sábado, 19 de novembro de 2011

AÏVANHOV - O Elemento Importante é a Liberdade [19/11/2011] - Autres Dimensions



19 de novembro de 2011.

Mensagem publicada em 20 de novembro, pelo site AUTRES DIMENSIONS.



Bem, caros amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los nesse espaço, e eu lhes transmito todas as minhas bênçãos, e eu diria mesmo, mais, toda a Comunhão e a Graça possíveis.

Então, antes de intervir, como faço de hábito, ou seja, deixá-los colocar todas as perguntas que lhes sejam agradáveis, gostaria, primeiramente, de fazer uma intervenção, como Comandante dos Melquisedeques porque, talvez, entre vocês, alguns já começaram a perceber, a Vibrar, a sentir com a consciência, com as Vibrações, que há elementos que já estão aproximando-os, individualmente, é claro, de processos extremamente importantes na Consciência.

Então, vou contextualizar o quadro desta intervenção.
Tranquilizem-se, não me estenderei, eu lhes deixo a palavra muito cedo.

Há algum tempo – algum tempo quer dizer já há quase dois anos – eu havia falado de mecanismos Vibratórios que iam conduzir, de algum modo, duas humanidades a separar-se.

Vocês devem lembrar-se de que, nos processos transformadores que vocês vivem, atualmente, eles são mais ou menos intensos, mais ou menos diferentes, é claro, ao nível do grau Vibratório e do grau de sua consciência, que lhes é própria. E, talvez, vocês já constatem, em seu ambiente mais familiar, que há coisas que não estão evoluindo, verdadeiramente, na mesma direção.

Seria, de fato, extremamente prejudicial crer que toda a humanidade, em seu conjunto, coletivamente, deveria ir ao mesmo lugar, ao mesmo tempo, e no mesmo momento.

E tudo isso, é claro, pode-se ilustrar, da seguinte maneira: Há seres humanos que nascem, que morrem. É como se, por exemplo, alguns que deviam morrer hoje, dissessem: «ah não, se eu morro, é necessário que todo o mundo morra», ou: «se eu vivo, é necessário que todo o mundo viva», ou: «se vou lá, é necessário que todo o mundo vá lá».

Vocês podem imaginar, através da Precipitação da Luz e do Processo Ascensional, que vocês estão dentro. Então, é claro, aqueles que não Vibram e aqueles que não têm manifestações específicas da consciência, devem dizer-se: «ele divaga, aquele aí, o que é que ele nos conta, dado que eu nada vivo?». Mas cada ser humano é diferente; é um postulado que vocês devem, cada vez mais, integrar, não unicamente aceitar, porque, talvez, vocês o vejam ao seu redor.

Vocês estão num estado de consciência, e aquele que, talvez, seja seu marido, sua mulher, seu filho, seu pai, não está de modo algum, mas de modo algum, no mesmo estado da consciência e no mesmo estado Vibratório.

Então, é claro, o ser humano está com apegos, sejam familiares, sejam ligados a atividades, quaisquer que sejam.

É necessário compreender, hoje, que o que vocês reencontram é a Liberdade total, mas que essa Liberdade é-lhes outorgada, se se pode dizê-lo, a cada um, de momento, individualmente. Então, é claro, progressivamente e à medida que as Partículas de Luz Adamantina depositam-se no manto da Terra (como é o caso), progressivamente e à medida que nos aproximamos – nossa Vibração e nossa Consciência – de sua consciência, isso se traduz por mecanismos de transformação.

Há, nesses mecanismos de transformação, seres que estão, por exemplo, a um nível de consciência, ou mesmo um nível de vida, de Atenção, de Intenção, que nada tem a ver com aquele que é o seu, sejam eles as pessoas as mais próximas.

Lembrem-se de que o elemento importante é a Liberdade.
Vocês não podem dar a Liberdade a ninguém, se a pessoa na qual vocês pensam não quer a Liberdade.

Há IRMÃO K, que falou, há muito pouco tempo, da Liberdade e da Verdade. É extremamente importante, porque sua Verdade individual não é a mesma que aquela que corresponde, talvez, ao seu vizinho, com os mesmos processos e a mesma dose, digamos, de Luz que vocês vivem.

As reações e as transformações, a transmutação que é a sua não é aquela de seu vizinho, e isso, será necessário aceitar.

Como isso vai traduzir-se?
É muito simples.

Serei extremamente prático, porque, talvez, já, muitos entre vocês, aqui e em outros lugares, aperceberam-se de que havia um processo de densificação e de aceleração, extremamente denso e extremamente importante, da Luz.

É claro, eu repito: há outros que dizem que nada sentem.
Para eles, a vida continua como antes.

Então, é claro, eles estão ou frustrados, ou vão desviar-se do que nós dizemos e terão completa razão, porque, por que escutar velhos que divagam, se não vivem o que eles dizem?

É claro, seria necessário ser um pouco estúpido para aderir e viver transformações da consciência que não lhes concirnam.

Então, é claro, vocês vão dizer-me: «mas todos os seres humanos querem a Luz».

Nada há de mais falso, e nós o dissemos.
Há seres humanos que têm necessidade de conservar experiências da alma, portanto, de conservar uma alma e, portanto, de conservar um corpo físico.

Então, obviamente, isso, vocês veem ao seu redor.
Vocês constatam, por si mesmos, que o estado Vibratório no qual vocês estão não é o mesmo que aquele do vizinho. Então, desde pouco tempo, há meios que lhes foram dados, para viver a Comunhão e viver a Graça.

Esses meios são extremamente importantes, porque eles lhes permitem fazer ressoar a Luz que os habita e que vocês estão com outra pessoa, mas vocês constatarão, também, que, aí, há aqueles que, talvez, não queiram sua Comunhão, há os que não queiram sua Graça, há os que não queiram mesmo ouvir falar dessa noção de transformação, e vão dizer a vocês, com razão, uma vez que eles nada vivem: «nada acontece».

E, é claro, para eles, estritamente, nada acontecerá.
Então, vamos interessar-nos, é claro, por aqueles que Vibram.
O que acontece e o que se reforça, além de percepções de tudo o que vocês conhecem (os novos corpos, os chacras, as Coroas, as Vibrações celulares, as Vibrações das Coroas Radiantes, as próprias transformações de sua consciência) que os fazem dizer, alguns de vocês, que vocês não conseguem mais fazer, mesmo uma atividade comum?

É claro, a Luz chama-os, cada vez mais.
A Luz CRISTO chama-os para serem, cada vez mais, a Luz, e há os que vão protestar: «mas não posso mais fazer isso», «não posso mais fazer aquilo», «não posso mais dirigir o carro», «não posso mais ter relações sexuais», «não posso mais levar os filhos à escola».

Obviamente, vocês não devem protestar porque – e isso, nós sempre, sempre, uns e outros, afirmamos, com força – vocês se tornarão o que vocês Vibram.

Não pode ser de outro modo.
E aqueles de vocês que Vibram mais, de que se apercebem?
Que estão cada vez menos presentes nesse mundo, mas cada vez mais presentes na Luz.

E um não pode ir com o outro.
Isso quer dizer que alguns seres, ao nível individual, aproximam-se do que eu havia chamado, de modo humorístico, o planeta grelha, ou seja, eles vivem, de algum modo, seu planeta grelha individual.

E aqueles que não vivem o planeta grelha, ainda, ou que não o viverão, até o extremo limite vão dizer: «mas é o que esse indivíduo? Ele não consegue mesmo mais trabalhar, ele não consegue mesmo mais comunicar-se normalmente». Mas, é claro, ele não se comunica mais, uma vez que ele está na Comunhão com a Luz.

E vocês não podem participar, e vocês vão dar-se conta – e é aí que eu quero chegar, isso já foi dito há exatamente uma semana – que, quanto mais vocês avançarem para o Natal deste ano, mais vocês penetrarão, cada vez mais, na Comunhão, não mais de ser a ser – que lhes foi oferecida para, por exemplo, constituir a Consciência Unificada a 24, como dizia RAMATAN, no ensinamento que ele divulgou, de maneira ampla, agora (ndr: ver a rubrica «humanidade em evolução»), mas vocês entrarão, cada vez mais, na Comunhão com a Luz.

E, se vocês entram, cada vez mais, na Comunhão com a Luz, vocês se apercebem de que não poderão, e cada vez menos, estar presentes sobre esse mundo.

Isso se chama a Ascensão.
Então, é claro, existe uma defasagem.
Essa defasagem é temporal, mas é, também, uma defasagem de consciência, entre aqueles que Vibram a Luz e a Consciência da Unidade, e aqueles que Vibram menos, ou que não Vibram, de modo algum.

Lembrem-se: o Arcanjo ANAEL havia falado da Passagem da abertura da boca, da Passagem da garganta e de eliminações, de algum modo, dos últimos obstáculos psicológicos, inerentes ao que vocês eram, nesta Dimensão. E, desde algum tempo, temos falado que, nesse momento, a humanidade libera-se do medo.

Ela se libera do que eram chamados os apegos coletivos, mas, é claro, há os que não querem ser liberados, e vocês devem respeitar isso.

Se há um ser que está perfeitamente ao abrigo, em sua atividade profissional, seja ele um banqueiro, ele é feito para ser banqueiro.

Ele não é feito para ouvir falar da Luz e sua vida é baseada, a priori, na noção de lucro, portanto, em algo que nada tem a ver com a Luz, que é uma doação, é claro.

Como vocês querem que esse ser volte-se para a Luz?

Não é o objetivo dele.
Não é o programa de vida dele, e é, talvez, ainda menos, o programa de vida da alma dele.

O problema é que vocês estão todos presentes, eu diria, na mesma panela de pressão, não é?

E a pressão sobe, cada vez mais.
E essa pressão é responsável pelo que vocês veem sobre a Terra, pelo que vocês veem nas famílias, pelo que vocês veem nos grupos sociais, ao mesmo tempo retendo que, aqui, nesse país e nos países da Europa do oeste, vocês estão, até o extremo limite, em mecanismos não de proteção, isso depende de qual ponto de vista vocês se colocam, se vocês estão do lado lagarta, vocês dizem: «estamos protegidos», se estão do lado borboleta, dizem: «estamos terrivelmente atrasados em relação a outras regiões».

É evidente que os derramamentos de Luz que vocês viram no céu e nas Partículas Adamantinas no céu noturno são a prefiguração da ruptura do céu, que corresponde à ruptura de seu céu Interior, ou seja, do pericárdio: a abertura da porta KI-RIS-TI e a passagem da Porta Estreita. Mas há, também, Irmãos, Irmãs que estão entre vocês, que estão, por vezes, muito próximos, que, eles, não querem ouvir falar de tudo isso, porque não o vivem. E, por mais que vocês lhes explicarem, por mais que vocês tentarem demonstrar-lhes, eles não estão no mesmo mundo.

Será que vocês podem compreender isso?
Querer que toda a humanidade vá ao mesmo lugar é uma heresia.
Vocês não vão todos ao espetáculo, ver o mesmo filme, no mesmo momento, sobre a Terra.

Vocês não se levantam, todos, à mesma hora.
Vocês não se deitam, todos, à mesma hora.

Nesse momento, vocês vivem a finalização da Ascensão, mesmo aqueles que lhes dizem: «eu nada vivo». De momento, eles nada vivem, mas virá um momento em que haverá uma sintonização.

Esse momento da sintonização é o momento em que a revelação da Luz e a passagem da consciência à Luz não poderá fazer-se de outro modo que não ser revelada, mesmo àqueles que lhe voltam as costas.

Mas lembrem-se: nós sempre dissemos que a Consciência era Vibração.
Então, há muitos seres, por exemplo, em movimentos espirituais, que vão falar-lhes admiravelmente da Unidade.

Eles vão dizer-lhes: «eu estou na Unidade», «eu superei a Dualidade».
Perguntem-lhes: vocês Vibram?

Vocês não podem estar na Unidade se não vibram.
Vocês puderam aceitar mecanismos mentais, intelectuais, ligados à superação da dualidade, mas, enquanto a consciência não é Vibral, enquanto a consciência não se torna Luz, vocês não são concernidos, de momento, pelo processo.

Então, é necessário não se colocar, tampouco, como eu dizia, o martelo na cabeça porque, é claro, os primeiros serão os últimos, os últimos serão os primeiros etc.etc.

Isso foi dito em muito numerosas reprises.
Então, há seres, hoje, que captaram essa Luz, mas, em lugar de abrir-se, ao nível do Coração, eles tomaram essa Luz na própria cabeça e, naquele momento, eles continuam em mecanismos de projeção no mental.

Vocês sabem muito bem, aqueles que vivem as Vibrações, que, quanto mais vocês entram na Vibração (que é a Essência e que é sua natureza de Ser, no sentido o mais multidimensional), que mais nada tem importância.

Vocês não são demissionários desse mundo: é o que se chama a Renúncia, não é um ato mental.

Por mais que vocês renunciem, intelectualmente, a tudo o que querem, não é isso que vai fazê-los Vibrar.

O que vai fazê-los Vibrar?
É o acolhimento da Luz no Coração ou na cabeça.
É a capacidade para estar, primeiro, abandonados à Luz e tornar-se, cada vez mais, Transparentes.

Vocês não podem, e não poderão, cada vez mais, manter o estado Vibratório e manifestar qualquer personalidade. E eu entendo por personalidade tudo o que poderia ser da ordem dos apegos, quaisquer que sejam, ou dos medos.

Então, é claro, isso foi dito, e eu repito: não é questão de abandonar toda a Terra para viver sua Luz, sozinho em seu canto, uma vez que nós dissemos que era necessário Comungar.

Comungar entre Irmãos e Irmãs, mas, também, Comungar conosco, uma vez que nossa Dimensão está cada vez mais presente.

Fez-se referência ao Canal Mariano, que se constitui.
Alguns de vocês estão em contato com uma das Estrelas, de maneira perfeitamente autêntica.

Outros estão em contato com Arcanjos.
E depois há, também, aqueles que se iludem, porque leem por toda a parte que a Luz está presente, leem por toda a parte que há uma Ascensão, e estes vão projetar a Unidade e projetar uma Luz. Mas eles não são a Luz, porque eles não Vibram a Consciência.

E vocês sabem, aqueles de vocês que são os mais avançados, mas nessa noção de avanço não faço uma noção hierárquica ou uma noção de mais elevado ou menos elevado, é, simplesmente, eu diria, como dizer..., seu timing pessoal de Abandono à Luz, de Renúncia, do desaparecimento de apegos e de medos coletivos.

E, quanto mais vocês vivem a Luz, mais renunciam, e mais Vibram.
E, quanto mais vocês Vibram, mais estão, efetivamente, como eu já havia dito, cada vez mais desconectados desse mundo.

Então, é claro, haverá aqueles que não vivem a Luz.
Eles não vivem a Vibração e, no entanto, a consciência percebe, não mais pela Vibração, mas pelo que eu poderia chamar, por exemplo, o instinto, ou pela intuição, ou, simplesmente, pela razão (observando o que acontece sobre a Terra para os vulcões, para os sinais do Céu) que há uma mudança.
E essas pessoas vão dizer: «sim, mas, para mim, essa mudança, eu não a vivo no Interior, eu a observo exteriormente».

Há uma expressão que havia sido empregada por um dos Anciões, era o ponto e a esfera. Enquanto vocês creem que são o ponto, ou enquanto creem que são a esfera, vocês não são o Tudo.

E muitos seres imaginam-se – porque o instinto é muito forte ou a intuição, que é ligada ao terceiro olho desenvolveu-se, pela ação da Luz – que tudo compreenderam e que tudo viveram.

Sim, mas tudo compreender, ou tudo viver, no plano da compreensão, não é a vivência da Vibração. É por isso que nós insistimos muito, muito amplamente, uns e outros (sejam as Estrelas, sejam os Arcanjos), sobre essa Vibração.

E SRI AUROBINDO, em sua última encarnação, foi o primeiro a descrever a encarnação do Supramental. Portanto, vocês não podem aceder à Unidade se não estão na Vibração do Supramental. Se a mutação não toca suas células, não toca sua consciência, não é a adesão à Unidade que os transforma.
É a própria Vibração.

E, se vocês querem viver a Vibração, vocês devem, muito exatamente (o que os Arcanjos e nós mesmos dissemos), progressivamente, acolher a Luz CRISTO, em Unidade e em Verdade.

Tornar-se Transparentes.
E eu deixarei nosso IRMÃO K exprimir-se sobre essa noção de Transparência, porque vocês sabem, muito bem que, em relação a uma palavra, vocês põem uma dezena de seres humanos, não há um que tenha a mesma compreensão, a mesma vivência, a mesma simbologia, que está presente em sua consciência em relação à palavra.

O único modo de reunir os seres é a Vibração, porque alguém que vai Vibrar no décimo segundo corpo ou no décimo primeiro corpo – que são as Vibrações que circundam os lábios ou que se difundem nas asas do nariz – ele sabe muito bem que não é uma ilusão e, é claro, ele sabe muito bem a que isso corresponde, porque ele vive, disso, os efeitos (seja ao nível da Visão Etérea ou da transformação da consciência).

Cada vez mais, a Luz chama-os a viver a Luz.
Cada vez mais, cada dia que se escoa, a Luz vai chamá-los a tornar-se essa Luz, porque é sua natureza e é nossa natureza, de todos. Então, é claro, para aquele que não Vibra, ainda, nessa Luz, o que vai acontecer?

Vocês o veem, talvez, ao redor de vocês, eles vão dizer: «você viu, bem que eu falei que não havia fim do mundo. Você viu, eu bem que falei que não havia Ascensão».

Mas, é claro, uma vez que eles nada vivem.
Obviamente, esses seres, de momento, vocês não devem julgá-los, vocês não devem, tampouco, convencê-los, porque é um diálogo de surdos.

Vocês não falam as mesmas linguagens.
Um fala a linguagem da Luz e da Vibração e o outro fala a linguagem da personalidade e da razão, mesmo espiritualista.

Então, há todos aqueles que estão nas energias – e não na Vibração – ditas New Age, ou seja, eles vão sentir as energias, eles têm a percepção da circulação da energia, eles têm visões ligadas ao terceiro olho e têm percepções ligadas à intuição ou ao instinto, extremamente fortes e perfeitamente exatas, mas aplicadas a esse mundo, enquanto vocês vivem a Vibração da Consciência, e o que é que vocês constatam?

Vocês constatam que as visões desse mundo não têm mais qualquer realidade, porque vocês penetram na Consciência Unificada.

Não é apenas uma palavra, assim.
Não é apenas uma experiência, assim.

Isso se torna seu cotidiano.
E as informações que vocês terão não concernem, de modo algum, ao limite, eu diria, à evolução dessa terceira Dimensão. É por isso que nós havíamos dito para não procurarem data, ao nível coletivo.

CRISTO virá como um ladrão na noite.
Então, é claro, eu semeei pequenos elementos.
Eu disse, por exemplo, que três dias sobreviriam por uma noite de grande frio, e há aqueles que buscam, ainda, em pleno verão, datas.

Portanto, é um pouco bizarro, mas é normal.
E outro Ancião falou-lhes da espera e da esperança.
Porque a espera é estéril, ela os põe na negação e na recusa.
A esperança decorre, diretamente, da Vibração.

Quanto mais vocês penetram a Vibração da Unidade, mais vocês estão na Alegria ou, em todo caso, na Serenidade, independentemente do que aconteça a esse corpo, que lhes propicie, de algum modo, o que muitos Anciões disseram em sua vida, ou seja, uma forma de compreensão e de vivência, porque não é tudo dizer que eles não eram esse corpo.

Por exemplo, quando eles tinham uma doença, eles diziam: «mas parem de preocupar-se comigo, eu não sou essa doença».

Então olhem, hoje, quantos, entre os seres que começaram a Vibrar, dizem-se: «ai, ai, ai, tenho tal problema, em tal lugar», «oh la la, é preciso que eu cure tal coisa».

Mas o que vocês querem curar, dado que a ilusão desaparece?
É a isso que a consciência é confrontada.

Então, do modo pelo qual vocês viverem sua própria Vibração (os pequenos planetas grelha individuais), vai desenrolar-se o processo coletivo, com mais ou menos facilidade, no momento vindo.

Mas vocês não devem inquietar-se, porque cada um irá, muito, muito precisamente, ao lugar preciso em que sua consciência vai levá-lo. Não há que se colocar a questão: «eu quero ir aqui, eu quero ir acolá».

Hoje, a Luz, através de sua Inteligência, ocupa-se de tudo.
Se vocês quisessem verificar, por si mesmos, como a Luz ocupa-se de tudo, vocês ficariam extremamente surpresos.

Então, há aqueles que vão levantar a mão e dizer-me: «sim, mas tenho muitos problemas, tenho tal doença, tenho tal problema com meu marido, tenho tal problema com meu trabalho».

Vocês acreditam que um ser que vive a Vibração da Unidade está preocupado com esse gênero de coisas?

É claro, se vocês decidem, vocês mesmos, negar um problema, ele vai saltar-lhes na cara, com ainda mais veemência, com mais força. Mas, se a transformação é real, tudo isso vai desaparecer, inteiramente.

Aqueles que vivem a imersão na Vibração, que acederam à Vibração da Unidade ou que acederam à própria Existência sabem, muito bem, do que eu falo. Mas os outros não podem sabê-lo, porque a única realidade que é a deles, naquele momento preciso, quando não há Vibração neles, é o quê?

É a personalidade, com tudo o que foi construído pela personalidade, mesmo a personalidade a mais amorosa, a mais gentil, mais integrada nesse mundo.

O que vem não é uma integração nesse mundo.
Então, as palavras foram progressivas, vocês viram: isso foi a Desconstrução.

Após, falou-se do fim da escravidão.
Hoje, eu posso dizer-lhes que, se sua consciência Vibra, vocês não vão para uma integração nesse mundo.

Vocês vão para a desintegração, porque vocês não podem ser a Luz estando num mecanismo em que vão absorver a Luz para a personalidade. E isso vai explodir-lhes na cara, cada vez mais brutalmente.

O que vocês querem ser?
É um ou o outro.
Não os dois.

E, cada dia que vai passar, vocês serão confrontados, de maneira cada vez mais violenta e cada vez mais limpante, eu diria: vocês querem integrar a Luz, nesta Dimensão, ou vocês aceitam a desintegração da Luz em tudo o que concerne à personalidade?

Vocês querem tornar-se eternos, ou vocês querem continuar efêmeros?
Eu lhes disse, à época: lagartas ou borboletas.

Há os que já são borboletas, e eles não compreendem porque estão, ainda, sobre a Terra. E há os que são lagartas, e eles não têm mesmo a percepção do que é uma borboleta. E, é claro, eles caçoam de vocês, porque lhes dizem: «veja bem, nós continuamos aí. Veja bem, o mundo, ele continua girando».

Sim, ele girará até o momento em que o fenômeno coletivo o arrastar sobre o individual.

E esse momento, lembrem-se, não são vocês que decidem (há, é claro, limites astronômicos e nós já falamos deles), mas é a Terra, em função de sua capacidade, dela também, de desintegração Dimensional, para aceder à nova Dimensão.

Então, é claro, quanto mais os dias passam e mais aqueles que não Vibram ao nível do Fogo do Coração, e que Vibram ao nível de uma das Coroas, unicamente, vão dizer: «mas o mundo continua».

O mundo continuará para eles.
Lembrem-se do que havia sido dito por SRI AUROBINDO, quando ele era São João, no Apocalipse: «um será retirado no campo, e o outro, será deixado».

Vocês creem que é uma visão do espírito ou que é um julgamento?
Não, lembrem-se de que os Anjos do Senhor não os veem, porque vocês estão no escuro.

Nós, nós somos a Luz.
Então, é claro, quando eles se colocarem nesta Dimensão, inteiramente, eles vão localizar aqueles que estão na Luz, eles não verão aqueles que estão na sombra. Portanto, se vocês vibram, dentro do confinamento Dimensional, nós não podemos vê-los.

Em contrapartida, vocês verão a Luz, no momento final.
É o face a face.

É a Promessa e o Juramento, como dizia a Fonte.
Tudo isso, vocês vivem nesse momento, ou não o vivem.
Portanto, vocês não têm que torturar a cabeça, ou torturar o coração.
Ou vocês o vivem, ou não o vivem. E, se não o vivem, tudo está bem também, porque é, muito precisamente, que vocês escolheram.

Então, ainda que a personalidade conteste e diga: «não é justo, eu também quero ir à Luz», mas vocês irão à sua própria Luz, aquela que lhes corresponde mais, quando o momento coletivo vier.

Nesse momento, o momento individual reforça-se, dia a dia, e isso é responsável, por vezes, pela impressão que vocês têm, os que Vibram, de não mais estar aí, estar, inteiramente, na Luz.

Então, é claro, logo que a personalidade retorna, vocês vão dizer: «mas que vão tornar-se meus filhos, que vai tornar-se isto, que vai tornar-se aquilo, como vou pagar o meu crédito?». Mas como vocês querem subir na Luz se permanecem numa vida chamada da personalidade?

Há muitos ensinamentos, entre aspas, que querem fazê-los crer que vão permanecer nesta Dimensão. Mas, é claro, não nos batemos com essas pessoas, porque vocês recebem a Vibração, os ensinamentos, que correspondem, nesse momento, muito precisamente ao que vocês são. E, se o que lhes digo, não Vibra, e se a minha Presença não Vibra com vocês, é que vocês não são referidos.

Simplesmente.
Cada um tem um destino que lhe é próprio.
E disso, vocês vão conscientizar-se pela Vibração, cada vez mais.
Não pode existir Consciência Unificada sem percepção, clara, nítida e precisa do Fogo do Coração.

É impossível.
Então, é claro, há seres que vão fazer-lhes grandes discursos, dizendo-lhe que o Si e a Unidade, é quando se tomou consciência do Si e da Unidade.

Mas isso não é suficiente.
Olhem a vida dessas pessoas.

Elas saem desse corpo?
Elas saem desse confinamento?
Elas saem na Unidade, na Existência?
Não, geralmente, elas estão no astral, elas perambulam em planos intermédios e são persuadidas de terem chegado à Luz, mas, obviamente, não têm a Vibração e não têm a Alegria.

Elas têm, talvez, pequenos prazeres.
Têm, talvez, emoções, e isso poderia aparentar-se à Alegria.
Mas vocês sabem, pertinentemente, que os que vivem a Vibração estão numa Alegria que nada tem a ver com um pequeno prazer. E que, quanto mais vocês vivem a Vibração, mais o que chamam a vida, na acepção dessa Dimensão, aparece-lhes como cada vez mais afastada de vocês. Não é uma demissão da vida, é totalmente o inverso, é uma integração da Luz.

Aí está o que eu tinha a dizer porque, uns e outros, quer serão confrontados com essa evidência, quer vão vibrá-la cada vez mais, quer vão entrar em oposição, cada vez mais violenta, com esse princípio da Ascensão, tal como se desenrola.

É normal: se vocês não são referidos por um processo, para vocês, ele é falso. Portanto, vocês vão dizer: «não é verdadeiro».

E os que o vivem vão responder: «mas é verdadeiro».
É um diálogo de surdos-mudos.

Vocês não têm meio algum para entender-se, nesse nível.
Apenas progredindo em suas certezas (quer da personalidade, quer no estado Vibratório), é que chegarão a Ser e, portanto (como dissemos), conseguirão multiplicar essa Luz, e fazer de modo que o momento final coletivo aproxime-se, cada vez mais, pela Merkabah interdimensional coletiva, de todos os humanos, mas, também da Terra.

Tomem consciência de que tudo é gerido pela Luz Vibral.
E de que tudo se desenrola e decorre da Luz Vibral e de nada mais.
Enquanto vocês afirmam a Luz, assim, vocês não vivem a Luz: é uma afirmação mental.

Então, é claro, há os que terão a pequena bicicleta que vai girar sem parar, porque, como não vivem a Vibração, vão dizer-se: «mas não vivo, nada vivo, nada sinto. O que isso quer dizer?».

Isso nada quer dizer.
Continuem a viver como de hábito.
Nós lhes demos muitos ensinamentos, os Anciões em especial, sobre yoga da Unidade, sobre as Vibrações das Estrelas.

Então, certamente, aquele que não Vibra as Estrelas da cabeça, ele vai dizer: «isso não existe».

Para ele.
Mas esse campo de ressonância Vibratória existe já há numerosos anos.
Aqueles que o vivem sabem disso, uma vez que é a Verdade deles.

Mas não façam de sua Verdade a Verdade da humanidade.
A Verdade da humanidade é o planeta grelha coletivo e os mecanismos de estase, dos quais vocês não sabem em qual ordem eles vão arranjar-se porque isso virá como um ladrão na noite, por uma noite de grande frio.

É tudo o que posso dizer.
Aí está o que tinha a esclarecer porque, cada vez mais, o que vai tornar-se importante, é a Vibração. Então, alguns de meus colegas vão dar-lhes, nos dias que vêm, nas semanas que vêm, elementos que não são destinados de fazer girar o mental, mas, bem mais, a conscientizá-los, mesmo através de sua vida, de conceitos como, por exemplo, a Transparência, que será desenvolvida, talvez, daqui a pouco, por IRMÃO K.

Porque há duas Transparências, há duas personalidades, que são transparentes.

Elas estão em acordo com elas mesmas.
Elas se conduzem bem.

Não fazem atos repreensíveis.
Elas têm uma família que amam.
Elas estão num amor da personalidade e é direito delas, o mais estrito.
Será, contudo, que elas são transparentes à Luz?

Se vocês são transparentes à Luz, o que acontece?
Vocês Vibram à Luz.

Caso contrário, vocês continuam na personalidade.
Então, tudo isso vai necessitar de algumas explicações, mas, eu repito, é necessário ir para além da explicação das palavras e dos conceitos, mas viver disso a quintessência, porque pensamos que, após ter-lhes dado todos os circuitos Vibratórios dos novos corpos, as frequências Metatrônicas, as Coroas Radiantes, as Portas da Luz ao nível do corpo (ndr: ver a rubrica «protocolos a praticar»), para fazê-los viver nesse corpo (porque não há Luz se isso não se realiza nesse corpo, no qual vocês estão encarnados), naquele momento, vocês poderão, não refletir, mas, talvez, assimilar, ainda mais, o que temos a dar-lhes, uns e outros.

Aí está, essa era a minha pequena palavra de introdução e eu lhes dou, agora, a palavra para, para seus questionamentos.

Eu os escuto e agradeço-lhes por terem me escutado.


Questão: qual é o Arcanjo que dirige Plutão?

Qual é o interesse dessa questão?
A resposta é muito simples, caro amigo.
O conhecimento Interior não é o conhecimento exterior.
Esse gênero de questão, estritamente, nada lhe aportará para viver a Unidade.

Mesmo se eu lhe diga que é Tartempion, o que isso vai mudar em sua vida?
Aliás, talvez, o Arcanjo Tartempion exista.

Como eu disse, em diferentes momentos e, sobretudo, nos lugares em que intervenho publicamente, hoje, sobretudo hoje, vocês não estão mais há dois anos, ou há quatro anos: vocês estão em mecanismos extremamente intensos.

Então, saber que o Arcanjo, por exemplo, ANAEL, governa Vênus, que Plutão é governado por tal Arcanjo não fará, absolutamente, progredir sua Vibração.
Isso fará progredir o quê?

O intelecto e o conhecimento exterior.
Eu o remeto a todos os ensinamentos do Arcanjo JOFIEL, que remontam há três anos (ndr: ver a rubrica «mensagens a ler»).

Querer prosseguir nos mecanismos da compreensão exterior é uma projeção.
E a projeção afasta-o do Coração.

É tão simples assim.
Você não pode viver o Coração enquanto interessa-se por esse gênero de coisas.

Hoje, vocês não têm mais tempo ou, então, é necessário permanecer na personalidade.

Mas não conte comigo para dar esse gênero de resposta.


Questão: como fazer quando se é parasitado por entidades e como se proteger disso?

Primeiro, as entidades, vai querer dizer o que?
Elas não existem e manifestar-se-ão a você porque você lhes deu sua Atenção e sua Intenção.

É muito mais diferente agir contra entidades (fazendo uma liberação, um exorcismo, pouco importam os nomes que empregue) porque, se você se devota a isso, você permanece na dualidade e na personalidade.

Eleve sua Vibração para a Unidade e para o Coração.
No Coração não há qualquer entidade.

Isso pertence ao mundo astral e remete-o a você mesmo, ou seja, às suas próprias emoções, às suas próprias perturbações.

O único lugar no qual não existem perturbações nem entidades é o Coração. É claro, vocês têm, todos, quando são sensíveis à energia, vivido ataques, ondas negativas, ondas nocivas. Mas, se vocês levam sua consciência a isso, o que isso quer dizer?

Isso quer dizer que vocês permanecem ao nível de Ação/Reação.
Como fazer para desembaraçar-me disso, daquilo?

Subam na Vibração, e as entidades não poderão mais penetrar nenhum lugar.
Então, abrir-se-á o Canal Mariano, do lado esquerdo e, naquele momento, as entidades, vocês as olharão passar, rindo, e não mais estando no temor.

Existem, é claro, cristais que permitem proteger.
Existem rituais de exorcismos.

Mas vocês não estão mais nesses jogos.
Vocês querem Vibrar ou vocês querem permanecer na não Vibração?
Se vocês Vibram e se a Coroa Radiante do Coração Vibra, nenhuma entidade pode o que quer que seja contra vocês.

É sua Atenção e sua Intenção, e suas próprias falhas Interiores que permitem esse gênero de manifestação.
Nada mais.

Enquanto vocês concebem que existe algo de exterior a vocês, vocês estão na dualidade.

É inexorável, inevitável e implacável.
E, isso, vocês vão tomar, como eu dizia, cada vez mais, em pleno rosto.
Não é uma punição.

É o que se chama a lei de Atração e de Ressonância.
Se se manifesta a vocês uma problemática, o que isso quer dizer?
Hoje, vocês não estão mais nos tempos em que ainda era necessário, como há alguns meses, aceitar ver as problemáticas e deixá-las, pela Inteligência da Luz, dissolver-se.

Hoje, é muito mais importante do que isso.
São vocês que decidem, em sua consciência.

Onde vocês se colocam?
Não é mais como nos tempos passados ou no tempo em que eu era vivo (quando, nessa encarnação, era-se obrigado a lutar contra).

O princípio da Unidade é, justa e exatamente, o oposto disso.
É o oposto de querer saber isso ou aquilo, ou como desembaraçar-se de tal entidade, porque nada há a desembaraçar.

Como os Arcanjos disseram, eles estão, todos, e nós estamos, todos, no Interior de vocês. Enquanto sua consciência é projetada ao exterior, ela não está no Interior, é tão simples assim. Mas, se vocês vão ao Interior, vocês vão se aperceber de que o Interior e o exterior não existem mais, tanto um como o outro.

Naquele momento, vocês vivem o Si e a Unidade.
Vocês creem que IRMÃO K, que UM AMIGO tenham sido em seu estado Vibratório, mesmo à época, atacados pelo diabo?

Isso nada quer dizer.
Para mim, era diferente, porque, em minha vida, eu tinha uma função nesse país, que era um pouco diferente.

Portanto, sim, em minha vida, eu tive que lutar contra, é claro.
Mas vocês não estão mais nesse estado.

As Vibrações da humanidade (e, aí, eu falo, coletivamente), mesmo se vocês não Vibram são, de longe, muito mais elevadas do que era o caso nos anos 80, porque, desde 1984, o Espírito Santo desceu.

Houve os Casamentos Celestes: a quantidade de Luz e a densidade de Luz são cada vez mais intensas, cada vez mais presentes. Mas, é claro, se vocês se desviam da Luz, vocês permanecem nos mundos de funcionamento usuais da terceira Dimensão e não estão em acordo com a Inteligência da Luz.
Então, é claro, vocês vão me responder: «sim, mas eu vivo a Luz quando fecho os olhos».

Qual Luz?
Vocês não podem trapacear com a Consciência.
Vocês estão na Alegria ou não estão na Alegria.
Vocês estão no Fogo do Coração ou não estão no Fogo do Coração.

Por mais que vocês aclamem que estão da Unidade disso, daquilo, na adesão a isso, àquilo, mas, aderir a isso, àquilo não é viver isso.
Vocês devem ir ao essencial, agora, vocês não têm mais o tempo para tergiversar.

Vocês não têm mais o tempo para colocarem-se questões exteriores: «como posso fazer para eliminar uma entidade ou como posso resolver tal problema?».

Porque, se há um problema, é, justamente, porque não há suficiente Luz porque, se vocês estão na Luz, não há mais problema.

Lembrem-se: onde vocês põem a Atenção e a Intenção, a Luz segue.
Em contrapartida, se vocês querem utilizar a Luz por sua vontade pessoal, dizendo: «vou enviar a Luz a alguém», vocês estão na Ação/Reação e, aí, vocês pagarão o preço.

Vocês não estão na Transparência, vocês não estão na Comunhão e não estão no Abandono à Luz.

Cabe a vocês saber onde vocês querem ir e, sobretudo, o que vocês querem ser.

Minhas palavras são, talvez, um pouco duras, mas a Luz será cada vez mais penetrante. Portanto, ou vocês se tornam Luz, ou vocês vão, como dizer..., viver as resistências à Luz.

Eu os remeto ao que havia dito IRMÃO K, há alguns meses, sobre o fogo elétrico do corpo (fogo Prometeico ou Luciferiano) e o Fogo do Espírito.
É a mesma Luz que penetra, agora. Mas, conforme ela é dirigida, entre aspas, o efeito será, estritamente, ao oposto, ou seja, as coisas vão estourar à sua consciência, de maneira cada vez mais violenta, não como uma punição (não há punição com a Luz, não há dualidade): há apenas as necessidades de iluminar, de maneira mais cruel e mais crua, eu diria. Mas o que é cruel é para a personalidade, não é para a Luz, é claro.

Tudo depende do ponto de vista.


Questão: todo o mundo Vibra, qualquer que seja a intensidade dessa Vibração?

Não existe vida e Consciência sem Vibração, mas vocês bem podem imaginar que, se eu falo de Vibração, é que a Vibração que vocês percebem é de uma gama de frequência, se se pode dizer assim, que é amplamente superior ao que era observável nesta Dimensão.

Perguntem a um radiestesista, que mede as Vibrações da Terra, do Sistema Solar, de um ser humano, de um órgão.

É claro que tudo é Vibração, mas, se nós falamos de Luz Vibral, é, efetivamente, para significar que a Luz é percebida sob forma de Vibrações e não de energia, porque, como foi dito, a energia circula.

É uma emoção, é da energia etérea e, como dizia SRI AUROBINDO: a Luz é Supramental.

Isso nada tem a ver com o prana, absolutamente nada.
Jamais o prana transformar-se-á em Supramental.

É impossível.
É um agenciamento totalmente diferente da Luz.
Ora, é claro, mesmo um átomo Vibra.

Tudo Vibra.
Tudo é Vibração.
Mas será que isso basta para dizer que vocês Vibram?

Não.
Vocês Vibram se têm consciência de que Vibram.
Até prova em contrário, vocês não sentem a Vibração de seu fígado, exceto quando ele se torna doente, não é?

Ou seja, quando ele se torna anormal.
É a diferença com a normalidade que faz a diferença, e é exatamente o mesmo processo para a Luz Vibral.

Como vocês podem dizer que têm o Coração aberto se o Coração não Vibra?

Vocês têm o Coração aberto na cabeça.
Então, vocês aceitaram crenças, aceitaram isso ou aquilo, vocês se comportam bem na vida, porque creem que há leis de evolução, que há leis que os fazem dizer que, se vocês fazem o bem, vocês colherão o bem. Mas isso – que foi desenvolvido, longamente – é uma visão extremamente limitada da Vibração, ligada ao confinamento.

O que está confinado não é a Vida.
Quando vocês veem as árvores, quando vocês veem os pássaros, eles evoluem de acordo com o programa de vida deles.

Eles têm o próprio programa de vida.
Eles são religados à Fonte.

De modo limitado, mas estão religados.
Portanto, tudo Vibra, no Universo.

Mas, quando eu falo de Luz Vibral, é uma Luz que é percebida por uma Vibração que faz que esse estado seja, não normal, mas diferente da normalidade usual do ser humano.

Portanto, dizer: «estar no Coração», nada quer dizer.
Vibrar o Coração, ter o Fogo do Coração é estar na Unidade.

E não é uma visão do espírito.
É claro, isso continuará uma visão do espírito para aquele que não o vive.

É o que eu tentei exprimir na primeira parte.


Questão: quais são as conclusões do Conclave que se realizou no lago Titicaca, em 11.11?

Então, primeiro, não sei o que isso quer dizer: 11.11.
Isso é ainda uma convenção humana.

Os humanos são muito fãs de numerologia e persuadidos de que tal dia, quando isso se reproduz, vai acontecer algo.

Necessariamente, acontecerá algo: se há milhões de Irmãos e de Irmãs que pensam que naquele dia vai acontecer algo, eles vão criar algo. Mas isso não quer dizer, contudo, que foi o Conclave que decidiu o 11.11.

Vocês veem a nuance?
Jamais houve Conclave em 11.11.
É uma visão do ser humano.

Houve uma intervenção de MIGUEL, ao nível Vibratório, nas não foi em 11.11, justamente.

Há datas.
As datas são ligadas, por exemplo, às primeiras efusões do Espírito Santo (em agosto de 1984).

Há encontros Vibratórios.
Mas querer fazer um encontro em 10.10.10, 11.11.11, 12.12.12, 13.13.13, pode-se ir muito longe com isso, mas vocês ainda estarão aí, pedalando.

Agora, por que vocês querem que um Arcanjo crie o 11.11.11?
Se vocês põem seres humanos, por exemplo, num lugar, e eles vão reunir-se, quotidianamente, para orar por tal ser ou tal consciência (e eles fazem isso durante anos, durante dezenas de anos, mesmo alguns meses), mas é claro que haverá a energia no lugar.

Será que isso quer dizer, contudo, que é real?
Agora, que seres humanos tenham conseguido federar, através de uma data, um processo Vibratório, isso, eu não duvido um segundo.

Mas é de seu ponto de vista, não do nosso.
E eu serei gentil: os encontros Vibratórios serão cada vez mais perceptíveis, pela Vibração, se vocês a vivem. Mas, se vocês não a vivem, isso será cada vez mais perceptível no céu, ou seja, ao nível das Partículas Adamantinas, que vocês podem ver ao cair da noite, mas, também, para aqueles que se interessam por isso, às modificações, extremamente importantes, que vive o Sol e todos os planetas, aliás, do Sistema Solar.

Lembrem-se, também, do que dizia IRMÃO K: enquanto vocês creem em algo de exterior, vocês não estão na Verdade.

O ser humano na personalidade encontra, sempre, todos os meios para afastar-se da Vibração do Coração, porque a Vibração do Coração significa a morte da personalidade.

Aqueles que vibram o Coração não têm necessidade de esperar o 11.11.11.
Eles não têm mais necessidade, tampouco, de esperar, agora, 19 horas (ndr: ver a rubrica «protocolos a praticar / protocolos prioritários»), uma vez que esses seres já saíram da matriz temporal ou da matriz corporal, também, por vezes.

Eles não estão mais limitados a esse corpo.
Isso é a experiência da Unidade.

Não é uma adesão a um conhecimento esotérico, qualquer que seja.
O problema é que a personalidade vai, sempre, crer que, quanto mais ela conhece coisas, mais ela se aproxima da Unidade.
Nada há de mais falso.

Enquanto vocês estão numa projeção exterior, vocês se afastam, sistematicamente, do Coração.

Viver o Coração é ir ao Coração, é cruzar a Porta Estreita, é abandonar-se, renunciar, viver a Transparência e perceber a Vibração do Coração, realmente, concretamente, e não como algo de projetado ao exterior da consciência.

Aqueles que vivem a Comunhão, tal como foi dado por ANAEL e outros, de Coração a Coração, vivem-na, realmente (ndr: ver a rubrica «protocolos a praticar»).

A Comunhão da Consciência é uma realidade.
É uma realidade para aqueles que a vivem.

De qualquer modo, é muito simples: se vocês querem saber onde estão, hoje, é claro, há a Vibração. E, se vocês não Vibram, é ainda mais simples, eu diria: vocês estão na Alegria ou não estão na Alegria?

O Coração é a Alegria.
Então, há quem vá responder: «sim, mas olhem o sofrimento desse mundo».
Então, naquele momento, eu responderia: «O que é que vocês vão fazer para o sofrimento? Aportar a Luz?».

Vocês entram na reação.
É o que querem aqueles que dirigem a matriz: que vocês nutram a matriz.

O que é que vocês querem nutrir?
A personalidade, a matriz, ou nutrir a Existência?
É profundamente diferente como implicação, ao nível de sua evolução.

Como foi dito, haverá muito numerosos ranger de dentes, mas o que é que podemos ali?

Não há qualquer obstáculo à Vibração, a não ser vocês mesmos, hoje, porque a dose de Luz que se derrama, quotidianamente, a cada minuto, a cada segundo, sobre a Terra, é monumental.

E, a cada dia, ela é cumulativa.
É claro, aquele que está voltado, demasiadamente, ao exterior, não pode vivê-la.

É lógico.
E o conhecimento esotérico é exterior.
Não é o conhecimento do Coração.

Jamais.
E ele não o será, jamais.


Questão: estar num corpo físico, para aceder à Vibração do Coração, é uma necessidade para a Liberação do homem?

Ah sim, e caro amigo, você faz o que todos aqueles que já morreram e que esperam do outro lado?

Eles a viverão no corpo astral.
O astral planetário está dissolvido, não o astral individual.
Portanto, eles não estão mais num corpo físico: o corpo etéreo é dissolvido após uma quarentena de dias, permanece seu corpo astral. Ora, o acesso à Luz necessita da dissolução, da Ressurreição, que é a destruição do corpo astral.

Portanto, quer se esteja num corpo físico, etéreo, astral, presente nesta Terra ou do outro lado, ou seja, na matriz astral, ou seja, desprovido de corpo físico: o processo ascensional é, estritamente, o mesmo. Mas é necessário estar presente no corpo no qual vocês estão, ou no corpo físico, se vocês estão vivos, como se diz, ou no corpo astral, se estão mortos.

Sim, é claro, a Consciência deve imprimir-se num corpo, uma vez que há Portas. Nós lhes demos as Portas em que se ancora a Luz, ao nível físico (ndr: ver a rubrica «protocolos a praticar»).

Ao nível astral, para aqueles que faleceram (como vocês dizem, desencarnados), há um corpo astral e há, também, Portas de Luz Vibral, as mesmas.


Questão: uma pessoa que não sente seu Coração Vibrar, pode viver a Alegria e a Ascensão?

Absolutamente não.
Ela pode viver o prazer ou a satisfação.
Ela pode viver certa forma de serenidade, que pode estar ligada a estados meditativos, por exemplo, no terceiro olho.

A Alegria é o Samadhi.
O Samadhi, até prova em contrário, não é, simplesmente, estar leve e animado.

É viver a Alegria da Unidade, a Alegria do Si.
Vocês terão uma intervenção sobre isso, muito mais específica do que a minha, sobre o Si, a Unidade e a Alegria (ndr: ver rubrica «mensagens a ler» deste dia).

Aí também, defronta-se com essa noção de palavras, porque a alegria, para um ser humano, será, por exemplo: tudo vai bem em sua vida, e ele está na alegria, porque ele é de boa natureza, de bons costumes, espontaneamente, e, portanto, essa pessoa não se coloca questão e, depois, evolui com certa forma de leveza.

A Alegria de que falo é a Vibração do Coração, que confere a Alegria.
O inverso não é verdadeiro.


Questão: como diferenciar uma comunicação de uma comunhão com uma presença?

Isso foi explicado, muito claramente, pelo Arcanjo ANAEL, eu creio.

A comunicação não é a Comunhão.
A comunicação é unidirecional e dirige-se à personalidade.

Vocês se comunicam.
Aí, nós nos comunicamos.
Eu o escuto e, após, você me escuta.
A Comunhão não é isso.

Agora, dizer sentir uma presença, qual presença vocês sentem?
Em qual estado vocês põem essa presença?

É uma presença astral – ligada às emoções, não necessariamente negativas – ou é uma presença Vibral?

Há cada vez mais seres, vocês veem isso bem ao seu redor, que percebem essas presenças, mas eles percebem o quê?

Se a presença que está ao seu lado abre o Coração, e faz Vibrar o Coração, eu digo que é uma verdadeira Presença.

Se essa presença, percebida pela energia, mesmo se ela lhes dê a impressão de arrepiar, se o Coração não se abre, digam adeus, qualquer que seja.

Há montes de seres humanos que são persuadidos de comunicar-se com o CRISTO, hoje, não é?

Mas eles estão em contato com formas astrais e não Vibrais.
É todo o problema de que temos falado, aliás, de canalizações, de channelings.

À época, isso se chamava o espiritismo.
É muito fácil entrar em contato e sentir um contato.

Sim, mas isso vem de onde?
Quem é que está na extremidade do fio?
Será que porque ele vai dizer-lhe: «olá, sou eu, o CRISTO», ele é o CRISTO?
Será que porque ele vai dizer-lhe palavras exatas, é o CRISTO?

Não.
O único modo de saber se é verdadeiro: o Coração Vibra e está em Fogo (ou não).

Se eu desço aqui e vocês sentem minha Presença (porque há os que a sentem), vocês sabem que isso Vibra no Coração.

Mas, agora, aqueles que estão na personalidade e na energia, no astral, vão dizer: «não sinto sua Presença, portanto, você não está aí».

Mas, é claro, é sempre similar, é uma gama de frequências.
A frequência da personalidade – ou a Vibração da personalidade –não é a Vibração da Unidade e da Existência. Portanto, a partir daí, cada um tem sua Verdade, mas que é função de sua própria capacidade de percepção, astral emocional, mesmo se, por vezes, o astral emocional possa ser muito elevado, mas o astral é apenas um reflexo, ele não é a Verdade.
Ele pertence, do mesmo modo, à ilusão.

E vocês não podem enganar-se.
Isso foi dito na semana passada, porque, quando vocês vivem a Vibração, não há mais questão.

Não há mais mental.
Não há mais emoção.

Há o Si.
E o Si não é um conceito intelectual, é um estado da Consciência.

E vocês terão explicações sobre isso, talvez, um pouco mais aprofundadas do que as minhas. Mas, enquanto vocês não vivem o Si, digam adeus a todas essas presenças.

São apenas representações e projeções, sejam elas reais, no plano astral. A Luz Vibral, um Ser Multidimensional não se aproximará de vocês se vocês não tiverem aberto alguns canais.

E esses canais, eles são conhecidos: é o Canal do Éter, é a Coroa Radiante da Cabeça, é a Coroa Radiante do Coração. Mas se o ser que se manifesta a vocês dá arrepios, dá uma emoção, isso passa pelo plexo solar, isso não passa pelo Coração (caso contrário, vocês sentiriam o Coração).

Como é que o CRISTO poderia estar ao seu lado, sem que haja essa queimadura inacreditável do Coração (que aqueles que, realmente, a viveram sabem, pertinentemente)?

Quando o CRISTO fulmina-os, vocês não se colocam a questão de saber quem é.

Não há mais questão alguma.
Quando MIGUEL perfura-os com sua espada, vocês não se colocam a questão de saber de qual cor é a espada.

Vocês vivem o Fogo do Coração: um Amor que consome tudo, como o descreveram, é claro, em todas as tradições, todos aqueles que o viveram.
Não é uma ilusão, não é uma visão do espírito.

É uma realidade.
Mas uma realidade que não pertence nem ao mundo das representações da humanidade, nem ao mundo das crenças, nem ao mundo das emoções.

Portanto, vocês devem desembaraçar-se de todos os salvadores exteriores, de todas as crenças exteriores.

A Luz está aí, onipresente.
E ela não tem necessidade de intermediários.

Enquanto vocês creem que são tributários de um intermediário, bem, vocês se fizeram enganar.

Mas é assim que se progride.
Simplesmente, hoje, a quantidade de Luz é tal que nada há a fazer que não ser a Luz.

Portanto, estejam em contato com o Si.
E o Si é o Fogo do Coração.

É uma Vibração real, não é um mecanismo intelectual.
É um estado, um estado de ser, que se traduz pelo Samadhi.

Aqueles que o viveram sabem que o viveram.
Eles não se colocam a questão de saber se viveram o Samadhi, porque eles o viveram.

E vocês não podem enganar a Consciência Unitária.
Aqueles que viveram um reencontro fulminante, total, com o CRISTO, com MIGUEL, com METATRON, não podem ser enganados por uma entidade astral, nem por uma crença, nem por uma projeção.

Nós não estamos no mesmo nível de Vibrações, é claro.


Questão: quando se vive um espaço de Comunhão, uma Vibração sentida na cabeça ou no Coração, pode ser considerada como um aviso de recepção?

Inteiramente.
É o próprio princípio da Comunhão.

Enquanto vocês dizem: «eu vivo a Comunhão», mas nada sentem, não é a Comunhão.


Questão: dores fulgurantes ao nível da porta KI-RIS-TI faz parte dos processos?

Inteiramente, sim.
É necessário, efetivamente, que MIGUEL plante sua espada em algum lugar, e METATRON também.

É a ruptura do Coração, ou seja, do envelope do Coração, que mantinha o Coração confinado ; o pericárdio, está sendo rasgado. Ele é rasgado, pelo impulso Metatrônico, ao nível do ponto KI-RIS-TI das costas, o que dá, efetivamente, para alguns, dores extremamente vivas, ou nas vértebras, ou mais lateralmente.

São as asas da borboleta que rasgam o corpo da lagarta.
São mecanismos Vibratórios, perfeitamente reais e vividos.


Não temos mais perguntas, agradecemos.

Então, caros amigos, eu lhes transmito todas as minhas bênçãos e, além disso, vivamos um espaço de Comunhão.

E eu lhes dito até muito em breve, e todo o meu Amor acompanhe-os e, sobretudo, todo o Fogo.

Vamos.


... Efusão Vibratória / Comunhão...




________________________________
Compartilhamos essas informações em toda sua transparência. Agradecemos em fazer o mesmo, se as divulgarem, reproduzindo integralmente este texto e informando sua fonte: www.autresdimensions.com
Versão do francês para o português: Célia G. - http://leiturasdaluz.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário