quinta-feira, 9 de fevereiro de 2006

CRISTO - Vocês terão, em si, a clareza total da consequência de suas escolhas [09/02/2006] - Autres Dimensions



09 de fevereiro de 2006.

do site AUTRES DIMENSIONS



Áudio da Mensagem em Português

Link para download: clique aqui

Neste período pascal, que é tão caro ao meu coração, eu venho para vocês confirmá-los na entrada total e definitiva do período de grandes tribulações, no período em que toda alma humana deverá fazer escolhas em sua evolução futura.

Creiam, efetivamente, que nem eu ou qualquer outro ser da Luz eterna virei julgar suas escolhas. Mas convém, de uma vez por todas, e de maneira definitiva, fixar suas escolhas.

Alguns de vocês sobre este planeta serão postos em face de ultimatos, digamos, a fim de escolher, de maneira irremediável, entre a Luz e os véus da encarnação.

De fato, nós acabamos de aceder à abertura de uma janela cósmica extremamente importante na evolução deste planeta, que é tão caro ao meu coração.

Hoje, enfim, nós podemos afirmar a entrada no período de tribulações, tal como foi descrito por meu divino amigo São João, assim como vocês o nomearam.

Vocês entram, definitivamente, no período em que verão, no exterior de si, confrontar-se certo número de elementos: a oposição entre a sombra e a Luz, a oposição entre as forças vivas da Luz autêntica, que devem conduzir à emergência de uma nova consciência, mas, também, de um novo paraíso sobre este planeta.

Essas forças, que são caras ao meu coração, vão opor-se à falta de Luz, às forças involutivas ligadas à evolução da terceira dimensão na qual vocês estão há tão longo tempo.

Essas forças vão tudo fazer, creiam, para impedir essa Luz eclodir em seus corações, mas, também, eclodir sobre este planeta. E, entretanto, é importante compreender que esse combate, essa luta que vocês terão a fazer é algo que está inscrito de toda a eternidade, como eu o havia dito em minha vida e como lhes é, hoje, apresentado por nosso divino Pai, a todos.

Vocês terão, em si, a clareza total da consequência de suas escolhas.
E creiam, efetivamente, que toda alma fará sua escolha em conhecimento de causa.

Não haverá palavras que poderão elevar-se e dizer «eu não sabia».
Em caso algum, isso será possível.

Cada alma será confrontada a si mesma.
Cada alma, durante os meses e as semanas, será capaz de fazer as escolhas.
E, de fato, vocês o terão compreendido, desde numerosos anos, houve, certamente, outros períodos de escolhas. Mas este período de escolhas é o mais importante, porque ele é probatório.

É ele que os conduz a afirmar, definitivamente, as orientações que tomaram suas vidas, para alguns de vocês há extremamente muito tempo, e, para outros, mais recentemente.

Não há, entretanto, julgamentos de nossa parte.
E quando, efetivamente, mesmo São João, falou de julgamento final, esse ponderar das almas, essas almas chamadas, escolhidas, que subirão ao Céu, é que elas terão, obviamente, feito a própria escolha.

Ninguém poderá forçar ninguém.
Cada ser será livre, em sua alma e consciência, para escolher o caminho da liberação ou o caminho do acorrentamento.

Certamente, alguns de vocês poderiam dizer-se: «como se pode escolher, ainda, o acorrentamento ao invés da liberdade?».
Boa pergunta.

Entretanto, é necessário, efetivamente, compreender que as almas concebem, a um dado momento de sua peregrinação, a noção de acorrentamento, a noção de prazer e de gozo como algo de essencial à sua experiência.

Em caso algum vocês podem prejulgar ou julgar a evolução dessas escolhas.
Assim, é por isso que eu lhes pedi, em minha vida, para não julgar quem quer que fosse, jamais portar julgamentos de valor, qualquer que seja o caminho tomado por uma alma que poderia ser qualificada de inimiga, ou mesmo de amiga.

