terça-feira, 12 de julho de 2011

ANAEL - 12 de julho de 2011 - Autres Dimensions



12 de julho de 2011.

Mensagem publicada em 13 de julho, pelo site AUTRES DIMENSIONS.



Eu sou Anael, Arcanjo.

Bem amados Filhos da Luz e bem amadas Sementes de Estrelas, nessa revelação da Luz, nesse tempo do Sacro do Sagrado, permitam-me enunciar-lhes e anunciar-lhes o tempo da Graça, que é o tempo de sua Ressurreição, para, efetivamente, viver.

Viver é a palavra que lhes permite, nesse espaço e nesse tempo específicos, considerar que a Alegria é sua morada, que a Alegria é sua Eternidade e que, se o olhar do Coração coloca-se para além da aparência, então, vive-se e revela-se, em sua Consciência, por intermédio da Presença de Cristo em sua própria Presença, o que lhes permite adotar o olhar daquele que toca a borboleta e torna-se ela, no espaço de sua própria Graça.

Isso lhes permite, então, viver o que há para viver, para além de todo apego, para além de todo medo porque, naquele momento, estando preenchidos do Espírito de Verdade, estando preenchidos do Espírito do Cristo, vocês poderão viver o tempo da Revelação Final, aquele em que tudo o que não é a Graça vai desaparecer, pela Ilusão, no próprio Fogo da Ilusão, consumindo o que deve ser consumido, criando o que deve ser construído, no tempo da Eternidade.

Assim revela-se, em seu mundo e naquele em que está sua consciência, pelo momento, o tempo da Graça.
O tempo da Graça que põe fim à Ilusão; o tempo da Graça que põe fim ao que é falso, permitindo, por seu olhar na Unidade, no Coração, viver o que se revela, o que permite não unicamente desincrustá-los da Ilusão, da posse, mas entrar em seu Templo, entrar em vocês.

Em vocês está esse Espírito, aquele que se revela nessa carne que vocês habitam de momento, que permite, também, à Terra penetrar em seu próprio tempo de Eternidade, pelo parto em sua nova Dimensão, que é agora.

Então, há apenas a viver o tempo das Celebrações.
Há apenas a manifestar o tempo da Ressurreição.

Deixem a Alegria, deixem a Paz e deixem a Presença da Luz tornar-se sua Presença, tornar-se seu estado, tornar-se sua Alegria, porque é nesse estado, e unicamente nesse estado de Verdade, que nenhum espaço sombrio pode interferir.

A Luz Branca revela-se, doravante, em seus Céus, inteiramente, sobre esta Terra, inteiramente, e em seu Coração, inteiramente.

O conjunto de células vai Vibrar em Uníssono a Cristo, permitindo olhar com o olho da testemunha, mas que não é aquela que vive a época do fim, que é, de fato, apenas o novo nascimento dessa borboleta.

Filhos da lei de Um, vocês todos são convidados à sua própria Ressurreição, sem qualquer exceção. O conjunto de Arcanjos convida-os, por minha voz, a reunir-se a ele, à sua própria Liberdade, à sua própria Essência, aí, onde se situa a Alegria da Eternidade e do Eterno.

Isso é agora, nesse tempo.
Cada um de vocês, em seu tempo, pode viver esse tempo, que é aquele sem tempo, do Eterno reencontrado.

Então, o que vocês têm a temer no Tempo da Graça?
O que vocês têm a temer no Tempo do Um?

O que vocês têm a temer no fim do que é Ilusório, que se desagrega sob seus olhos?
Aquilo que permite desaparecer, no Fogo de sua própria consumação, fogo do ego, fogo falsificado, fogo desse mundo Ilusório, que põe fim à Matriz, que permite desvendar a pureza do diamante; aquela da Luz; aquela do que vocês são; aquela do Cristo, que é a mesma Luz, que é sua natureza, como eu já havia dito; que é sua Essência.

Então, abram.
Abram os Templos, como dizia URIEL, de sua Eternidade.
Para isso, deixem desvendar-se a Luz e tornem-se, inteiramente, a Luz.

Tornem-se o que vocês são.
Nada há a temer, porque a Luz é certeza, porque a Luz é calor, porque a Luz é, antes de tudo, o Amor, para além de qualquer posse, para além de qualquer atração.

O Amor é a própria Essência da Criação; o Amor é a própria Essência das Dimensões.
O Amor é a própria Essência de sua Essência.

Isso vocês vão revelar e perceber na totalidade de sua Consciência.

Cristo revela-se.
Vocês são, portanto, chamados a viver, viver em Cristo, viver o Cristo, tal é sua herança.
Ele já havia dito: «O que eu fiz, vocês o farão, e bem maior ainda».

Do mesmo modo que Ele pôs fim à Ilusão, n’Ele mesmo, vocês porão fim à sua própria Ilusão, vocês viverão a Verdade.

Esse é o tempo da Graça, aquele anunciado de todos os tempos.
Lembrem-se de que o tempo que vocês vivem pode ser visto com o olhar da lagarta ou com o olhar da borboleta, porque os tempos confundem-se, fazendo-os penetrar a Eternidade, na qual não há mais futuro, na qual não há mais passado, na qual se estende e revela-se, simplesmente, o tempo de sua Presença.

Vocês poderão, portanto, Filhos do Um, manifestar o Um, tornar-se o Um, o que vocês são de toda a Eternidade.

Então, nada mais há a temer, há apenas que deixar o Fogo do Amor derramar-se.

Há apenas que deixar o Fogo do Ser tomar todo o lugar que é o seu e que é o dele.

Isso se revela no espaço de agora.
Cada dia, cada minuto e cada sopro de sua vida será habitado pelo Sopro do Espírito, que conduz, em vocês, à sua Consciência e nessa carne que vocês habitam, a revelação da Luz Vibral em todos os espaços e em todos os interstícios.

Naquele momento, Filhos da Unidade, vocês se tornarão a Unidade, vocês não estarão mais separados.
Então, escorrerão de seus olhos as lágrimas de diamante, da Ressurreição.

É para isso que vocês são chamados.
Há apenas que olhar, objetivamente, o que morre e o que nasce.

O ego é o que morre.
O que nasce é o Cristo.
Há a acompanhar, do mesmo modo, os dois, a fim de tornar-se Cristo e não mais ser o ego.

Isso é, simplesmente, uma Alegria.
É o tempo da Graça.

Progressivamente e à medida que vocês aquiescerem à revelação da Luz, vocês viverão seu próprio Sacro do Sagrado, que permite acender o conjunto de Portas da Multidimensionalidade, que transfigura as forças de oposição, que vão bem além de toda identificação, mesmo àquele que guarda o limiar, porque vocês saberão que tudo isso pertence apenas a um tempo e que esse tempo está ultrapassado, que vocês mesmos ultrapassaram o tempo da Ilusão, penetrando em pleno Coração do Templo da Verdade.

Então, abram-se, definitivamente, à Última Verdade.
Aquiesçam, aquiesçam à Luz Cristo, aquiesçam à vinda d’Ele, à Presença d’Ele, que é sua Presença.
Então, vivam, não hesitem.

Vão, diretamente, de plena alma, ao canto do possível da Eternidade, ao canto do possível que se torna Eternidade.

Assim, nós, Arcanjos da Revelação Final, o Anjo METATRON, o Anjo URIEL e eu mesmo, chamamo-os à Ressurreição, chamamo-os ao Verbo, pela potência do Verbo e do logos, no Fogo do Espírito.

O Sol vem a vocês; a Verdade vem a vocês, porque é sua herança, nós o dissemos.

Nós havíamos prometido voltar, e nós voltamos.
Vocês haviam prometido despertar, quando o momento chegasse.

Esse tempo é o tempo da Graça.
Não é um tempo de destruição, exceto para o que não existe em nenhum outro lugar que não nas projeções.
Chegou o tempo da Eternidade, aquele em que nenhum efêmero poderá contrariar o que quer que seja dessa Verdade, porque vocês são a Verdade, o Caminho e a Vida.

Então, levantem-se e elevem-se no canto da Graça, porque vocês são a Graça reencontrada, para sempre.
Vocês são a bênção do Eterno, vocês são a Eternidade, isso lhes foi dito.

É tempo, agora, de vivê-la.
É tempo, agora, de gritá-la no Silêncio de seu Coração, no Silêncio da Presença d’Ele e em sua Presença, para além da presença Ilusória, de toda veleidade de apropriação, na Transparência a mais total.

Vocês vão desdobrar o canto da Ressurreição, a fim de dobrar tudo o que era Ilusório e remeter ao esquecimento tudo o que não tem sentido na Eternidade.

Filhos da Graça, Sementes de Estrelas, Estrelas e Portas de Luz, tornem-se a Luz, porque é o que vocês são, de toda a Eternidade.

Os véus não têm mais razão de encobrir.
O sofrimento não tem mais razão de sofrer.
Vocês não são o sofrimento; vocês não são os véus; vocês não são essa personalidade, mas vocês são, efetivamente, essa Existência.

Vocês são a Luz dos mundos, inteiramente.

Então, nada há a apropriar.
Há, apenas, no Silêncio do Coração, no Templo da Humildade, no Templo da Simplicidade, que revelar o que vocês são, de toda a Eternidade: esse Coração de diamante, forrado de Luz, no qual a Luz se remete ao infinito, tal um prisma que remete a Luz sem interrupção, de um extremo ao outro da Criação, que lhes permite ser, como Ele lhes disse, o ponto e o conjunto das Dimensões.

Então, sim, digam sim ao tempo da Graça.
Digam sim ao que é Alegria, porque vocês são a própria Essência da Alegria.

Vocês não são tudo o que creram, tudo o que os fizeram crer.
Vocês não são esse corpo que tem necessidade de sobreviver no sofrimento e no labor daquele que os confinou, que os privou da hora, que os privou da hora de sua Liberdade.

Agora, o tempo da Liberdade e o canto da Liberdade ressoam sobre a Terra.

O Canto da Fênix eleva-se.

A hora chegou das profecias.
A hora chegou da estrela azul.

A hora chegou de Yerushalaïm, que se levanta em vocês, pelas doze Portas, aquelas da Yerushalaïm, e suas Portas, que são as mesmas Portas, aquelas da Ressurreição.

Então, tornem-se o Único, tornem-se a Verdade, porque vocês sempre o foram.

Nada há a tomar.
Nada há a possuir, porque vocês já são tudo isso, bem além de todas as crenças e de todos os sofrimentos.
Então, elevem o tempo da Graça, permitindo a nós, Arcanjos, aqueles da Revelação Final, revelar nossa Graça em sua Presença.

O Arcanjo METATRON consagrou o que é Sagrado, fechou o que não é Sagrado.

Então, façam o mesmo.
Deem à Luz a si mesmos, na Eternidade de sua Presença.
Isso é agora e isso se faz nessa carne, e isso se faz sobre essa Terra e isso se faz mesmo na Ilusão, porque, como pôr fim à Ilusão sem vê-la e sem desposá-la, ela também, a fim de ajudá-la a consumir-se em seu próprio Fogo Ilusório, estabelecendo o Fogo do Espírito, que é o que vocês são?

Filhos da Unidade, Filhos da Verdade, Filhos da Vibração, vocês são a Essência, vocês são a Vibração, vocês são a Vida, a Verdade.

Vocês são o Caminho d’Ele, vocês são o Corpo d’Ele e vocês são a Carne d’Ele, que vem elevar-se à carne Eterna, aquela do Espírito, aquela que não conhece marca alguma, aquela que não conhece qualquer sofrimento.

Então, aceitem o tempo da Graça, porque é sua natureza que se revela, aquela da Eternidade.

Esqueçam as preocupações, esqueçam o que não é vocês, esqueçam o que não é verdadeiro.

Esqueçam o que não Vibra na Existência da Presença d’Ele, que é sua Presença.

Tempo de Graça, a Porta da Ressurreição está, agora, aberta.
O Sacro do Sagrado ocorreu, permitindo ao Sacro da Ilusão desaparecer da vista do que é Sagrado.
Participem disso, porque é o canto de sua Ressurreição que se eleva na Terra e no Céu.

Há o que?
A Ser.

Simplesmente, Ser, sem nada mais do que Ser.
Nada há a fazer.

Há apenas a desfazer tudo o que pertence às construções Ilusórias.
Há apenas a deixar desfazer-se o que deve desfazer-se.

Há apenas a acolher a Alegria que é sua Essência e sua natureza, e isso se realiza em Cristo, na Unidade da Luz Branca.

A Fusão dos Éteres preparou suas Portas que, agora, revelam-se na Luz Branca, permitindo-lhes reencontrar o sentido de sua Eternidade, e isso se vive nessa carne e isso se vive nesse tempo da encarnação tão específico, que é o tempo da Ressurreição.

Filhos da Unidade, como lhes dizia o Anjo URIEL: «Escutem o canto» porque, finalmente, é o canto da Ressurreição que se eleva em vocês.

Tempo da Graça, no qual dança em vocês a Eternidade, tomando-os pela mão e pelo Espírito, levando-os, então, a desviarem-se da Ilusão, transcendendo-a, não a rejeitando, o que seria um ato de negação, mas, efetivamente, iluminando-a do Interior de seu Templo.

Isso é agora, assim nomeado o tempo da Graça, porque o que vem é a Graça.

Então, esqueçam tudo o que não é essa Graça.

Nada há a pensar do que tornar-se a Graça.
Nada há a trabalhar do que aquiescer à Graça.
Nada há a pedir, porque tudo está realizado.
Nada há a esperar, porque tudo se faz no tempo da Graça.

Ela é a sua.
O tempo da Graça é seu tempo, porque ele se inscreve no firmamento de sua própria Eternidade, enquanto seus passos e seus olhos e seu Coração vão nesse sentido da Graça.

Aceitem, com a mesma Graça, tudo o que vem à sua Consciência, porque, no tempo da Graça, nada há a compreender, há, apenas, a ser e a aquiescer à revelação da Graça, revelação da Luz e do Amor.

Nisso, a Consciência Unificada crescerá na Graça, progressivamente e à medida que a Ilusão desaparece.

É claro, as lagartas ali verão apenas o fogo da destruição, mas, o que vem, é o Fogo da Graça.
Não pode ser de outro modo.

Há apenas a desposar a Graça.
Há apenas a ser o que vocês são, para além de todo pertencimento, em total Liberdade.
É tempo de pôr fim a tudo o que é chamado apego, porque vocês não podem estar apegados a outra coisa que não a totalidade.

Vocês não podem estar apegados a outra coisa que não à Verdade de sua Existência.

Então, nos tempos que estão abertos, que preparam o acolhimento da Luz Branca, inteiramente, o retorno e Cristo, em Espírito e em Verdade, é tempo de viver a Graça.

Escutem o canto dessa Ressurreição que bate à porta de seu Templo.
Que a Consciência torne-se o Coração, a fim de que o Coração torne-se a única Verdade, porque a Criação é um Coração que pulsa de maneira contínua, em todos os tempos e em todas as Dimensões.

A Criação é Graça.

Ela jamais foi e nem será, jamais, essa competição.
Ela não será, jamais, o véu do sofrimento.
Ela não será, jamais, o véu da ocultação do Espírito.

Então, regozijem-se, porque o tempo é para isso.
É um tempo de Graça único, que todos vocês quiseram viver e manifestar.
Somente o ego pode opor-se, em suas dúvidas e em sua contração a essa dilatação final, aquela da Luz que se revela.

Pouco a pouco, a cada dia, cada célula e cada átomo de sua Presença vai despertar.

Então, acolham esse acordar na maior das Graças, na maior das humildades e das simplicidades.
Aceitem o presente, aceitem esse presente que é uma doação, sua doação, que é esse Abandono, o seu, que lhes permite viver a Unidade da Verdade, a Unidade de sua Existência.

A cada dia, a cada minuto e a cada sopro, se tal é seu Abandono, o tempo da Graça crescerá em vocês, pela Presença e pela Verdade dela.

Então, o que temer?
O que esperar, a não ser, simplesmente, estabelecer-se na Verdade, em sua Graça que está aí, que vem bater, pela terceira vez, à Porta, e que vem despertar?

Filhos do Um, o Sacro do Sagrado permitiu superar e transcender as leis da densidade, leis de sofrimento e de oposição.

Nada há a julgar, nada há a condenar.
Há, apenas, a amar; há, apenas, a Vibrar do Amor do Um, da Vibração de sua Essência que é Amor, para além de toda limitação, para além de toda posse.

Então, sim, a cada dia e a cada sopro nós, Arcanjos, assim como os Anciões, assim como as Estrelas, assim como Cristo, estaremos cada vez mais vivos em vocês, e isso é o que vocês vivem: a ausência de distância, o desaparecimento de toda separação entre a Vibração que nós somos e sua Vibração porque, entre nós, não há distância.

Em Verdade, eu lhes digo: nós somos Um.
Então, isso, há apenas que deixar eclodir.

É isso, o tempo da Graça; é isso, o tempo da Ressurreição, aquele da Luz, aquele da Unidade, aquele do Espírito Solar, que permite ao Cristo desposá-los, cada Um e cada Uma.

O Templo foi preparado.
Ele deve, doravante, afinar-se, permitindo-lhes, pela distância tomada com a Ilusão, na qual, não rejeitando, mas vendo pelo que ela é, a retirada de um conjunto de véus e de um conjunto de jogos que os privam da Verdade.

Nada há no que se prender, porque tudo o que é Ilusão vai desaparecer.

Há apenas que liberar-se e Ser.
Há apenas que aquiescer.
Há apenas que Irradiar e tornar-se essa Irradiação, tornar-se essa Vibração, essa pulsação que percorre os Universos e as Dimensões, que é sua Essência, de cada um e de cada uma.

Então, bem amados do Um, vocês poderão entoar, juntos, Unidos e Liberados na Merkabah interdimensional, a Embarcação da Pomba, o canto de sua Liberação, o canto da Liberdade, porque Cristo estará, naquele momento, em vocês e entre vocês.

Seus olhos abrir-se-ão.
Vocês se verão tal como são, na nudez da carne, para além dos véus dessa Ilusão.

Esse é o tempo da Graça, que foi aberto pelo Anjo METATRON.
É nesse tempo de Graça que deve revelar-se a Luz Vibral, mas, também, sua Presença e o Cristo, que não é outro que não vocês, na totalidade de sua Essência, de vocês todos, reunidos e livres.

Então eu, Arcanjo ANAEL, convido-os a entrar em relação, de Coração a Coração; a entrar em relação, de Espírito a Espírito; a não mais ver uma mínima aparência exterior em quem quer que seja ou no que quer que seja e, para isso, há, apenas, que Ser.

Nada há a parecer; nada há a mostrar; nada há a demonstrar; há, apenas, que Ser.

Vocês são o Alfa e o Ômega, para além do Bem e do Mal, na Clareza e na Precisão, HIC e NUNC, na Profundidade da Unidade e na Visão de KI-RIS-TI.

Então, naquele momento, o Ômega estabelece-se, estabelecendo seu novo Reino, aquele da Verdade, da Unidade, da Transparência, canto de Graça e tempo de Graça.

Assim, pelo conjunto de Cruzes, pelo conjunto de Reversões, a Luz revela-se na Graça e vocês, Filhos do Único, acompanham, uns e outros, na mesma Unidade, na Verdade.

Deixem retumbar o canto de seu Coração, deixem retumbar o canto de suas células, porque elas também vivem o tempo da Graça.

Filhos do Um, e a cada Um, eu digo: entrem em sua Graça, porque é aí que vocês encontrarão Cristo, e em nenhum outro lugar, em nenhum Templo exterior, em nenhuma outra pessoa, mas, unicamente, no Coração.

Então, cada um é chamado a manifestar a Graça, inteiramente.
Nenhum obstáculo da Ilusão pode haver diante da majestade da Graça, diante da majestade do Cristo.
Assim, como o disse GEMMA, antes de mim, eu lhes dou a Paz do Cristo, eu os restituo à sua Paz, porque o tempo da Graça soou.

Isso é agora.
Então, juntos, reunidos, vamos Vibrar, em minha Presença e em sua Presença, a Paz do Cristo.

Revelem-se, revelem suas asas.
Assim, eu posso dizer, como Cristo, como vocês podem dizê-lo: «eu os amo».

Filhos do Um, Filhos da Fonte, eu estarei presente em seu Templo, no Tempo do alinhamento que confirma e confirmará, a cada dia, nessa hora precisa, o tempo da Graça, o tempo da vinda d’Ele.

Assim, nós podemos dizer, como Ele disse: «Abençoado seja o Eterno, abençoado seja o Eterno, abençoado seja o Eterno».

Eu sou o Arcanjo ANAEL e eu sou vocês e eu sou nós.

Até já, no tempo da Graça.



________________________________
Compartilhamos essas informações em toda sua transparência. Agradecemos em fazer o mesmo, se as divulgarem, reproduzindo integralmente este texto e informando sua fonte: www.autresdimensions.com
Versão do francês para o português: Célia G. - http://leiturasdaluz.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário