quinta-feira, 19 de julho de 2007

CRISTO - Amem-se, como Eu os Amo, sem barreiras, sem filtros, sem sombras [19/07/2007] - Autres Dimensions



19 de julho de 2007.
do site AUTRES DIMENSIONS.
Áudio da Mensagem em Português

Link para download: clique aqui

Eu os abençôo, meus filhos, e inundo seus corações de minha graça eterna.
Meus bem amados, eu venho, hoje, falar-lhes da Luz, de fato, de luzes, porque não há uma Luz, mas Luzes.

Assim como há numerosas moradas nos reinos da criação, há, também, numerosas luzes.

Primeiro, a luz que ilumina os planos de vida a partir da dimensão encarnada até os planos os mais altos.

De fato, os serafins não foram chamados os seres de fogo?
E o fogo não brilha de uma luz intensa, ele também, como uma estrela ou um sol?

A luz pode ser definida por suas características, por suas medidas físicas, por seus efeitos sobre o vivente, tudo isso participa da análise dessa luz.

E, quando eu digo, meus bem amados, que vocês são luz, que vocês são os filhos da Fonte que é, ela também, luz, não confundam, contudo, todas essas luzes, não tanto em suas descrições ou seus efeitos (quem não choraria diante do espetáculo de um ser vivo que pulsa ao mais perto do trono do Pai?), mas, efetivamente, quanto à finalidade da luz.

O objetivo da luz vai definir o papel dela, bem mais do que seus atributos.
E sua luz, de vocês, esse esplendor da criação que vocês são, qual é a finalidade dela?

Retornar à Fonte ou afastar-se da Fonte?
Segundo sua finalidade, a vida de sua luz vai modificar-se para conformar-se às necessidades de sua alma, obviamente, essa luz espiritual vai induzir manifestações em sua vida que serão diametralmente opostas.

Se vocês pudessem ver sua luz, notariam diferenças importantes.
O melhor qualificativo que vocês encontrarão em todos os reinos da criação – a partir dos planos densos físicos até os planos da criação dos mundos – está, portanto, na finalidade.

Mas o objetivo é, sempre, ou aproximar-se da Fonte – e, nesse caso, a luz é quente – ou afastar-se da Fonte (e, nesse caso, a luz é fria).

O frio e o calor têm o mesmo efeito sobre a vida?
Certamente, não.

Em um caso, haverá expansão da vida, no outro caso, contração.
Todas as luzes podem resolver-se nessa última equação e, daí, em sua encarnação, elas podem orientar sua vida ou para mim ou para o outro (Lúcifer).

Mas vocês apenas poderão viver sua unidade de divindade tendo vivido os dois. E aí está porque eu lhes dizia, quando de minha encarnação, para não julgar seus irmãos, porque vocês não veem, inteiramente, o destino do Pai para cada alma, vocês não veem a finalidade da luz.

Em todo caso, vocês apenas podem vê-las através de seu próprio filtro, que colore ou descolore tudo, e a medida com a qual vocês julgarem servirá para julgar-se, porque vocês são todos iguais na luz, vocês são todos iguais, em verdade, mas em momentos diferentes de sua evolução.

Aqueles que estão à sua frente são vocês, mas mais tarde.
Quanto àqueles que estão depois de vocês, eles são vocês de antes.
Só a difração da luz impede-os, nesse mundo, de viver a unidade, mas é pedido para não mais funcionar segundo esses antigos códigos da dualidade.

Minha mensagem de há dois mil anos era e é: «amem-se».
Eu vim ensinar-lhes a unidade, mas os homens não tinham, naquele momento, os meios de levar a efeito meus preceitos.

Hoje, a hora chegou de viver em mim, de viver com minha luz e não mais aquela da divisão e da dualidade.

Não é mais tempo, meus bem amados, de discernir, de separar.
Eu venho, agora, pedir-lhes um ato de amor incrível: «amem-se uns aos outros, amem seus inimigos», porque é apenas amando os inimigos de minha luz que vocês as vencerão, inundando-os de minha graça e de meu amor, regando-os de amor e de verdade que eles virão a capitular diante de vocês e de mim reunidos.

Meus amigos, eu lhes peço a oferenda total da abertura de seu coração, eu lhes peço sua mestria, através de seu soltar à sombra, eu lhes peço para estarem em paz e tornar-se o amor, eu lhes peço para não mais lançar suas pedras, tanto as pedras a que chamam discernimento como as pedras de seus medos de soltar sua realidade para minha realidade e aquela do Pai.

Eu venho dizer-lhes: «não tenham medo».
Eu venho dizer-lhes que vocês estão, enfim, livres, então, retirem as correntes de seus julgamentos, de suas separações, de suas divisões.

Eu venho dizer-lhes para amar toda a criação, porque vocês detêm, em si, a força de fazer voltar as trevas para a luz.

Sua luz pode e deve fazer chorar de amor o diabo e Lúcifer, porque o amor pode tudo curar e, sobretudo, sua própria negação.

O amor é tudo o que é, a luz é, dele, sua mais fiel manifestação aqui e em outros lugares.

A luz vem para as núpcias.
Vocês aceitarão unir-se a ela?
Vocês aceitarão unificar-se, enfim, consigo mesmos?

Sim, vocês o farão, porque seu destino é aquele do Pai, aquele da alegria e aquele da unidade.

Nada poderá resistir a esse apelo.
Então, abram, abram todas as válvulas de seus corações, amem sem limitação, sem julgamento, sem discernimento, sem divisão, sem dualidade.

Vocês querem seguir-me fora da dualidade?
Vocês querem subir para os reinos da alegria e da felicidade eterna?

Então, se sua resposta é «sim», aceitem nada mais rejeitar, aceitem tudo amar, tudo abrasar no fogo de seu coração, tudo tornar sagrado na verdade, na unidade, na divindade.

Meus filhos, meus irmãos, meus amigos, meus bem amados, eu me ponho aos seus pés para convidá-los a abrir as válvulas de quem vocês são e que está esquecido, no entanto, para as necessidades de suas encarnações.

Mas as encarnações têm um fim.
Um ciclo conclui-se e permite a abertura de seu código genético.

Sua liberdade é-lhes restituída, vocês a querem?
Não me digam, meus bem amados, que vocês preferem permanecer na prisão, que vocês preferem permanecer fora das núpcias celestes!

Eu sei que o grande dia veio, o maior dos inimigos da luz esconder-se-á nas filas daqueles que cantam os louvores da criação de amor e de luz.

Eu os amo.
Amem-se, como eu os amo, sem barreiras, sem filtros, sem sombras.

Paz a vocês.

*********************
Mensagem de CRISTO no site francês Autres Dimensions:
http://autresdimensions.info/article0b46.html
19 de julho de 2007 (Publicado em 19 de julho de 2007).
Tradução do francês para o português: Célia G.
via: http://leiturasdaluz.blogspot.com

Um comentário:

Postar um comentário