quinta-feira, 19 de abril de 2007

MARIA - Deixar o lugar vazio e limpo para aqu’Ele que vem [19/04/2007] - Autres Dimensions




19 de abril de 2007.

do site AUTRES DIMENSIONS



Áudio da Mensagem em Português

Link para download: clique aqui

Eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.
Bem-vindos a vocês, queridos filhos.

Vocês me veem alegre por estar com vocês, aportar-lhes minha bênção e dar-lhes certo número de elementos que estão em relação, eu diria, com minha efusão de energia, minha divina presença, associada à divina presença de Jesus, mas, também, do Arcanjo Miguel, que vem juntar-se não ao que vou dizer, mas que vem juntar-se à efusão de energia que se produz, nesse momento mesmo, em seu planeta e que é ligada a certo numero de elementos dos quais gostaria de informá-los.

Mas, primeiramente, queridos filhos, paz a vocês, paz em seu coração, paz em sua alma e em sua Luz.

É extremamente importante compreender que, há numerosos séculos, eu intervim, em muito numerosas reprises, para informar a humanidade encarnada de certo número de coisas que devia advir em um período que corresponde àquele que está, agora, diante de vocês.

Após uma longa preparação, o conjunto desse planeta e de seus habitantes, após uma longa maturação, deve viver um fenômeno bastante específico.

Esse fenômeno bastante específico foi, em numerosas reprises, descrito, há certo tempo, mas em tempos mais recentes, também.

Essa transformação, esse processo chamado «elevação» corresponde a novos modos de ver as coisas, a novos modos de viver as coisas, a novos modos de funcionar, que devem, em breve, ser e tornar-se sua realidade.

Queridos filhos, é extremamente importante compreender que tudo o que é o antigo em vocês deve deixar o lugar ao novo.

É importante não resistir a esquemas de apego, a esquemas de medo, a esquemas de julgamento que são errôneos.

Vocês devem fazer a faxina no interior de si, devem deixar o lugar vazio e limpo para aqu’Ele que vem para vocês agora.

Obviamente, meu divino Filho é a encarnação do que vem para vocês, mas, além de Sua própria pessoa, além de Sua própria Luz, convém, hoje, acolher essa irradiação de Luz que está aí, não para aterrorizá-los, que está aí, não para amedrontá-los, mas, efetivamente, para ajudá-los nesse caminho de elevação.

É importante compreender, queridos filhos, que ninguém além de vocês fará a escolha porque, de toda a eternidade, vocês tiveram a escolha e, ainda hoje, queridos filhos, vocês têm a escolha. Mas as escolhas já estão feitas, as escolhas já foram decididas em sua alma, resta apenas atualizá-las em sua encarnação.

Queridos filhos, cada ser humano esteve livre diante da própria escolha e irá para onde deve ir, para onde seu coração empurra-o, para onde seus medos empurram-no.

Entre o coração e os medos há pouco espaço e, contudo, mundos de diferenças ao nível do funcionamento da alma, da encarnação e do planeta.

Queridos filhos, gostaria de dizer-lhes, e repito, que para nada serve deixar viver o antigo, convém deixar viver o antigo para aqueles que fizeram a escolha de prosseguir a experiência de encarnação nessa terceira dimensão, mas, para aqueles que teriam escolhido prosseguir a peregrinação da alma além dos mundos da ilusão, além dos mundos da separação na qual vocês estão, convirá abandonar seus medos, soltar seus esquemas antigos, para acolher o novo.

Vocês não poderão acolher o novo se estão apegados ao antigo, e não poderão ser renovados se permanecem no antigo, mesmo se a escolha tenha sido feita desse «novo».

É importante compreender, queridos filhos, no que diz respeito à elevação: o medo rebaixa, o coração eleva.

É importante compreender isso como um mecanismo celeste participativo da vida e participativo da evolução.

Cabe a vocês, eu diria, estar lúcidos sobre seus medos e estar ainda mais lúcidos sobre seus apegos que arriscariam freá-los, desacelerá-los ou impedi-los de ir para onde suas escolhas de almas portaram-nos.

Então, queridos filhos, meu coração de mãe pede-lhes, vigorosamente, para orar para serem liberados dos pesos do passado, pedir a ajuda da Luz, antes que ela esteja presente em sua dimensão, totalmente, para serem liberados de condicionamentos, para serem liberados de apegos, liberados de todos os laços que se opõem à sua liberdade.

Creiam, efetivamente, que tudo o que vocês têm chamado, até o presente, de «segurança» (seja uma segurança de ordem material, uma segurança de ordem afetiva, uma segurança de ordem social) não tem mais lugar de ser no que vem para vocês.

Vocês devem ser como crianças: avançarem nus e livres para acolher a nova dimensão que vem para vocês e para poder ali evoluir em toda serenidade.

Nesses esquemas de funcionamento do passado, eu incluo, obviamente, suas doenças, seus sofrimentos, o que vocês chamaram seus carmas.

É importante abordar esse novo com um olho novo, com um coração leve, com uma alma liberada de pesos da matéria; convém, também, permanecerem perfeitamente alinhados e centrados, de maneira a poderem integrar, totalmente, essas energias de Luz de elevação que vem para vocês, para poderem, livremente, assumir suas escolhas, livremente consentidas.

Não é tudo ter escolhido, é, também, importante conformar-se às suas próprias escolhas, para estar em acordo com o que sua alma decidiu experimentar nos tempos que vêm.

Queridos filhos, meu coração de mãe vem para vocês, para aportar-lhes minha bênção, para aportar-lhes meu amor de mãe, obviamente, mas, também, para fazer de modo a que vocês estejam vigilantes, a que vocês se tenham o mais próximo possível de seu coração, o mais próximo possível de sua interioridade, para que vocês não sejam mais desestabilizados por eventos que poderiam, em alguns casos, ser-lhes prejudiciais e que, entretanto, não têm qualquer importância em relação à Luz que vem.

Dito em outros termos, queridos filhos, permaneçam em seu coração, permaneçam orientados para a Luz autêntica, permaneçam orientados para suas escolhas, permaneçam orientados para seu ser interior.

Não se ofenda com o que poderão dizer-lhe do exterior, não sombreie a Luz que vem, não se afete pelos eventos que chegam, porque eles são apenas a ilustração de resistências, não do planeta, mas da maior parte dos seres humanos em encarnação que escolheu prosseguir o caminho na encarnação, no sofrimento e na separação.

Vocês não devem ver isso como sofrimentos, não devem ver isso como castigos, mas como escolhas livremente assumidas, livremente consentidas.

Cada alma viverá o que ela tenha decidido viver, queridos filhos, nenhuma alma poderá estar fora de seu lugar, fora de suas escolhas, fora de sua liberdade autêntica.

Então, cuidado para não julgar, cuidado para não mais compadecer-se além do desejável, o que arriscaria atraí-lo a apegos suplementares, laços de que você procura, justamente, superar.

Queridos filhos, cabe-lhes estar em sua autenticidade, cabe-lhes estar em sua unidade, cabe-lhes estar em acordo com meu divino Filho.

A espada de Miguel desenha-se, agora, em seus céus, para permitir a separação do bom grão e do grão que não chegou ao seu termo, há, de fato, um grão que está pronto para ser colhido e outro grão que deve ser replantado na terra, essa é a lógica da vida, essa é a lógica de cada processo de elevação que sobrevém em toda a vida sobre o planeta, em todos os sistemas solares.

Estejam certos, queridas almas, de que, durante esses períodos, vocês não estarão sós, vocês serão acompanhados, de um lado, pela presença mística de meu divino Filho, por minha presença mística e pela presença mística do Arcanjo Miguel, grande supervisor de eventos, mas vocês serão, também, acompanhados de processos completamente inéditos para vocês.

Tomem cuidado para não serem surpreendidos por essas coisas novas e, no entanto, tão esperadas, que se manifestarão em seus céus.

É uma coisa pensar em algo, é outra coisa ver essa outra coisa.
As coisas são profundamente diferentes entre o pensamento e a visão, entre a emoção e o pensamento.

Assim, inúmeras coisas que vêm para vocês, totalmente novas, se vocês não as acolhem com um coração de criança, desprovido de todo prejulgamento, desprovido de todo julgamento e de todo condicionamento, vocês não poderão enfrentar, eu diria, esse choque cultural que representa a intervenção de numerosas forças desconhecidas.

Cabe a vocês, queridos filhos, velar, purificar-se, aprender, totalmente, o desapego em relação aos seus modos de funcionamento antigos.

Quando meu divino Filho andou entre vocês, Ele pedia aos seus discípulos para segui-lo. Hoje, vocês estão prontos, realmente, para seguir sua alma, vocês estão, realmente, prontos para tudo perder, para ganhar seu céu, sua elevação?

Ou, então, vocês serão pegos de surpresa em seus apegos antigos, em seus medos antigos, em suas resistências para soltar o que deve sê-lo?

Coloquem-se a questão a cada minuto que faz sua vida, porque é a única questão que vale a pena ser colocada.

Não basta colocarem-se atos mentais, de dizer «eu quero elevar-me», não basta querer, é preciso, também, aceitá-lo, e isso não é a mesma coisa.

O querer recorre à vontade, recorre ao ego.
A aceitação recorre ao soltar, recorre a todas as tensões inerentes à sua vida em encarnação há milhares de anos.

Vocês estão prontos para voltar a mundos nos quais a sombra não existe, nos quais o julgamento não existe, nos quais a separação não existe, nos quais o apego não pode existir a quem quer que seja?

Ou, então, vocês preferem prosseguir as longas viagens e os combates da sombra e da Luz, porque sua alma não está, suficientemente, afirmada, para subir nisso?

Creiam, efetivamente, queridos filhos, que jamais eu permitirei julgar uma alma em função de suas escolhas, eu amo, de um coração igual, todos os filhos da Terra.

Eu acompanharei, em tempos imemoriais, aqueles que decidirão recomeçar a experiência da encarnação em um número de ciclos totalmente indefinido.

É importante compreender, também, que meu coração de mãe, obviamente, preferiria que vocês se juntassem aos domínios etéreos do Espírito, aos domínios luminosos nos quais a sombra não existe, para aperfeiçoar e prosseguir sua evolução, para aperfeiçoar e prosseguir, diferentemente, seus caminhos de vida.

Aí está, queridos filhos, o que eu tinha a transmitir-lhes, mas, se quiserem, esta noite, eu me permitirei, também, guiar seus caminhos espirituais, se é que vocês façam o pedido disso.

Meu coração de mãe abre-se a vocês, para acolher suas interrogações.
Sejam abençoados.

Eu os escuto.

>>>

Questão: como conciliar caminho espiritual e vida cotidiana?

Querido filho, seria tempo, talvez, para que você admita, em sua alma, no interior de seu coração, que não há dois caminhos separados, de um lado, um caminho material feito de vicissitudes da vida cotidiana e, do outro lado, um caminho espiritual porque, se há dois caminhos, há, portanto, duas estradas, e essas duas estradas não são sobrepostas para fazer apenas uma.

Isso faz parte, caro amigo, de decisões e de escolhas que devem ser feitas o mais rapidamente possível.

Não pode haver caminho espiritual de um lado – que estaria em acordo – e caminho material (que ignoraria o caminho espiritual), e reciprocamente.

Os dois caminhos devem, totalmente, sobrepor-se.
O que você faria, querido filho, se hoje meu Filho viesse a você e lhe dissesse «siga-me»?

O que você faria?
Coloque-se a questão em seu interior.

Você está pronto para segui-Lo?
Então, eu não posso responder à sua questão diferentemente do que por essa outra questão.

>>>

Questão: como eliminar todas as raivas enterradas?

Querido filho, quem diz raiva diz ressentimento, quem diz raiva diz impressão de ter sido ridicularizado, de ter sido enganado ou humilhado.

Que são esses sentimentos em relação à Luz da alma?
Quem se revolta em relação a essa humilhação?
Quem quer estar na cólera?

É, efetivamente, a alma ou são os resquícios do orgulho e da personalidade?
Quem está na cólera?

É seu coração ou é outra coisa?
Querido filho, eu o convido a colocar-se a questão seriamente: por que querer identificar-se ao que você não é?

Por que querer identificar-se a esse ressentimento?
Por que querer identificar-se a essa humilhação?
Por que, mesmo, querer identificar-se a essa cólera?

Existe, aí, um processo de identificação que é, também, forma de apego que impede a liberação.

>>>

Questão: para a invocação dos serafins, há uma oração específica?

Querido filho, existem, obviamente, orações específicas para cada ocasião, para cada intenção, para cada entidade, para cada Luz, então, obviamente, é perfeitamente possível entrar em comunicação com um serafim, com não importa qual hierarquia, angélica ou outra.

Mas você acredita que nós estejamos, ainda, no tempo de rituais como esse faz já, tanto e tanto tempo?

Você crê que seja preciso inscrever, através de palavras precisas, ordenar em sequências precisas, em línguas precisas para obter esse contato ou, ao contrário, basta abordar isso com um coração puro e inocente para obter esse contato tão desejado?

Isso era válido no antigo tempo, no qual o respeito da forma e da formulação parecia essencial, mas, hoje, a Luz é-lhes prometida e ela não se importa com rituais.

Ela demanda, simplesmente, um coração puro, um coração unificado, para chegar a esse resultado. Então, querido filho, dirija-se, simplesmente, aos serafins, e eles responderão a você.

Por que querer, enquanto as barreiras estão se dissolvendo, passar por procedimentos arcaicos e, necessariamente, que põem em jogo a sombra e a Luz, ainda uma vez, a oposição, para aceder a isso?

Em seguida, coloque-se a verdadeira questão fundamental, querido filho: qual é o interesse de contatar a energia de serafins ou os próprios serafins?

É uma vontade de poder?
É uma curiosidade, ou será que isso vai servir, realmente, ao seu caminho?

Convém colocar-se as boas questões, querido filho.

>>>

Questão: é verdade que há horas planetárias para comunicar-se com os representantes da hierarquia?

Isso é perfeitamente correto, querido filho, nos protocolos da terceira dimensão.

Isso não tem qualquer lugar no que vem, mas mais nenhum, porque vocês entram nos mundos da Luz pura e porque, nesses mundos de Luz pura, não há necessidade de protocolo, não há mais necessidade de hora, uma vez que o tempo não existe mais.

Então, o que vocês procuram manter?
Quais são as Luzes que vocês querem despertar ou aquelas que vocês querem adormecer?

Onde se porta seu olhar porta-se seu caminho, onde se portam suas intenções desvendam-se suas Luzes.

Querido filho, isso se chama condicionamentos, isso se chama apegos e nada mais. O caminho dos antigos era válido durante certo tempo, que eram os tempos antigos, mas vocês estão nos tempos novos, mesmo se façam parte, ainda, dessa terceira dimensão.

Lembrem-se das palavras de meu divino Filho: «meu reino não é desse mundo, vocês estão sobre esta Terra, mas vocês não são desta Terra».

Então, nisso deve ressoar o apelo à liberdade e não o apelo às cadeias.
Cabe, hoje, mais do que nunca, superar os quadros da religião, superar os quadros dos ensinamentos do passado e voltar-se, com um olho novo, para os ensinamentos do futuro, permanecer firme e alinhado em si, porque a única certeza é o si e não as leis do passado.

Há, através dessa necessidade, ao nível espiritual, de religar-se a orações ou rituais precisos, uma forma de apego que deve ser transcendida, não que ela seja nefasta em si mesma, mas ela participa do jogo da sombra e da Luz, ou seja, do jogo do apego.

A desculpa que consistiria em dizer: «nós ainda estamos na terceira dimensão» é um erro magistral, que mostra e que demonstra formas de apego a condicionamentos.

Convém fazer prova da novidade, de liberdade, de desapego e voltar a tornar-se, verdadeiramente, como uma criança, livre de todos os prejulgamentos, livre de todos os condicionamentos, livre de todos os carmas.

E não é olhando os condicionamentos, não é olhando os carmas, não é olhando os prejulgamentos que se libera deles.

Bem ao contrário.
Vocês poderiam passar três vezes mais de seu tempo em encarnação a tentar resolver os mecanismos dessa terceira dimensão, que vocês não chegariam, absolutamente, ao fim, porque é um jogo sem fim.

Então, o que eu lhes proponho, queridos filhos, e o que lhes propõe a Luz que vem para vocês é o fim do jogo para aceder a algo de muito maior.

Vocês estão prontos?

>>>

Questão: o que é desses canais que estão em contato, em canalização com falecidos?

Isso cabe a cada médium, de modo diferente: para alguns, isso é o caminho deles, para outros, é o ganha-pão deles.

>>>

Questão: como identificar o anjo guardião?

Qual é o interesse, querida filha, de identificar seu anjo guardião, se ele mesmo não se revelou a você?

>>>

Questão: a curiosidade?

Então, não há resposta a dar.

>>>

Questão: um único anjo guardião é dedicado a uma pessoa?

É, também, querida filha, o mesmo caso.

>>>

Questão: quando se recorre à sua energia, é, efetivamente, você que se manifesta?

Querida filha, a questão é ambígua.
Recorrer à energia da mãe não é, necessariamente, a presença da mãe.
Recorrer à energia de tal ou tal canal não é, necessariamente, esse canal e, entretanto, a energia manifesta-se.

Será, contudo, que a presença está aí?
Eu creio, querida filha, que é preciso, efetivamente, compreender, hoje, que, nesses tempos reduzidos, meu papel não é, tanto, vir quando me chamam para curar, meu papel é um papel de transmutação do conjunto do planeta, meu papel é um papel daquele que avisa, daquele que vem dizer, sobretudo, para preparar o que vem e não tanto para suprimir alguns problemas ao nível de pessoas.

Isso, certamente, é feito quando minha presença acompanha algumas almas de maneira privilegiada, eu diria.

Mas isso é definido anteriormente à encarnação, isso nada tem a ver, querida filha, com um processo terapêutico que é mais em relação com a manutenção da terceira dimensão.

Isso não quer dizer que a energia não possa estar presente, mas é preciso, efetivamente, diferenciar a energia e a presença.

Vocês podem beneficiar-se da energia de Cristo sem que meu divino Filho esteja presente.

Trata-se de dois níveis de interação extremamente diferentes.
Do mesmo modo, vocês podem chamar a energia do Sol, não é por isso que o Sol estará na sala.

>>>

Questão: é correto enviar pessoas para orar a você em uma igreja?

Isso não é nem correto, querida filha, nem incorreto, isso não é nem necessário nem indispensável, nem desejável, isso pertence à liberdade de cada um.

É sua liberdade, também, de dizer a eles para ir, efetivamente, nesse lugar, orar.

A liberdade, para eles, consiste em aceitar ou recusar; a liberdade, para eles, consiste em recolher-se, orar, receber minha energia, minha presença, se minha liberdade permite-me.

Então, não procurem estabelecer regras tão formais, não procurem saber se isso é correto ou não.

A Luz autêntica que vem para vocês não se importa, eu repito, com esses rituais. Então, efetivamente, alguns lugares são carregados de orações de outros, de pedidos e de súplicas de outros, mas, também, por vezes, de minha presença, real e concreta.

O importante não é tanto que essa pessoa venha encontrar-me nesse lugar, o importante é que ela tenha a intenção de encontrar-me, porque a intenção é, necessariamente, percebida, a partir do momento em que a intenção venha do coração.

Naquele momento, o lugar importa pouco.

>>>

Questão: é melhor que os terapeutas mudem de profissão?

Eu não falo de profissão.
Eu falo de Luz, e vocês me falam de profissão.
Eu creio, querida filha, que você deve, fundamentalmente, colocar-se a questão do que você quer fazer de seu caminho.

A Luz não é uma profissão, a Luz não é uma vocação.
A Luz é um estado de ser.

É o que lhes é proposto hoje.
Vocês querem entrar no ser ou querem entrar no caminho?
A escolha é muito mais fundamental do que responder à questão «vocês querem mudar de profissão?».

O problema não é, absolutamente, identificado nesse nível.

>>>

Questão: Florence pergunta como fazer com as mulheres que não podem ter filhos?

Mas, querida filha, cada caso é diferente, cada alma é diferente em relação a esse problema.

Como se pode imaginar que haja uma resposta que seja universal?
Isso é impossível.

>>>

Questão: Florence pergunta se, nas perturbações que vêm...?

Mas eu jamais falei de perturbações, eu falei de elevação.
A perturbação significa algo que perturba, algo que perturba, algo que não faz o bem, eu falei apenas de elevação.

>>>

Questão: o que seria, então, de humanos vindos de um pai e de uma mãe biológicos?

Os filhos, em seu mundo, são oriundos de um pai e de uma mãe biológicos.
Esse não é sempre o caso.

As regras que vocês conhecem nesse mundo não são aplicáveis em todos os mundos.

Existem múltiplos caminhos para a criação.
Isso pode ir da geração espontânea, passando pela partenogênese, passando pela autocriação e múltiplas outras vias são possíveis.

Então, não me cabe dizer-lhes o que se tornarão as crianças, porque as crianças existirão, sempre.

>>>

Questão: tem-se, por vezes, a impressão de que a Luz tem dificuldade para vir para nós.

Querido filho, é uma Luz que vem do Interior.
Vocês são a Luz do mundo.

Cada alma em encarnação é a Luz do mundo.
Cada alma é uma parcela da Luz eterna.
Cada alma é a totalidade e a eternidade e, ao mesmo tempo, uma parcela dessa eternidade.

Então, a Luz é do Interior.
O processo de elevação que sobrevém é um processo que vai pô-los em face de sua própria Luz.

E seu grau de purificação, de desapego, de mestria, de abandono, também, vai permitir-lhes aceitar sua Luz e, em outros casos, recusá-la, porque ela não corresponde à realidade do que vocês construíram nessa encarnação.

Não há, jamais, oh, jamais, Luz exterior a vocês.
Toda Luz que vocês identificam no exterior está presente, também, no interior.

Em resumo, vocês não poderiam reconhecer Cristo se vocês mesmos não fossem o Cristo.

Vocês não podem reconhecer a Luz de um Santo se vocês não têm esse Santo no interior de si.

Isso significa, querido filho, que não há, absolutamente, Luz exterior, que tudo o que existe no exterior é a projeção de seu desejo, de sua liberdade inalienável de ter criado, no exterior de si, esse mundo. Mas vocês são esse mundo, vocês são a causa e a consequência desse mundo.

Esse mundo, em algumas tradições, é uma ilusão.
Ele é uma ilusão porque é um sonho que vocês manifestaram e convém, um dia, que chegou para aqueles que o desejam, esquecer-se, enriquecidos da experiência do sonho, mas esquecer-se, para não mais deixar perdurar mais do que necessário.

Nesse sentido, não há Luz exterior.
Se algo dá a impressão de chegar do exterior, é que já está presente em si.

Porque, como se poderia reconhecer o que já não existe em si?
Então, alguns elementos, nessa elevação, serão, efetivamente, perturbadores, no sentido de que eles vão reconectá-los a algo que vocês haviam esquecido há muito tempo como, por exemplo, que vocês não estavam sós no universo, como, por exemplo, que os mortos não estão mortos.

Tudo isso, vocês se esqueceram, para mergulhar, cada vez mais, no sonho da ilusão.

Tudo isso vocês enterraram, através de medos, através de papéis, através de condicionamentos, entretanto, isso sempre esteve aí.

>>>

Aí está, queridos filhos, o que eu tinha a transmitir-lhes esta noite, mas não se esqueçam de que a Luz é tudo o que faz o mundo, os mundos.

Sem Luz, não poderia haver compreensão e vivência da Luz.
Assim, seu sacrifício de encarnação, para alguns de vocês, muito antigos, permitiu à Luz crescer no conjunto dos universos.

Então, antes de deixá-los, gostaria de aportar-lhes a bênção de mãe e, sobretudo, essa Luz que vocês devem escolher, que devem fazer sua, porque é sua herança e é, ao mesmo tempo, o que vocês são e que, por vezes, vocês se esqueceram.

Sejam abençoados, queridos filhos.

******************
Mensagem de MARIA no site Francês Autres Dimensions:
http://autresdimensions.info/articleb9fe.html
19 de abril de 2007 (Publicado em 19 de abril de 2007).
Tradução do francês para o português: Célia G.
via: http://leiturasdaluz.blogspot.com.br

Um comentário:

Postar um comentário