segunda-feira, 2 de maio de 2011

SNOW - 02 de maio de 2011 - Autres Dimensions




02 de maio de 2011.

Mensagem publicada em 04 de maio, pelo site AUTRES DIMENSIONS.


Eu sou Snow.

Irmãos e Irmãs encarnados percorrendo esta Terra, que o Sopro do Espírito esteja em vocês.

Eu venho, hoje, a vocês, para exprimir as qualidades do eixo chamado CLAREZA/PRECISÃO.

Eu sou a Estrela da CLAREZA, aquela que permite iluminar e ver, para além da Visão, a Unidade e sua Clareza.

Eu falarei também em nome de PRECISÃO, Estrela que não lhes está revelada. Esse eixo é aquele que é o braço horizontal da Cruz Crística Anterior, permitindo à manifestação Cristo realizar-se, é, de algum modo, dito na linguagem de meu povo, a Revelação do Grande Espírito, do Sopro desse Espírito e do Fogo desse Espírito em vocês.

Essa Revelação permite também descobrir a sabedoria, a sabedoria que permite superar o confinamento do julgamento no Bem e no Mal, a fim de compreender que, qualquer que seja o confinamento desta Terra, o Homem sempre teve a possibilidade, religando-se à Natureza como ao Espírito, de manifestar essa sabedoria e, portanto, de algum modo, transcender o Bem e o Mal.

CLAREZA e PRECISÃO, esse eixo, está exatamente atrás do Triângulo Prometeico. É o eixo que lhes permite ampliar, num primeiro tempo, sua própria percepção do Bem e do Mal, superá-la, de algum modo, transcendê-la e manifestar, então, essa amplitude e essa sabedoria, permitindo sair desse confinamento existente na cabeça do Homem, onde tudo é referenciado segundo a noção de Bem ou de Mal.

Essa herança, que os Ocidentais conhecem particularmente bem, contrariamente aos povos nativos que, desde sempre, comungaram com o Céu e com a Terra, e colocando-se, eles mesmos, numa lógica ligada a esse intermediário do Céu e da Terra, como homens participando de um Plano bem maior do que aquele que eles podiam compreender, mas, entretanto, aceitando esse Plano e sua manifestação, tal como ela era observada na natureza.

E tal, também, como ela não era observada, devido à não manifestação visível e tangível do Espírito, que, no entanto, estava efetivamente na obra, mesmo desta criação.

A Clareza-Precisão vai, portanto, desembocar na Sabedoria.
Ela permite, pouco a pouco, por um ato lúcido e consciente, supor, num primeiro tempo, que o confinamento do Bem e do Mal não é a totalidade, mas algo que é apenas um dos elementos da vida e não o que deve permitir à vida tornar-se plenitude. Simplesmente, um elemento que existe também na natureza, porque, na natureza, é claro, o bem de um faz o mal do outro.

Assim, a águia que come um coelho faz seu bem e o bem de seus descendentes, de seus pequenos. Obviamente, o ponto de vista do coelho não é de modo algum o mesmo, ele é mesmo totalmente inverso em relação àquele da águia.

Assim, portanto, observar a natureza, observar os ciclos da própria vida, permite desembocar numa Clareza maior dos processos da vida, bem além de certo número de alterações da consciência humana e permite ampliar, de algum modo, o ponto de vista, superar o Bem e o Mal e desembocar, efetivamente, em certa forma de sabedoria.

Essa sabedoria, assim como a Cruz Posterior, em seu eixo horizontal UNIDADE/PROFUNDIDADE, permite, aí também, ir para mais Unidade e, mesmo sem vivê-lo, criar, na consciência, uma forma de tensão para essa Unidade, para esse Absoluto, bem além do Bem e do Mal, que são sempre apenas relativos em relação a crenças ou, em todo caso, em relação a alguém, em relação a algum outro, de uma forma de vida em relação a outra forma de vida.

O eixo CLAREZA/PRECISÃO vai, portanto, ampliar o ponto de vista, a fim de superar a Visão confinante e confinada da personalidade, que vai sempre definir o Bem e o Mal em relação a si mesmo, em relação a crenças, em relação a certezas, também.

Mas, geralmente, essa Visão do Bem e do Mal é apenas uma limitação da verdadeira Vida, porque ela condiciona as ações do ser segundo julgamentos de valor, julgamentos de referência em relação a si mesmo ou em relação às próprias crenças.

A ativação e a manifestação da Cruz Anterior colocam-se, portanto, sem passar pelo ponto ER (ponto central), as Cruzes que permitem realizar o estado Crístico, o estado Micaélico e o estado Mariano, nesse corpo. Isso nas tradições que não são de meu país, de meu povo, foi chamado o Despertar, a Ascensão, a Iluminação (a verdadeira), o Acordar.

Pouco importam os nomes que vocês deem, porque, em definitivo, eles correspondem todos a uma forma de ampliação da consciência, onde o confinamento, mesmo no ego, não tem mais curso, não tem mais colocação, mas onde a consciência poderá, efetivamente, fazer a experiência dessa não-separação, dessa amplitude da percepção, do sentir, de uma Visão Interior chamada Visão do Coração, vindo substituir-se à visão do ego, indo para além dos julgamentos, indo para além das crenças e permitindo, portanto, realmente, manifestar a Sabedoria.

Essa sabedoria não é uma aceitação, sem condição, da natureza, mas vai bem além. Essa sabedoria é aquela que vai, apoiando-se também na Cruz Posterior, permitir viver o que vocês chamam, em seu país, a Unidade, o que, quanto a mim, eu chamo a Fusão com o Espírito, permitindo-me ouvir esse Espírito, ver esse Espírito, em qualquer coisa, em qualquer Consciência, em qualquer ato.

CLAREZA/PRECISÃO permite examinar, de algum modo, a vida, com outro olhar. Não é mais o olhar da Ilusão, do confinamento e do julgamento no Bem e no Mal. É um olhar ampliado que confere, efetivamente, Clareza e Profundidade, minha outra Estrela em meu eixo, permitindo, desta vez, desenvolver, em si, o fim do confinamento, permitindo também viver a última reversão.

A própria localização de Clareza e Precisão, de um lado e outro de Bem e de Mal, e à frente de IM e IS, põe justamente em ressonância tudo o que havia sido confinado anteriormente. Colocando-os em ressonância, permite vê-los, superá-los, transcendê-los e, portanto, estabelecer-se, inteiramente, numa forma específica de Paz, que nós chamamos a Sabedoria.

Viver na Clareza é não parar nos olhares exteriores, é não parar nos julgamentos, é ter uma Visão efetivamente mais nítida. Perceber de maneira precisa, perceber (com a iluminação suficiente) todas as circunstâncias da vida, todas as circunstâncias das interações entre os seres humanos e todos os componentes da Vida, existentes na superfície desse mundo, qualquer que seja a alteração inicial.

Vocês são chamados, hoje, como os Anciãos o disseram e muitas de minhas Irmãs, a viver uma finalidade. Essa finalidade (eu prefiro chamar assim) não é um fim em si, mas, efetivamente, um novo ciclo, um recomeço, onde nada mais poderá ser confinado, porque a própria Consciência tornar-se-á como o Grande Espírito, totalmente livre, totalmente liberada de qualquer dependência a uma forma fixa, permitindo a ela descobrir a infinidade de formas, a infinidade de outros mundos, de Dimensões, a infinidade das Criações.

Esse, é claro, é um processo que muitos seres humanos, hoje, começam ou terminam em seu caminho, permitindo desengajar-se de tudo o que faz os condicionamentos da vida humana em seus limites, todos os sofrimentos, todas as incompreensões.

É efetivamente uma manifestação do Amor e, sobretudo, da Sabedoria, permitindo superar o que foi chamado, por algumas de minhas Irmãs, o Corpo de desejo, o Corpo mental, e inserir-se na lógica da Vida e na lógica das transformações da Vida, impulsionadas pelo Grande Espírito, pela Luz e pelos Ciclos.

CLAREZA – PRECISÃO é um eixo de apoio.
É esse eixo que vai permitir-lhes realizar a Cruz Anterior, chamada do Cristo, permitindo-lhes desengajarem-se de seus próprios condicionamentos e, sobretudo, irem para além, pela Sabedoria, de todas as crenças, não para denegri-las em bloco, mas para considerá-las pelo que elas são, ou seja, formas de marcadores que foram colocados em seu caminho, simplesmente instaurados para permitir, justamente, superá-los e transcendê-los.

De fato, nesse mundo é necessário ter um quadro, qualquer que seja. Mesmo que esse quadro seja ilusório, ele permite, em todo caso, construir algo e, a um dado momento, superá-lo, transcendê-lo e estabelecer-se numa nova percepção onde tudo se torna iluminado, onde tudo se torna claro, onde mesmo a questão que se poderia colocar então à alma encontra sua resposta de maneira Interior e não mais exterior.

A sabedoria é tudo isso.
CLAREZA-PRECISÃO é um eixo que permite também reforçar o Amor, reforçar o ponto ER, reforçar a própria conexão à Fonte e beneficiar-se dos influxos da Luz, a fim de crescer, sempre mais, na Luz, até um ponto em que a Luz é tão importante que a própria Consciência torna-se tão saturada de Alegria (o que vocês chamam o Samadhi), que, naquele momento, ela pode passar no que UM AMIGO chamou a dissolução, o estado Unitário, onde somente o Si existe, para além de qualquer forma, para além de qualquer corpo e para além de qualquer identificação. Isso não pode realizar-se se a Sabedoria, se o eixo CLAREZA-PRECISÃO não está totalmente presente.

De fato, até agora, quaisquer que fossem os seres que viveram esses acessos à dissolução, à Existência, quaisquer que fossem as épocas e quaisquer que fossem os países, houve sempre, de algum modo, uma forma a manter, a fim de ser, em si, o testemunho desse acesso a essa Unidade.

De algum modo, CLAREZA-PRECISÃO, esse eixo anterior da Cruz Anterior, associado ao Caminho da Criança Interior, da UNIDADE e da PROFUNDIDADE, que era o apoio posterior, definia, aí também, uma espécie de quadro, permitindo manter a consciência, apesar de tudo, presente num corpo.

Essa presença era necessária para, ao mesmo tempo, como para todas as Estrelas, manter uma coerência (não a nossa, mas aquela da Vida), manter uma forma de re-aliança à Fonte, a fim de que esta não se apagasse jamais.

Há, de fato, ao nível de nossas encarnações, de Umas e Outras, a necessidade de manter essa Re-aliança, a fim de que jamais o Sopro do Espírito se apague ou se afaste demasiado.

É a missão que nós realizamos em nossas encarnações.
Todas as Estrelas cumpriram esse papel, em diferentes momentos da História desta Terra.

Hoje, as coisas são um pouco diferentes porque, como vocês sabem, não se trata de manter essa Re-aliança, mas, efetivamente, de tornar-se, inteiramente, essa Luz, esse Si, de viver, inteiramente, essa dissolução e esse acesso à Unidade total, coisa que não havia sido possível até o presente, devido às circunstâncias cíclicas do retorno da Luz.

Hoje, mais do que nunca, quaisquer que sejam seus estados Interiores, é também necessário manifestar essa Re-aliança, essa Unidade, essa ativação das diversas Cruzes Mutáveis, Fixa (da Redenção) ao nível de sua cabeça, viver isso também fora de seus espaços Interiores, permitindo, com isso, provar, a si mesmos e à sua própria consciência que, finalmente, não existe qualquer separação entre o que é vivido no Interior e o que é vivido no exterior.

É claro, inúmeros Irmãos e Irmãs já perceberam, de maneira muito concreta e muito lógica, que o que se vive no Interior vive-se também no exterior, que a evolução da Terra é totalmente sincrônica com a evolução de sua consciência e que, quando um evento sobrevém hoje na superfície da Terra, ele sobrevém do mesmo modo no Interior de sua própria consciência, mais ou menos marcado, segundo as ressonâncias existentes no Interior dessa consciência que vocês habitam.

Assim, pouco a pouco, a Sabedoria estabelece-se.
Assim, pouco a pouco, a convicção da Unidade vai surgir e virá permitir-lhes, realmente, viver a Unidade.

Minha Irmã de eixo, PROFUNDIDADE, explicou-lhes o que era esse caminho da infância e o modo de inclinar-se, de algum modo, para esse Absoluto. É também o meio, esse Caminho da Infância, e a Sabedoria de CLAREZA-PRECISÃO, os meios para estabelecer-se e recentrar-se em si mesmos, e beneficiar-se dos diferentes afluxos das Estrelas que os constituem, a fim de manifestar, de maneira primeiramente intermitente e, em seguida, de maneira cada vez mais frequente, seu próprio estado de Unidade ligado ao acesso à sua Existência.

Isso, atualmente, muitos humanos vivem.
Há, efetivamente, modificações muito, muito nítidas ocorrendo na consciência coletiva da humanidade, mesmo para aqueles de nossos Irmãos e de nossas Irmãs que não querem ou não podem despertar-se pelo momento. Nesse sentido, é-lhes possível, efetivamente, através desse eixo de Sabedoria, observar as modificações da Mãe Terra.

Algumas Irmãs disseram-lhes que o Som da Terra apareceria.
Ele aparece, cada vez mais frequentemente, em lugares cada vez mais amplos da Terra.

O Som da Terra responde ao som do Sol, ao Som do Céu.
É o Som da Criação, o Canto do Espírito.

Aquele que se traduz, para vocês, por uma majoração de seus sons em seus ouvidos e em sua consciência, é exatamente o mesmo processo.

A Sabedoria é chamada a desenvolver-se em vocês, seja o que for que o olhar exterior possa chamar, ao nível do mundo, a loucura desse mundo, em sua deslocação.

Há, efetivamente, uma Sabedoria por trás de tudo isso, ainda que ela não lhes seja perceptível, mesmo se ela lhes pareça ser algo de agressivo para vocês.

Retenham que tudo o que acontece nos Universos concorre para estabelecer a Sabedoria, mesmo se elementos, chamados Sombra, possam por vezes dar a impressão de não serem sábios ou de afastarem da Sabedoria.

Ir além do olhar do confinamento do Bem e do Mal é também ir para a compreensão de que, em definitivo, o Bem e o Mal não existem como tal e que o que pode ser percebido, sentido, como um Mal, num primeiro tempo, em definitivo, concorrerá sempre para estabelecer o Bem.

É por isso que Cristo disse que não se deveria julgar, porque o julgamento é sempre oriundo do confinamento no Bem e no Mal. O julgamento é sempre uma falta de Sabedoria, uma falta de Amor, porque, quando vocês estão no caminho para o Amor e para a Sabedoria, quando vocês começam a viver estados de Unidade, nenhum julgamento pode mais intervir, ou então este os remete, tal como um elástico, ao ego e à insuficiência de abertura, mesmo na fase de abertura.

Então, é claro, algumas situações que lhes são apresentadas recorrem, justamente, à manifestação de sua sabedoria, porque alguns elementos criados vão, talvez, procurar afastá-los da lei de Ação de Graça, vivida quando vocês a vivem em seus momentos Interiores.

Vão procurar, talvez, desestabilizar, em vocês, essa Unidade que vocês buscam estabelecer, de maneira permanente. Então, aí também, não julguem, aceitem a manifestação, qualquer que seja, que isso concirna às suas relações ou a eventos que ocorram em suas vidas porque, mesmo se vocês não têm os elementos de resposta, no imediato e no instante, é absolutamente inegável que a Graça não pode contrariar a Graça. O que quer dizer que, mesmo um evento ou uma pessoa que venha chocá-los, confrontá-los com restos de confinamentos, está aí, necessariamente, para fazê-los crescer.

Nesse sentido, não há nem Bem nem Mal, nesse sentido, mesmo a Sombra, em definitivo, servirá sempre à Luz. Isso lhes foi dito, mas a Sabedoria os faz percebê-lo de maneira cada vez mais clara.

A Clareza e a Precisão é exatamente isso.
É superar esse julgamento do Bem e do Mal, é não julgar, no instante, o que pode chegar em sua vida, em suas relações, mas diferir sempre a reação, porque a reação é sempre procedente do Corpo de Desejo, do mental, dos condicionamentos, das crenças, mas não pode jamais conduzi-los a desprender-se, em todo caso, desprender da reação imediata.

Somente a Sabedoria, somente a Clareza e a Precisão vão permitir afastarem-se desse julgamento, aproximarem-se do Caminho da Infância e de sua Unidade e, certamente, algum tempo depois, uma hora depois, um dia depois, ou, em todo caso, a um dado momento, vocês terão o esclarecimento total da Ação da Graça que, sob o olho do ego, pode parecer-lhes ser o inverso de uma Graça.

Assim, alguns seres, por exemplo, podem quebrar algo.
Alguns seres podem perder uma situação; alguns seres podem perder uma pessoa querida, outros ainda podem ver modificações da própria vida não indo no sentido desejado.

Em definitivo, quando vocês procuram a Graça, a Graça agirá em vocês.
Então, não vejam jamais um evento que ocorre em seu cotidiano, em sua vida, como algo que está aí para contrariá-los, mas, simplesmente, como algo que está aí para desvendar-se e ir para mais Graça, mais Clareza e mais Precisão.

E isso se chama a Sabedoria.
A Sabedoria consiste, portanto, em não reagir, a Sabedoria consiste em desincrustar-se, em desengajar-se de reações imediatas do Corpo de Desejo, em desengajar-se das reações quase imediatas, ligadas às crenças e aos condicionamentos. É o único modo de juntar-se, em Sabedoria, pela Sabedoria, ao Coração do Ser e estabelecerem-se, de maneira cada vez mais definitiva, em seu Coração.

Eu frequentemente falei da natureza, mesmo em minhas intervenções, porque a natureza apresenta-lhes, qualquer que seja a falsificação (que não existe, ainda, nas leis naturais da vida exprimida aqui, salvo para o humano, é claro), os animais manifestam, inteiramente, esse princípio de Graça.

Então, é claro, o julgamento exterior do Homem fará crer que é detestável para um coelho fazer-se comer pela águia. Mas é uma visão extremamente ligada aos seus condicionamentos, que é extremamente ligada, também, aos uns e aos outros, às reações que podem existir em relação à emoção imediata. Assim que haja a possibilidade de adotar uma percepção mais profunda e mais clara, então, naquele momento, a Sabedoria que emana de vocês vai fazê-los compreender que isso faz parte da Sabedoria.

É claro, a predação, tal como é vivida na natureza, é inerente a essa forma de Vida. Mas, entretanto, há, nessa forma de vida, também, uma Sabedoria e um equilíbrio.

Se a águia não comesse o coelho, o coelho, por sua vez, comeria o conjunto de culturas e não permitiria a outros mamíferos alimentarem-se.

Tudo é equilíbrio.
O desequilíbrio aparente é, de fato, apenas um julgamento limitado, que é frequentemente oriundo de condicionamentos ou de desejos ou de emoções presentes no interior do ser humano.

A águia que come o coelho não tem qualquer emoção.
O coelho que é comido, para além da emoção imediata, sabe que ele participa de um Plano bem maior e bem mais vasto do que ele.

Hoje, a Consciência do ser humano inscreve-se diretamente pelos Pilares da Unidade, da PROFUNDIDADE, pelos Pilares da CLAREZA e da PRECISÃO, no Centro, ou seja, no Coração, onde, como vocês sabem, pode apenas existir a irradiação do Amor e da Alegria, onde não existe lugar algum para uma questão, lugar algum para um julgamento, lugar algum para qualquer interrogação, uma vez que o Coração não é jamais a questão, mas é sempre a resposta.

A Sabedoria sabe também descobrir isso e aceitar, sem para tanto, contudo, encontrar-se numa forma de resignação, mas, bem mais, na aceitação luminosa do que vocês são e também do que há para viver sobre esta Terra, pela sua própria presença nesse fim de Ciclo.

Como o disseram os Anciãos, como o disseram minhas Irmãs, vocês estão muito exatamente em seu exato lugar, hoje.

Todos vocês quiseram vir para viver o que há para viver.
Não há qualquer dúvida possível sobre isso e isso é, também, uma forma de Sabedoria.

Quaisquer que sejam suas atividades, quaisquer que sejam suas idades, vocês estão sistematicamente no bom lugar em relação aos eventos que se desenrolam. Então, é claro, a Graça vem, por vezes, pressionar certo número de coisas que parecem ser contrárias à Graça e é preciso, eu diria, aceitá-las de boa Graça, porque isso é uma forma de Sabedoria.

Hoje, nos dias que virão durante esse mês de maio, vocês serão, uns e outros, tocados pela Graça. O fato de ser tocado pela Graça pode traduzir-se também pelo fato de ser tocado em algumas de suas trincheiras, em alguns de seus confinamentos.

Então, sobretudo, não julguem.
Sobretudo, não busquem, no instante, reagir.

Não busquem, no instante, a explicação.
Contentem-se da Humildade, da Simplicidade que os fará aceitar o que vocês têm a viver, cada um, no instante. E estejam certos de que a Sabedoria desabrochará, então, de maneira certa.

O mês de maio é um mês que lhes permitirá encontrar a Sabedoria, e essa Sabedoria pode encontrar-se apenas se há uma aquiescência total, através da Humildade e da Simplicidade, a eventos que serão submetidos à sua consciência e a eventos que vocês viverão. Isso concerne, é claro, bem além de vocês, na França, a todos os países da Terra, porque cada ser humano que se encontre num país preso aos elementos, escolheu estar naquele lugar, também, naquele momento.

Então, é claro, o olhar do ego vai falar de catástrofe, ainda uma vez.
O olhar do ego vai carecer de sabedoria, porque ele considera apenas a opinião do ego e não conhece nada do que está além do ego.

A Sabedoria de vocês é, justamente, apoiarem-se no que vocês vivem, já, por suas Vibrações, por suas adesões a essa Unidade, a essa Visão Unitária.

Vocês irão, pouco a pouco e a cada dia, para mais Sabedoria, porque a Humildade e a Simplicidade os guiarão, através da Ação dessa Graça, em vocês e ao seu redor.

Durante esse mês, é muito importante apoiarem-se na Sabedoria, a fim de não entrarem no julgamento do que quer que seja ou de quem quer que seja, porque tudo o que chega será totalmente correto e não pode, aliás, ser de outro modo, no período em que a Luz estende-se, desvenda-se e revela-se inteiramente.

A Sabedoria permitir-lhes-á, aliás, também, muito rapidamente, desacoplando-se da emoção imediata ou da crença imediata, apreender muito, muito rapidamente, os prós e os contras de uma situação que lhes concirna, de um evento que lhes concirna ou concernente tanto ao Planeta como a uma parte deste planeta ou a uma parte do Céu.

O eixo CLAREZA-PRECISÃO, a Cruz Anterior, permite-lhes acolher, na serenidade e na Paz, o Espírito, seu Sopro, seu Fogo e também o retorno do Cristo. Isso consiste, como dizia o Cristo, certamente, em ter sua casa limpa, ou seja, não se deixar invadir pelas emoções, não se deixar invadir pelas crenças, quaisquer que sejam, superar os condicionamentos vindos de relações ilusórias que podem existir nesse mundo, manter, eu diria, custe o que custar e de qualquer forma, sua própria Integridade, sua própria Ética, mantendo-se no Aqui e no Agora.

Vocês permitirão à sua Consciência revelar-se.
Os choques, as manifestações que venham chocá-los, são apenas as manifestações da Graça. Apenas o ego, efetivamente, é que chamará a isso um choque, porque isso vem modificar e mudar seu equilíbrio Interior, modificar e mudar o equilíbrio de sua própria consciência.

Então, lembrem-se, quaisquer que sejam os momentos que vocês tenham a viver, cada um de vocês, que lhes é necessária Sabedoria, uma grande Clareza, uma grande Precisão. Que vocês devem ir cada vez mais para a Unidade, para a Profundidade, a fim de viver mais o Amor, aquele do Cristo e aquele que vocês são, de toda a eternidade.

Isso participa, o que acabo de dizer-lhes, inteiramente, do princípio de acesso à sua Existência, a essa famosa dissolução de que falava-lhes UM AMIGO e que é essencial para levar a efeito sua missão, para vocês como para o conjunto de Irmãos e de Irmãs sobre a Terra.

Aí estão as algumas palavras que eu tinha a dar-lhes sobre CLAREZA e PRECISÃO. Se existem em vocês questionamentos em relação a isso, e unicamente em relação a isso, então, tentaremos ali aportar, juntos, uma iluminação suplementar, uma CLAREZA maior.


Questão: Apoiar-se numa árvore e sentir uma reação ao nível do Coração é o sinal de uma árvore Totem ou o sinal de uma comunicação com essa árvore?

Meu Irmão, a árvore é a árvore de Vida.
É a ilustração exterior do que se chama o Kundalini.

A árvore é a que move suas raízes no mais profundo da Terra e vem mostrar-lhes, através de sua folhagem, sua realização, seu desenvolvimento.

A árvore é, certamente, o elemento da natureza que está ainda mais puramente religado à sua 5ª Dimensão. Assim, portanto, a partir do momento em que você coloca suas próprias costas na árvore de Vida, você desperta sua árvore de vida.

Isso é válido para qualquer árvore.
É claro, existem árvores que estarão muito mais em ressonância com você do que com qualquer outro.

Agora, no que concerne ao Totem, é uma representação.
O importante é viver disso os efeitos, como você o diz, ao nível de seu próprio ser.


Questão: Essa paz, essa ausência de ego, na natureza, provém desse contato com a árvore?

Sim, porque, naquele momento, devido ao que você vive, devido à sua Atenção e ao conjunto de elementos que já foram dados (a Humildade, a Simplicidade, sua Atenção, sua Intenção, a capacidade de colocar-se no Aqui e no Agora desse contato, efetivamente), naquele momento, você se beneficia do influxo, da Unidade da árvore e da natureza. Agora resta transformar, o que é da ordem da experiência, em uma vivência permanente.

A árvore pode mostrar-lhe o caminho, como árvore de vida.
Ela lhe permite, efetivamente, aproximar-se de sua Unidade, por diversos sintomas que você pode descrever ao nível de seus chacras, de suas Vibrações.

Mas é necessário aceitar também que é apenas uma experiência.
Manter-se a si mesmo, fora da natureza, no Coração, necessita um Abandono total à Luz.

Mas, entretanto, a árvore pode mostrar o caminho, assim como uma música, assim como um outro ser humano.


Questão: Os povos a quem chamamos primitivos estão constantemente na Unidade?

Cara Irmã, esse foi o caso durante muito tempo.
É claro, a civilização ocidental afastou os povos nativos ou primitivos daquela dimensão.

Nós também, portanto, para aqueles de nós que estão ainda encarnados, banhamo-nos no banho do que vocês chamam o Kali Yuga, junto aos orientais, nesse Fim dos Tempos.

E inúmeros Irmãos não resistiram, de algum modo, às sirenes do Mundo da Ilusão. Mas é evidente que, antes desse século que acaba de escoar-se, a maior parte de nós estava, efetivamente, religada ao Grande Espírito e à Mãe Terra.

O que vocês chamam o progresso, o conjunto de tecnologias que foi implementado sobre esta Terra, em definitivo, cortou sua própria conexão e a de nossos Irmãos e Irmãs nativos e primitivos, com a Mãe Terra e com o Grande Espírito.

Hoje isso se restabelece.
Então, aí também, é preciso não julgar essa tecnologia e esses meios modernos porque, à sua maneira, eles permitiram também, neste final de ciclo, dar-lhes conta, iluminar, colocar a Clareza e superar tudo isso.


Questão: Isso concerne também ao povo Aborígine da Austrália?

Todos os povos nativos.
Raros são aqueles, entre os povos nativos, que puderam conservar a própria Integridade.

Não há.
É preciso efetivamente compreender que o ser humano é impregnado pelas ondas, pelo Espírito, pelas egrégoras, pelas energias, no sentido mais amplo, nos quais ele se banha e que, num certo limiar de saturação, torna-se muito difícil manter essa Re-aliança ao Céu e à Terra.

Mas hoje, a Terra está liberada, o Céu está liberado, e isso vai tornar-se cada vez mais fácil para todo o mundo.


Questão: Eles estavam fechados na Matriz, apesar dessa Re-aliança ao Grande Espírito?

Sim, entretanto, com uma capacidade muito maior para conectar o Grande Espírito, seja pelos espaços do sonho ou pela própria comunhão com o Céu e a Terra.

Eles haviam conservado, até o início do século que acaba de escoar-se, certa forma de liberdade. Essa forma de liberdade era simplesmente ser capaz de estar religado ao Grande Espírito.

A maior parte das tradições, quaisquer que sejam os continentes e os povos primitivos ou nativos, refere-se, todas, a esse estado dessa idade sombria e do advento do homem branco e também que isso terminaria um dia.

Só o homem branco mesmo para crer que ele é eterno e que ele crescerá sempre em seu conforto e na Ilusão da vida.


Questão: O símbolo de um animal que se manifesta tem ainda uma utilidade?

Meu Irmão, tudo depende da utilidade que você ali coloca, você mesmo.

Isso pode ter uma utilidade para alguns e tornar-se totalmente inútil para outros.


Não temos mais perguntas, agradecemos.

Irmãos e Irmãs sobre esta Terra, eu lhes dou a Graça e a Paz.

Que a CLAREZA estabeleça-se em vocês, a fim de que jamais o erro possa afastá-los dessa CLAREZA.

Vão na Sabedoria, vão na UNIDADE, vão para o Coração.
Tornem-se isso inteiramente, não há melhores votos que eu possa formular.

Meu Amor está com vocês.
Até breve.



___________________________
Compartilhamos essas informações em toda sua transparência. Agradecemos em fazer o mesmo, se as divulgarem, reproduzindo integralmente este texto e informando sua fonte: http://www.autresdimensions.com/
Versão do francês para o português: Célia G.
Revisão: beto junior

Nenhum comentário:

Postar um comentário