Não se esqueçam de que o inimigo o mais oposto ao que vocês são é, entretanto, seu irmão, realmente; simplesmente, o caminho dele difere do seu.

Nisso está a grandeza de alma, de compreender que Deus, o Pai, sendo sem limitação alguma, o Filho é aquele que quer confrontar-se ao seu caminho de evolução (que eu apresentei há dois mil anos), e deve, também, ser sem limitação alguma.

A partir do momento em que vocês observam uma pessoa, um evento como algo que não pertença ao seu campo de coerência, ao seu campo de coesão, à sua vida, vocês saem do caminho do Amor que eu tracei.

Vocês saem do caminho da Unidade que o Pai quis para vocês.
É extremamente importante compreender isso.

E, sobretudo, nos períodos de escolhas, em que as confrontações, em que as tensões podem tornar-se enormes.

Os eventos que se desenrolam agora na superfície deste planeta não estão aí para punir, mas estão aí para despertar.

Eles são, também, a exata retribuição das ações insensatas e engajadas pela loucura dos homens na corrida para a competição, na corrida para o dinheiro, tal como vocês o chamam, na corrida desenfreada para a dominação de seu irmão e de outros povos que estão na vida sobre este planeta.

Hoje, e como sempre, de um modo, certamente, um pouco mais aproximado, a natureza inteira grita «pare».

Os reinos da vida inteira proclamam seu desgosto pronunciado para essa vontade de tomar posse de alguns homens, que vão além dos limites que foram atribuídos pelos jogos ligados à encarnação na terceira dimensão.

Convém compreender que, hoje, a Terra deve manifestar – e os reinos que a habitam também – a resultante das ações passadas que corresponderão não a uma punição, eu lhes digo, caros filhos, mas, verdadeiramente, a uma liberação e a uma potencialidade enorme, como jamais existiu: revelar ao ser humano seu potencial Divino, pô-lo em face de suas responsabilidades, em face de suas escolhas, em face do que ele sofreu, compreendeu, esperou e, sobretudo, temeu.

É extremamente importante compreender isso de modo a, no momento oportuno, não portar julgamentos, nenhum, não mostrar o dedo àquele que não tiver feito a boa escolha porque, quem sabe se vocês mesmos, no momento da escolha, farão a boa escolha?

De fato, até o último minuto da escolha apresentada pelo Pai, há uma oportunidade de ser comprado, de voltar atrás. Mas, quando a escolha final está aí, naquele momento, a escolha torna-se irremediável e definitiva, e não está sujeita a mudança.

E induz a alma a uma polaridade de vida que vai sonhar, de algum modo, suas possibilidades de manifestações de evolução de potenciais nos 200.000 próximos anos.

É extremamente importante compreender isso.
Certamente, vocês devem vencer, em vocês, certo número de limitações.
Essas limitações foram forjadas pelas encarnações passadas, que vocês enfrentaram, sofreram, desenvolveram, mas, também, por todos os desejos que vocês formaram (desejo de sucesso, desejo de dinheiro, desejo de ser visto), desejo, desejo, sempre a mesma palavra.

Ora, a passagem ao Paraíso da Terra acompanha-se, necessariamente, de um abandono total de todos os desejos, de maneira a que, no momento oportuno em que, como o crucificado que eu fui, vocês possam dizer: «Pai, que sua vontade se faça e não a minha».

Isso necessita de abandonar, totalmente, seus desejos, abandonar, totalmente, suas projeções, seus anseios, seus desejos e suas predisposições para ir para a posse, qualquer que seja.

Essa não é uma atitude mental, uma atitude afetiva, emocional, mas, verdadeiramente, uma decisão lúcida e final da alma, que deve arrastá-los a colocar os atos fundadores de sua nova vida, sob novos céus e sobre uma nova Terra.

Isso é extremamente importante a compreender.
No momento da escolha, nenhum elemento deve vir perturbá-los.

Apenas aqueles que tiverem a força de alma serão capazes de renunciar às aquisições, de renunciar à família, ao que há em seu bolso, ao que há em sua cabeça, ao que há em seu coração, de maneira a voltar a tornar-se uma criança, para aceitar penetrar no reino dos céus, tal como eu o anunciei há dois mil anos.

É extremamente importante compreender, também, com o coração, e não com a cabeça, que essa escolha é uma experiência final, que sobrevém apenas excepcionalmente na superfície desse planeta, tanto mais que, coisa ainda mais rara, nosso planeta, seu planeta, sobre o qual vocês vivem, deve aceder à sua dimensão transcendente, que deve fazer dele um planeta sagrado.

Ora, apenas poderão pisar seu solo aqueles que tiverem feito a escolha de serem sacralizados.

As escolhas, em alguns casos, poderão ser penosas e dolorosas.
Mas creiam, efetivamente que, qualquer que seja a escolha que vocês façam, vocês serão, de todo modo, abençoados.

Não haverá arrependimentos a ter.
Haverá apenas que assumir suas próprias responsabilidades, suas próprias decisões.

Agora, nas semanas e nos meses que vêm, inúmeros seres vão entrar em rebelião, vão entrar em sofrimento extremo em relação ao que vem.

Isso não é devido à vontade do Pai, nem à minha, mas, obviamente, aos freios e às resistências e, eu diria mesmo, às algemas que foram postas na emergência da Luz na alma deles.

Essas almas tentarão arrastar com elas certo número de seres no que se poderia, realmente, chamar uma queda, uma regressão e um retorno a esquemas involutivos extremamente potentes.

Isso não lhes pertence.
Mas saibam que essa luta acontece, também, em algum lugar no fundo de seu ser, a luta contra a materialidade e a espiritualidade.
Vocês serão capazes de espiritualizar sua matéria?

Ou, ao contrário, materializar sua espiritualidade?
Cabe a vocês escolher, caros irmãos, cabe a vocês fazer as boas escolhas, em toda lucidez.

Vocês terão, obviamente, em toda consciência, a lucidez de escolhas a fazer.
Essas escolhas não induzem, contrariamente ao que alguns de vocês poderiam pensar, ao advento do fim dos tempos.

Isso corresponde a um período muito mais tardio em sua história.
Entretanto, os atos e as fundações postos provocarão certo número de modificações extremamente importantes de vida e o aparecimento de novos dons que lhes foram preditos desde minha encarnação: a impressão, não unicamente a impressão, mas, sobretudo, a capacidade de dupla visão, o acesso aos mundos espirituais ser-lhes-ão oferecidos naquela ocasião.

Convirá a vocês lutar, obviamente, também, contra as forças involutivas que procurarão puxá-los a um período anterior de escolha.
Isso não é possível, caros filhos.

Cabe a vocês fazer a escolha.
Uma vez que a escolha da Luz for feita, vocês apenas poderão trabalhar no sentido da Luz.

Vocês apenas poderão, por seu exemplo de irradiação, arrastar a segui-los os seres ainda indecisos no momento da escolha. Convém, portanto, cultivar essa certeza, essa fé total na Luz, no amor, na Unidade do Pai e do Filho, porque vocês são, também, obviamente, o Filho que vai juntar-se ao Pai.

Não há, nisso, qualquer metáfora, qualquer imagem, mas, efetivamente, a realidade do que vocês são: os filhos do Pai, os filhos da Luz e os filhos do Um.

Vocês são o único, totalmente, em vocês.
Convém a vocês, para isso, nisso, aceitar essa dimensão sublime do que vocês eram há, efetivamente, muito tempo, e que vocês devem, hoje, voltar a tornar-se.

Aí está a mensagem que eu tinha a aportar-lhes neste período pré-pascal, a fim de aportar, em seu coração, a certeza de sua Divindade, a certeza da Luz e, em todo caso, a certeza de seu caminho.

Agora, eu permaneço com vocês, ainda um pouco de tempo, para saber se cada um de vocês tem uma questão específica a colocar-me, à qual eu possa responder.

Assim, eu os escuto.

>>>

Questão: como liberar-se do ego?

O único modo, através do discurso que eu empreguei, de liberar-se, durante essa fase decisiva, de seu ego, consiste em deixar agir em si a vontade do Pai, abandonar toda veleidade de desejo, toda veleidade de colocar atos e deixar o céu agir em si, abandonar toda resistência.

Aí se situa a resolução do ego.
Aí se situa a resolução de oposições ligadas à encarnação na terceira dimensão.

Não há alternativa que não a de deixar agir em vocês a vontade da Luz.
A resposta está clara, caro irmão?

A vontade que vocês terão, vocês todos, para estarem ainda mais motivados no caminho, serão os eventos que vocês observarão no exterior, ao redor de vocês, na superfície inteira deste planeta.

Vocês serão confrontados a eventos que os farão portar escolhas em todo conhecimento de causa.

Vendo as imagens, ouvindo a repercussão, vocês compreenderão, real e sinceramente, as escolhas que devem fazer.

Vocês não poderão, contrariamente àqueles que serão confrontados a esses eventos em diversas regiões do globo, dizer que vocês não sabiam, porque vocês têm a chance de ser privilegiados, observadores do exterior de alguns eventos traumatizantes que sobrevêm.

Isso reforçará sua vontade de Luz e sua vontade de liberação, estejam certos disso.

>>>

Questão: como ter a certeza da exatidão de nossos atos?

Não há certeza de tipo matemático, caro irmão, no sentido humano.
A certeza não se encontra na realidade desse plano.

Não há mais concordância total entre o que acontece no Céu e o que acontece sobre a Terra. O único modo de estar certo disso é a coerência interior, não a exatidão de resultados, mas a certeza interior ao nível do coração.

O que diz seu coração é a verdade, o que diz a Luz é a verdade, também, quaisquer que sejam os obstáculos, e deus sabe que eles são numerosos, nesses tempos do fim.

Convém, entretanto, estar lúcido sobre sua vontade de Luz.
A partir do momento em que vocês deixam, totalmente, as noções de ego, a partir do momento em que deixam, totalmente, a noção de vontade pessoal, a partir do momento em que deixam falar seu coração, sua alma, torna-se evidente que vocês estão na verdade.

Entretanto, a partir do momento em que vocês observarem o que acontece no exterior, vocês serão confrontados a certo tipo de elementos sobre os quais eu não me estenderei, vocês terão, em face de vocês, as capacidades de emoção total ao nível do coração, de compreensão de quem vocês são.

>>>

Questão: em qual período teremos essas escolhas a fazer?

Vocês entraram no período de tribulações, e isso, para um período de dois anos, dois anos e meio, durante os quais os eventos vão suceder no exterior de vocês, mas, também, no interior de vocês.

Vocês serão confrontados às suas próprias sombras, mas, também, às sombras planetárias. Convém, durante este período, fazer as escolhas, mas, também, afirmar sua Luz, crescer em verdade, crescer em espírito.

Os potenciais espirituais que estavam apagados na maior parte dos seres humanos vão, progressivamente e à medida de seu reforço de Luz, voltar a desenvolver-se, voltar a desvendar-se em sua total magnificência.

Vocês se tornarão, realmente, seres multidimensionais e, isso, muito proximamente, o que alguns de vocês já são, através da percepção ultrassensível de outros mundos, de outras dimensões.

A dúvida, caro irmão, faz parte do caminho.
Aquele que não duvida, que não se coloca, jamais, questões, está no ego, na ilusão da certeza total de sua vida.

Alguns discípulos que estavam na encarnação entre minha vida e sua época manifestaram, em um grau ou outro, esse período de dúvidas, qualquer que seja a fé que os anima.

>>>

Questão: nesse período difícil, o que invocar para encontrar reconforto?

A invocação é uma grande palavra, a oração é uma grande palavra, a meditação, também, é uma grande palavra.

É-lhes, simplesmente, solicitado para estarem vivos, estarem na vida, conscientes, a cada minuto, da totalidade da Divindade que vocês são.

A partir daquele momento, todo ato posto será um ato exato.
Não pode haver, nessa situação, independentemente de dúvidas inerentes à condição humana e à condição de seu aparelho intelectual e mental, não pode haver traição ou engano do que diz sua alma, do que diz sua vida, mesmo se esse – e eu concordo – seja um período extremamente difícil.

Portanto, a palavra invocação é um pouco forte.
Convém, simplesmente, estar vivo e ir ao sentido da vida e ir ao sentido da expansão de novos potenciais do ser humano que vocês vão tornar-se.

Ser si mesmo, estar lúcido e consciente a cada minuto que passa, não se deixar levar pelo que corresponde às emoções, pelo que corresponde às ideias, aos pensamentos, às formas, de algum modo, de «divisões».

A realidade da vida basta-se por si.
A realidade da ação, no momento o mais oportuno, é, certamente, a coisa a mais importante para permitir o pleno desabrochar de seu potencial de Divindade.

Fiquem lúcidos.
Fiquem conscientes no instante.
Abandonar toda resistência e deixar fazer a vontade do Pai.

>>>

Questão: qual é ou qual será seu papel nessas tribulações?

Eu intervirei, cara amiga, cara irmã, apenas no final das tribulações.
Entretanto, minha presença manifestar-se-á a um dado momento ou em outro, a cada alma no caminho, pronta para fazer a escolha da Luz do Pai e do caminho Crístico.

Nisso, eu intervirei, individualmente, neste período de tribulações.
Meu papel intervém bem após o momento do fenômeno que vocês chamaram, em seu mundo, o fenômeno de ascensão, que é descrito no evangelho de meu Santo Filho.

>>>

Questão: poderia definir a que corresponde seu tipo de energia?

Cara filha, cara irmã, eu sou o caminho, a verdade e a vida.
Nessa frase única, eu assumo, totalmente, o que eu sou.
Aquele que quer encontrar o caminho do Pai apenas pode passar por mim, não há alternativa.

Eu não falo, aí, de religiões que foram construídas em meu nome.
Eu falo da ilustração de meu caminho, mas, também, de meu canal, em todos os sentidos do termo. Há, em meu caminho, minha verdade, minha via, a última mensagem focada na dimensão do Pai.

Considerar-se como um filho, considerar-se como o Filho do Pai, aí se situa o caminho que eu mostrei, que eu ilustrei.

Como Rei deste planeta, convém mostrar o caminho que conduz ao Céu, ao Pai e às dimensões que vocês chamam «superiores».

Ninguém pode penetrar o reino dos céus se não volta a tornar-se uma criança.
Ninguém pode penetrar o reino do Pai sem passar por mim.

Quando eu digo «mim», não se trata de minha presença encarnada, nem de modelos construídos pelas religiões, mas, obviamente, de um modelo vibratório característico que se chama a filiação.

>>>

Questão: como você se situa em relação a Orionis?

Orionis é o Regente.
O Regente é aquele que organiza, que dirige um esquema evolutivo.
Minha encarnação e meu sacrifício foram, simplesmente, destinados a lembrá-los de sua inspiração divina e mostrar-lhes a via e o caminho, a verdade e a vida que eu sou.

Nisso, eu sou o intermediário, não Melquisedeque, não da ordem de Orionis, não de qualquer capela, mas eu trabalho, entretanto, na mesma Luz que é a Luz da Unidade, a Unidade do Pai, a Unidade da Luz.

Nisso, eu sou aquele que é seu canal para o Pai.

>>>

Questão: Miguel precisou-nos que, nomeando-o Almala, com a repetição de três «a», havia uma ressonância vibratória direta com sua energia. Há um nome que ponha em ressonância vibratória, diretamente, com você?

Cara irmã, cara filha, a vibração é extremamente importante.
Uma vibração que é formulada por um ser repleto de Luz e a vibração formulada por um ser repleto de sombra chama, necessariamente, a mesma vibração?

Assim, no que diz respeito ao meu nome sagrado de Sananda, que foi utilizado em diferentes capelas, assim como o nome de Cristo, que me foi dado, essa palavra foi desviada.

Se vocês chamam Cristo, é Cristo que se manifesta?
Se vocês invocam Sananda, é Sananda que se manifesta?

Isso depende de sua afinidade vibratória.
Agora, essa lógica dos três «a» sempre foi fundamental, no que diz respeito aos seres de Luz. Mas, no que diz respeito ao meu canal de Luz, eu lhes proponho manter a denominação e as escolhas que é a origem primeira de meu nome.

>>>

Questão: qual diferença você faz entre ser de Luz e canal de Luz?

Eu sou ser e canal de Luz.
Por meu canal, vocês acedem ao Pai.
Eu os preservo no caminho de desvios que podem manifestar-se, ligados às armadilhas do poder da alma, uma vez que esses forem revelados.

O canal é um lugar pelo qual vocês devem passar para aceder a outra coisa, sem, necessariamente, passar pelo ser que eu sou, mas pelo canal que eu represento.

>>>

Questão: qual ritual pode-se utilizar para invocá-lo mais eficazmente?

A evolução da Luz, compreenda, efetivamente, não é a mesma que no momento de minha vinda sobre a Terra.

Vocês estão, hoje, em face de vocês mesmos, em face do que se chama seu próprio livre arbítrio, não que vocês sejam livres, mas em sua própria escolha e, também, em sua própria mestria.

Os rituais, que foram prejulgados na história da humanidade, quando de um passado extremamente recente, diríamos, até o século XVI, que eram ligados à religião, muito fortemente, desagregaram-se.

Esse afrouxamento e essa desagregação permitiram a manifestação de certo número de poderes diferentes da Luz. Era, assim, necessário e obrigatório para que o homem conseguisse compreender que ele devia superar a noção de rituais, a noção de orações, a noção de meditações para aceder ao coração e à essência, para aceder à sua essência central.

E isso, em toda lucidez, sem esforço específico e sem rituais complicados.
Assim, hoje, mais do que nunca, é-lhes solicitado abandonar todos os rituais e dirigir-se, realmente, à autenticidade de seu ser porque, quando vocês estão centrados em seu coração, quando estão alinhados com a dimensão do «eu sou», com a dimensão do Jeshua, vocês se tornam, vocês mesmos, esse ser divino, de que eu falava, que não tem necessidade de qualquer ritual, mas que é, simplesmente, o «eu sou».

>>>

Questão: quais são suas relações com o Intraterra?

Nós poderíamos chamar os seres do Intraterra, em todo caso, para mim, os «aduaneiros», que verificam, a cada vez, minhas idas-e-vindas, meus retornos nesse plano dimensional, para entrar em contato com alguns de meus canais, alguns de meus médiuns.

Quando eu chego eu digo, realmente, aquele que eu digo que eu sou, e não qualquer outra entidade, que chegaria de planos intermediários.

Assim, eles são os guardiões, eles são os guardiões do plano dimensional.

>>>

Questão: quando de sua encarnação, você teve uma descendência?

Obviamente, eu tive uma descendência, eu tive dois filhos.
Não se podia ser Rabino, à época de minha encarnação, se não se fosse casado.

E, obviamente, eu o fui.
Inúmeras coisas foram profundamente deformadas.
São dados históricos que apenas pouco têm a fazer com o que vocês vão viver.

>>>

Assim, caros amigos, é tempo para que eu saia do canal no qual estou.
Permitam-me, caros filhos, caros irmãos e irmãs, aportar-lhes toda a minha bênção, todo o meu amor.

Eu os amo.

************
Mensagem de CRISTO no site francês Autres Dimensions:
http://autresdimensions.info/article447a.html
09 de fevereiro de 2006 (Publicado em 09 de fevereiro de 2006).
Versão do francês para o português: Célia G.
via: http://leiturasdaluz.blogspot.com.br

Um comentário:

Postar um comentário