tudo isso é uma maravilhosa sincronia geométrica perfeita.

>>>

Questão: qual é o papel da educação dos jovens neste período de transformação?

É preciso, efetivamente, compreender, caro amigo, que tudo o que foi construído em nosso mundo moderno, mesmo quando eu estava encarnado (ou seja, desde a escola para todos, ou seja, desde o fim da revolução francesa do século XIX e durante o século XX), tudo o que lhes ensinaram e tudo o que ensinaram aos jovens é o condicionamento.

Ensinam a eles ser condicionados, fazer assim e não de outro modo.
E, em seguida, no trabalho e nas regras sociais, ensinam-lhes, sempre, a mesma coisa, a fazer assim e não de outro modo, o que é bem e o que não é bem, em função de regras editadas pelos outros que, estes, não as respeitam, absolutamente.

O ser humano tem sido condicionado há 50.000 anos e, sobretudo, desde o século XIX e o século XX.

Falam-lhes de sociedade liberal.
Mas não há liberdade alguma.

A única liberdade que vocês têm é de encontrar o ser interior.
Portanto, é preciso fazer tomar consciência aos seus filhos, se vocês os têm, que eles são seres divinos, que tudo o que eles veem no exterior (os traumatismos que são vistos todos os dias em seu aparelho de televisão, por exemplo, que vocês ouvem no rádio) é, antes de tudo, uma transformação que deve ser vivida no interior e não deixar eclodir os condicionamentos.

Os orientais compreenderam isso, perfeitamente.
A maior parte dos orientais que vieram à França tentou, com a linguagem da época, assim como em minha época, de minha vida na Fraternidade Branca Universal, eu tentei ensinar essa noção de liberdade, mas, assim que morri, eles voltaram aos hábitos.

O importante é quebrar os hábitos.
Vocês devem, absolutamente, instruir os filhos nessa noção de Divindade. Mas a Divindade não conhece limites, o que quer dizer que, hoje, vocês são mulheres, homens, crianças, livres, hoje, mais do que nunca. E, no entanto, vocês vivem em um mundo que os priva de sua liberdade de ser e de sua liberdade de alma.

A revolução é importante quando vocês tomam consciência da distância que existe entre o que vocês são como ser ilimitado, Divino, mas limitado, porque estão em um corpo de carne, mas que, além disso, as regras sociais, as regras coletivas da terceira dimensão impedem a eclosão dessa quinta dimensão.

Isso é verdadeiro em todos os países, mas, sobretudo, no país no qual vocês estão [França].

Eu posso garantir-lhes isso.

>>>

Questão: pareceria que na França, e na Europa, o sistema educativo não permite, justamente, o que você acaba de falar.
Como um pai pode acompanhar seu filho?


O melhor modo de acompanhar um filho como pai é estar nessa mestria de que vocês são.

Quando vocês são, realmente, quem vocês são, irradiam essa qualidade vibratória, seu casulo de Luz expande-se e vocês fazem beneficiar-se aqueles que estão em sua atmosfera vibratória dessa irradiação de Luz.

Quanto mais vocês encontrarem a unidade, mais vocês estarão em acordo consigo mesmos, mais irradiarão essa vibração. Então, evidentemente, isso vai criar, no exterior, o que se chamam resistências.

Vocês vão aperceber-se de que, quanto mais vocês se abrem à Luz, mais as contingências, as imposições ambientais no sentido amplo – a família, os amigos, os cônjuges, por vezes, a sociedade, no sentido amplo – vão contra o que vocês descobrem.

Então, isso cria tensões.
Isso cria tremores de terra interiores.
Mas não é grave.

O importante é fortalecer sua Divindade, é fortalecer sua irradiação divina, tornar-se seu próprio Mestre. E, para isso, não há necessidade de fazer o kundalini yoga, de fazer rituais.

Sejam simples, sejam Um.
Estejam em si e todo o resto transformar-se-á.

A partir do momento em que vocês entram na resistência, ou seja, na luta contra o que está morto, lembrem-se de uma grande regra: o que está morrendo, se vocês querem lutar contra, vocês vão impedir de morrer.

É preciso despolarizar a consciência de coisas que estão apodrecendo, deixá-las apodrecer tranquilamente.

Elas se transformarão, no momento desejado.
Agora, é importante ter a lucidez, em especial para os filhos, para voltar a essa questão, de estar nessa irradiação de Amor, mesmo se a lucidez que se tenha do que acontece ao redor vá contra essa liberação.

É preciso, efetivamente, compreender que há oposições.
A partir do momento em que há transformação, o ser humano, mesmo a título individual, tem, sempre, medo do desconhecido.

É preciso, efetivamente, compreender que é um grande passo para o desconhecido. Então, é muito fácil quando se vem de lá de onde eu venho, que se tenha vivido na vida certo número de experiências que dão a fé total, porque se sabe o que há do outro lado do espelho, naquele momento, é muito «fácil» no interior. Mas, no exterior, é ainda mais difícil, porque se dá conta apenas de oposições.

Isso faz parte do jogo da vida.
Não se pode ter eclosão de algo de novo sem afrontar, sem atritar-se de algum modo, às forças de oposição, mas não é preciso bater-se contra.

É preciso, simplesmente, crescer em Luz, crescer em Amor, crescer em tolerância e, sobretudo, em serviço e, sobretudo, em reagrupamento.

A força vem do grupo, sobretudo em relação ao sistema obsoleto, que recusa morrer.

É normal que ele recuse morrer.
Não é preciso atribuir importância ali.

Isso faz parte da lógica de transformação existente a cada vez que há uma mudança de estado vibratório.

>>>

Questão: como experimentar, nesses reagrupamentos, as novas regras sociais mais adequadas com a evolução para a quinta?

Cara amiga, os reagrupamentos permitem experimentar no interior do reagrupamento. Agora, se esse reagrupamento quer impor regras no exterior, ou seja, em sistemas sociais que já estão estabelecidos, vocês vão ao confronto, vocês vão dissolver o grupo.

Vocês não podem lutar contra as forças de involução ou as forças que recusam a mudança. É preciso tentar estabelecer um casulo coletivo, não completamente fechado ao mundo, mas que mostre ao mundo a imagem do florescimento, a imagem da Luz, a imagem da concretização na matéria de novas regras de vida.

Mas, em caso algum se pode lutar contra.
É preciso, efetivamente, compreender que apenas se pode deixar morrer em si, mas, também, no exterior de si.

Podem-se mudar as estruturas.
Mas se vocês querem mudar as estruturas, isso para nada serve, porque vão entrar em uma luta.

As estruturas mudarão, a partir do momento em que vocês tiverem mudado, suficientemente, em si, mas, também, no grupo.

É a noção do exemplo.
Se vocês vão afrontar o que já está estabelecido, não poderão lutar contra.

Não é possível.
Vocês serão afogados pelo sistema.

O importante é crescer na mestria.
Vocês não podem impor sua visão do que realizaram ou do que têm vontade de realizar.

Vocês podem, simplesmente, apenas realizá-lo, crescer na fé do que realizam.
Naquele momento, as coisas ao seu redor mudarão, de próximo em próximo.
Seus casulos de Luz serão cada vez maiores.

A partir do momento em que vocês aceitam a quinta dimensão, os casulos de Luz crescem, grandemente, e vocês vão tocar, de próximo em próximo, pela graça da vibração, aqueles que estão prontos para mudar.

Mas aqueles que não quiserem mudar não mudarão.
Isso faz parte da liberdade, também.

Vocês não podem impor a Luz, estando na quinta dimensão, conhecendo a Luz, para aqueles que não a querem.

Isso faz parte da liberdade da alma.
É importante compreender.

>>>

Questão: você teria preconizações sobre essas regras de funcionamento?

Há algo a compreender nesse nível.
Ao nível de um reagrupamento, seja de três indivíduos, de dez indivíduos ou da célula coletiva de vinte e quatro unidades, nesse caso, não há noção de democracia.

São tolices, isso nada quer dizer.
Há uma noção de consenso total.

Não há regra de maioria porque, a partir do momento em que não há a totalidade da consciência coletiva, que vai ao mesmo sentido, se há uma delas que não está de acordo, isso quer dizer, necessariamente, que a decisão não é boa.

Ao nível da consciência coletiva e do grupo em especial, deve haver uma unidade coletiva. Isso quer, efetivamente, dizer que esses vinte e quatro, ou esses três ou esses seis, ou esses doze funcionam como um único homem e vão, todos, ao mesmo sentido. Enquanto há um deles que se opõe, isso quer dizer que não há unidade ao nível do grupo.

É extremamente importante.
Na terceira dimensão, vocês têm funcionado, em todo caso, desde vários séculos, aproximadamente em democracia, ou seja, porque vocês creem que há uma maioria que tudo vai bem, e bem, de modo algum.

A prova, vocês a veem, hoje, em seu país, em todos os países nos quais a democracia foi instaurada.

A democracia é algo de diabólico.
É algo que divide, ainda mais.

É a mesma origem: demo - cracia, demo - níaca.
A mesma coisa: demos – o povo, diabólico: desvio.

O único modo, e eu falei disso em minha vida, de ter um grupo coerente, é que esse grupo seja religado à sua unidade coletiva e, em seguida, que essas unidades coletivas vão, todas, ao mesmo sentido, porque elas estão religadas ao que se chamava a sinarquia, ou seja, um governo cuja origem não é situada em sua dimensão. Mas isso, os homens políticos que são da terceira dimensão não quererão, jamais.

Todos aqueles que se afirmam, mesmo hoje, que estão em energias alternativas («nós somos a renovação do mundo político»), é falso, uma vez que eles funcionam na democracia.

O único modo de funcionar, e vocês não o conhecem na terceira dimensão, seria preciso, já, ter presente, no espírito, são as regras sinárquicas, ou seja, que há um colégio que não está na dimensão na qual vocês estão e alguns seres são religados, autenticamente, a dimensões superiores.

Foi o que aconteceu no tempo antigo, nos tempos bíblicos, com os vinte e quatro anciãos, ou seja, o governo oculto do planeta, que governava em função de regras espirituais bem mais elevadas do que a terceira dimensão.

Isso existiu quando do que vocês chamaram a Idade de Ouro.
Em alguns momentos, nesse período de 50.000 anos, as regras de funcionamento social não eram tomadas em conta através da unidade coletiva.
Era preciso recriar uma unidade coletiva, de maneira a conectar uma unidade coletiva situada em planos vibratórios muito mais altos.
É o que se chama a sinarquia.

É o modo espiritual, é a governança espiritual.
Isso nada tem a ver com as regras democráticas atuais.
Mas tranquilizem-se, na terceira dimensão não pode ser de outro modo, porque se está dividido, separado.

É preciso que a maioria guie-o.
Não bastam 51%, porque isso quer dizer que há 49% que são contra vocês.

É importante compreender.
Em contrapartida, se um coletivo, um grupo, uma unidade coletiva, no sentido em que eu a entendo, acede à quinta dimensão e toma suas informações a partir da décima primeira, não pode haver erro.

Há, por exemplo, os povos do Intraterra (que alguns de vocês não conhecem, mas há povos que vivem na Terra, no que vocês chamaram Agartha), nos quais não há problemas de democracia, porque eles vão, todos, sem exceção, ao mesmo sentido.

Não pode haver alguém que derrogaria a regra coletiva, porque todo mundo vai ao mesmo sentido da Luz.

Todo mundo vai ao sentido da expansão da Luz e não ao sentido da retração da Luz.

Ora, a terceira dimensão passa seu tempo a ir – isso não é um julgamento de valor, nesse nível – de experiências em experiências, expansão/retração.

É similar para a democracia.
Mas, jamais, a democracia nomeará a Luz.

Não é possível.
Eu os ouço refletir.

>>>

Questão: o fato de estar nessa diligência alternativa não seria um meio de sensibilizar mais pessoas e ampliar a audiência desse gênero de alternativa?

Será que não haveria, de qualquer forma, uma vantagem em fazer isso?
Haveria uma vantagem, mas, cara amiga, é preciso, efetivamente, compreender que, no país no qual vocês estão, a França, mais do que a maioria das pessoas, mais de 50% estão de acordo com esses movimentos alternativos.

Todo mundo sabe, mesmo aqueles que em nada creem, que a Terra vai ao muro, diretamente, direto adiante.

Todo mundo sabe que as teorias do crescimento infinito são impossíveis de realizar.

Todo mundo sabe que os combustíveis fósseis estarão esgotados em dez, vinte anos.

Todo mundo sabe que há a energia livre.
Todo mundo sonha com isso.

Ela é realizável, obviamente.
Agora, se vocês dão suas vozes para homens políticos, eles as adaptarão à terceira dimensão.

O importante é o caminho de grupo a título individual, mas, também, através da unidade coletiva.

E isso é o que se chama de ilhas de sobrevivência.
Vocês não poderão obrigar a mudar aqueles que não querem mudar.

Não é porque vocês mostrarão a eles como fazer crescer legumes ou reciclar o papel, reciclar os excrementos ou reciclar o que quiserem que isso vai fazê-los mudar, porque eles não estão nessa marcha.

Em contrapartida, há muitas pessoas que estão prontas para mudar.
Mas o mais importante que se tem a fazer é mudar a si mesmo, no interior, e adotar, já, para si, regras de funcionamento.

Agora, o perigo que há, através do que vocês chamam a política, seria criar uma força através dessas energias louváveis, eu diria, de quinta dimensão, que irá contra esses movimentos políticos existentes e essa dicotomia infeliz esquerda/direita, direita/esquerda, um pouco como se se tivesse esquecido de que havia três dimensões e, portanto, três polos e não dois polos.

Sempre se quis opor dois polos, um ao outro, enquanto sempre houve uma terceira via, que não é a via do centro, mas que é a via do consenso, que nada tem a ver com o que vocês vivem na terceira dimensão.

Afora, a sensibilização, no sentido em que essa dama coloca essa questão, corresponde a algo que é, entretanto, visível, todos os dias. Mesmo aqueles que recusam ver sabem, perfeitamente, que há algo que não funciona.

É evidente.
Não há necessidade de estudos científicos para saber que o clima está completamente destruído, que a Terra perdeu toda sua homeostasia, todas as suas capacidades de regulação.

Os agricultores sabem disso.
As pessoas que escutam a Terra sabem disso.
Não há necessidade de entrar com as dimensões superiores para ver que vamos, todos, mas todos, sem exceção, a uma revolução.

Há os que irão ao muro e que vão aceitar a revolução.
E há aqueles que não vão aceitá-la.
Mas é assim.

A sensibilização é extremamente potente.
Mas a melhor sensibilização que vocês podem fazer é a de aumentar seu casulo de Luz, é a de aumentar sua mestria, sem preocupar-se com o resto.

O resto virá.
Os reagrupamentos são importantes, na escala puramente local.
Haverá outros reagrupamentos, mas muito mais tarde, que serão ajudados pelas forças de Luz, pelas forças ditas extraterrestres, que virão fazer reagrupamentos muito mais importantes, em lugares extremamente precisos, não unicamente na França, mas, sobretudo, na América Latina.

Mas isso é para mais tarde.
De momento, os reagrupamentos que lhes são solicitados são as pessoas de mesma afinidade, na condição, eu repito, de que vocês estejam no consenso.

É extremamente importante.
Vocês não terão esse consenso nos mundos políticos, porque irão contra outras forças que estão morrendo.

Não se pode lutar contra.
É preciso deixá-las morrer em paz.

>>>

Questão: como tornar fluida a instalação desses reagrupamentos para que eles possam desenvolver-se, apesar do contexto exterior?

Cara amiga, você evoca, aí, um problema extremamente delicado e, efetivamente, uma vez que, de qualquer modo, a partir do momento em que vocês vão evoluir na quinta dimensão, vocês vão incomodar ao seu redor. E, se vocês se reagrupam mais, isso vai incomodar, ainda mais, os outros.

Como assim, seres que escapam do condicionamento?
É inimaginável para a sociedade francesa.
Mas isso não é importante, porque no tempo de Cristo era a mesma coisa.

Era, também, extremamente complicado.
A partir do momento em que há uma novidade que intervém – e a novidade de hoje é diferentemente mais importante do que aquela de há dois mil anos – há a chegada de uma nova dimensão.

Então, efetivamente, as resistências serão cada vez mais fortes.
Mas, progressivamente e à medida que houver resistências, progressivamente e à medida que vocês tiverem a impressão de que está pesado, progressivamente e à medida que vocês resistirem, não em oposição (não é preciso lutar contra, mas resistir a essa pressão), progressivamente e à medida que vocês resistem ao que chamam esse peso, progressivamente, seu casulo de Luz, sua dimensão espiritual cresce, cada vez mais.

Ela é forçada, ela cresce, cada vez mais, ela asfixia.
E, a um dado momento, ela vai ressoar, cada vez mais.
Essa é uma verdade extremamente importante a compreender.

Não há fatalidade, mesmo se isso lhes pareça extremamente pesado, mesmo se isso for, efetivamente, cada vez mais pesado.

Não é preciso enganar-se.
Não se vai deixar alguns seres sobre este planeta encontrar a Luz.

As forças resistentes, as forças que querem permanecer na terceira dimensão (eu não falo, mesmo, de forças involutivas, aquelas que puxam os fios das marionetes, mesmo as outras estão a par de que há algo que acontece), elas não querem, sobretudo, que isso aconteça.

Elas não querem, sobretudo, que esses seres acedam a essa Luz, porque elas estão na sombra.

Elas têm medo.
Não é porque elas sejam negativas, mesmo se haja algumas que são, é porque elas não conhecem isso.

Mas se vocês se tornam um exemplo, através do que constroem, apesar das resistências exteriores, se vocês mesmos crescem em Luz, talvez, um dia, essa vibração vá tocar esses seres e, talvez, naquele momento, eles aceitarão.

Não há alternativa.
É preciso continuar a trabalhar, continuar a resistir, através dessa compreensão que vem dessa terceira dimensão, que tenta fechá-los, lutando, lutando cada vez mais, não enfrentando, mas aumentando a força inversa de expansão que está em vocês.

Esse é o caminho espiritual normal.
Assim como é preciso trabalhar a terra, para que ela dê algo, é preciso arar a alma, também.

E, nesse momento, vocês vivem o arar da alma, todos.
O acesso a uma dimensão nova não se faz assim, com um golpe de varinha mágica, com a cabeça nas nuvens e deixando cair a Terra.
Não.

É preciso estar com a Terra.
É por isso que, hoje, há muitas pessoas que, como vocês dizem, estão «enlouquecendo», ou seja, estão evadindo-se a mundos quiméricos, à utopia, a todo mundo que é belo, a todo mundo que é gentil.

Porque é para os mundos da quinta, mas não é para imediatamente, não na terceira dimensão.

Quando vocês estiverem na quinta, aí sim, vocês estarão nos mundos de Luz, nos quais não há mais divisões.

Tudo é harmonioso.
Tudo é estruturado, mesmo a Luz é estruturada.
É uma pequena percepção do que vocês viverão na quinta.

Mas aí, na terceira, vocês estão na resistência.
E o que acontece no exterior acontece no interior.
Obviamente, em nós, há coisas que não querem morrer: alguns apegos, alguns condicionamentos, alguns medos, também.

Então, considerem, efetivamente que, se, mesmo em vocês, é difícil, porque há os medos do desconhecido, digam-se que, para aqueles que não tiveram a chance de crer nisso e de viver um pouco da quinta dimensão, eles apenas podem estar na resistência em relação ao que vocês vivem.

Eles apenas podem tentar colocar-lhes bastões nas rodas, porque isso dá medo a eles. Portanto, é preciso continuar a expandir os casulos de Luz, continuar a encontrar essa dimensão de serviço, essa dimensão de Amor, essa dimensão da Unidade da Divindade.

E isso se chama a mestria, autocontrole.
É isso a mestria.

>>>

Questão: para aqueles que quiserem reagrupar-se, há lugares mais favoráveis?

O ser humano tem a capacidade de criar lugares vibratórios.
Não há que procurar um lugar vibratório preciso.

Há, efetivamente, diferenças vibratórias importantes, de acordo com as regiões, de acordo com as localidades, também.

Agora, o lugar tornar-se-á o que vocês ali colocarem.
Então, agora, mesmo se o lugar não seja vibratoriamente elevado, cabe a vocês trabalhar de forma a que ele se transforme.

É extremamente importante.
Aparentemente, vocês exprimem, todos aqui, a noção de sede de reagrupar-se, então, façam isso.

Se vocês acham que se asfixiam demasiado nesse país, então, mudem de país. Se acham que se asfixiam demasiado na cidade em que estão, então, mudem de cidade.

Peçam, também, para que a Luz faça-se, em suas aspirações.
Há, também, uma maravilhosa regra: quanto mais se aproxima da quinta dimensão (quaisquer que sejam os obstáculos exteriores), há algo que se deve desenvolver, é o que se chama a sincronia da Unidade.

A partir do momento em que vocês entram na sincronia habitual (ou seja, que as coisas aconteçam, como eu diria, sobre rodas), a um dado momento, vocês vão entrar na sincronia da Unidade.

Naquele momento, tudo será instaurado de maneira mágica.
A partir do momento em que vocês aceitam, totalmente, sua Divindade, se vocês fazem como o Cristo na cruz, que disse: «Pai, que sua vontade faça-se, e não a minha», «eu sou meu próprio Mestre, mas eu entrego minha vontade a uma vontade superior», naquele momento, as coisas não se farão sozinhas, mas serão muito mais fluidas, muito mais naturais.

Se há demasiadas resistências em relação ao que vocês querem fazer, naquele momento, coloquem-se a questão da exatidão do que há a fazer.

Não é preciso, tampouco, tornar-se paranoico e crer que, assim que há algo que venha em oposição, são as forças de resistência.

Por vezes, também a resistência é, unicamente, interior, e não exterior.
E o que se faz não está em acordo com a Unidade da divindade que nós somos.

E, naquele momento, obviamente, os planos espirituais põem um pouco de “epa!”, para as correções em curso, eu diria.

Então, a partir do momento em que as coisas entrarem na fluidez da Unidade, na sincronia da Unidade, nas quais as coisas forem simples, mais simples, então, naquele momento, vocês estão, verdadeiramente, em seu caminho.

Naquele momento, os obstáculos devem calar-se.
É preciso colocar as fundações, agir, obviamente, mas, naquele momento, as coisas devem fazer-se.

As coisas desenrolam-se normalmente, quase normalmente, em todo caso, muito mais facilmente.

Essa é uma grande regra espiritual.

>>>

Continua na Segunda Parte. [Clique aqui]

************
Mensagem de O.M. AÏVANHOV no site francês Autres Dimensions:
http://autresdimensions.info/article670c.html
08 de abril de 2006 (Publicado em 08 de abril de 2006).
Versão do francês para o português: Célia G.
via: http://leiturasdaluz.blogspot.com.br

Um comentário:

Postar um comentário