segunda-feira, 20 de agosto de 2012

IRMÃO K - A perda do princípio da Inteligência da LUZ e organização ligada a essa LUZ [20/08/2012] - Autres Dimensions



20 de agosto de 2012.
Mensagem publicada em 21 de agosto, pelo site AUTRES DIMENSIONS.

Áudio da Mensagem em Português
Link para download: clique aqui


Eu sou IRMÃO K.

Irmãos e Irmãs encarnados, eu vim falar-lhes e completar, de certa maneira, o que eu lhes disse, há algum tempo, concernente à Autonomia e à Liberdade (ndr: intervenção de IRMÃO K, de 01 de abril de 2011).

Eu os lembro de que o princípio desse mundo encarnado, que não é o princípio existente nos Mundos encarnados chamados Livres, é um princípio de falsificação que consistiu em amputar, como vocês sabem, uma parte da Luz e, em todo caso, a possibilidade, usual e habitual – existente nos Mundos Unificados e, mesmo, encarnados nos mundos carbonados – de manifestar e de conscientizar-se, permanentemente, de uma conexão e uma confiança à Fonte e ao Absoluto.

Eu venho falar-lhes e pedir-lhes para não partilhar uma interpretação ou uma visão, mas, sim, darem-se conta do que minhas palavras vão significar.

O princípio de falsificação induziu, de certa maneira, a perda do princípio da Inteligência da Luz e a perda do princípio de organização ligado a essa Luz. Isso, portanto, foi substituído, uma vez que é impossível, efetivamente, viver, qualquer que seja a Dimensão, sem organização.

Nesse mundo, portanto, do qual vocês ainda são parte, a organização social em si – quer concirna à célula familiar, à organização da sociedade, quer seja ao nível político, econômico, financeiro – essas organizações sociais e, sobretudo, ao nível espiritual, são o ferrolho da ilusão e do confinamento.

Gostaria que vocês me acompanhassem em uma reflexão que é extremamente lógica que, ainda uma vez, não é uma exposição filosófica, mas, efetivamente, um elemento a mais a portar ao que eu havia desenvolvido, concernente à Autonomia e à Liberdade.

A organização social nesse mundo – a organização familiar, a organização econômica, espiritual – vai induzir, devido à ausência da Inteligência da Luz, um princípio de organização hierárquica que será, sempre, constituído de modo piramidal.

Aparece como lógico, nesse mundo, que cada um procure escalar, de algum modo, os escalões dessa pirâmide. Isso se faz muito naturalmente na família em que há a autoridade paterna e os filhos que a ele são submissos.

Em outras esferas – e essas outras esferas concernem tanto ao que eu nomearia o espiritual como o econômico ou como qualquer sistema de organização fora da família – essa hierarquização piramidal acompanha-se, sempre, de uma forma, mais ou menos abrupta, de competição.

Essa competição que se apoia ou em valores de conhecimento, em valores financeiros ou em valores que eu qualificaria de filiação ou de transmissão, qualquer que seja essa forma de transmissão do poder.

A hierarquização piramidal é, portanto, oriunda de uma competição, natural ou não, mas que vai conduzir a colocar indivíduos, em número cada vez mais restrito, até o que é chamada a cabeça, o dirigente ou os dirigentes.
Eu repito, quer isso se aplique à economia ou ao espiritual.

Esse princípio de competição, oriundo, portanto, do conhecimento ou de uma transmissão, vai, como vocês o vivem, induzir uma noção de superior e de inferior: aquele que sabe, aquele que conhece, aquele que recebeu a transmissão e aqueles que vão obedecer, de uma maneira ou de outra, àquele que está na cabeça.

Esse princípio, aceito como a garantia de certa forma de equidade, de legalidade e de lealdade social, é apenas, de fato, a parte visível do iceberg ou do que sustenta, de maneira extremamente geral e que sofre apenas poucas exceções, o princípio de predação que estava no trabalho no confinamento.

Nos Mundos Unificados a noção de hierarquização piramidal não pode, em caso algum, existir.

É claro, existem inúmeros ensinamentos que se referiram a Ordens Angélicas, Arcangélicas.

A única hierarquização que existe nos Mundos Unificados decorre, diretamente, da Inteligência e do agenciamento da Luz, independentemente de consciências que se instalam ou viajam nas linhas Dimensionais, de tempos ou espaciais. Não existe, e isso é impossível, princípio de competição ou de superioridade.

A organização do grupo social, como de um grupo espiritual vai traduzir-se, quer se queira ou não, na encarnação, por uma dominação que é oriunda, diretamente, da própria predação que, como eu disse, está na origem da falsificação.

Ora, enquanto existe uma predação, não pode existir Liberdade.
Então, é claro, a primeira objeção que viria ao Espírito seria dizer: mas a vida não seria possível, sobre a Terra, sem organização de grupos, quaisquer que sejam.

E eu lhes responderia: é, efetivamente, exato.
Não poderia existir prosseguimento de qualquer falsificação se a organização, qualquer que fosse, tivesse sido rejeitada pelos humanos desde o início.

O fato de considerar como normal e lógico ter um superior hierárquico, considerar como lógico e normal que exista uma autoridade – porque mais competente do que vocês, mais adequada do que a sua – participa, de maneira indelével, da submissão e da privação da Liberdade.

Aquele que está no alto vai, portanto, comandar.
Ele vai, portanto, dirigir, segundo a visão ou segundo os objetivos dele, eu repito, espirituais, sociais ou morais. Mas, por trás desse princípio de organização e desse princípio de hierarquização haverá, sempre, a predação.

É excepcional que o princípio que dirige – a cabeça – seja ligado à empatia ou ao carisma, uma vez que, por definição, a empatia e o carisma apenas podem manifestar-se se uma consciência coloca-se ao mesmo nível que aquele para o qual essa consciência exerce a empatia ou o carisma.

Assim que há organização, assim que há, portanto, um cabeça, há, portanto, uma privação total da Liberdade e da Autonomia.

O grupo humano encarnado, assim como todos os mamíferos, estão submissos a esse princípio hierárquico piramidal.

Ele não sofre, aliás, qualquer exceção, caso contrário, vocês teriam, bem rapidamente, feito empregar os termos de anarquia ou de ausência de regulamentação.

A Inteligência da Luz não pode acomodar-se, de maneira alguma, a esse princípio de predação, a esse princípio de hierarquização e de controle por aquele que está acima daquele que está abaixo. E, no entanto, o conjunto de religiões, o conjunto de organizações sociais, econômicas, políticas, financeiras obedecem, sem qualquer exceção, a esse princípio.

O cúmulo foi, mesmo, designar, pelo que é chamado o voto ou a democracia, aquele que ia ser colocado à cabeça de um grupo, qualquer que seja.

Quer esse grupo seja um país, um estabelecimento econômico ou não importa qual grupo social existente.

E vocês chegaram ao ponto no qual nenhum homem, nenhuma mulher viria vislumbrar a iniquidade de tal sistema.

Toda organização vai, portanto, reforçar a ilusão de uma superioridade, do que quer que seja, em relação a quem quer que seja ou ao que quer que seja.

Esse princípio não está, de modo algum, presente nos Mundos Unificados.

Embora nós sejamos, quanto a nós, Anciões, organizados de acordo com uma Assembleia, essa Assembleia é Livre. É, aliás, a qualidade de nossa Consciência, em ressonância com nossas Linhagens estelares e nossa Origem estelar que determina nossa localização, essa assembleia situando-se, é claro, para cada um de nós, no mesmo nível.

O Comandante não está acima nem abaixo.
Ele é aquele que realiza a síntese de Vibrações e de Consciências que nós emitimos.

Esse não pode ser o caso nesse mundo dissociado.
A alteração da Luz, através do eixo falsificado da Luz, não permite um equilíbrio.

Eu diria, mesmo, que esse desequilíbrio é a própria assinatura da organização social do mundo no qual vocês ainda estão.

Existe, portanto, um topo, existe, portanto, uma base.
Esse princípio piramidal basta, por si mesmo, para restringir a Autonomia e a Liberdade de todos aqueles a ele submetido, sem qualquer exceção.

O princípio de predação, mesmo que não seja apresentado assim, será o princípio que vai manter a competição e, portanto, a ausência de colocação na Inteligência de Luz, em igualdade, em relação às próprias consciências que a ele estão submissas.

Assim, portanto, a organização social, qualquer que seja a natureza e o nível, é o ferrolho total da ilusão. Enquanto existe uma organização, enquanto existe um cabeça não pode haver Liberdade.

Isso, eu disse em minha última encarnação, com força e vigor.
Todo princípio organizacional passa, necessariamente, pela ascendência de uma consciência sobre outra consciência.

Mesmo se exista um respeito do que é nomeada «lei», a própria lei substitui-se à Inteligência da Luz e vem, portanto, de algum modo, tentar nivelar essa deficiência de Inteligência.

As leis visam apenas uma coisa: a preservação de regras estabelecidas, justamente, por aqueles que estão na cabeça. Isso funciona tanto no conjunto de religiões como no conjunto de sistemas políticos, quaisquer que sejam.

O que está por trás é, portanto, a predação.
Essa predação exerce-se ao mínimo, em um modo que eu qualificaria de furtivo e inaparente, mas que, de nosso ponto de vista e de nosso olhar, é, obviamente, o ferrolho da referida ilusão.

Assim que há ascendência, poder, tomada de poder há, necessariamente, uma dominação e há, necessariamente, um oprimido, porque aquele que é oprimido, mesmo que não o saiba, entregou, de fato, a Liberdade dele para aquele que a controlou.

O Amor, a Luz, os Mundos Unificados são Livres.
Aliás, nós nos chamamos Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres.
Um mundo Livre não pode conhecer o mínimo princípio de organização gerado por uma consciência, qualquer que seja e qualquer que seja o nível dela.

O que age é, sempre, a Inteligência da Luz que, por si mesma, sustenta os Mundos e organiza os Mundos, independentemente de qualquer regra e de qualquer lei que poderia ser emitida por uma consciência.

Vocês imaginam, portanto, que tudo o que poderia apresentar-se a vocês, como hierarquia espiritual, é apenas uma falsificação a mais desse mundo, existente em modos não visíveis, que se traduz por um termo chamado «mestre».

Não existe qualquer «mestre», ao nível dos Mundos Livres.
Não existe qualquer mestria, uma vez que a mestria é, diretamente, religada à Inteligência da Luz, à sua arquitetura, à sua implantação ou à sua retração, mas não corresponde, de modo algum, a uma vontade de ninguém.

O próprio princípio da hierarquização, existente, mesmo, em um grupo restrito de indivíduos, vai colocar um problema importante: mesmo se esse cabeça apareça como amoroso, como algo que quer seu bem, isso não é possível.

Toda forma de conhecimento, que coloca um indivíduo em uma posição dominante nesse mundo traduz-se, inevitavelmente, pela predação, e não pode ser de outro modo.

Diante das objeções que eu assinalei – ou seja, que a vida não poderia existir sem tais sistemas de hierarquização ou de organização – eu lhes responderia que, efetivamente, esse mundo não teria cinco minutos e, portanto, a ilusão não existiria mais, instantaneamente.

Nós, e vocês Liberamos a Terra de seus envelopes isolantes.
Existe, há alguns anos, certo número de elementos que se desenrolaram nesse Sistema solar e que visaram quebrar os diferentes confinamentos, suprimir os diferentes Véus que podiam ser colocados na consciência humana.
Isso foi efetuado.

Daí resultou, de maneira concomitante, a Liberação da Terra, do Sol e sua possibilidade de ser Livre. Resta, contudo, uma última etapa, que é a ruptura da organização criada pelos homens nesse mundo.

É, muito exatamente, o que se desenrola a partir de agora e ao que vocês vão assistir.

A ruptura da organização piramidal – tal como é concebida em todos os grupos sociais, quaisquer que sejam, qualquer que seja seu tamanho – é a condição sine qua non de sua Liberação.

O retorno da Luz, com o alinhamento galáctico, com certo número de aspectos específicos do Sol e da Terra não pode, de maneira alguma, acomodar-se com a mínima dominação, a mínima predação e a mínima competição.

A competição é, aliás, o apanágio dos mundos dissociados.
Quer essa competição exprima-se em um casal, quer ela se exprima em uma competição esportiva, no que vocês nomeiam livre empresa, são apenas confinamentos.

Toda tomada de poder, toda tomada de ascendência, de uma consciência sobre um grupo de consciências não pode chamar-se diferentemente do que predação e privação de Liberdade.

Notem o paradoxo: isso se chama, em seu mundo: «a livre empresa».
Vocês não veem, por si mesmos, que isso não corresponde, verdadeiramente, à realidade, mas é, mesmo, a antítese dela.

Isso não é uma visão, não é um ponto de vista, mas é uma realidade Vibratória e energética. Assim que não há suficientemente Luz, assim que a Luz tenha sido desviada ou amputada, há, por reflexo vital, a necessidade de organização, de atribuição de papel, que existe em qualquer grupo, quaisquer que sejam as circunstâncias desse grupo, seja em um povo nativo, seja em um estabelecimento bancário, seja em uma família.

A ausência de Liberdade confina, ainda mais, na ausência de Liberdade.
A organização permite estruturar.

A própria estruturação conduz à fossilização e à ausência de Liberdade. São leis físicas que são perfeitamente conhecidas, perfeitamente adaptáveis, a tal ponto que, nos mundos ditos dissociados, nós falamos de neguentropia [entropia negativa] e de entropia.

Os sistemas vivos, em si mesmos, conhecem apenas a entropia.
O prejuízo dessa entropia – ou neguentropia – vai traduzir-se por uma rigidificação cada vez mais importante de regras, de leis que conduzem a sempre mais privação de Liberdade.

O nascimento do que foi chamado, nesse mundo, a era moderna industrial e, em especial, a eletrônica permitiu criar, como vocês, talvez, vejam, meios e controle e de servidão cada vez mais aperfeiçoados que, há inúmeros anos, instauram-se, por si mesmos, sob o pretexto de segurança, sob o pretexto de medo.

A ausência de Liberdade apenas pode reforçar a ausência de Liberdade.
Uma consciência submissa a outra consciência apenas pode, em definitivo, submeter-se cada vez mais.

Existe, portanto, nesse mundo, um princípio inerente que visa sua própria autodestruição.

De fato, nenhuma vida pode subsistir, além de certo tempo, quando existe um princípio de organização que dure suficientemente longo tempo e que vai rigidificar-se no tempo e implicar privações cada vez mais importantes.

Inúmeros místicos e profetas – desde os tempos do Apocalipse bíblico, no sentido de Revelação, passando por alguns místicos do século XX – preveniram-nos, de algum modo, do advento de um sistema de controle eletrônico que visa privar o humano de todas as suas liberdades.

Eu pude dizer, na encarnação, e eu volto a dizê-lo esta noite, que é impossível sentir-se em boa saúde em um sistema social que está doente e na agonia.

Assim, portanto, e apesar das aparências, a fossilização do sistema hierárquico piramidal, tal como vocês o vivem, é um fator determinante para fazê-los tomar consciência do confinamento, da ausência de Liberdade, de todo sistema, qualquer que seja, assim, levando-os a reposicionar-se em relação a essas leis, em relação a essas organizações.

Mas, como vocês sabem, aqueles que se opõem ou que se oporiam a essa hierarquia piramidal, qualquer que seja, seriam, imediatamente, tirados do sistema piramidal.

Imaginem, em um grupo religioso, no qual um simples adepto quereria tomar o lugar daquele que está à cabeça, o sistema piramidal, em si, iria excluí-lo, instantaneamente.

É, exatamente, o que aconteceria em todos os domínios concebíveis de organizações sociais e societárias e, sobretudo, ao nível espiritual.

Assim, portanto, o retorno da Luz, a Liberação da Terra e do Sol, assim como o fato de ter podido, para muitos de vocês, retirar alguns Véus, vai permitir-lhes ver, cada vez mais claramente, a rigidificação do sistema de controle do humano, chamado sistema de controle do mental humano, através, justamente, do que lhes é visível de organizações.

A desestruturação e a dissipação de todas as organizações é, portanto, uma preliminar para a Liberdade e a Autonomia.

Contudo, vocês não podem, de maneira alguma, opor-se, frontal ou diretamente, a esse sistema.

É questão, simplesmente, através da iluminação da Luz, cada vez mais potente, de ver as coisas tais como elas são.

Se vocês tivessem a possibilidade, como nós a temos, de ver o que realiza essa organização piramidal hierárquica, vocês estariam horrorizados do que se desenrola nos Planos sutis, etéreos.

A partir do instante em que se manifesta uma ascendência de uma consciência sobre outra consciência, tece-se um laço.

Esse laço é um laço que não é cármico, mas que vai drenar, de algum modo, a consciência e a energia para o topo.

Aquele que está no alto da pirâmide – mesmo se vocês o chamem uma estrela, em suas variedades musicais – vai, literalmente, nutrir-se da atenção e da consciência que lhe são portadas.

Quer essa atenção e essa consciência sejam muito benéficas ou muito negativas, estritamente, nada muda.

Existem canais energéticos, invisíveis aos seus olhos, que vão drenar, tanto a energia como a consciência, do grupo de indivíduos que ali está submisso, de uma maneira ou de outra, seja um ditador, seja um ser humano que se apresentaria como um guia espiritual ou como um «mestre», o resultado é, exatamente, o mesmo: a servidão do grupo que ali portou sua atenção, sua consciência e sua energia.

E vocês não podem, de maneira alguma, romper esse círculo vicioso.
É nesse sentido que não pode existir – enquanto a Luz não se restabeleceu, totalmente – possibilidade de romper, na escala humana, esse modelo de predação.

O fim da predação apenas passa pela dissolução total dessa Dimensão, que lhes permite reencontrar, em um primeiro tempo, a Autonomia e a Liberdade.

A partir do retorno da Luz não falsificada e, de acordo com suas escolhas que lhes são próprias, cada um de vocês poderá, então, de acordo com sua Vibração, dirigir-se para o Sistema Solar que lhe seja mais adequado.

Nos Mundos ditos Unificados – mesmo carbonados, de terceira Dimensão, portanto – existe, certamente, o que nós chamamos de Anciões ou de Patriarcas que estão, unicamente, não no alto da pirâmide, mas, muito exatamente, na base da pirâmide, que não existe: essa pirâmide resolve-se em um círculo.

É por isso que nós falamos de Conclave e de Assembleia.
Em nenhum caso a Consciência Unificada pode acomodar-se com uma estrutura piramidal.

Assim como lhes havia sido explicado há numerosos anos, por um dos governadores do Intraterra, existem Assembleias.

Essas Assembleias são representadas por estruturas geodésicas que nada têm a ver com estruturas piramidais.

Em uma estrutura geodésica, a energia emitida por cada um dos participantes é captada, da mesma maneira, com a mesma intensidade, por todos os outros participantes.

Existe, portanto, ao nível da Inteligência da Luz, uma distribuição equitativa, sem qualquer predação, sem qualquer competição, tanto da consciência como da energia.

Aí está por que existem inúmeros símbolos, sobre esta Terra, que utilizaram esse princípio de organização piramidal, que visa a servidão final da humanidade, via a eletrônica.

Nós nos servimos desse suporte eletrônico para transmitir-lhes os elementos necessários para sua Liberação, ao final da predação e da competição.

Vocês estão, portanto, em um momento crucial, no qual a tomada de consciência e a visão etérea dessa predação vão aparecer-lhes.

Sua consciência tornar-se-á cada vez mais lúcida sobre esse princípio de predação exercido em todas as camadas sociais da sociedade.

Essa tomada de consciência vai levá-los, é claro, a reposicionar-se ou não.
O simples fato de ver essas linhas etéreas de predação vai bastar para delas se extrair.

Isso não é uma luta, não é uma oposição e, ainda menos, uma confrontação, mas, efetivamente, a colocação na Luz do que é um sistema organizacional sobre a Terra.

Mesmo na família, há uma autoridade nomeada paternal.
Isso não pode existir, mesmo nos Mundos carbonados Unificados, uma vez que, a partir do instante em que há uma filiação, os laços de filiação são rompidos, instantaneamente, a tal ponto que, se há uma filiação genital, os filhos que nasceram da união de um polo masculino e de um polo feminino encontram-se a ser criados por uma estrutura geodésica de vinte e quatro indivíduos e, de maneira alguma, pelos ascendentes. Não pode haver servidão de quem quer que seja em todos os Mundos Livres.

A ruptura do sistema organizacional – em todas as escalas – é, portanto, uma preliminar indispensável para a Liberdade e para a Autonomia.
É, muito exatamente, o que vai começar a desenrolar-se.

O fim da predação, o fim da competição acompanha-se da Liberação pela Luz, e não pode ser de outro modo.

Eu os convido a refletir no que eu lhes disse.
É claro, a primeira questão que vem e que eu já levantei, é: como imaginar esse mundo, no qual vocês estão, funcionar sem organização?
Ele não poderia.

Mas qual é o interesse de prosseguir um mundo no qual a organização, tal como ela é, aparente e inaparente, traduz-se pela servidão, pela privação de Liberdade?

Essa servidão e essa privação de Liberdade, vocês têm, disso, os efeitos, cada vez mais evidentes, no que se desenrola como cenário nesse mundo há, eu diria, algumas dezenas de anos.

Os meios técnicos oferecem, àqueles que estão na cabeça dessas organizações, meios de controle, sem precedentes, de seus feitos e gestos, de seus deslocamentos, de suas finanças e, finalmente, de sua alma.
Vocês não podem escapar disso.

Nenhuma anarquia, no sentido humano, poderia torná-los Livres, uma vez que a anarquia seria apenas a luta contra a organização.

E toda luta contra a organização voltar-se-ia, inevitavelmente, contra aqueles que a atacaram, na medida em que, vocês sabem, existe uma noção de equilíbrio.

E quanto mais há de consciências submissas a um sistema hierárquico, menos vocês podem a ele opor-se, sobretudo a título individual.

Há um peso energético nas egrégoras de manutenção no confinamento.
Esses laços, invisíveis, etéreos, não são totalmente visíveis, e serão, para vocês.

Aquilo a que vocês prestam atenção, vocês o nutrem.
Assim, olhando uma estrela na cabeça ou olhando e aportando sua confiança ao que vocês nomeiam um dirigente espiritual, vocês derivam sua própria energia no sentido de uma submissão, de uma servidão e privam-se, a si mesmos, de sua Liberdade.

De maneira alguma a Liberdade e a Luz podem autorizar o prosseguimento de tal processo.

Os mecanismos a caminho, e que se desenrolam nesse planeta, traduzir-se-ão, muito naturalmente, pelo desmoronamento de todo sistema de predação organizacional.

É a lógica.
Isso não resulta de uma luta, mas resulta, diretamente, do retorno da
Luz. Assim, todos os sistemas piramidais e de servidão verão seu fim, em um prazo muito curto.

Isso é diretamente ligado à Luz que vem do Sol Central da Galáxia.
Vocês não têm, portanto, que lutar e, ainda menos, que querer subtrair-se do que se desenrola, porque o que se desenrola porá fim, de maneira natural, a esse sistema de organização social. Não há outro modo de fazer saltar o último ferrolho da ilusão, e vocês aí estão.

Eu não desejo introduzir questionamento.
Eu lhes peço, simplesmente, para ler, atentamente, o que eu lhes disse e reler.

Eu voltarei, obviamente, para responder às questões, mas em um tempo ulterior.

A organização social é o último ferrolho da ilusão.
O fim da predação, o fim da competição passa pelo desaparecimento desse último ferrolho. Assim, quaisquer que sejam os eventos geofísicos que foram referidos (seja por algumas das Estrelas, por alguns Arcanjos), essa ação elementar desenrolar-se-á, é claro, ao nível de sistemas organizacionais.

Como foi dito pelo bem amado João: «não há diferença entre o Interior e o exterior».

A ação dos elementos é a mesma, para todos e para todas, e ela é, sobretudo, a mesma em tudo o que foi criado pelo humano.

Tudo o que é falsificado deve desaparecer, sem qualquer exceção.
Aí se encontram a Liberdade e a Autonomia.

Eu terminarei, portanto, nessas palavras.
Eu lhes peço para receberem todo o meu Amor, minha saudação Fraternal e engajo-os a estarem na Verdade.

Eu lhes agradeço e digo-lhes até alguns dias.


************
Mensagem de IRMÃO K no site francês:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=1560
20 de agosto de 2012 (Publicado em 21 de agosto de 2012).

***
Tradução para o português:
Célia G. - http://leiturasdaluz.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário