quarta-feira, 13 de julho de 2011

ANAEL - 13 de julho de 2011 - Autres Dimensions





13 de julho de 2011.

Mensagem publicada em 15 de julho, pelo site AUTRES DIMENSIONS.



Questão: apesar de uma terapia, emoções antigas surgem agora.

Bem amado, assim como foi explicado, muito bem, por alguns Anciões (que os acompanham durante este período), é indispensável compreender que, quando a Luz revela-se, ela vai revelar as últimas Sombras (os últimos medos) inscritas na personalidade e no corpo de desejo.

O corpo de desejo exprimir-se-á, sempre, através das emoções e do mental.

Assim, portanto, a ação da Luz vem desalojar, literalmente, o que ainda está emboscado e escondido nas forças de atração e de visão, chamadas Ahrimanianas e Luciferianas.

A manifestação de uma emoção, qualquer que seja, quando de um trabalho de revelação da Luz, assinala, simplesmente, que essa Sombra é desmascarada.

É necessário, portanto, ir até o extremo do que é vivido, não para bloqueá-lo, porque isso voltará a esconder-se nessas funções Vibratórias e impedirá a revelação das Portas, em particular no que concerne às emoções (que são, geralmente, ligadas ao órgão do fígado ou à Porta da Visão, que é religada, diretamente, ao plexo solar).

Quando a Luz penetra nesses espaços, ela desencadeia um fenômeno de evacuação total da Sombra, que pode tomar esse aspecto ou outro aspecto, aquele de uma fuga.

Seja como for, é necessário fazer face, não para ser confrontado, não para entrar numa Dualidade, mas, efetivamente, para viver o efeito e a ação da Luz, inteiramente, no corpo de desejo.

Não pode haver realização da Existência e de acesso à Existência enquanto o conjunto do corpo de desejo não é crucificado no altar do Cristo.


Questão: sentir abalos do corpo, na meditação, releva do mesmo processo?

Inteiramente.
O corpo de desejo é constituído do corpo físico, da personalidade, do que é chamado o corpo egoico de base ou, ainda, esse fogo elétrico, alojado no fígado ou o fogo de atração, alojado no baço.

O conjunto desses dois fogos são os fogos que vêm opor-se ao estabelecimento da Luz.

Assim, o Guardião do Limiar manifesta-se por esses diferentes modos.
Alguns de vocês viveram esse processo, pela ignição do Coração (já há numerosos meses ou poucos anos).

Hoje, resta desalojar as últimas zonas de Sombras, não para fazê-las suas, mas para olhá-las como tais, porque elas não são vocês.

Existe, portanto, por intermédio da ação da Luz Vibral em vocês, pelo Abandono à Luz, a capacidade real de superar esses estados intermediários que vinham, até o presente, opor-se ao seu estabelecimento na Existência.


Questão: você pode iluminar-nos sobre o funcionamento da alma, sua relação ao fígado e como se determina sua polaridade para o corpo de desejo ou para o Espírito?

Bem amado, naquele momento, eu o remeto ao conjunto de obras que falaram da alma de modo extensivo.
Inúmeros ensinamentos Luciferianos foram estruturados nesse conhecimento da alma.

Qual é o interesse, hoje, de portar sua Consciência sobre a alma, uma vez que ela deve ser queimada pelo Fogo do Espírito?

Conhecer a alma não permite, jamais, aceder ao Espírito.
O princípio da Ilusão Luciferiana situa-se nesse nível: conhecimento exterior, conhecimento das engrenagens e dos mecanismos de funcionamento da alma, perfeitamente compreendidos e elucidados pelas forças Luciferianas.

Assim, falar-lhe disso voltaria a afastá-lo de seu próprio Espírito.


Questão: fui acompanhado, toda a minha vida, por uma Presença sutil. Ela era de origem astral?

Bem amado, o conjunto de acompanhamentos, que muitos de vocês viveram até o presente, foram chamados, por NO EYES (sem qualquer noção pejorativa ou negativa) seus próprios Daïmons, ligados à ação da alma nas forças Luciferianas.

A chegada da Luz Vibral (e a precipitação da Luz Vibral em suas estruturas individuais e coletivas) põe fim a todas essas formas de Ilusões, a fim de permitir-lhes entrar sob a orientação do Espírito puro, que nada mais tem mesmo a ver com minha Presença ou com a de outro Arcanjo.

Vocês redescobrem, inteiramente, a Autonomia e a Liberdade.
Na Autonomia e na Liberdade, os Arcanjos estão em vocês; a Fonte está em vocês.

Não lhes resta mais do que manifestá-los.
Não pode mais existir, naquele momento, qualquer entidade chamada exterior porque, como, reencontrando a Unidade e a Existência, poderia ser possível diferenciar o Si de outro Si, fosse ele um Arcanjo ou fosse ele a Fonte?

Assim, nós lhes dissemos, progressivamente e à medida dos meses, que nós aproximaríamos nossa Vibração de vocês.

Essa aproximação (e essas aproximações) são, efetivamente, aproximações Vibratórias, que conduzem a que?

A uma Comunhão, a uma Presença, a uma Fusão.
O que vocês assistem é exatamente isso.

É o que vocês vivem, nesse momento.
Cada um, é claro, segundo seu próprio calendário, mas, em todo caso, inscrito nesses tempos específicos que vocês são chamados a revelar, a desvendar, a aceitar, a integrar, a manifestar e, enfim, a viver, a fim de permitir-lhes, se tal é sua Vibração, sair, em toda Consciência, dessa separação.

Mesmo as forças de resistência desempenharam, de alguma forma, o papel delas, para permitir a vocês, hoje, viver sua própria Liberação.

Foi chamada a «consumação do consumo».


Questão: o que é que faz com que se possa recusar a Luz?

Bem amada, em relação ao Amor Vibral (ou à Luz Vibral), existem apenas dois estados: o medo ou o Abandono; o medo ou o Amor.

Assim, portanto, em ressonância com o que vocês são chamados a viver, nesse momento, quando da revelação da Luz, o único obstáculo será, sempre, vocês mesmos, em seu ego, em sua identificação a esse corpo, a essa personalidade, aos seus desejos, quaisquer que sejam.

O Abandono à Luz (assim como eu o defini e redefini) será, sempre, essa crucificação na qual vocês aceitam morrer a si mesmos.

O ego vai fazê-los crer que é uma morte física.
Não é questão de morte física.

É questão de Ressurreição em seu Corpo Espiritual.
A morte do corpo físico é apenas a morte da Ilusão em vocês.

É isso que é necessário superar pelo Abandono.
Vocês não têm meio algum (nesse corpo de desejo) de lutar contra o desejo e, isso, vocês veem exprimir-se em toda a sua vida, em relação às privações afetivas, em relação às condutas viciosas.

E, quaisquer que sejam os elementos existentes em suas vidas, cada um de vocês pôde observar, por si mesmo, os comportamentos vindos desses vícios, o fato de não poder lutar por si mesmo contra um medo.

Vocês podem, efetivamente, derivar alguns medos (pela ocupação em outra coisa), derivando, efetivamente, a polarização da Consciência nesse medo e substituí-la, ou por uma evasão, ou por um desafio a si mesmos para transcender esse próprio medo.

Mas não é porque vocês decidem compreender por que vocês têm uma vertigem que a vertigem vai desaparecer.

Não é porque vocês dão um salto de elástico que vocês vão fazer desaparecer, realmente, a vertigem.
Vocês vão, simplesmente, dominá-la, mas, dominando-a, vocês não a transcendem.


Questão: quando dou energia a alguém, meus dedos ficam com formigamentos e dolorosos.

Bem amada, a transmissão da Luz Vibral, quando ela os atravessa, pode dar certo número de manifestações de Fogo.

Isso não pode ser evitado, porque corresponde ao seu modo de viver isso, de momento.

O melhor modo, aí também, é Abandonar-se, inteiramente, ao que acontece, a fim de não se identificar a essa dor, e ela passará, necessariamente.

Lembrem-se de que a Luz Vibral, em seus últimos desenvolvimentos (tais como vocês os vivem), vai confrontá-los às últimas Sombras, porque, até o presente, a maior parte de vocês viveu estados de Samadhi em relação com o alinhamento das três Lareiras, mesmo quando estas estavam, inteiramente, abertas.

Mas vocês não haviam ainda passado, pela terceira vez, essa Porta da Ressurreição, ligada à transcendência total das forças Ahrimanianas e Luciferianas que são, obviamente, inscritas em nenhum outro lugar que não em cada um de vocês.

Vocês, efetivamente, apreenderam que não existe qualquer demônio exterior.

Não existe qualquer diabo exterior.
Não existe qualquer deus exterior.
Tudo isso são apenas jogos existentes porque quiseram fazê-los crer nisso.

Obviamente, isso não remete em causa o próprio princípio do confinamento, mas o que se exprime através disso é, justamente, esse princípio de confinamento e o medo é o maior dos confinamentos.

Quando nós dizemos que, nos Mundos Unificados, o medo não pode existir (e ele não existe) é, simplesmente porque as leis de ação/reação, tais como vocês as vivem na alma e nesse corpo, não existem, absolutamente.

Assim, portanto, o conjunto de mecanismos que concorrem para viver o Abandono à Luz, seja nas primeiras fases dos Casamentos Celestes ou agora, nessa fase final, corresponde à transparência total.

É-lhes pedido desposar o princípio Crístico, a fim de tornar-se ele, ou seja, tornarem-se, vocês mesmos, essa Luz Branca totalmente ilimitada, não limitada pelo que quer que seja e que vive e prova apenas o estado de Amor permanente.

Assim, a manifestação, qualquer que seja, de uma resistência, assim chamada (ou de uma manifestação de dor e de emoção), traduzirá, sempre, naqueles momentos, algo que há a viver, a transcender e não a evitar, sobretudo neste período específico que se abre a vocês.


Questão: quando desse afluxo de Energia, eu devo mudar de posição ou parar?

Bem amada, nada há a parar.
Há, simplesmente, a transcender e a superar.

O que isso quer dizer?
A manifestação da Energia que se acumula sob essa forma, nesse lugar, significa que existe, ao nível de suas mãos, a vontade de estar, ainda, de algum modo, na mão, ou seja, na matriz.

A mão exprime o controle, assim como lhes foi explicado, por mim mesmo, concernente à «mão que tem» [le main tenant].

Assim, portanto, existe, em vocês, esse mesmo princípio.
Obviamente, o princípio de Yaldébahoth está inscrito na própria carne que vocês habitam, o que quer dizer (e o que significa e traduz, pela mesma ocasião) que a manifestação que se produz quando do afluxo da Luz, através de sua própria Presença, traduz, eu repito, um mecanismo interior que evoca tudo o que eu acabo de evocar, concernente às resistências no mental e no emocional.

Obviamente, a própria consciência, fragmentada, não tem a possibilidade de ver isso, em todo caso, ao nível da causa, e isso, estritamente, para nada serve.

A manifestação, qualquer que seja (seja um medo real, uma emoção ou o que quer que seja), necessita, simplesmente, uma transcendência de sua parte.

Assim, portanto, nada há a mudar.
Há, apenas, a atravessar e a transcender.
E isso é válido para cada ser humano, atualmente, que se encontre confrontado às últimas sombras a transcender.

Elas não necessitam, absolutamente, de um trabalho de análise ou de compreensão (o que seria um erro fundamental), mas, efetivamente, de deixar a Luz invadi-los, pouco a pouco.

É muito precisamente o que eu chamo, desde algum tempo, o Abandono à Luz.

A Luz é e será sempre muito mais inteligente do que seu ego.
A Luz é e será sempre muito mais eficiente do que sua inteligência.

Enquanto vocês não aceitarem isso, vocês não poderão viver a Luz, inteiramente, mas vocês estão nesse caminho.

Quando vocês aceitarem que a Luz aja, inteiramente, através de vocês (tanto em sua vida como no conjunto de exercícios que vocês efetuam aqui ou em tudo o que a vida os chama para serem confrontados no período atual) e vocês deixarem a Luz agir, então, tudo será maravilhoso, naquele momento.

Toda expressão que os levou ao olho de sua Consciência, nas circunstâncias do desenvolvimento da Luz atual, faz apenas remetê-los às zonas de Sombras existentes em sua vida, em sua Presença, que devem ser transmutadas pela própria Luz.

Vocês devem aceitar, contrariamente à vida habitual nessa Dimensão, que vocês não são mestres da revelação da Luz. Assim, portanto, se se manifesta o que quer que seja, mesmo se um estranho venha a esbofeteá-los, não é a toa.

Isso é muito difícil a aceitar para o ego, mas é a Verdade da Luz.
Todo elemento que sobrevém (em seu corpo, em sua vida, em suas emoções, em seu mental), atualmente, concorre para estabelecer a Inteligência da Luz em vocês, sem exceção alguma, qualquer que seja o aspecto que isso possa tomar no momento e, mesmo, por vezes, extremamente dolorosos, isso faz parte da revelação da Luz.


Questão: qual é a diferença entre dominar e transcender?

Dominar será, sempre, uma ação do ego, daquele que quer compreender, daquele que quer dirigir, daquele que vai mirar-se a si mesmo em sua própria Luz.

A transcendência é tornar-se a si mesmo Luz.
Naquele momento, vocês percebem, claramente, que é a Luz que age através de vocês, porque vocês se tornaram a Luz.

Naquele momento, tudo, absolutamente tudo em sua vida estabelecer-se-á sem dificuldade.

Tudo se tornará e se manifestará sob a ação (como foi dito) do Espírito Santo.

Vocês não podem conduzir-se a si mesmos e deixar conduzir a Luz.

É um ou o outro.
Isso lhes aparecerá, doravante, cada vez mais claramente, através de suas próprias manifestações nesse mundo no qual vocês ainda estão.

Ele havia dito: «Aquele que quiser salvar sua vida, perdê-la-á».


Questão: há momentos privilegiados para viver o Abandono?

Sim.
Prestem atenção ao que lhes disse NO EYES, concernente aos instantes e aos momentos em que o influxo da Luz Vibral revelar-se-á com força em vocês, através de suas percepções Vibratórias e através de uma forma do que eu chamaria uma ocultação da consciência comum, que os põe num estado que vocês poderiam chamar secundário.

Naquele momento, aproveitem desses instantes.
Esse é o Apelo da Luz.


Questão: naquele momento, basta, apenas, Abandonar-se, acolher?

É o único modo que pode existir de estar correto e de tornar-se perfeito na pureza da Luz, porque é nesses momentos que o corpo de desejo pode ser transmutado e ir para sua Transfiguração, sua Crucificação e sua Ressurreição.


Questão: a meditação é suficiente para constituir um Abandono à Luz?

Bem amado, tudo depende da alma que vive essa meditação, mas, de uma maneira geral, eu tenho, de qualquer forma, a esclarecer que a meditação, em si, é, apenas raramente, um Abandono à Luz.

O Abandono à Luz deve realizar-se em total consciência (que eu qualificaria de fragmentada e comum), por um ato consciente, lúcido e total de Abandono.

A meditação aproxima-os do Fogo do Coração e permite-lhes, para alguns de vocês, vivê-lo, mas não permite a Passagem da terceira Porta.

A Passagem da terceira Porta é um ato, eu repito, consciente e lúcido, inscrito no corpo de desejo e não num estado meditativo.

O processo o mais exato seria vislumbrar o que nós chamamos uma Elevação Vibratória (ou uma Subida Vibratória), porque a Consciência é Vibração, enquanto a meditação nem sempre é uma Vibração, mas permitirá, talvez, mais facilmente (nessas Elevações Vibratórias), aproximá-los dessa Porta Estreita e viver o Abandono à Luz, pela imersão completa na Vibração.

Nesse caso, sim, e, eu repito, nem todas as meditações são Subidas Vibratórias.

São estados de pacificação (mais ou menos naturais, mais ou menos forçados) de um estado emocional ou de um estado mental que, efetivamente, é uma etapa importante para aproximar-se de algo.

Mas, em caso algum, a Passagem pode ser feita na ocasião de uma meditação, mas, unicamente, quando de um momento de lucidez perfeita da consciência fragmentada.

Lembrem-se do princípio dos vasos comunicantes: vocês devem ser o menor possível nessa Dimensão, para ser a totalidade na Consciência Unificada.

Os dois não podem ir ao mesmo sentido.
É por isso que havia sido dito que será muito mais difícil a um rico (ou a alguém de poder ou àquele que não voltou a tornar-se uma criança) penetrar o Reino dos Céus, ou seja, o Reino da Unidade.

Lembrem-se: o mental é aquele que mente à alma (que mente a AL) e a emoção é o que os acorrenta, pela atração da alma, na personalidade.

É aí que se joga (enquanto a alma não está iluminada pelo Espírito) o conjunto de desejos e de impulsos que os conduzem a buscar, no exterior de vocês, uma compensação para o vazio da alma, voltada para o Espírito ou que faz vislumbrar processos de almas irmãs (de busca exterior afetiva e de completude no exterior) que, é claro, não poderão jamais ser satisfeitos.


Questão: como transcender as resistências? Abandonando-se? Atravessando-as?

Unicamente.
Toda conduta, chamada evasão, bem amada, vai afastá-la, ainda mais, desse momento de Abandono.
O Abandono, como eu disse, é um ato consciente de Abandono, que é um mecanismo Vibratório da própria Consciência.

Assim, portanto, para nada serve analisar as resistências, para nada serve delas compreender a fonte, dado que o conjunto dessas resistências tem, por resultante, apenas uma única palavra, que é o medo.


Questão: a que corresponde uma sensação entre o 8º Corpo e o chacra do Coração?

O 8º Corpo é o Corpo chamado Nascimento do Embrião Crístico, Passagem da Porta da Ressurreição ou Porta Estreita.

Essa Porta é guardada por Ahriman e Lúcifer, o fígado e o baço.
Assim, portanto, podem existir, é claro, emoções fortes que se manifestam por uma dor ao nível do 8º Corpo, mas o espaço entre o 8º Corpo e o chacra do Coração é muito restrito.

Bem amado, nenhuma emoção pode localizar-se no chacra do Coração.

Assim que exista um estado emocional, percebido na zona torácica, ela não pertence à Vibração do Coração, mas a uma transposição da emoção do plexo solar para o Coração.

O Coração pode ser a sede de um sentimento de vazio, no momento em que ele vai começar a preencher-se de Luz Vibral, que pode mesmo desencadear um estado de angústia terrível (ou mesmo de palpitações extremamente importantes), mas a própria emoção será, sempre, localizada em outro lugar que não o Coração.

Eu quero dizer, com isso, que você sente isso, provavelmente, ao nível do 8º Corpo com, efetivamente, uma irradiação possível para o alto.

Essa Porta é um lugar de Passagem e, como lugar de Passagem (de um estado de consciência para outro), ele pode manifestar-se, de modo doloroso, por uma Vibração.


Questão: que significa uma dor ao nível do fígado e do baço, que irradia para o 8º Corpo?

Bem amada, é preciso, efetivamente, compreender que, no corpo de desejo, a Vibração do baço e a Vibração do fígado (ao nível de seus centros de Energia) nutrem, de algum modo, o plexo solar.

Quando do basculamento do plexo solar para o Coração, a Vibração pode ser dolorosa, efetivamente, ao nível do que é chamada essa zona do fígado e do baço, que converge, efetivamente, ou para o plexo solar, ou para o 8º Corpo, traduzindo um movimento dos processos da Ressurreição.


Questão: usar sutiã com barbatanas em metal pode obstruir esse processo?

Bem amada, absolutamente não, na medida em que as Portas, mesmo se vocês as vivem nesse corpo, não estão nessa Dimensão.

Nenhum elemento dessa Dimensão, exceto você mesma, em suas emoções, seu mental ou seus afetos, seus medos, pode bloquear o que quer que seja.


Questão: como compreender mais precisamente minhas reações?

Bem amada, apenas o ego é que pode compreender, para apropriar-se.
No processo do Abandono à Luz, a vontade de compreensão afasta-os do Abandono à Luz.

Os medos não têm necessidade de ser identificados, mas passados e transcendidos. A explicação não fornecerá, jamais, um meio de Abandonar-se à Luz, mas reforçará, sempre, o ego.

Nos processos atuais que vocês estão vivendo, toda vontade de compreensão ou de apropriação do que está se produzindo traduzirá, sempre, a posição de seu ego.

Isso não é pejorativo, mas corresponde à estrita verdade.
Há um momento em que é necessário Abandonar-se e Abandonar-se é exatamente o inverso do compreender.

Não é porque vocês vão compreender ou apreender um mecanismo, nesse nível, que vocês vão aproximar-se desse Abandono.

Eu repito: é exatamente o inverso que se produzirá.
É necessário passar através, para transcender.
Portanto, nada há a fazer.
Há apenas a Ser.

Lembre-se de que a revelação da Luz deve conduzi-la a tomar uma forma de distância em relação à Consciência fragmentária.

Assim, portanto, eu repito, estritamente nada há a fazer.
Há apenas a deixar trabalhar a Inteligência da Luz em você.

Compreenda, efetivamente, que não é a Luz que bloqueia, assim como nós explicamos que não é a Luz a responsável pelo que vocês verão sobre a Terra, mas, efetivamente, as resistências à Luz ou as oposições à Luz.

O que acontece em você acontece em cada um e acontece, inteiramente, no que você pode observar sobre a Terra.


Questão: ser derrubado de sono quando de canalizações releva de uma forma de evasão?

Bem amada, parece-me que eu repeti o que havia dito NO EYES.

Aproveitem momentos de Luz, quando ela os põe num estado secundário.

Que dizer mais?
Progressivamente e à medida da revelação da Luz (e de nossa aproximação de sua consciência e de nossa aproximação comum), vocês viverão, cada vez mais, esse gênero de mecanismos e de fenômenos.

Como vocês querem passar à Luz e viver o Abandono à Luz se vocês a ela não se abandonam?

O processo que você vive é um pedido de Abandono à Luz.
Ele pode manifestar-se por um medo, uma resistência, por uma dor, por uma perturbação ou por um desejo de compreensão.

Assim, portanto, o fato de partir, mesmo no sono, no momento da intervenção, como você descreve, é um processo perfeitamente lógico, lógico para você, nesse espaço e nesse instante.


Questão: quando se tem um mental potente, não se tem, então, interesse em dormir durante as canalizações?

E bem, bem amada, você encontrou a melhor das soluções porque, efetivamente, quando você dorme, será que seu mental está aí?

Resposta: Não.

Isso faz, aliás, parte do que é chamado o segundo estado da Consciência, o estado de sono. E o estado de sono vai, necessariamente, manifestar menos resistência do que seu estado de vigília ao Abandono à Luz.

Vocês podem fazer a experiência, cada um, de massagear-se, simplesmente, com uma pressão forte no ponto ER da cabeça, onde a moleira posterior diminuiu.

Assim, massageando essa zona, vocês favorecerão, efetivamente, certa forma de Abandono à Luz e de sono.


Questão: qual é o limite entre controlar o mental e senti-lo soltar espontaneamente?

A diferença é essencial.
O controle do mental reforça as resistências e reforça o medo.

Não mais controlar o mental e deixá-lo divagar ou adormecer é um Abandono à Luz.



________________________________
Compartilhamos essas informações em toda sua transparência. Agradecemos em fazer o mesmo, se as divulgarem, reproduzindo integralmente este texto e informando sua fonte: www.autresdimensions.com
Versão do francês para o português: Célia G. - http://leiturasdaluz.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário