terça-feira, 31 de maio de 2011

SNOW - 31 de maio de 2011 - Autres Dimensions




31 de maio de 2011.

Mensagem publicada em 02 de junho, pelo site AUTRES DIMENSIONS.


Eu sou SNOW.

Irmãos e Irmãs, aqui e em outros lugares, que a Paz do Grande Espírito esteja em vocês.

Eu venho prosseguir o que lhes dei há algum tempo, concernente à Vibração da CLAREZA.

Vamos, se efetivamente quiserem, juntos, avançar de maneira talvez mais aguçada sobre o que é essa CLAREZA, o que ela não é e no que ela desemboca, completando, assim, o que lhes deu minha Irmã Teresa.

A CLAREZA de que falo é, é claro, a CLAREZA espiritual, a CLAREZA do Espírito, que desemboca, aí também, numa certa forma de Inocência, que os faz, de algum modo, escapar e superar as imposições das Crenças e da Ilusão desse mundo, ao mesmo tempo mantendo-se nesse mundo, a fim de nele perceber a beleza, e isso eu exprimi, por exemplo, em relação à Natureza.

A CLAREZA é do domínio do Espírito.
Ela é ligada à PROFUNDIDADE, isso vocês sabem; à capacidade para ver claramente e, portanto, para obter uma clara Visão, justamente, do que é o Espírito e do que ele não é.

A CLAREZA, Vibração desse ponto, não é a clareza que aporta uma iluminação sobre as circunstâncias da vida comum, mas, efetivamente, a iluminação da própria Luz, do Espírito, da Verdade, permitindo saturar de Luz o que não era a Luz.

Então, essa CLAREZA, essa Profundidade e essa Inocência não são atributos da pessoa, que vão permitir iluminar a pessoa, mas, bem mais, fazer transcender e apagar a pessoa em proveito do que alguns Anciões chamam o Si ou a Unidade.

Quanto a mim, vocês sabem que prefiro a expressão «fundir-se no Grande Espírito». O Grande Espírito não tem cor, porque ele é todas as cores ao mesmo tempo.

O Espírito não tem as cores da alma, o Espírito não tem as cores da pessoa, o Espírito é o que vai diretamente conduzi-los ao Espírito e, portanto, fazê-los superar, fazê-los elevar-se de tudo o que é coloração da alma ou da pessoa, elevando-se, de algum modo, da compreensão linear e habitual, presente nesse mundo.

A CLAREZA vai, portanto, dar uma Profundidade, mas, sobretudo, vai dar-lhes ainda mais Inocência e ainda mais Infância. Criança que não pode discernir, nem ver, o mínimo mal, seja por seus olhos ou por seus pensamentos.

É claro, na condição de que essa Infância seja ideal e não seja afetada pelas vicissitudes do adulto ou das privações.

A CLAREZA vai permitir-lhes ver claramente, não para iluminar causas ou consequências de suas vidas, mas, efetivamente, para superar tudo isso e estabelecê-los numa nova cor, numa nova polaridade, se se pode dizer, um estado novo, onde tudo aparece como branco, onde tudo aparece como profundo e inocente e, portanto, sem mancha e puro.

Pode-se dizer que o mundo é perfeito, isso vocês sabem, nos elementos da natureza que não foram alterados pela falsificação do homem. É para essa CLAREZA que vocês são chamados e é nesse sentido que, em minhas modestas intervenções, eu lhes falei da natureza como um elemento que pode permitir-lhes aproximar-se do que não foi alterado.

A CLAREZA de que vou falar-lhes agora tem mais característica da CLAREZA do Espírito.

O Espírito é ilimitado, ele não se importa com os limites.
O corpo que vocês habitam, e que nós habitamos, é limitado, limitado em seus mecanismos, limitado em suas possibilidades, limitado, também, em tudo o que ele pode conceber e exprimir, limitado em sua visão, como limitado em suas percepções, quaisquer que sejam, enquanto o Espírito é exatamente o oposto de tudo isso, dado que ele é ilimitado, inteiramente.

Então, a CLAREZA do Espírito não é destinada a aportar qualquer clareza nessa densidade de vida, mas é, efetivamente, destinada, antes, a transcender a opacidade e a densidade dessa vida, pondo fim, de algum modo, à ilusão e ao próprio princípio da Falsificação.

A CLAREZA desemboca nessa Inocência que os conduz à Liberação e faz com que a Consciência vá experimentar e viver estados que nada mais têm a ver com a consciência comum, que é sempre construída segundo os modos e os mecanismos da ação, da reação, dos sentimentos, dos impulsos.

A CLAREZA é ilesa de tudo isso.
Então, viver a CLAREZA desemboca na clara Visão, não de suas vidas, não dessa vida, não dos problemas, mas numa clara Visão do que é a Luz, do que é o Ilimitado e do que não é.

Essa CLAREZA não pode exprimir-se em termos intelectuais ou mentais. Ela não está sujeita aos condicionamentos, aos confinamentos, às limitações presentes nesse mundo.

Mesmo se existam analogias de onde vocês podem extrair, como alguns seres o fizeram, um elemento que vai impulsioná-los, de algum modo, para o Espírito, por exemplo, como o dia que se levanta, a CLAREZA que surge no fim da noite, e o sol levantando, que vão chamá-los, por ressonância, a elevarem-se acima das condições habituais da densidade, da ilusão.

A CLAREZA é o momento em que lhes aparece como essencial e como evidente, mas também claramente, no qual vocês compreenderão e viverão a Verdade da Luz, não mais como um objetivo, não mais como uma suposição, mas, efetivamente, como um estabelecimento na Vibração da Luz, do Espírito, revelando sua própria CLAREZA, pondo fim à opacidade e à ilusão da pessoa na qual vocês estão.

Isso desemboca, necessariamente, na clara Visão, para além da Visão e para além da falsificação dos olhos e permite experimentar, sobretudo, um estado de tranquilidade, de Paz, nada mais tendo a ver com as pazes efêmeras da pessoa, resultantes de satisfações, quaisquer que sejam.

Penetrar a CLAREZA, efetivamente, vai permitir, num primeiro tempo, ver claro em sua própria vida. Aceitar ver claro em sua própria vida é aceitar ver o que se é, ver as próprias falhas e as próprias Sombras.

Não para lutar contra algo, mas, bem mais, para simplesmente ter a clara Visão, a clara Consciência, permitindo superar o julgamento de si mesmo ou dos outros e desembocando na aceitação, permitindo, pelo simples fato de aceitar, colocar a CLAREZA no que era opaco.

Isso vocês sabem, é a ação da Luz e não a ação do ego ou da personalidade, que é chamada, permanentemente, a lutar contra isso ou contra aquilo.

A CLAREZA de que falo é, portanto, uma iluminação da opacidade da pessoa, concorrendo para estabelecê-los, de maneira lúcida e autônoma, em sua própria Liberdade, em seu próprio Espírito.

A CLAREZA é também ver através da iluminação do Espírito o fato de que tudo é UM, e de que tudo é independente e de que tudo está ligado, nessa independência, à Luz Una.

É ver, portanto, para além da visão fragmentada, ver para além do que dá a ver o olho e o que dão a ver as emoções e os sentimentos, para penetrar, enfim, um estado diferente, onde tudo toma lugar, onde tudo se articula, onde tudo se explica, para além da própria explicação das ilusões do mundo, mas na Verdade do Espírito.

Essa CLAREZA não é feita para permitir-lhes unicamente discriminar, fazer escolhas, mas, bem mais, ver pela clara Visão, pela Visão Profunda, chamada também Visão do Coração, o que é a Luz e o que não é.

A CLARESA Unifica.
A CLAREZA, portanto, permite transcender as Sombras, não negando-as, não rejeitando-as, mas iluminando-as, sem nada fazer além disso, sobretudo não uma ação da pessoa sobre a pessoa, mas, efetivamente compreender e viver a ação da própria Luz, nessa iluminação e, em seguida, nessa transparência e nessa transcendência que vai manifestar-se.

A CLAREZA é ligada ao Espírito.
Ela está em ressonância, mesmo, diretamente com o Espírito, porque o Espírito é Claro.

No Espírito não existe Sombra alguma, o Espírito é Ilimitado e Livre.
O Espírito não pertence à pessoa, porque ele é de todos.

O Espírito não é nem confinamento, nem possibilidade de confinamento, nem mesmo possibilidade de descrição ou de definição, porque é, antes de tudo, um estado da Consciência, uma Vibração específica da Luz estabelecendo-se em vocês, no momento em que vocês a vivem.

A CLAREZA, quando está em ressonância com a PROFUNDIDADE, na Infância e na Inocência, dá acesso à Fusão, ou à Penetração, se preferem, da alma pelo Espírito, estabelecendo uma nova Unidade, chamada nova Tri-Unidade, cujo ponto de junção é o Coração, a Unidade e o que vocês chamam o ponto ER.

Então, naquele momento, um novo centro e um novo impulso estabelecem-se no ser, nada mais tendo a ver com a pessoa, nem mesmo com a alma.

O Sopro do Espírito estabelece-se e esse Sopro é um Fogo, vivido como tal, um Fogo que não queima.

Assim é a CLAREZA, porque o Fogo, ele também, participa da CLAREZA e ele é claro.
O Fogo não pode ser portador de Sombra.

O Fogo não pode ser portador de qualquer peso, porque ele se eleva.
Assim é a CLAREZA, assim é o Espírito.

Tornar-se claro é também tornar-se transparente.
Tornar-se transparente quer dizer não mais ser alterado ou perturbado por tudo o que pode vir da pessoa. Há uma compreensão e uma vivência exata do que acontece na pessoa, sem ser afetado de maneira alguma, sem ser perturbado de maneira alguma, porque a CLAREZA é o Sopro do Espírito que dá a Paz, que nada pode vir perturbar ou nada pode vir alterar.

O Sopro do Espírito torna-se o Fogo que vem forjar, de algum modo, a transparência e a Clareza do Ser, estabelecendo-se em sua nova Consciência dita Unificada, chamada, eu creio, Turiya ou quarto estado da Consciência.

Em meu povo, chama-se a isso fundir ou tornar-se o Grande Espírito.
Terminologias extremamente diferentes, mas que recobrem, de fato, a mesma e única Verdade e realidade, que é o domínio do Espírito.

O mundo da ilusão é, para o humano, um mundo de Sombra, um jogo de Sombras e de Luz alterada, porque transformada.

O mundo do Espírito é total transparência, ele não tem necessidade de qualquer Sombra e de qualquer densidade desse mundo para existir, para interpenetrar-se em todas as Dimensões e em todos os Universos. Isso é muito difícil a conceber, mesmo a imaginar para o humano, enquanto ele não penetrou o Sopro do Espírito.

A CLAREZA, enfim, propicia a Paz.

Por que ela propicia a Paz?
Simplesmente por uma noção de apaziguamento.

Do mesmo modo que a neve pode, certamente, enervar algumas pessoas, mas, antes de tudo, a neve dá um eco, uma reverberação, uma brancura, uma profundidade, onde tudo o que não é branco como ela aparece com um contraste arrebatador.

Assim age a CLAREZA, ao nível espiritual, da Luz Vibral, estabelecendo-se na Unidade da Luz branca.

Ela vem iluminar, ela vem transfigurar e ela torna claro, tornando transparente.

O ser que se estabelece na CLAREZA e no Espírito torna-se, progressivamente e à medida de seu estabelecimento nessa Vibração, um ser transparente, que não pode ser afetado de maneira alguma pelo que é sua própria pessoa ou o que são as outras pessoas.

Então, em outros povos, isso foi chamado a Realização da Unidade, do Si, do Despertar, a Realização.

Inúmeros espíritos encarnados no Oriente descreveram isso de maneira extremamente exata. Eles eram, de algum modo, observadores conscientes e lúcidos da própria Consciência.

A CLAREZA permite tudo isso.
Associada à PRECISÃO, ela dará o que eu chamaria uma Visão, desta vez, exata e direta do que é a Verdade e do que não é.

A iluminação da Vibração da CLAREZA permite-lhes, efetivamente, viver o apaziguamento, a Paz e a Alegria, porque a CLAREZA é também, como eu disse, uma forma de leveza, manifestando-se tanto na Consciência como na própria percepção do que vocês chamam a energia do corpo, qualquer que seja o peso desse corpo, qualquer que seja a idade desse corpo.

A CLAREZA é um elemento que faz parte do que foram chamadas as Cruzes Mutáveis e os Eixos.

A CLAREZA, portanto, contribui para elevar o ponto ER, numa parte específica do Tubo de Cristal, indo de ER a ER, do Coração à cabeça, conectando, de algum modo, de maneira mais direta, a alma, o Espírito e o corpo, permitindo Unificar, então, esses três princípios, permitindo alquimizar a matéria e alquimizar a alma, transcendê-las, a fim de viver a Verdade do Espírito.

Sem CLAREZA isso não é possível.
Essa CLAREZA é, primeiro, e antes de tudo, também, uma transparência no que diz respeito a si mesmo e uma honestidade vis-a-vis de si mesmo.

Eu creio que vocês chamam a isso Ética e Integridade.
Mas essa Ética não é uma ética moral ou social, é uma Ética e uma Integridade, antes de tudo, em relação a si mesmo, permitindo-lhes estar alinhados e em acordo e, portanto, na clareza consigo mesmos.

São espaços de Consciência onde não pode existir qualquer alteração da Verdade, ligada à pessoa, ligada a apropriações e, portanto, aos pesos e às opacidades.

O peso e a opacidade ocasionam sofrimento.
E aquele que viveu a CLAREZA e o Samadhi uma vez, sabe, pertinentemente, quando desencadeia uma Vibração oposta à CLAREZA, revivendo, então, ou relembrando, então, por sofrimentos diversos e variados, esse afastamento mesmo da CLAREZA.

A CLAREZA é, portanto, um barômetro de seu estado de impressão de leveza ou, ao contrário, de peso, ilustrando, perfeitamente, seu próprio estado de CLAREZA.

A CLAREZA se vê, é claro, no olhar, onde não existe nem bem nem mal, mas apenas a Luz.

A CLAREZA se vê, enfim, na transparência do ser, onde tudo aparece, primeiramente, como não transformado, não alterado, não mascarado, não escondido.

De fato, aquele que se aproximou e viveu a Unidade, o Samadhi e a CLAREZA do Espírito, torna-se transparente.

Essa transparência é, portanto, Interiormente como exteriormente, vista do Interior ou vista do exterior, como uma prova patente da realidade do que é vivido no Espírito.

A CLAREZA, como eu já disse, pode encontrar-se também na Unidade dos vegetais e, em particular, das árvores que, eu os lembro, permaneceram, elas, alinhadas à Dimensão de Eternidade, à Unidade. Elas podem ser, para vocês, um apoio, como eu disse, essencial para a manifestação de sua própria CLAREZA.

A CLAREZA também é leveza, quer dizer que ela não pode deixar manifestar-se, quando ela está estabelecida, qualquer peso da alma (uma vez que ela está transfigurada no Espírito), quaisquer nódoas da alma ou sofrimentos da alma.

A CLAREZA permite ver claramente, eu repito, as últimas zonas de Sombra e iluminá-las, sem qualquer culpa, porque a CLAREZA permite desembocar no próprio fato de que o Espírito não é desse mundo e que, portanto, tudo o que pertence à pessoa ou à alma é compreendido e assimilado como um jogo e uma ilusão.

Essa CLAREZA vai corresponder, também (além do que foi chamada a Fusão dos Éteres, o aparecimento da Luz azul), ao aparecimento da Luz branca, não mais sob forma separada, tal como alguns de vocês a veem já, chamadas Partículas Adamantinas, mas como um arranjo dessas Partículas Adamantinas, até aqui fragmentadas, tornando-se Unificadas, elas também, reunificando-se, naquele momento, dando uma Clareza branca, não mais constituída de partículas isoladas, mas tão densas que parecem formar, e é a Verdade, apenas uma única densidade, apenas uma única Vibração de Luz uniforme, branca, onde as Partículas Adamantinas reuniram-se para formar um tecido, isento de buracos, e isento de qualquer perfuração.

É assim que se estabelecerá o retorno à Unidade da Luz branca, pela ação de diversas forças que lhes foram desenvolvidas.

Essa Clareza de que falo, Interior, será, portanto, visível, também, como uma Clareza exterior, invadindo o mundo e implicando no desaparecimento total de toda zona de Sombra e de todo jogo de Sombra e de Luz, ou seja, o desaparecimento total do que é chamada a Dimensão Terceira.
E, portanto, o aparecimento da Luz branca permitir-lhes-á estabelecerem-se na nova Dimensão de Vida, em seu corpo transfigurado, este, ou então o corpo de Existência, diretamente re-sintetizado, tal um holograma.

Observem.
Observem o céu, a noite, a noite que cai e vocês verão, muito, muito proximamente, a partir de amanhã, a arquitetura da Luz branca constituída de Partículas Adamantinas transformar-se numa substância branca, viva e uniforme, onde as Partículas Adamantinas, pouco a pouco, não lhes aparecerão mesmo mais.

Pode-se comparar isso, guardadas todas as proporções, à bruma matinal que se levanta do solo ou que desce do céu, vindo apagar os contornos da maneira, das árvores, da natureza, dos animais, para dar, de algum modo, uma nuvem.

A única diferença é que essa nuvem não será uma nuvem constituída de vapor de água, mas de Partículas Adamantinas, de Luz, de Ultravioleta, de Luz azul e do Espírito Santo e, em resumo, essa será a nova densidade de Vida.

É assim que isso se manifestará, fazendo, então, desaparecer tudo o que era da ordem dos jogos de Sombra e de Luz.

Esse processo, vocês o viverão.
Vocês o começaram no Interior de vocês, aqueles que descobrem o Espírito e vivem-no, vocês o descobrirão também nesse mundo que se transforma.

É claro, e como os Anciões sempre disseram, ser-lhes-á feito segundo sua fé e segundo sua Vibração.

Se vocês mesmos tornam-se a Clareza, vocês penetrarão a CLAREZA.
Se vocês mesmos aceitam não mais nutrir as Sombras, quaisquer que sejam, as suas como as outras, naquele momento vocês penetrarão, sem qualquer obstrução, a nova densidade.

Esse processo foi chamado Ascensão.
Ele foi também chamado, pelo Comandante dos Anciões, o Planeta-Grelha, porque essa nuvem não é uma nuvem de água, mas uma nuvem de Fogo, de Luz do Espírito, à imagem da Fonte, constituída exclusivamente dessa Clareza.

É uma Tripla Irradiação, como vocês sabem (Espírito Santo, Fonte, Ultravioleta), que constitui a totalidade e a integridade da Luz revelando-se sobre esse mundo.

Assim, se vocês mesmos tornaram-se claros consigo mesmos, transparentes, vocês penetrarão essa densidade sem problema algum, ali estabelecendo-se de modo completamente natural e espontâneo.

É esse processo que estará em curso de instalação a uma velocidade que, como vocês sabem, não lhes pertence e não nos pertence, mas que é decidida pelos imperativos astronômicos e, sobretudo, pela resposta da própria Terra, para viver em sua nova vestimenta.

Tudo isso, é claro, acompanha-se, para a Sombra e as zonas que recusam essa iluminação, por convulsões, cada vez mais importantes, sobre as quais não voltarei, porque foram o objeto de profecias muito antigas e mais recentes, tanto no Oriente como no Ocidente, como entre meu povo.

Tudo isso lhes aparecerá cada vez mais claramente, é o caso e a ocasião de dizer, aos seus olhos e ao seu Coração, perplexos e surpresos.

A Inteligência da Luz tornar-se-á estrutura e aparência real da Luz e não mais, simplesmente, uma agitação de Partículas Adamantinas que aparecem em seu mundo.

Estas se estruturarão na autonomia e na liberdade, reunindo-se na Liberdade do UM, na qual vocês serão convidados a penetrar.

Isso se tornou possível, justamente, pela última Reversão, revelando a Energia Metatrônica ou a Consciência Metatrônica nesse corpo, nesse Templo e nesse Coração. Tudo isso sua carne vai viver, sua Consciência vai viver e nós o viveremos com vocês, ao seu lado.

Muitos seres humanos que estão ainda vendados não terão dificuldade alguma para perceber o que é essa Luz. Outros seres humanos, em número muito mais importante, estarão na resistência a essa Luz que representa, de fato, para eles, o fim de toda a vida e não um novo nascimento.

Lembrem-se de que é a Vibração e a Consciência que decidem, e nenhum ser exterior.

E de que cada um é totalmente livre para tornar-se o que ele Vibra.
O melhor modo de servir, e isso o Comandante disse, há muito tempo, é irradiar essa Luz, a Alegria e a Transparência.

Isso passa de qualquer palavra, isso passa de qualquer conselho, isso passa de qualquer interferência na Liberdade do outro.

Vocês são, portanto, chamados a tornarem-se livres, uns e outros, quaisquer que sejam os caminhos comuns.

Vocês são chamados a viver essa CLAREZA, agora, correspondendo ao estabelecimento do reino de METATRON e da Nova Tri-Unidade, reunificada, agora.

Essa reunificação da Nova Tri-Unidade ilustra-se também pelo que o Arcanjo Miguel chamou a Tripla Irradiação da Luz.

Lembrem-se, e eu insisto nisso, sobre o papel da natureza, sobre o papel das árvores. Essa nova Consciência porá fim à antiga eletricidade, inteiramente.

O corpo humano transforma-se nessa Luz.
Os mecanismos elétricos do homem antigo não terão mais lugar de ser.

Olhem o céu, olhem a natureza, olhem a difusão da Luz branca, olhem seu aparecimento como Inteligência Suprema e vocês terão um bom vislumbre, além de suas percepções de Paz e de Vibração, do que está desenrolando-se sobre esta Terra e em seu estado de avanço que, como uns e outros disseram, tanto entre os Anciões como entre as Estrelas, irá, doravante, cada vez mais rapidamente, segundo sua escala de tempo.

Aí estão os alguns elementos que me foram solicitados comunicar-lhes, concernentes à CLAREZA e à interação do Espírito, da Luz, em relação à CLAREZA.

Se nos resta tempo antes do alinhamento, então, eu responderei às questões concernentes a isso, e unicamente isso, se nos resta tempo.


Questão: há uma relação entre a CLAREZA e a rede que se pode ver pela manhã, ao acordar?

Inteiramente.
Isso é chamado a Trama Etérea de Luz Vibral, que se constrói, na qual virão depositar-se as Partículas Adamantinas.

O que vocês veem chama-se a Trama do Éter.


Questão: qual é o marcador da fusão do corpo físico e do corpo de Existência?

A capacidade para manifestar a Alegria; a capacidade para entrar, mais ou menos espontaneamente, no estado de Samadhi ou de Alegria e, enfim, o desaparecimento do corpo físico.

Quando vocês tiverem a chance de perceber, aqueles que ainda não percebem, essas nuvens brancas, geralmente à noite, em seu leito ou fora, e vocês estendem a mão para essa nuvem branca, qualquer que seja sua forma, vocês constatarão que sua mão desaparece inteiramente.

É claro, retirando a mão dessa nuvem branca, sua mão reaparecerá.
Mas é assim que se viverá a Ascensão, para uma grande parte de vocês que despertaram as Coroas Radiantes da cabeça e do Coração.


Questão: se essa Luz substitui a eletricidade, todo o mundo a verá?

Alguns, com grande alegria.
Muitos, com muito temor.


Não temos mais perguntas, agradecemos.

Irmãos e Irmãs em Espírito, que o Grande Espírito os acompanhe.

Olhem e vivam o que vem.
Talvez, até breve.

Certamente, com Amor e com Fraternidade.


___________________________
Compartilhamos essas informações em toda sua transparência. Agradecemos em fazer o mesmo, se as divulgarem, reproduzindo integralmente este texto e informando sua fonte: www.autresdimensions.com
Versão do francês para o português: Célia G. - http://leiturasdaluz.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário