sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Coletânea - A ILUSÃO DO LIVRE ARBÍTRIO - Autres Dimensions



23 de dezembro de 2011.
Coletânea: A ILUSÃO DO LIVRE ARBÍTRIO -
AUTRES DIMENSIONS


Enquanto vocês creem que decidem o que quer que seja, é apenas a personalidade que se exprime no que vocês chamaram o livre arbítrio.


A Liberdade não se importa com o livre arbítrio.
A Lei da Graça não é a lei do livre arbítrio.

A ação/reação da personalidade não é a Ação de Graça da Unidade.
Tudo as opõe, eu diria.

As leis não são as mesmas.
Os princípios e as manifestações não são os mesmos.

Aí também, tudo os opõe.
Eu repito: isso deve ser vivido e não exprimido.

MA ANANDA MOYI – 12 de novembro de 2011 [Clique aqui]

***

Em meio à Liberdade, em meio ao Espírito, não há o que fazer do livre arbítrio.

O livre arbítrio é o álibi, dado pela personalidade, para aproximar-se de uma luz qualquer, tão ilusória como a personalidade.

A Liberdade não envolve nem a personalidade, nem o livre arbítrio.
A Liberdade é a Liberdade.

Ela é o final do confinamento, o final da partição, o final das crenças e o início da experiência da Unidade.
Mas para viver o início da experiência da Unidade, é preciso, efetivamente, Liberar-se, na totalidade.

IRMÃO K – 05 de novembro de 2011 [Clique aqui]

***

A Verdade não é deste mundo.
A Verdade é, de fato, a Liberdade da Criação.
Liberdade da Criação significando que toda Consciência jamais é aprisionada em qualquer limite de experiência, o que, admitam-no, é totalmente ao oposto do que vive a consciência humana em meio a este mundo, através mesmo dos princípios chamados de livre arbítrio, reencarnação, carma, bem e mal.

Existe, portanto, um princípio que nós chamamos de ‘falsificação’.
Evidentemente, aderir ao princípio de falsificação não é suficiente para aceder à Unidade, não é suficiente para viver a Unidade.

IRMÃO K – 13 de novembro de 2011 [Clique aqui]

***

A Vibração do Coração, o estado do Ser Unificado, está bem além dessas contingências chamadas de livre arbítrio, de vontade de bem, do bem e do mal.

O Ser que se aproxima da Unidade e que se instala na Unidade irradia o Amor porque ele se torna o Amor, porque ele é o Amor, porque ele é Luz e porque ele está Unificado.

Ele nunca coloca a questão de saber se sua ação é bem ou mal porque ele transcendeu o bem e o mal.

Como vocês querem transcender o bem e o mal ali aderindo?
Como vocês querem perceber o que vocês são, na verdade, enquanto seu olhar está voltado para a Ilusão exterior?

Como vocês querem viver a Alegria Eterna quando vocês estão voltados para a satisfação dos prazeres efêmeros da vida, quaisquer que sejam, sem exceção alguma?

Isso não quer dizer, é claro, para privar-se, por um esforço de vontade, de quaisquer prazeres que sejam, mas, sim, para conscientizar o que representa o efêmero do prazer e o que representa a Eternidade da Alegria.

É apenas voltando-se para a Alegria que vocês irão transcender o prazer.

É apenas voltando-se para sua própria Unidade, para sua própria realização do Ser que, naquele momento, os tormentos da personalidade irão desaparecer, inteiramente.

UM AMIGO – 28 de outubro de 2011 [Clique aqui]

***

De fato, a Alma é portadora de certo número de informações que a orientam para a descoberta da matéria, para a reencarnação, para o princípio chamado livre arbítrio, do bem e do mal.

Reencontrar a Liberdade e a Graça os faz abandonar o livre arbítrio porque, naquele momento (e como nós o dissemos), não é mais a personalidade que age, mas, efetivamente, a individualidade e a Inteligência da Luz, na individualidade.

SRI AUROBINDO – 28 de outubro de 2011 [Clique aqui]

***

Essa Graça da Luz é-lhes acessível, como vocês sabem, a partir de agora, por toda a parte, porque a Luz espalhou-se no mundo, porque a Porta do CRISTO foi aberta, porque a Porta Estreita cruza-se.

Haverá, sempre, Irmãos e Irmãs que estarão na negação absoluta disso, porque a concepção, a crença e a fé deles, mesmo da Luz, não corresponde ao que nós anunciamos, ao que nós dizemos e ao que nós Vibramos a vocês.

Isso faz parte, aí também, da Graça da Luz, que é deixar viver a Liberdade total, mesmo para aqueles que, de maneira extremamente simples, recusam-na, argumentando o princípio do livre arbítrio, argumentando o princípio de evolução, argumentando o princípio de qualquer hierarquia de luz ou de qualquer salvador de luz ao qual eles aderem.

Mas isso não permitirá a eles, jamais, viver a Graça, porque eles se desviaram da Graça, que é o caminho da Infância, o caminho da Simplicidade.

GEMMA GALGANI – 05 de novembro de 2011 [Clique aqui]

***

É claro, aqueles que estão aterrorizados, porque estão instalados na personalidade, não podem vislumbrar qualquer transformação da Terra. E isso, vocês observam, sobretudo, nos meios espirituais, porque essas pessoas estão, como dizer, inscritas numa diligência de transformação açucarada, progressiva, normal, sem qualquer solavanco do que acontece sobre a Terra.

E, naquele momento, elas não estão mais numa esperança, elas estão numa projeção de condições ideais que, elas, quereriam ver estabelecer-se, porque, para elas, o Amor (e a Luz) é um desenvolvimento que nada muda na personalidade e, aliás, geralmente, vocês constatarão que esses seres não vivem a Vibração.

Se vocês lhes falam do Coração, elas vão dizer que estão no Coração. Mas provar do amor (ou dizer-se no coração), nós sempre dissemos, não é viver a Vibração real do Coração, ou seja, o coração, no sentido daqueles que não estão abertos, é uma projeção, uma projeção amorosa, uma projeção de um ideal, uma projeção de melhoria de algo, num futuro, mas é sempre de maneira muito suave, muito progressiva.

Isso se chama o livre arbítrio.

AÏVANHOV – 05 de novembro de 2011 [Clique aqui]

***

Como lhes foi dito, os seres humanos sentem-se muito bem nesta condição humana, e não consideram absolutamente qualquer evolução, qualquer transformação, e ainda menos uma Libertação do que é chamado de vida neste mundo de terceira Dimensão.

Isso faz parte de escolhas absolutas e da liberdade, chamada de ‘livre arbítrio’, nas quais condicionam essas pessoas a viver a experiência da vida, em meio a limites que lhes são necessários, e não implicando qualquer Libertação, já que tal não é sua Vibração.

Nesse sentido, lhes foi solicitado, quaisquer que sejam suas crenças, e qualquer que seja o que vocês têm acesso, na experiência, para não julgar, não questionar, de forma alguma, as escolhas feitas por cada ser humano em encarnação, cada um dos Irmãos e Irmãs, aqui presentes sobre a Terra.

É a única maneira de respeitar a adesão ao livre arbítrio que, eu lembro a vocês, não tem estritamente nada a ver com a Liberdade.

O livre arbítrio é um condicionamento, um quadro de referência, permitindo a uma variedade de almas experimentar ainda o caminho da alma, mas, em caso algum, conhecer o Espírito.

SRI AUROBINDO – 07 de agosto de 2011 [Clique aqui]

***

A armadilha a mais importante dessa matriz (nesses condicionamentos e em sua Ilusão) é fazê-los crer que vocês são uma pessoa (e unicamente uma pessoa ou uma personalidade) que vive uma vida, limitada por um instante chamado o nascimento e um outro instante chamado a morte, durante o qual se desenrola uma consciência que vai fazer escolhas, experimentar coisas, mas, em momento algum (mesmo num caminho espiritual) poder-se-á, jamais, liberar-se, de qualquer modo, desses condicionamentos e dessa lei de ação/reação.

Então, é claro, de algum modo, encorajaram-nos (através de algumas religiões e de alguns condicionamentos ditos espirituais) a crer no Espírito, mas um espírito no qual as leis seriam as mesmas, estritamente as mesmas, como no confinamento.

Isso é totalmente falso.
A Liberdade nada tem a ver com o livre arbítrio.
A Lei de Graça nada tem a ver com a lei de ação e reação.

O Abandono à Luz não é uma vontade.
Não é um fazer, tampouco.

Não é um trabalho em suas próprias Sombras, ainda que a Luz ilumine as Sombras.

É a aceitação, pura e simples, da Luz.
Há, simplesmente, sofrimento e afastamento da Luz pela adesão ao que você é, em verdade ou, em todo caso, ao que você crê ser em verdade, ou seja, esse corpo, essa presença nesse corpo que é, de fato, apenas uma projeção de seu próprio espírito na Ilusão na qual você foi presa.

É preciso, já, aceitar esse conceito.
A partir do instante em que você aceita, inteiramente, esse conceito, você já toma certa forma de distância em relação ao que é chamada sua própria personalidade.

Essa tomada de distância em relação à personalidade é já uma primeira etapa para a crucificação da personalidade, que não vai desaparecer.

A Passagem ao Coração faz, simplesmente, com que aquele que conduz o veículo não é mais a personalidade, mas o Espírito.

Mas o ego gostaria de apropriar-se do Espírito.
É, aliás, por isso que ele criou regras do Espírito nesse mundo, chamado livre arbítrio, que absolutamente não existe na Graça.

IRMÃO K – 03 de julho de 2011 [Clique aqui]

***

Pergunta: para os seres de outras Dimensões que se encarnam sobre a Terra, é uma decisão individual ou é organizada de algum modo?

Não há operador turístico, sobretudo para ir à prisão, não é?
O que eu quero dizer por aí que as circunstâncias atuais são diferentes, porque vocês têm seres, hoje, que se encarnam, que tomam um corpo, porque eles sabem que não vão permanecer muito tempo na prisão. Sem isso, eles jamais teriam vindo fazer um ‘tour’ neste sistema solar, não é?

Há processos que se iniciaram, desde muito tempo, isso vocês sabem, mas ninguém, como dizer, decide pela primeira vez.

A primeira vez, as razões podem ser muito variadas.
Vocês desejam quando mesmo, talvez, para alguns, fazer a experiência da prisão.

Por que não?
Para outros, isso tem sido missões mais delicadas.
Para outros, enfim, isso foi, simplesmente, uma espécie de armadilha que se fechou de novo.

É muito complexo para explicar isso.
Isso pode não ser uma visão linear.
Mas, em resumo, hoje, há uma Liberdade para encarnar-se, para os seres que criam uma alma para a circunstância, porque vocês estão em um momento particular.

Isso, vocês sabem, não é?
Agora, não há hierarquia, ninguém vai conduzi-los aqui, ainda uma vez.
Da mesma maneira que ninguém tira vocês daqui, nós estamos bem de acordo.

As circunstâncias ótimas, nós diremos, foram criadas para permitir fazer cessar o princípio de confinamento. Mas fazer cessar o princípio de confinamento, reabrir o que estava fechado, não influencia o que vai se tornar cada alma. Porque, como foi dito em várias reprises, vocês que podem decidir reencontrar a Liberdade ou permanecer no livre arbítrio.

Ninguém pode forçá-los, nem A Fonte.
É bem por isso que o princípio do confinamento, como dizer, foi alguma coisa de especial, porque foi preciso, como dizer, romper o confinamento respeitando as Criações, mesmo falsificadas.

Ou seja, respeitando o livre arbítrio de cada Consciência que estava confinada inconscientemente, conscientemente, ou por circunstâncias particulares.

Mas ninguém, vocês não, ninguém lhes disse: “você irá para a cadeia”. Porque, como é que o que está Livre pode ir preso se isso não é por sua própria ação?

Principalmente eu lhes digo que, agora, as coisas são diferentes.
É para isso que Cristo insistiu, e nós insistimos, para que a maioria das Sementes Estelares, dos seres Despertos, esteja presente sobre a Terra para viver o que é para viver. Porque vocês têm uma infinidade de interesses, e nós temos uma infinidade de interesses, para que esses seres estejam presentes para, de algum modo, serem os médiuns, o aparador e o revelador do que deve se revelar.

AIVANHOV - 12 de agosto de 2011 [Clique aqui]

***

O ser humano descobriu, na matriz e nessa Ilusão, um princípio chamado o livre arbítrio.

Esse princípio de livre arbítrio é uma escolha específica da Consciência que pode, justamente, a cada instante, decidir por ela mesma seu programa de vida.

O programa de vida do ego não é o programa de vida do Coração.
O programa de vida do ego será sempre um modo de apropriação, um modo distanciador, um modo separador, que os faz raciocinar e que os faz analisar algo, sempre, em relação à sua própria educação, ao seu próprio condicionamento, qualquer que seja.

O princípio de atração é um princípio de atração gravitacional, manifestando-se, também, no Espírito aprisionado e traduzindo-se por certo número de ações/reações inegáveis para o conjunto de consciências que vivem no ego.

Isso foi chamado o livre arbítrio, de que faz uso o ser humano, servindo-se exclusivamente de seu ego.

Essa reivindicação do livre arbítrio, que é uma das especificidades da consciência separada não pode, em caso algum, levá-los à Consciência da Graça e à vivência da Graça.

Há, de fato, uma oposição total, como eu disse, entre a consciência do ego e a Consciência do Coração. Do mesmo modo, há uma oposição total entre a lei do livre arbítrio e a Lei de Ação de Graça.

A Ação de Graça confere a Paz.
Ela confere a Alegria.

O que não pode absolutamente ser o caso da consciência egoica, separada e distanciada. Assim, vocês não podem, ao mesmo tempo, estar sob a lei de livre arbítrio e sob a Lei de Ação de Graça.

UM AMIGO – 16 de junho de 2011 [Clique aqui]

***

Será sempre o ego que crê que existe escolha, porque ele está no livre arbítrio e o livre arbítrio implica a noção de escolha.

A Consciência do Grande Espírito (ou viver o Grande Espírito) não é uma escolha, nem o livre arbítrio, mas é a Liberdade, e esta Liberdade passa pelo que vocês chamam de morte da personalidade ou do que é limitado.

NO EYES – 11 de agosto de 2011 [Clique aqui]


******
Trechos extraídos das mensagens do site:
http://www.autresdimensions.com

Traduzidas para o português por:
Célia G. - http://leiturasdaluz.blogspot.com e
Zulma Peixinho - http://portaldosanjos.ning.com

Seleção e Edição:
Beth Rodrigues

Nenhum comentário:

Postar um comentário