segunda-feira, 4 de junho de 2012

AÏVANHOV - Não é mais Tempo Agora de Mudar as Coisas [04/06/2012] - Autres Dimensions



04 de junho de 2012.
Mensagem publicada em 05 de junho, pelo site AUTRES DIMENSIONS.

Áudio das Mensagens em Português

Link para download: clique aqui


Bem, caros amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los.

Eu lhes transmito todas as minhas bênçãos e eu os escuto.

>>>

Questão: o que significa substituir o tempo pelo espaço?

Como eu já disse há alguns anos, vocês estão em um Espaço que foi confinado, e que foi curvado, se querem, pelas Embarcações dos maus rapazes (como eu os chamava). E que, de algum modo, por forças eletromagnéticas consideráveis, fecharam esse Sistema Solar em si mesmo.

Quando o Espaço curva-se cada vez mais, aparece algo que se chama o tempo. Isso é dificilmente compreensível pela consciência do humano encarnado.

Em contrapartida, vocês todos conhecem – seja em seus Alinhamentos, seja nos estados específicos de meditação ou de Samadhi, ou de Morada da Paz Suprema – momentos em que, de repente, têm a impressão de que o tempo está suspenso: é o Instante Presente. Mas, além disso, é o acesso ao Espaço, mesmo se ele não existe – como dizer? – de viagem, propriamente dita, mesmo se não exista transferência da consciência.

Para retomar minha própria experiência, em minha última encarnação, pela manhã, eu meditava frente ao Sol, e reencontrava o Espírito Solar. E, nesse estado, eu não sabia mais se estava em meu corpo ou se havia me tornado o Sol: o tempo não existia mais, eu era o Espaço.

Aí está, certamente, o que isso quer dizer, para aqueles que ouviram essa
frase. Isso tem uma realidade física, mas penso que foi, também, empregado no sentido de uma Realidade – como dizer... – espiritual, ou do Espírito.

Vocês sabem que estão em uma consciência confinada em um corpo e que, por momentos, vivem experiências – de Comunhão, etc. – que podem levá-los a não mais estarem localizados nesse corpo: a consciência está em outro lugar, ela não sabe mais onde está, aliás.

Nesses momentos, o Espaço substituiu o tempo, mesmo se o Espaço não lhes seja perceptível, nesses estados diferentes, para muitos de vocês, de momento.

Alguns de vocês aproveitam desse estado para ir a outras Dimensões ou para Fusionar com a Luz ou com o Duplo, ou com o Sol.

Entretanto, é o que isso quer dizer.

>>>

Questão: de seu ponto de vista, o que significa «ficar tranquilo»?

Ficar tranquilo é fazer algo, o que quer que seja (varrer os WC, lavar a cozinha ou os pratos), estando conscientes do que vocês São.

Não deixar o pensamento divagar em outra coisa que não o que vocês fazem.
Fazer, conscientemente, a coisa, mas, ao mesmo tempo, não ser o que faz a coisa.

O mais frequentemente olhem, por exemplo, vocês estão fazendo algo, aqui, fora dos períodos em que trabalham e, depois, põem-se a falar com alguém: vocês estão investidos na discussão (qualquer que seja essa discussão), mas será que vocês ainda Estão na Luz?

Não, isso quer dizer que vocês não estão tranquilos.
É nesse sentido que é preciso entender o «tranquilo».

Então, é claro, há alguns de vocês para quem a Luz vai pedir, por sua ação, para permanecerem imóveis.

Há os que permanecem horas sem poderem mover-se, outros, que podem estar hiperativos, mas isso não faz qualquer diferença, porque vocês têm que viver o que é bom para vocês, em relação ao que faz a Luz em Sua Obra. Mas, lembrem-se: vocês não podem fazer e deixar fazer a Luz.

Por exemplo, BIDI, que lhes diz para fazer tal coisa permanecendo tranquilos, é completamente possível.

Aí também, ele emprega a expressão «ponto de vista».
Você pode muito bem estar cozinhando, estar completamente cozinhando, e estar Alinhado.

Tudo depende de onde você coloca sua consciência.
Em uma discussão, vocês vão falar da chuva e do bom tempo, vocês estarão na discussão. Mas será que, naquele momento, você está conectado, será que está religado, será que está Alinhado, será que está na mesma Alegria, no mesmo Si, no mesmo Samadhi ou no mesmo Absoluto?

A diferença está aí.
Vocês todos sabem que, quando fazem algo, vocês se esquecem das outras coisas, não é?

Porque, ou vocês podem fazer apenas uma coisa ao mesmo tempo, ou estão tomados por uma tarefa, qualquer que seja.

Bem, quando vocês estão no Absoluto, podem conduzir e pôr toda sua atenção na conduta e estar, ainda, no Si ou no Absoluto.

É manter o Si, o que quer que aconteça, qualquer que seja a discussão que tenham, ou seja, não deixar a possibilidade ao eu de tomar a dianteira, ou seja, jogar os jogos do bate-papo, trocar, mesmo, coisas muito interessantes (sobre o clima, sobre o tempo ou sobre o que quiserem).

Há seres que, cada vez mais, sentem-se observadores ou espectadores do que eles estão fazendo.

Isso não impede de fazer, mas vocês, vocês ficam tranquilos.
O que quer dizer que, naquele momento, há, realmente, uma conscientização de que vocês não são nem esse corpo, nem esses pensamentos, nem o que age. Então, é claro, aquele que não vive isso vai dizer: «não é verdade», «não é possível».

Mas eu lhes asseguro que é a estrita Verdade.
Em minha vida, eu podia estar à mesa, podia fazer uma conferência, falar sobre não importa o quê, mas o que quer que eu falasse e, mesmo nas danças que eu realizava, o único, real pensamento que estava ali era a Luz e o Divino.

Se vocês conseguem realizar isso, vocês são Liberados.
Quem é capaz de fazer isso ao longo do dia?
Reflitam nisso.

Porque é fácil, com os Alinhamentos, com tudo o que vocês têm feito como Ancoragem, Semeadores de Luz.

Vocês têm vivido Vibrações, têm vivido o Si.
Mas olhem sua vida, vocês o dizem, vocês mesmos, assim que têm algo a fazer na vida comum, vocês saem disso, por quê?

Hoje, é cada vez mais fácil manter o Si, ou o Absoluto, ao mesmo tempo continuando a fazer não importa o que mais, e fazê-lo, além disso, muito bem, porque não são vocês que o fazem, efetivamente, como lhes dizia BIDI, é o corpo de comida, os pensamentos, que o fazem. E eles se fazem porque devem fazer-se, porque a vida lhes pede isso.

E vocês, vocês são o observador.
Quando vocês chegam a isso, estão nas primícias da bilocalização.
E há cada vez mais Irmãos e Irmãs que são capazes, agora, de manter essa Consciência do Si ou do Absoluto, ao mesmo tempo deixando o corpo fazer o que ele tem a fazer: comer, dormir, lavar o chão, dirigir um automóvel.

Será que eles têm acidentes?
Será que acontece algo?
Não.

Mas isso vocês não podem conceber, enquanto não o vivem.
É o sentido, muito preciso, do que quer dizer ficar tranquilo: é fazer calar o mental.

É atribuir, talvez, a um pensamento, o direito de manifestar-se (como conduzir um veículo, que demanda certa atenção) e, ao mesmo tempo, manter o Si e o Absoluto.

Enquanto vocês estão no eu, enquanto oscilam entre o Si e o eu, vocês não podem aproximar-se desse Samadhi supremo, do Maha Samadhi, e do que é chamada essa Última Presença, que permite transcender – se se pode dizê-lo – essa Presença, para viver e ser Absoluto.

A diferença está aí: há aquele de seus Irmãos e Irmãs que é capaz, o que quer que faça, mesmo se ele(a) se põe em cólera, de manter o que ele(a) É, e não o personagem que joga, tendo, total e inteiramente, consciência disso.

Naquele momento, o que acontece?
É muito simples: se vocês ficam tranquilos, o que quer que vocês façam, se a Onda da Vida nasceu, ela está aí, ela não para porque vocês fazem outra coisa.

Ela é independente de vocês.
O Supramental é independente de vocês.

Vocês estão na Transparência.
Vocês estão na Espontaneidade.

E vocês estão, é claro, na Humildade e na simplicidade, o que quer que façam, o que quer que digam. E, é claro, os campos áuricos que os animam, a Consciência que está ao redor de vocês nada têm a ver com aquele que oscila entre o eu e o Si, que passa da tagarelice ao Alinhamento.

É isso que é preciso realizar.
Vocês deverão ser capazes de fazer não importa o que das atividades de sua vida e manter essa Consciência.

É cada vez mais fácil.
Se vocês não são capazes de fazer isso, quer dizer que, em algum lugar de vocês, vocês fogem do Si.

Quer dizer que, agora, desde algum tempo, desde o nascimento da Onda da vida, se vocês observam a si mesmos, que passam de um estado ao outro, ou seja, nos Alinhamentos – ou quando decidem Alinhar-se ou fazer um exercício – vocês vivem o si e, depois, recaem nas coisas as mais comuns, mas sem manter esse estado, isso quer dizer que vocês passam seu tempo a fazer ioiô, que vocês não são capazes de manter uma Consciência Unificada.

A Consciência Unificada não é ser um hippie em um canto e pôr-se na meditação toda a vida, mesmo se alguns seres tenham sido obrigados, por sua encarnação, a fazê-lo, como MA ANANDA MOYI, por exemplo (sobretudo, para muitas mulheres).

Eu não critico as mulheres, não é?
Mas a polaridade feminina é mais apta a receber do que a emitir.

A mulher é um vaso, um receptor.
O homem é um emissor.

Vocês devem juntar-se à Androginia, isso quer dizer que devem ser capazes de fazer o que quer que seja e, mesmo, falar da chuva e do bom tempo, ao mesmo tempo mantendo a Consciência Unificada.

E, pouco a pouco, isso vai tornar-se natural, para aquele que realiza essa Transfiguração, essa Transubstanciação para o Absoluto, e que é Absoluto, ao mesmo tempo mantendo o corpo.

É um estado permanente, totalmente permanente.
Aí está o que isso quer dizer: nada fazer e ficar tranquilo.
Não é nada fazer para si, é claro, uma vez que vocês devem manter o que têm a fazer, o que a Vida e a Luz pedem-lhes para fazer.

Há os que a Luz pede para nada mais fazer: eles não trabalham mais, eles não têm mais atividade.

E outros, a quem a Luz vai pedir para trabalhar muito mais.
Mas o que quer que a Luz peça-lhes, o que quer que a Vida peça-lhes, se vocês não são capazes de manter essa Unidade de sua Consciência, Unificada ou Absoluta, para além da consciência, coloquem-se a boa questão: por que vocês oscilam assim?

Isso vai tornar-se cada vez mais claro, porque vocês vão começar a vivê-lo.

Vocês têm, por exemplo, momentos, uns e outros, nos quais, de repente: «o que acontece?», «onde estou?», «o que eu faço?», «o que eu faço aí?».

Como se vocês perdessem seus marcadores espaço-temporais.
É, já, um muito bom sinal, porque isso quer dizer que vocês estão sendo capazes de começar a fazer algo, de fazê-lo e, ao mesmo tempo, ter essa interrogação.

Quando chegam a isso, vocês estão nas primícias do estabelecimento permanente do Si e, depois, talvez, do Absoluto. Mas se vocês constatam que, assim que alguém lhes dirige a palavra, assim que vocês têm uma contrariedade, assim que têm uma dor, vocês saem do Absoluto, há um problema.

Agora, aquele que vive o Absoluto, viaja, livremente, de um ao outro, mas, mesmo quando ele desempenha o papel de um personagem ou de brincar de falar coisas e outras, ele mantém a Vibração do Si ou, então, o estado do que foi chamada a a-consciência, ou seja, um estado no qual a consciência não está mais, de modo algum, localizada a uma pessoa, a uma identidade, a uma interação com outra pessoa.

Aí, vocês estão Liberados, não antes.
A Liberação não é deixar esse corpo, necessariamente, para ir ao Estado de Ser e viajar nas Dimensões (isso, é a Realização). É a Conscientização do Samadhi, é a Consciência que está na Vibração extrema, e que libera o Corpo de Estado de Ser no Sol (ou que está ressintetizado aqui, ao seu lado, em vocês).

Agora, ao seu lado, há o Canal Mariano, que lhes dá a Consciência – para aqueles que a ativaram – de Presenças que estão ao lado de vocês.

O que é um grande passo, uma vez que essas Presenças não se manifestam quando vocês meditam, mas vocês podem estar falando com alguém e, de repente, sentir essa Presença, com – como disse SRI AUROBINDO – a modificação do Som (ndr: ver q intervenção de SRI AUROBINDO, de 21 de maio de 2012).

Tudo isso é extremamente importante, porque o Som é um marcador, também: imaginem que vocês estão no Samadhi, vocês ouvem esse Som muito específico, que é quase o Som do Absoluto, que é o Coro dos Anjos, exatamente antes.

Naquele momento, alguém vem falar-lhes, seu Som apaga-se: vocês não têm sido vigilantes o bastante, não para lutar contra o que quer que seja, mas porque o elemento perturbador (seja o marido, a mulher, um amigo, um inimigo) não tem qualquer importância: não é ele que precisa ver, são vocês.

Porque, se naquele momento, sua Vibração desce e o Som do ouvido diminui, vocês perdem o contato com a Corda Celeste, com o Antakarana, vocês saem do Si, saem do Samadhi: por qual razão?

Terminou o tempo de crer que vocês podiam apenas estar ou no Samadhi, ou na ação da vida corrente.

Isso, é o ego que crê assim.

>>>

Questão: vivo vertigens quase permanentes, quer eu esteja imóvel ou não, de que se trata?

Cada vez mais Irmãos e Irmãs que vivem processos Ascensionais, nesse momento mesmo, sofrem vertigens, é normal.

Não são as vertigens ligadas às mudanças de posição (é claro, é preciso eliminar as problemáticas médicas, hein?, eu não disse isso). Mas, para as pessoas que sentem as Coroas Radiantes, que despertaram o Kundalini ou a Onda da Vida, que têm uma das Coroas ativa, é perfeitamente lógico.

Há a impressão de vertigem, que é ligada à deslocalização da consciência. E, também – como isso se chama? – às oscilações da Terra, que vão tornar-se cada vez mais importantes, progressivamente e à medida dos dias e das semanas que vêm, como lhes haviam dito ANAEL e MARIA (ndr: ver as intervenções de ANAEL, de 19 de maio, e de MARIA, de 22 de maio de 2012).

Lembrem-se de que, no ano passado, eu dizia que os Tempos estavam
consumados. Agora, vocês não estão mais nos preparativos, vocês estão na concretização da Ascensão: é o que vocês estão vivendo, ou não.

>>>

Questão: é necessário ter a percepção do Canal Mariano para poder viver o Absoluto?

Você não pode viver o Absoluto: você é Absoluto.
A Onda da Vida (como foi explicado por MARIA e, depois, em seguida, por outros intervenientes), a ativação do Canal Mariano (dada por GEMMA GALGANI, por SRI AUROBINDO, por MA ANANDA MOYI), é um elemento que favorece.

Porque tudo o que os põe em contato com outra coisa que não sua pequena pessoa ou outras pequenas pessoas, Irmãos e Irmãs encarnados, mas com outras Dimensões (seja o Duplo, o seu, seja o Duplo Etéreo, seja o Corpo de Estado de Ser, seja MARIA, um Ser espiritual ou um contato espiritual, qualquer que seja), ajuda-os a estabilizar sua consciência, no Si ou no Absoluto.

Mas não é porque o Canal Mariano está aí que você É Absoluto.
Como dizia BIDI, o Absoluto não diz respeito a todo mundo: muito poucos seres são capazes de Abandonar o Si, e é a Liberdade deles.

Vocês não estão, todos, no mesmo nível de necessidade, de sede de experiências, de sede de Dimensões, de sede de Luz.

Eu creio, aliás, que BIDI insistiu nisso, nessa noção de Absoluto: ele lhes apresenta algo. E ele lhes repetiu, eu creio, em numerosas reprises, que isso não pode ser um objetivo, porque vocês São Absoluto.

Portanto, não se ponham – como se diz – o martelo na cabeça.
Se vocês não vivem o Absoluto, o que isso quer dizer?

Que vocês estão no Si ou no eu, e então?
Lembrem-se: é preciso Abandonar o Si para Ser Absoluto.

Vocês estão prontos para tudo perder?
Vocês estão prontos para Serem, totalmente, Transparentes, para desaparecerem, inteiramente, como pessoa?

A prova que não: quando vocês discutem com alguém, vocês são, efetivamente, uma pessoa, vocês perdem a Unidade.

Portanto, a pessoa está, ainda, demasiado presente.
A diferença vê-se nesse nível.

Então, é claro, quando vocês vivem esse estado (que não é um estado), quando vocês estão estabelecidos no Absoluto, em uma forma, vocês estão, permanentemente, conscientes.

Mesmo à noite, vocês não dormem mais.
Vocês não têm mais necessidade de dormir, absolutamente, como é escrito nos textos antigos, como numerosos Místicos os mostraram: eles não dormem ou, então, dormem uma, duas ou três horas por noite. E, ao inverso, há outros seres que vão dormir, talvez, quinze horas por dia, porque é o trabalho de transmutação e de metabolização do estabelecimento do Si.

Isso quer dizer que esses seres não estabilizaram o Si: eles têm vivido experiências do Si, que é um encorajamento, mas não estão estabilizados no Si.

Toda a diferença está aí: aquele que está estabilizado no Si vê, já, modificarem-se muitas coisas, independentemente da Consciência Vibral: a Onda da Vida nasceu, ela subiu, ela girou, ela se alquimizou, a Lemniscata Sagrada está em movimento, todas as Coroas estão ativas, todos os chacras são percebidos, a pessoa deslocaliza-se à vontade.

Em seu corpo físico, ela está ali, mas ela pode estar em seu Corpo de Estado de Ser, não importa onde, sobre a Terra, hoje, e intervir não importa onde, em seu Corpo de Estado de Ser, sem disso ter a plena consciência.

É tudo isso que está acontecendo a vocês, agora.
Portanto, se isso não lhes acontece, coloquem-se a questão: o que é que, em vocês, está apegado à pessoa que vocês são, a esse corpo, à sua vida?

BIDI falou-lhes disso em numerosas reprises, isso faz anos que as Estrelas falam-lhes, de diferentes modos: enquanto a alma está voltada para a matéria, para a necessidade de materialidade, para a necessidade de experiências, é preciso fazer uma escolha.

Vocês são uma pessoa ou não são mais uma pessoa.
Mas vocês não podem mais ser os dois.

Portanto, enquanto vocês creem ser esse corpo, essa pessoa, vivam sua vida: não é mais tempo, agora, de mudar as coisas.

Vocês chegam nesses tempos, como lhes disse BIDI (eu havia dito: estava Consumado), e, agora, terminou.

Vocês sabem que há prazos astronômicos extremamente precisos.
Tudo o que eu havia dito, há cinco anos, seis anos, concernente aos vulcões, concernente aos movimentos sísmicos, concernente ao céu, está presente.

Então, é claro, haverá, sempre, seres que estão apegados à própria pessoa, que continuarão a viver a própria pessoa: eles não estão prontos.

Mas nós sabíamos, desde o início, disso.
Por que vocês querem que toda a Terra vá ao mesmo lugar?
Por que vocês querem ter, todos, a mesma Evolução ou o mesmo estado de Ser?

Onde está a Liberdade, nisso?
O Si não é uma recompensa, o Absoluto, tampouco: é a resultante de uma
consciência. Se sua consciência está na pessoa, continue na pessoa.

Vocês não podem pretender, agora, Ser Luz e ser uma pessoa, não é mais possível.

Vocês vão constatar, cada vez mais, os apartes.
Vocês serão obrigados a jogar o spagat.
Vocês serão abertos [écartelés], rasgados, entre os apegos que lhes restam, os medos que lhes restam e o Si ou o Absoluto.

Isso faz parte do que se vive sobre a Terra, atualmente.
Mas eu não digo isso, eu repito, para qualquer culpa, simplesmente, vocês estão aí onde estão, e estão no bom lugar.

Vocês não podem pretender o Absoluto e conservar o Si.
Vocês não podem pretender estar estabelecido no Si e na Unidade e manter a Dualidade.

Quando vocês falam de coisas, sem consciência, de coisas as mais ridículas da vida, investindo sua consciência, como vocês querem viver a Unidade?

Então, é claro, vocês vão responder: «Mas estamos, ainda, encarnados!».
Mas eu respondo: felizmente, vocês ainda estão encarnados, porque é preciso realizar, agora, essa Transfiguração, essa Ressurreição, de acordo com o que é previsto para vocês.

Mas nada há como obstáculo, exceto vocês mesmos.
Lembrem-se: os carmas coletivos, o inconsciente coletivo, o astral coletivo foi dissolvido.

As membranas isolantes foram dissolvidas.
O Canal do Éter está constituído, o Canal Mariano está constituído, mesmo se vocês não o percebam (isso depende, unicamente, de sua consciência).

Sua consciência está aí onde ela está: na pessoa, vivendo sua vida comum e suas pequenas experiências de Alinhamento.

Ou, então, ela está no Si.
Ou, então, vocês São Absoluto.

Nada há a julgar, nada há a considerar com um olho crítico.
E nós sempre dissemos que lhes seria feito, muito exatamente, de acordo com sua Vibração: vocês o vivem, agora.

E vocês vão vê-lo, cada vez mais claramente.
Tudo o que nós temos dito, antes das Núpcias Celestes, durante as Núpcias Celestes, todas essas informações que temos dado (sobre os Novos Corpos, sobre a ativação de algumas potencialidades novas), não era para manter uma pessoa que ia apresentar novas Vibrações, com isso, e continuar sua vida normalmente.

Se vocês acreditaram assim, desculpem-nos.
Vocês verão, cada vez mais claramente, qualquer que seja o lugar onde vocês estão, ao nível de sua consciência ou de não consciência, o que releva da pessoa, da personalidade, o que releva do Si e o que releva do Absoluto.

Mesmo se vocês estão no eu, vocês o verão, cada vez mais claramente, isso vai explodir-lhes na cara, mas é normal. Se a consciência, entre aspas, não tomasse consciência disso, para que isso serve?

Em resumo: não é mais tempo de divertir-se.
Se vocês têm vontade de continuar a falar da chuva e do bom tempo, continuem a falar da chuva e do bom tempo. Mas há dois modos de falar da chuva e do bom tempo: estando na consciência da chuva e do bom tempo, ou estando na Consciência Unitária ou sendo Absoluto.

>>>

Questão: sabendo que eu fiz a escolha do Absoluto, como superar um problema de saúde, a fim de ser Livre?

Enquanto você considerar que uma doença, qualquer que seja, sobretudo hoje, é um obstáculo à sua Liberdade.

Isso quer dizer o quê?
Isso quer dizer que você está confinado em sua pessoa.
Mas não há escolha de Absoluto, como é que você pode escolher o Absoluto?

Você faz a escolha entre o Si e o eu, e é a Vibração que decide.
Mas o Absoluto não pode ser uma escolha, uma vez que, para exercer uma escolha, é preciso que você esteja no Si ou no eu. Ora, o Absoluto pode apenas ser se, justamente, não há mais Si e não há mais eu.

Veja um pouco: é antinômico.
Eu concebo, perfeitamente, que, com tudo o que lhes diz BIDI e o que nós dizemos, vocês têm, por vezes, dificuldade, porque vocês ainda estão em um processo mental da pessoa, vocês não são, suficientemente, capazes de soltar.

Vocês estão, talvez, Abandonados à Luz, porque viveram as Coroas.
Mas Abandonar o Si e o eu, inteiramente, é, de qualquer forma, diferente.

Entregar-se à Luz é deixar a Luz agir.
Não é querer ser desembaraçado do que quer que seja, caso contrário, isso prova que vocês nada compreenderam.

Crer que possa existir um obstáculo – quer ele esteja em suas circunstâncias de vida, atualmente, nas circunstâncias desse corpo – que represente um obstáculo ao que quer que seja prova, simplesmente, que vocês se colocam ao nível da pessoa.

Tanto que, há alguns anos, nós havíamos falado de impulsos da alma para realizar mudanças (profissionais, de pessoas, de atividade etc.etc), estava, como vocês dizem, no ar do tempo: era a preparação das Núpcias Celestes, eram as Núpcias Celestes, eram as Etapas.

E após, há um ano, nós dissemos, de qualquer forma, que as coisas estavam consumadas, e que vocês esperassem o bom querer da Terra. Mas a Terra mostra-lhes, todos os dias, que ela decidiu, agora, viver a Ascensão.

Portanto, vai tomar-se uma dor: você tem uma dor que lhe toma a cabeça, porque ela é terrível. Mas, se você está no Si e no Absoluto, nenhuma dor pode alterar o que você É.

Você vive a dor, mas a dor não o altera.
Enquanto algo altera-o, em sua vida, é que você está na pessoa.
Quando a Onda da Vida sobe, quando a Onda da Vida subiu, quando ela se revelou, quando a Lemniscata colocou-se em movimento, esses seres vivem a Liberação, eles são Liberados, o que quer que se torne esse corpo, o que quer que se torne a vida deles: eles não são essa vida e, no entanto, eles a vivem.

O que você exprime e o que muitos de vocês podem exprimir, nesse momento, é a vontade, são as resistências: «eu quero fazer isso», «eu quero», «eu fiz a escolha», «eu quero isso».

Mas vocês nada têm a querer.
Quem é que quer, é sempre a pessoa, não?

O Absoluto nada quer, uma vez que ele É.
O Si nada quer, uma vez que ele se contempla, a si mesmo, na Luz.

É tempo, talvez, de assimilar essas noções.
Senão, o que isso quer dizer?

Vocês serão obrigados a compreender – intelectualmente, Vibratoriamente – que o que vocês desejam é apenas um desejo, é apenas uma necessidade de uma criança mimada, que quer o pirulito, mas que não quer, sobretudo, mudar.

Aí, não é mesmo mais questão de mudança: é questão de desaparecer.
Tudo o que existe, hoje, de uma maneira geral (e eu o disse em minha vida, eu o disse há numerosos anos, eu o repito), tem uma razão de ser.

De qual lado vocês se colocam?
Se vocês estão na pessoa, vocês dizem: é catastrófico, eu sofro, vou morrer.
Se vocês estão no Si, e ainda mais, no Absoluto, mas qual importância?

Sejam lógicos, também, como lhes diz BIDI, é uma lógica inevitável.
Vocês não podem exprimir um desejo de vontade de bem nesse mundo (ou seja, projetar um mundo melhor, uma idade de ouro sobre esta Terra e nesta Dimensão).

Naquele momento, façam a escolha, é sua Liberdade, mas não falem de Si, não falem de Absoluto. Não reivindiquem algo que seja incompatível com o que vocês pensam, com o que acreditam.

Vocês não estão mais nas escolhas Vibratórias, vocês estão na atualização do que fizeram. Então, é claro, haverá, sempre, Irmãos e Irmãs que, no último momento, vão encontrar-se a ser Absolutos sem, jamais, ter ouvido falar do que quer que fosse.

Isso foi dito para a Onda da Vida.
Mas, para a maior parte de vocês que vivem, Vibram uma das Coroas, dizer isso não tem sentido, a não ser o de mostrar o apego à sua pessoa, à sua vida.

Quando eu lhes falei, há anos, do planeta grelha, de modo humorístico, não era uma história no ar.

Como vocês vão fazer, quando vão ver-se desaparecer?
O que é que desaparece?
A pessoa.

Se vocês, seu ponto de vista, está na pessoa, o que é que vocês se tornam?
Eu o havia explicado, já, em 2007, 2008, vocês estão, agora, nisso.
Então, é claro, quanto mais vocês avançarem, em vocês, as duas humanidades vão existir, também. Não é uma separação de Irmãos e de Irmãs, mas é, também, uma separação em vocês.

Onde vocês se colocam?
É preciso ser capaz de estar na Alegria, na Vida, de levar sua vida, o que lhes pede a vida a fazer, e estar pronto para tudo deixar, de um dia para o outro.

Não para abandonar o que quer que seja, mas Ser o que vocês São.
Vocês vão para tomadas de consciência específicas.

Agora, nós não estamos mais nas preparações, nós não estamos mais nas elevações Vibratórias.

Nós estamos, muito precisamente, vocês estão, muito precisamente, aí onde se faz, não mais a escolha, mas a atualização dessa escolha. E, quanto mais os dias vão passar (até a data que lhes foi dada por ANAEL, ou seja, o solstício de verão), mais isso vai tornar-se cada vez mais evidente na dianteira da cena: onde vocês estão?

Onde vocês se situam?

>>>

Questão: falaram-nos de quinta Dimensão. Agora, falam-nos de Absoluto. O que aconteceu entre os dois? Como se situa a quinta Dimensão em relação ao Absoluto?

Nada aconteceu, isso foi explicado dezenas de vezes.
O Si, como lhes disse BIDI, são cascas de cebola: vocês construíram o Si.
O que você quer que tenha acontecido, uma vez que o Absoluto sempre esteve aí?

Mas imagine que, há anos, antes do despertar do Si, antes da realização do Si, antes das Coroas Radiantes, antes da Ancoragem da Luz e do fato de Semear a Luz, de repente, eu tivesse chegado, eu mesmo, dizendo-lhes: esqueçam-se de tudo, a encarnação não existe, a reencarnação não existe, não há carma, nada há, há apenas o Absoluto.

O que vocês teriam feito?
Mas vocês teriam, todos, partido, ninguém teria escutado, ninguém teria Trabalhado para Ancorar a Luz.

Portanto, nada aconteceu.
Vocês continuam a ter suas linhagens estelares, suas raízes intraterrestres e extraterrestres, continuam a ter uma Dimensão de origem.

Mas alguns devem abrir os olhos, nesse corpo, no Absoluto.
O Absoluto compreende todas as Dimensões: por que você quer localizá-lo em algum lugar?

Nós sempre dissemos que, para além da terceira Dimensão (ou seja, para além dos Mundos carbonados dissociados), há uma Liberdade de consciência total: vocês passam de Dimensão a Dimensão, de um corpo a outro corpo, até os limites do antropomorfismo.

Isso não mudou.
Para ir para a FONTE, e além da FONTE, há Absoluto, é o que contém Tudo.
O Absoluto não é um objetivo, isso foi dito ontem, isso foi repetido há quinze dias, é você que considera que é um objetivo. Portanto, a partir do instante em que você faz disso um objetivo, você não pode ser Absoluto.

O objetivo é a Ascensão.
A Ascensão faz-se na Dimensão de destino (quinta, décima primeira, nona, décima oitava, qual importância?), uma vez que vocês são Multidimensionais (ou terceira Dimensão Unificada, para aqueles que têm necessidade da carne).

É sempre o mesmo discurso.
O Absoluto não é uma etapa, é o que sustenta todo o resto.
Cabe a você saber se quer ser Tudo ou uma parte do Tudo, mesmo tendo consciência do Tudo. Mas você não escolhe, como se escolhe comprar um bombom de morango ou de cereja.

É a Presença da consciência em tal Vibração, ou a Dissolução da consciência que realiza isso: não é uma decisão.

>>>

Questão: qual é a diferença exata entre conscientizar-se e refutar?

Conscientizar-se é tomar consciência.
Refutar é, exatamente, o inverso.

Não é uma diferença, é uma oposição.
Não há ligação, aliás, entre os dois, exceto que o agente que opera a refutação, é claro, é a consciência.

>>>

Questão: o que você preconiza, fora a refutação, para não voltar à personalidade quando há interferências exteriores?

A partir do instante em que você se coloca no Si, não pode mais existir interferência exterior. O que você chama de interferência exterior é apenas sua própria capacidade (ou dificuldade, na escolha), para ir de um ao outro e para diferenciar um do outro.

Quando você está no Si (e eu não falo do Absoluto), quando você estabelece sua permanência do Si, nenhuma interferência exterior pode alterar o Si. Caso contrário, não é o Si, é uma experiência do Si, mas não é o estabelecimento no Si.

Isso se junta ao que eu dizia há pouco, se prefere, sobre o que vocês serão levados a conscientizar-se, a tomar consciência, cada vez mais disso.

É a diferença, justamente, entre cada um de vocês, entre aquele que está no Si e aquele que faz a experiência do Si e que vive na personalidade.

Até o presente, eu jamais disse que era preciso destruir a personalidade, mas ela é transfigurada pelo Si.

Se o Si não é suficientemente transfigurador, a personalidade manifesta-se e, naquele momento, você vai falar de interferências: há o vizinho que o perturba, há uma circunstância no habitat, que não funciona, há um órgão que está doente etc., etc.

Aí também, mesmo sem ir até esse Último Absoluto, quando você está instalado no Si, realmente instalado na permanência desse Si, quando você está instalado na Última Presença, como lhes dizia o Arcanjo URIEL, mas você não pode ser afetado por qualquer interferência.

As interferências não existem mais porque, a partir do instante em que você me fala de interferências exteriores, onde você se coloca?

Na pessoa, uma vez que, no Si, não há diferença interior/exterior, há uma Unidade de consciência.

Agora, você tem montes de meios que permitem limitar as influências ambientais, com cristais, com técnicas, sei lá. Mas, enquanto vocês agem assim, vocês se colocam, a si mesmos, na interação, querendo fazer cessar uma interação, ou seja, sua própria consciência não aboliu os limites da pessoa, uma vez que você mesmo fala de algo de interferência exterior.

O mundo é uma interferência exterior para o Si, em sua totalidade.
Qual é a diferença entre a pessoa que está no ego e aquela que está estabilizada, como eu dizia, no Si?

Ela está em Unidade com Tudo.
A outra vai falar na personalidade, no ego, de interferências, de elementos que incomodam.

Os próprios mecanismos da consciência fragmentada de terceira Dimensão e os mecanismos do Si ou da 5D, que é a Ascensão, se preferem, não são os mesmos. Para isso, olhem sua vida, sem ir, como dizia BIDI, à investigação do Absoluto.

Investiguem, de qualquer forma, sobre como vocês agem na vida.
Olhem-se.

Isso deveria aparecer-lhes cada vez mais claramente.
Enquanto há concepção, enquanto há vivência de uma interferência parasitante exterior (seja a madrasta, sejam os impostos, seja não importa o que), o que isso quer dizer?

É que o Si não está instalado na permanência: vocês não estão na Última
Presença. E nós temos dito que, agora, com a Onda da Vida, vocês devem Abandonar-se, inteiramente.

Abandonar o Si, Abandonar-se à Luz e, também, Abandonar-se à sua vida.

O mundo, finalmente, nas consciências que vocês começam a viver, é apenas a própria projeção de sua consciência, como lhes dizia BIDI, como lhes disse IRMÃO K e outros, quando eles falaram, no ano passado, e UM AMIGO, das quatro consciências e a Consciência Turiya.

Tudo isso, agora, deve ser posto em prática e visto, claramente, em função dos elementos que vocês leram, que viveram, sua experiência de vida, compreender onde vocês estão. Falar de uma interferência exterior demonstra, simplesmente, uma coisa.

Eu repito: não há nem acusação, mas, simplesmente, eu os chamo a olhar, com Transparência, o que vocês são. Mesmo quando BIDI fala-lhes do Absoluto, ele fala, sobretudo, do que ele não é, já.

Tudo o que é conhecido não é Absoluto.
Agora, no que vocês vivem (sem ir até esse Absoluto), no Si, vocês tiveram, de qualquer forma, muito numerosos testemunhos, de nossa parte.

Entre vocês, vocês falam, não é?
Vocês veem, efetivamente, aquele que está estabelecido na Alegria e aquele que brinca de estar na Alegria, aquele que vive a Alegria por lufadas.

Aquele que vive a deslocalização, a Comunhão permanente e aquele que a vive por episódios.

Tudo isso se torna visível, claramente visível.
Já lhes disseram, no ano passado, que vocês poderiam cada vez menos trapacear consigo mesmos, já.

Para nada serve mentir-se a si mesmo porque, lembrem-se, há um processo que é chamado o face a face que, justamente, vai permitir, no momento da Luz, uma espécie – e eu não gosto muito dessas palavras – de introspecção de consciência, de encarar a si mesmo, a um momento dado.

A opacidade do humano é que ele pode trapacear.
Ele pode, mesmo, dizer: «eu o amo», sem amar.

Mas, quando a Vibração está aí, o que é que vocês fazem?
Vocês não podem negar o Amor, se a Vibração está Presente.

É a mesma coisa para sua própria consciência.
Toda interferência, vivida como uma interferência do exterior, faz considerar que você considera que você tem um ser Interior (que é sua pessoa) e o exterior.

Enquanto a consciência não está reunificada, restam partes fragmentadas.
Vocês serão, cada vez mais, confrontados, vocês mesmos, sem ter necessidade de mim para dizer-lhes coisas.

Vocês vão conscientizar-se disso, de tudo isso, é evidente.

>>>

Questão: eu senti, deitada, solavancos, de maneira intermitente. O que aconteceu?

Isso faz parte de seus canais, que se abriram para você.
É tudo o que posso dizer disso.

Não há detalhes a dar, porque são seus canais, particulares, que lhe permitiram captar isso.

A posição também.
Você estava como o disse, deitada, e não sentada, não em pé.
Portanto, você oferecia ao solo uma superfície corporal mais importante.

Eu os lembro de que, desde fevereiro, a Onda da Vida nasceu.
São modificações elétricas consideráveis sobre a Terra, que seus cientistas começam a perceber.

Lembrem-se: eu havia falado da última camada isolante, que era a ionosfera, a mais próxima de vocês, a 80/90 km de altura, e a superfície da Terra, o Manto da Terra.

Entre os dois há cargas elétricas, há cargas magnéticas.
Houve uma inversão do campo magnético, da magnetosfera e da ionosfera, há alguns meses, após a Onda da Vida, no mês de março.

Depois, a Terra não reage mais do mesmo modo.
A Onda da Vida nasce sob os pés.

Ela nasce sob os pés quando vocês a acolhem quer vocês estejam deitados ou
em pé. Mas é evidente que a Onda da Vida, como eu havia dito, vem do Núcleo Central da Terra.

É a resposta da Terra, é a Ascensão da Terra.
Portanto, as cargas elétricas da Terra, as Ondas da Vida, essa Onda da Vida, essa Onda do Éter que sobe, é normal que ela aja sobre você.

Mas nem todo mundo sente a Onda da Vida.
E, no entanto, ela está aí, para todo mundo.

>>>

Questão: como conciliar o fato de que alguns intervenientes nos propõem pedir ajuda e que outros nos dizem que nada é preciso pedir, nada esperar, nada querer?

Mas eles falam da mesma coisa.
Nada esperar, nada querer: para o Absoluto, para a Onda da Vida.
Isso não se contradiz para pedir algo, uma ação, para alguém, para algo de preciso, para vocês, para pedir a uma entidade.

Mas vocês não podem pedir à Onda da Vida para aparecer.
Vocês não podem pedir a um Anjo Guardião ou a MARIA para fazer nascer a Onda da Vida, uma vez que isso depende apenas de vocês. Isso não diz respeito aos mesmos setores, isso não diz respeito às mesmas coisas.

Vocês querem pôr tudo no mesmo lugar.
Quando se diz a vocês para nada fazer, eu expliquei, eu espero que vocês tenham compreendido um pouco melhor, agora. Mas, quando se diz para nada fazer, isso não quer dizer, tampouco, nada pedir.

Não é, de modo algum, a mesma coisa «fazer» e «pedir», parece-me, ou, então, eu não falo mais sua língua.

Nada fazer não quer dizer nada pedir, parece-me, não é?

>>>

Questão: em qual domínio pode-se fazer pedidos?

Mas em todos os domínios que lhes interessem, exceto um: aquele da Passagem do ego ao Coração ou do Si ao Absoluto, porque nenhum pedido pode ser respondido, porque apenas vocês é que podem realizar isso.

Nós lhes temos dito isso, já há anos.
Ninguém pode abrir seu Coração em seu lugar, estritamente, ninguém.

Ninguém pode fazer nascer a Onda da Vida em vocês.
Então, é claro, há técnicas, talvez, que lhes foram dadas, eu creio, para facilitar, mas isso não faz nascer a Onda da Vida.

Isso cria as circunstâncias, as condições.
Mas vocês não podem pedir à Onda da Vida para nascer.

Em relação a isso, é preciso ficar tranquilo.
Mas o que é que os impede de pedir?
Mas não peçam em relação a um objetivo outro que não o lugar onde é pedido.

Agora, Abandonar o Si é estabelecer-se Absoluto, Último.
Vocês não podem pedir o Absoluto, assim como não podem pedir o Si, uma vez que o Si começou a emergir, para muitos de vocês, apenas a partir do momento em que houve o Abandono à Luz.

A Graça, o Manto Azul da Graça e a Onda da Vida é a própria Graça.
Lembrem-se: há anos, nós havíamos dito que, quando vocês estivessem na Unidade, viviam a Fluidez, viviam a Fluidez da Unidade.

Tudo se desenrolaria de modo um pouco mais fácil, ou mesmo muito mais fácil.
Hoje, com a Graça, vocês não têm, mesmo, mais nada a pedir, quando vivem o Manto Azul da Graça, quando vivem a Onda da Vida. Não há, mesmo, que pedir, uma vez que tudo o que vocês suporiam pedir teria, já, chegado.

Mas não é o pedido de «eu quero uma Ferrari», não é?
É pedido concernente à vida, tal como ela é a viver para vocês.
Porque, para viver a Onda da Vida, eu os lembro de que a personalidade é apagada.

Ela é transmutada, transfigurada, ela não é mais mestre a bordo.
Não há qualquer razão para que essa personalidade peça o que quer que seja, uma vez que a Graça está aí.

E qual é o princípio da Graça?
É a Ação de Graça, ou seja, fazer desaparecer todas as dificuldades de sua vida.

O que haveria a pedir, quando vocês são Absolutos?
O pedido vem ou da personalidade ou do Si, como eu dizia, precedentemente, que não está estabilizado, que não está na Última Presença.

Agora, é muito simples: vocês não tem que se colocar a questão porque, se vocês têm um pedido, o que isso quer dizer?

Que vocês não são Absolutos, uma vez que, sendo Absoluto, nesse Final ou na Última Presença, não pode existir o mínimo pedido do que quer que seja, uma vez que não pode existir nem falta, nem incerteza, nem questão, nem o que quer que seja a pedir.

E, de outro lado, quando vocês estão no Si ou no Eu, vocês não podem pedir o Absoluto, uma vez que, como eu disse, isso não é uma escolha, não é uma aspiração, não é uma projeção, já está aí.

Será que está um pouco mais claro?

>>>

Questão: pedir o Abandono do Si não é um modo de pedir o Absoluto?

Mas quem disse que se podia pedir o Abandono de Si?
É preciso Abandonar-se.
É preciso Abandonar o Si.

Mas isso não pode ser um pedido.
Um pedido a quem?
Quem disse isso?

Não pode existir pedido de Abandono do Si.
Vocês tiveram montes de informações durante horas, sobre o Abandono do Si.
Como vocês querem pedir o Abandono do Si?

É o Si que se Abandona, ele mesmo.
Como é que algo de exterior poderia fazê-los transpor a Porta Estreita?
O Abandono do Si, apenas você é que pode realizá-lo.

É a Passagem da Porta Estreita, é a ação do Manto Azul da Graça que veio impulsioná-los a transpor a Porta OD. Mas vocês não podem pedir, a quem quer que seja, o Abandono do Si.

>>>

Questão: a que corresponde o fato de ser puxado da direita à esquerda e da esquerda à direita? E de um ombro ao outro ou de uma têmpora à outra, é similar?

Eu o lembro que a Onda da Vida, quando ela sobe, quando ela chega ao períneo, quando ela chega ao chacra inferior, quando ela transpõe os obstáculos de resistências da personalidade, é uma ondulação.

Essa ondulação pode traduzir-se por vertigens, por uma sensação de balançar ou por uma ondulação da energia, é o mesmo processo.

Isso pode ir de um pé ao outro, de uma mão à outra mão.
Pode ir de uma orelha à outra, isso não tem qualquer importância.

É a ondulação da Onda da Vida.
É um movimento ondulatório.
É a espiral, é a lemniscata.

É a espiral da Vida, se prefere, que pode dar vertigens, que pode dar sensação, por exemplo, de dor no fígado e no baço, que pode dar impressão, real, de balançar, de ondular, de balançar.

Ou, então, o corpo não se move.
Mas é, digamos, uma mistura de energia, de Vibração e de consciência, que ondula.

É o movimento ondulatório.
Isso se chama uma Onda da Vida ou Onda do Éter.
Por que nós a chamamos de onda e não de Luz Vibral?

A Luz Vibral ou o Supramental é uma ressonância de um campo que é estacionário.

A energia circula de acordo com linhas, de acordo com trajetos.
A Onda da Vida sobe por baixo dos pés e, quando ela estabelece a conexão com o períneo e isso circula em todo o corpo, dá uma ondulação.

É uma onda.

>>>

Questão: quando se escuta uma canalização e que se dorme, o que acontece?

Há, sempre, o aspecto Vibratório.
E nós sempre dissemos que a Vibração era mais importante do que as palavras.

Muitos irmãos e irmãs percebem a Vibração, mesmo em outra língua.
Eles nada compreendem, mas há Vibração.

Cada vez mais, vocês vão se aperceber e, aliás, é o que foi dito por GEMMA (Ndr: intervenção de GEMMA GALGANI, de 20 de maio de 2012), é o que foi dito por SRI AUROBINDO (Ndr: intervenção de 21 de maio de 2012), não há muito tempo.

Por exemplo: o Som, como o Som modifica-se?
É uma Vibração, o Som.

Portanto, vocês poderão, cada vez menos, confiar em sua compreensão, no sentido intelectual e, tampouco, no sentir, porque o sentir é colorido por suas experiências.

O sentir nem sempre é religado à Essência, ele é ligado, também, à sua experiência.

Vocês vão dizer, por exemplo: «eu sinto isso como positivo».
Outro vai dizer-lhes: «eu sinto isso como negativo».

Nenhum dos dois está certo ou errado: é função da própria consciência deles, do próprio estado deles. Mas, cada vez mais, vocês vão passar por uma percepção Vibratória que lhes dará as respostas.

O Som é um bom exemplo disso.
A Onda da Vida é outro exemplo.

Se vocês vivem a Onda da Vida, permanentemente, e reencontram alguém que sufoca sua Onda da Vida, cabe a vocês tirarem as conclusões disso.

Não é uma interferência exterior.
É, simplesmente, que a Onda da Vida é, ela, suscetível de variar de acordo com as circunstâncias.

Mas não são vocês que variam.
Cabe a vocês decidir, naquele momento, o que convém fazer.
Mas vocês têm testemunhos, marcadores, muito mais do que a compreensão das palavras.

A Vibração é essencial.
E, hoje, além da Vibração – seja do Coração, a resposta do Coração da qual RAM havia falado (Ndr: intervenção de 28 de março de 2009) há numerosos anos, sejam as respirações que haviam sido dadas por SRI AUROBINDO (Ndr: canalização, entre outras, de 17 de fevereiro de 2010) – hoje, vocês têm o Som.

O que é um nível, digamos, uma escala Vibratória muito mais fina, muito mais precisa do que, mesmo, a Vibração das Coroas.

Nós recorremos, aí, a níveis que são ligados à verdadeira clara audiência, ou seja, o som do Universo.

>>>

Questão: a meditação continua útil ou deve-se preferir um Alinhamento?

Eu diria: preste atenção que a meditação não seja uma fuga.
O alinhamento não pode ser uma fuga, porque há um papel que era, até o presente, de ancorar e de semear a Luz e, agora, de favorecer a Onda da Vida. Mas atenção, para que, em seu caso, a meditação não seja uma fuga de sua vida.

É claro, a meditação, para todo mundo, tem efeitos, uma vez que os médicos a estudam hoje: eles sabem, muito bem, que a meditação faz baixar a pressão, faz baixar as pulsações do coração etc ...

Agora, você deve, também, definir os seus objetivos.
Qual é seu objetivo em relação à meditação?

Se é para um bem-estar, sim, você pode meditar.
O alinhamento é um trabalho coletivo, uma recepção coletiva, que vocês podem gerar não importa em qual momento, isso foi dito. Mas a meditação sem objeto ou sem alinhamento vai propiciar alguns efeitos, eu não posso dizer mais.

Agora, se você espera viver o Absoluto meditando, é impossível.

>>>

Questão: Ofegar, ter a impressão de dar à luz, corresponde a quê? O que acontece se se interrompe o processo por causa de obrigações exteriores?

Quando a Onda da Vida sobe, realmente, vocês a percebem.
Portanto, as pessoas que me perguntam, por exemplo, se a Onda da Vida nasceu para eles, eu as olho bizarramente, porque elas a sentem ou não a sentem.

É tão simples assim.
É como as pessoas que me perguntariam ou que perguntariam a vocês: será que eu tenho o Coração aberto?

Mas é uma questão que nada quer dizer.
O Coração Vibral, quando está aberto, sente-se Vibrar, não é?

Não é um coração mental, o Coração Vibral.
Portanto, dizer que o coração está aberto, em alguém que tem bom coração, porque seu comportamento é estar no coração, se não há Vibração do Coração, qual é esse coração?

É um coração intelectual, afetivo, mental, mas não é o Coração Vibral.
Eu lhe digo isso porque a Onda da Vida, nos momentos em que ela chega ao períneo, no qual ela trabalha sobre os dois primeiros chacras, há o sentimento de ser portador de algo de bizarro nessa região.

Pode ser um bebê, de acordo com o imaginário, pode ser outro sexo, etc ...

Aí está onde eu queria chegar.
É o trabalho da Onda da Vida sobre os dois primeiros chacras.
Agora, é a você que cabe ver, hoje, se você sente a Onda da vida implantada
ou não. Isso se sente, não é intelectual, não é uma projeção de um desejo ou de um querer, é algo que é vivido, como o exemplo do chacra do coração, há pouco.

Agora, se houvesse um processo de parto, digamos assim, ou de transmutação da Onda da Vida ao nível dos dois chacras inferiores, e você não tivesse atribuído seu tempo, sua consciência, falando-me de obrigações materiais, eu o remeto em face de suas próprias responsabilidades, meu rapaz.

Ninguém pode servir a dois mestres ao mesmo tempo.
Qual obrigação pode ter-se diante da Luz?

Isso mostra, aí também, onde você se situa.
Lembrem-se: faz meses que nós temos dito, uns e outros, que era preciso responder ao apelo da Luz.

Vocês não vão dizer à Luz ou à Onda da Vida: «um minuto, eu ainda tenho algo a terminar, tenho uma obrigação social, familiar, afetiva ou outra».

Isso mostra, efetivamente, onde estão as prioridades.
É toda a diferença entre a pessoa que quer, efetivamente, um pouco de Luz, na condição de que isso não perturbe a pessoa, e a pessoa que aceita entregar-se à Luz.

Nós os havíamos prevenido em relação a isso.

>>>

Questão: durante as intervenções de BIDI, meu tímpano esquerdo reage. Por quê?

Mas o que é que acontece à esquerda?
O que é que há?

É aí onde há o antakarana.
É aí onde há a Corda Celeste.
É aí onde há o Canal Mariano.

Portanto, BIDI não lhes agita os circuitos [ne vous secoue pas les puces], ele lhes agita o Canal Mariano, e isso passa pelo chacra da garganta e pelos ouvidos e, sobretudo, à esquerda.

>>>

Questão: por que não ouvimos mais o Som da Terra, desde o aparecimento da Onda da Vida?

Há uma relação total e formal.
A partir do momento em que a Onda da Vida nasce, ela os conduz a viver o Som.

Depois, ou ao mesmo tempo ou, por vezes, um pouco antes, o Som do Canal Mariano, que é um Som diferente dos Sete Sons.

E, também, há, a um dado momento, no qual o Som que vocês tinham, de maneira mais habitual, digamos, vai desaparecer, para deixar o lugar para outra coisa.

É perfeitamente normal.

>>>

Questão: qual é esse sopro que parece, por vezes, sobrepor-se ao sopro habitual do corpo?

Há várias coisas: há o sopro do corpo de Estado de Ser, há o sopro do Canal Mariano, há, também, o sopro da Onda da Vida, que podem dar-lhe a impressão de ter vários sopros.

E há, efetivamente, vários sopros, sim.
A Onda da Vida, como eu disse, é ondulante, ela é ondulatória, ela cria uma agitação, não física, mas cria um movimento.

Esse movimento pode, perfeitamente, ser percebido como um segundo sopro ou outro sopro.

Similar para o corpo de Estado de Ser.
Similar para MARIA.

>>>

Não temos mais perguntas. Agradecemos.

Bem, eu lhes agradeço por todas essas questões apaixonantes.
E eu espero revê-los muito em breve.

É verdade que, desde algum tempo, nosso amigo BIDI toma muito mais espaço, mas isso faz parte da ordem das coisas.

Eu lhes transmito todo o meu Amor, todas as minhas bênçãos.
Eu lhes digo até muito em breve.

Fiquem bem.


****************
Mensagem de O.M. AÏVANHOV no site francês Autres Dimensions:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=1474
04 de junho de 2012 (Publicado em 05 de junho de 2012).
Tradução para o português: Célia G.
via: http://leiturasdaluz.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário