domingo, 15 de maio de 2011

ANAEL - A Nova Terra [16/05/2011] - Autres Dimensions




16 de maio de 2011.

Mensagem publicada em 18 de maio, pelo site AUTRES DIMENSIONS.


Eu sou ANAEL, Arcanjo.

Bem amados Filhos da Luz e bem amadas Sementes de Estrelas, que a Paz, o Amor e a Alegria estejam em vocês.

E comunguemos, juntos, primeiramente.
Eu venho, hoje, a vocês, neste espaço, a fim de desenvolver certo número de elementos concernentes à nova Terra, que se exprime através de novas Fundações, em ressonância e em correlação direta com a Vibração de OD, associada a KI-RIS-TI e VISÃO, formando, em sua Estrutura, como em sua Consciência, o HAYOT HA KODESH da Terra, em ressonância direta com as funções atribuídas a essas Estrelas.

O OD é, portanto, um ponto de passagem.
Ele é, também, o momento em que o ego morre para deixar lugar ao Coração. O momento em que a distância, existente na consciência limitada, vai deixar o lugar para a Consciência do Ilimitado, chamada Unidade.

Isso se realiza, nesse momento mesmo, ao nível desta Terra, através de um mecanismo desenvolvido anteriormente, e chamado a Fusão dos Éteres, permitindo a estabilização do novo Éter da Terra, preliminar à sua Ascensão na nova Dimensão de Vida, onde, justamente, ela não está mais privada de seu Éter.

As manifestações do Éter são inumeráveis em suas Estruturas, em suas Vibrações, como na própria Terra. A adição de Partículas Adamantinas, em número cada vez mais intenso e importante, permite, hoje, realizar mecanismos ascensionais em sua totalidade. O conjunto de Fundações foi posto, permitindo a Elevação e a Ascensão em sua nova Dimensão de Vida.

A Fusão dos Éteres, aparente sobre a Terra na Luz Azul, corresponde à Fusão dos Éteres, que alguns de vocês começam a viver, cruzando a Porta Estreita. Para além da Porta encontra-se o Templo, a Fundação da Nova Vida, onde o Fogo não é mais o fogo do ego (fogo por atrito, por oposição, por dualidade), mas o Fogo do Coração (ou Fogo do Espírito), realizando a Unidade, a Alegria, a Serenidade e a Paz.

A instalação do elemento Terra, na nova Terra, é, portanto, centrada no desenvolvimento do novo Éter (em ressonância e em correlação direta com o desenvolvimento do Cubo Metatrônico), permitindo, assim, revelar, em vocês, as Pétalas de seu Coração e, portanto, criar a Coroa Radiante do Coração, acendê-la à sua nova Dimensão de Vida. Isso se traduz, como sabem, pela manifestação, em sua consciência, de estados de Paz, de Serenidade, de Alegria, de Plenitude, que muitos de vocês jamais experimentaram anteriormente.

Então, é claro, quando dessa passagem e da estabilização desse novo Éter, frequentemente o ego vai revoltar-se e impedi-los de ascender à Serenidade.

O ego é (como sabem, e eu espero, compreendem e vivem), aquele que se apropria da Luz para sua própria glória, recusando, com isso, Abandonar-se à Luz e deixar a Inteligência da Luz trabalhar.

O ego é, portanto, aquele que vai reivindicar a Luz como sua propriedade ou como sua própria transmissão.

O ego é aquele que vai opor-se, à sua maneira, à sua própria Liberação no Abandono à Luz, na Paz e na Alegria.

Cruzar a Porta Estreita e as novas Fundações da nova Terra traduz-se, em sua consciência, pelo estabelecimento de vocês mesmos num mínimo de Paz, num mínimo de Alegria Interior, desembocando (quando isso está completo e acessível) à Alegria interior.

Certo número de passagens foi efetuado, sob a ação do Arcanjo URIEL, durante o fim de seu ano precedente.

Hoje, realizam-se em vocês, e sobre esta Terra, de maneira sincrônica, as últimas passagens e as últimas Reversões, visando iluminar seu ego, a fim de transcendê-lo. Essa é uma etapa indispensável que lhes permite criar as novas Fundações e penetrar, inteiramente, o ALFA e o ÔMEGA da Cruz da Redenção e, sobretudo, da Cruz Posterior, permitindo-lhes, então, penetrar a nova Terra.

Ninguém pode penetrar o Reino dos Céus, ou a nova Terra, se não volta a tornar-se, ele mesmo, como uma criança, em sua espontaneidade, em sua leveza, e na aceitação de que nada tem a ver, como ego, na instalação ou na transmissão de qualquer Luz, que é apenas o reflexo do estabelecimento do Si na Luz.

Estabelecer a nova Terra em si é descobrir o que é Ilimitado.
É voltar a tornar-se autônomo, Livre, não dependendo de qualquer estrutura, de qualquer pensamento, de qualquer crença, de qualquer certeza outra que aquela da própria Luz.

Isso necessita, completamente, do nascimento do que é chamado o CRISTO Interior, fazendo o sacrifício do ego, o sacrifício de sua Vida, para o Sagrado. A reivindicação existente no ego, que recusa morrer, traduz-se frequentemente por uma contrariedade, por um afastamento da Alegria e, sobretudo, por um fechamento do Coração, mantendo a Ilusão do ego.

Passar na Vibração do Triângulo da Terra permite transcender a energia do fogo do ego (situada no fígado) e a energia do Fogo da própria Terra (situada no que é chamado o chacra do baço), em ressonância direta com a dimensão KI-RIS-TI, vindo iluminar os últimos sobressaltos do ego, a fim de deixá-lo morrer, e renascer para a Luz Eterna da Verdade.

Essa última passagem, realizando-se no ponto OD, realiza-se, é claro, nos pontos mais elevados ligados a OD e, em particular, no Eixo ALFA e ÔMEGA, e, portanto, no ponto AL. Isso concorre para a Reversão do ponto AL, estabilizando-se vocês mesmos em sua Serenidade, onde não pode existir qualquer reivindicação do ego, qualquer apropriação do ego e, sobretudo, vocês não estão mais identificados a papel algum, a pessoa alguma, a função alguma, nem ao que quer que seja aqui, na antiga Terra.

Isso lhes permite penetrar diretamente na nova Terra, nos novos Céus, em sua nova Dimensão de Vida, ao mesmo tempo mantendo, pelo momento ainda, sua Presença nesta Dimensão. Essa é uma etapa indispensável, correspondente ao desenvolvimento do Cubo Metatrônico em suas estruturas, revelando-os, inteiramente, a vocês mesmos.

É preciso, portanto, um mínimo de sabedoria para aceitar ver o que é ainda do ego, a fim de cultivar, unicamente, o que é da ordem do Coração.

O Coração não será jamais uma reivindicação.
O Coração não será jamais uma apropriação.

O Coração é Doação total, mas ignorando o que faz a mão direita, quando a mão esquerda dá. Apenas desse modo, chamado o esquecimento e a superação de si, é que se pode viver a Unidade, a Liberdade e a Autonomia.

O OD é a Fundação.
Ele é a Ode para a Liberdade.
Ele é a Ode para o ÔMEGA, para a memória passada, apagando-se, para deixar o lugar para o novo, desprovido de toda memória, de toda identidade, de toda identificação à sua própria Presença como pessoa nesse mundo, nesses papéis.

É a superação da Ilusão do «eu», a superação da Ilusão da personalidade (que se crê toda poderosa em suas ações nesse mundo) para penetrar as esferas da Existência.

Assim, respondendo às palavras de CRISTO: «ninguém pode penetrar esse Reino se não volta a tornar-se como uma criança», quer dizer, se não se instala na vivência de seu Instante Presente da Verdade de sua Eternidade, presente unicamente no Presente.

A Porta Estreita, a Fundação do OD pode ser passada apenas nesta condição. É ela que permite, pela Integridade, pela Ética e pela Atenção e a Intenção, manifestar o AQUI e AGORA, necessário para a realização do ponto ER do centro da Cruz, permitindo-lhes viver, realmente e em Verdade em seu Coração.

Enquanto esta etapa não é cruzada, o ego é todo poderoso.
Ele é aquele que os impede de ver claramente.
É aquele que se recusa a ver a Verdade.

É aquele que se apropria da Luz, numa última tentativa, da qual não é preciso nem culpar, nem tornar-se responsável, mas, simplesmente, ser um observador lúcido, aceitando, na Alegria da Eternidade, soltar, em relação às últimas armadilhas do ego.

É isso que vocês vivem atualmente (cada um segundo a própria iluminação), que deve conduzi-los à porta de sua Eternidade, preliminar à sua Ascensão final, começando em alguns dias.

O que acontece, doravante, sobre esta Terra, assim como lhes foi anunciado por MARIA, termina, efetivamente, em alguns dias, permitindo, então, penetrar, desde os primeiros dias de seu mês seguinte, em manifestações completas e complexas do acesso à Ascensão da Terra, assim como à sua própria Ascensão.

Os estados Vibratórios que vocês são conduzidos a viver são também estados de sua própria consciência.

Se se manifesta em vocês a raiva, vocês não estão na Alegria.
Se se manifesta em vocês o ressentimento, vocês não estão na Alegria.
Se se manifesta em vocês qualquer tristeza, vocês não estão na Alegria e vocês não estão na Paz.

A Paz está além de tudo isso.
Ela necessita de uma desidentificação de todas essas emoções pertencentes ao ego e que buscam arrastá-los para mais densidade, mais gravidade e impedindo-os de renascer em sua Existência.

O Triângulo da Terra ativa-se, permitindo-lhes, pela potência da energia KI-RIS-TI, do apelo do Sol, pela potência do fogo do próprio ego, mas metabolizado pela passagem da Porta Estreita, ascender ao Templo Interior.

Esse Templo Interior, que é preparado, permitindo, então, instalar o CRISTO, permite, então, instalar a Vibração essencial do OD - ER - IM - IS - AL, instalado no ponto ER, correspondendo, para vocês, ao acesso à Existência.

O que há para viver agora é apenas e simplesmente a iluminação das últimas Sombras. Eu repito: não para julgá-las, não para condená-las, mas, efetivamente, para aceitar vê-las tal como elas são.

A apropriação do ego, os medos impostos pelo ego são os últimos elementos que se opõem em vocês para a Liberação de seus apegos, e que os arrastam para mais materialidade e os impedem de ascender à Serenidade sem fim do Samadhi.

A Liberação dos apegos (e, em particular, ao nível das Fundações, apego ao material) permite-lhes descobrir a nova matéria, constituída de um Éter refinado, onde não existem mais leis da dualidade, as leis de ação/reação. Mas permite-lhes penetrar, diretamente, nas leis da Graça e a vocês mesmos viverem a Graça, porque vocês, naquele momento, tornam-se a Graça, onde nada mais há a reivindicar, onde nada mais há a manifestar, se não a sua própria Presença, se não o próprio silêncio Interior da Felicidade enfim reencontrada.

É para isso que vocês são convidados.
É isso que se realiza, através desse mês da Graça, permitindo instalarem-se, vocês mesmos, na Graça, a partir de 1º de junho.

Os eventos que se desenrolam atualmente sobre a Terra são ligados ao aparecimento da nova matéria da Terra, feita de um Éter muito mais denso e, portanto, uma rarefação da matéria, traduzindo-se pela Ascensão da Terra em sua nova Dimensão de Vida (que será, talvez, para alguns de vocês, sua nova Dimensão de Vida).

Retenham que o Fundamento de sua passagem na Existência pode encontrar-se apenas na estabilidade da Paz, na estabilidade da Alegria, afastando-os de todas as incertezas de sua Vida na personalidade.

Alguns de vocês serão impulsionados, de maneira forte, pela alma, a liberarem-se dos últimos apegos, a liberarem-se das últimas crenças, a liberarem-se, de fato, de suas últimas Ilusões que os mantêm firmemente apegados nos jogos e papéis atribuídos a esse corpo e a essa personalidade.

Aceitando soltar-se em relação a isso, Abandonando-se, sempre mais, à Vibração do OD, vocês penetrarão, diretamente, em seu Templo Interior e, então, começarão a manifestar a irradiação da Alegria, a irradiação da Paz e, sobretudo, de Sat Chit Ananda, a Felicidade mais bem sucedida que um ser humano possa viver. Mas isso não pode se fazer enquanto o ego manifesta uma mínima veleidade de apropriação da Luz.

Como dizia São João: «há muitos chamados e haverá cada vez mais, e haverá poucos escolhidos». São escolhidos aqueles que aceitam essa Crucificação de Luz para reencontrar as esferas da Alegria Eterna.

Quer dizer não mais reivindicar o nome do ego para o que quer que seja. Simplesmente Ser, e manifestar esse Ser, para além de toda crença, para além de toda Ilusão e, sobretudo, para além de toda reivindicação de seu ego.

É para essa etapa que vocês são convidados.
Vocês são, portanto, convidados ao Banquete Celeste, após terem vivido os Casamentos Celestes, a fim de realizar o desenvolvimento do Cubo Metatrônico da Luz da FONTE em vocês, permitindo-lhes tornar-se como A FONTE, à imagem de METATRON.

A FONTE não conhece nem dor, nem sofrimento, nem dualidade.
Ela está instalada, de maneira definitiva, em sua própria Alegria, de sua própria Presença. Assim, vocês são chamados a manifestar e a realizar isso, transcendendo os últimos limites impostos pelo ego e pela encarnação.

Não recusando o ego ou recusando a encarnação, mas, efetivamente, aceitando Abandonar-se, após terem visto o que era bloqueio e barreira em suas emoções e em seu mental, que os impedia de ascender e estabelecerem-se, através das novas Fundações, em seu Templo Interior.

Uma oitava se cruza.
Uma nova Dimensão abre-se a vocês, permitindo-lhes, para além da Ilusão desse mundo e dos jogos do ego desse mundo, penetrar as esferas da Existência com uma intensidade raramente atingida entre os seres humanos.

É para isso que vocês são convidados.
É para isso que trabalha o ponto OD, que lhes permite penetrar o santuário do Coração e redescobrir sua sacralidade.

Espaço onde não existe nem limite, nem condicionamento, nem crença em qualquer papel que venha limitar seu acesso à Existência.

Apenas assim é que pode manifestar-se a Alegria.
Apenas assim é que pode revelar-se o Cubo Metatrônico, perfeição da Criação na Luz dos mundos.

Vocês são chamados, de algum modo, agora, a render as armas.
As armas do medo, as armas que lhes serviram até aqui para viver nesta Dimensão.

Dimensão que, como vocês sabem, é chamada a desaparecer, inteiramente, a fim de deixar lugar para a nova Consciência e para a nova Terra.

Isso se desenrola sob seus próprios olhos, concerne ao seu corpo, ao seu Coração, ao seu ego, ao conjunto de suas estruturas, como concerne, efetivamente, ao conjunto da Terra que, atualmente, vive as transformações elementares as mais importantes que lhe seja possível viver, permitindo a ela desembocar no novo Éter de sua nova Dimensão.

O que acontece sobre a Terra, acontece em vocês.
O que deve ser inundado em vocês. é inundado sobre a Terra.
O que deve ser queimado sobre a Terra, deve ser queimado em vocês, pelo Fogo do Amor e da Luz.

O que deve rasgar-se em sua Terra, Interior, rasga-se sobre a Terra.
E, enfim, o que deve respirar sobre esta Terra, no novo Sopro, deve habitá-los doravante também, do mesmo modo.

Isso lhes permitirá, com as Fundações estáveis, elevarem-se ao estágio do Coração, penetrar, aí também, de maneira direta, o que foi chamada a Visão do Coração, ultrapassando a visão orgânica e fazendo-os penetrar ainda mais as esferas e os domínios da Existência da nova Terra, ou de sua nova Dimensão, desembocando, aí também, em mais Alegria, mais Confiança, mais Certeza e mais Abandono.

Aí está o que realiza o ponto OD e o Triângulo elementar da Terra, apoiando-se em KI-RIS-TI e numa Visão reencontrada (não mais aquela do ego, mas aquela do Coração), conduzindo-os a viver a Presença, em vocês, do CRISTO Interior, prefigurando Seu Retorno, tal como ele partiu.

A etapa que vocês vivem, durante esses dias e durante as próximas semanas a vir, inaugura, para vocês, no Interior de sua Consciência, um olhar de uma lucidez muito maior, tanto sobre vocês mesmos como sobre o conjunto do mundo.

Isso não é destinado a julgar-se, nem a julgar o que quer que seja, mas, efetivamente, realmente, constatar seu estado Interior e o estado do mundo.

Porque constatar é iluminar.
Isso não é julgar, mas é transcender, pela Graça da Luz, o que deve sê-lo.

Aceitar ver é aceitar ser transmutado.
Aceitar a ação da Luz é recusar agir por si mesmo.
Não por covardia, mas, efetivamente, pela compreensão dos mecanismos internos da Luz, cuja Inteligência substitui-se à sua própria inteligência limitada de humano encarnado.

O OD os convida a tudo isso.
OD os convida a passar para uma nova etapa.
OD os convida a construir as novas Fundações e a nova base do desenvolvimento da Perfeição Metatrônica.

Aí está para o que vocês são chamados.
Aí está para o que vocês devem Vibrar.
Os marcadores e os testemunhos disso serão, sempre, a Alegria, a Paz, e sua capacidade para manter o que nós chamamos a Fluidez da Unidade, da Lei de Sincronia, da Lei do Filho de Um, onde nada mais existente nesse mundo pode vir alterar sua Alegria.

À medida que sua Alegria cresce, à medida que sua Paz cresce, vocês medem seu estabelecimento no Coração. Efetivamente, vocês não podem estar no Coração (ou pretender estar) enquanto manifestam-se a vocês os últimos apegos de modo importante, enquanto estes os impeçam de beneficiar-se da Alegria do Coração.

Enquanto manifestem-se a vocês as interrogações (sobre sua profissão, sobre seu casal, sobre sua família, sobre seu futuro e suas evoluções), vocês não podem viver o Instante Presente, porque isso traduz um desequilíbrio, ligado ao seu mental ou a suas emoções, impedindo-os de estabelecerem-se e de cruzarem, uma última vez, a porta do OD, a fim de reencontrarem-se na Alegria de sua Existência, no Templo Interior do Coração que é, na Coroa Radiante do Coração, o único modo de levantarem-se e de elevarem-se na Luz.

Assim, enquanto vocês dão crédito a uma interrogação, que surge no corpo emocional ou no corpo mental, vocês não podem penetrar, inteiramente, as moradas da Eternidade.

Vocês podem viver a experiência, encorajando-os a prosseguir, mas vocês devem desbastar-se [aparar as arestas].

Vocês devem, efetivamente, desprender-se de tudo o que os arrasta para baixo, de tudo o que os arrasta para a densidade, para a reação, para os papeis e funções que nada têm a ver com o Coração, mas que lhes dão a Ilusão do Coração.

Isso, a Vibração da Consciência, ela mesma, ali os conduz.
Isso, a Vibração de seus Novos Corpos e novas frequências ativadas nas Estrelas (da Coroa Radiante da cabeça como nos novos Corpos que se revelam) permitem realizar isso.

A passagem do ponto OD vai corresponder, efetivamente, ao impulso inicial, vindo do que é chamado o chacra do baço, conduzindo CRISTO a elevar-se em vocês.

Do mesmo modo, o cruzamento do que é chamado o chacra do fígado (situado sob o seio direito) vai permitir-lhes, passando pelo ponto OD, juntar-se ao Coração e elevá-los, assim, e despertar em vocês o que são chamadas as Gotas Vermelha e Branca de Imortalidade (chacra da alma e chacra do Espírito), revelando-se no Triângulo sagrado do Coração, elevando, então, seu Coração, transformando o chacra do Coração em coroa Radiante de Fogo, permitindo-lhes, então, viver sua Ascensão e sua Elevação.

Isso é uma iluminação específica, que lhes convém aceitar e implementar em sua própria consciência e em sua própria Vibração.

Os tempos reduzidos, como o são, que restam a percorrer nos dias da Graça, permitir-lhes-ão, a vocês mesmos, estabelecerem-se em sua própria Graça, em seu próprio CRISTO Interior. Ali, onde não existe qualquer pergunta, qualquer medo, qualquer reivindicação, qualquer tristeza, qualquer oposição.

De fato, nós sempre dissemos: nada do que é exterior tem peso frente à sua Liberação Interior. Isso deve, hoje, ser implementado e colocado em ação.

Enquanto vocês não aceitam isso, vocês não poderão estabelecer-se, de maneira definitiva, na Vibração do Coração, que necessita um Abandono total à Luz, bem além do que eu havia definido há dois anos, permitindo-lhes Abandonar-se (como uma crucificação simbólica), à Cruz da Redenção, às Cruzes Crísticas (Anterior e Posterior), às Cruzes Mutáveis, a fim de realizar esse porquê vocês vieram: reencontrar sua Dimensão de Eternidade e, sobretudo, de Unidade.

Isso é engajado, agora, de maneira muito mais intensa do que a passagem que inúmeros de vocês viveram no mês de dezembro.

Vocês estão, agora, na passagem à sua Alegria.
Vocês estão na passagem à sua Eternidade.
O modo pelo qual vocês se estabelecerem no Coração permitir-lhes-á viver o que vocês terão a viver aí onde estão (em sua vida, em suas relações, em vocês mesmos) e unicamente em relação a isso.

OD é, portanto, o Fundamento.
Ele é a Porta Estreita.
Ele é a Porta.

Ele é aquele que conduz ao seu Coração, na condição de que vocês aceitem descascarem-se a si mesmos de tudo o que podia estar ligado a uma manifestação do ego, da consciência limitada.

O ego, eu repito, não é um alvo a abater, mas algo a transcender pela Luz da Graça.

Não é verdadeiramente a mesma coisa.
O ego não pode lutar contra o ego.

Somente o Coração, por sua Transparência e sua Elevação, permite-lhes transcender o ego. Penetrar o Coração necessita um ato de Abandono à Luz e um ato de abandono do ego também, ao mesmo tempo, simultaneamente.

É essa passagem que, quando desse mês da Graça, vive-se atualmente e permitir-lhes-á (se vocês fazem essa passagem) instalar-se, de maneira duradoura, em sua Eternidade.

Aí está, quanto a mim, as algumas palavras que tinha a pronunciar concernentes a esse Triângulo da Terra, que será completado, de maneira diferente, pela própria Estrela OD.

Se existem em vocês, em relação a isso, e unicamente em relação a isso, interrogações concernentes a essa passagem específica, então, bem amados, eu escuto seus questionamentos.


Questão: Como gerir um esquema que apareceria como a necessidade de reconhecimento?

Bem amada, o próprio fato de reconhecer uma falta ou uma necessidade de reconhecimento traduz a iluminação do Coração.

Nada mais há a fazer, apenas observar e olhar.
Não é necessário, sobretudo, lutar contra, porque o que se opõe reforça o ego.

Há apenas a aceitar olhar lucidamente e, efetivamente, compreender e aceitar, aí também, que isso é apenas o reflexo de feridas, de falta de Amor, traduzindo-se, de um modo como de outro, por essa necessidade de reconhecimento.

Há apenas, naquele momento, que iluminar, que olhar isso, que rir, a fim de que a Alegria estabeleça-se.

E não mais dar peso a essa falta de reconhecimento.
Nós demos, e completaremos, os princípios de apego, ligados aos apegos coletivos que se vivem atualmente, que são as últimas etapas que lhes permitem Liberar-se de seus próprios últimos apegos, mesmo se estes sejam coletivos.

Eles estão, de fato, em relação com princípios de falsificação importantes que existiram sobre esta Terra desde mais de 320.000 anos (ndr: na rubrica «protocolos/liberação dos apegos coletivos» de nosso site).

A palavra chave é o medo.
A necessidade de reconhecimento e a falta de reconhecimento vêm sempre de um medo.

Medo de não ser amado, medo de não ser reconhecido.
Ora, o reconhecimento não pode ser feito no exterior de si.
Enquanto há uma dependência no ser humano em relação a um exterior, qualquer que seja, não pode haver Unidade.

A Unidade realiza-se apenas quando vocês estão em total acordo consigo mesmos.

Isso quer dizer o quê?
Isso quer dizer, simplesmente, quando vocês compreendem e aceitam (intelectualmente, mentalmente, afetivamente, emocionalmente) que vocês não têm que depender absolutamente de nada do exterior de vocês.

Naquele momento existe um mecanismo específico da consciência que se implementa, permitindo-lhes penetrar a nova Terra e cruzar a Porta do OD.

É o momento em que vocês deixam suas bagagens.
É o momento em que vocês aceitam não mais ser seus sofrimentos.
É o momento em que vocês compreendem que não são seus sofrimentos passados e que vocês são ainda menos o resultado de seu próprio passado.

Que vocês são, simplesmente, o que vocês são no Instante Presente.
Penetrando essa Verdade final, inteiramente (isso foi facilitado pela liberação das cinco Chaves Metatrônicas e das sete Últimas Chaves), então, o trabalho (e isso não é um) se faz sozinho.

Nada há a fazer.
Há apenas a Ser.

Para as últimas coisas que se iluminam em vocês, hoje, isso é fundamental. Porque aquele que quiser resistir, opor-se ao que se manifesta, reforçá-lo-á.

Assim é a armadilha do ego.
Há apenas que olhar, com Amor, o que vocês creem ser, e que vocês não são.

Todo mecanismo oposto ao Coração é um grito, um grito do ego (que este seja chamado necessidade de reconhecimento, medo da perda, medo da falta).

Qualquer que seja o medo, ele é apenas o reflexo de uma ferida, vivida anteriormente. Mas essa ferida não requer um bálsamo exterior, mas, bem mais, a iluminação do Coração.


Questão: Pode-se viver esse gênero de experiência estando, ao mesmo tempo, na sociedade?

Bem amado, a resposta é eminentemente diferente para cada alma humana.

Alguns receberam, há alguns anos, ou de maneira mais recente, impulsos da alma, fazendo-os deixar algumas situações para descobrirem a Liberdade.

Algumas outras almas estão efetuando, ainda, atividades no mundo exterior e devem, no entanto, realizar a mesma coisa. Assim, cada um de vocês encontra-se muito exatamente no exato lugar para o trabalho que há a efetuar.

Agora, podem existir, neste período final, aí também, impulsos da alma fulminantes (manifestando-se à noite, ou de modo brutal, por fatores relativos aos eventos em sua própria vida), conduzindo-os a soltar em relação a algumas formas de apegos.

Por vezes de maneira extremamente violenta.
É preciso, aí, ver a ação de seu próprio Coração, não qualquer punição, não qualquer carma, não qualquer oposição, mas, bem mais, uma oportunidade para Liberar-se, inteiramente.

Lembrem-se de que a Luz é simples e de que ela é, sobretudo, evidência. Que, a partir do momento em que vocês soltam, do que vocês têm e do que lhes é retirado, então, naquele momento, a Luz estabelece-se com ainda mais facilidade.

Tudo é função de circunstâncias.
Mas, se a Luz os chama para mudar (o que quer que haja a mudar em sua vida), então, faça-o, vocês ficarão apenas mais leves e mais no Coração, demonstrando, com isso, sua capacidade para estar, em Verdade, no Coração e não para se preocupar com o instante seguinte ou com uma dependência que desaparece.


Questão: Como fazer em relação ao medo do desconhecido?

Bem amada, é justamente questão de não se prender a nada.
Tudo o que é da ordem da personalidade e do conhecido não lhes permite ir para o desconhecido.

Por definição.
É preciso, portanto, precipitarem-se na Luz.
É o que eu chamei, desde dois anos, o Abandono à Luz que, hoje, toma uma acuidade específica, nos tempos reduzidos e nos tempos finais que vocês vivem.

Não há, efetivamente, nada a que se prender.
Isso se chama a Fé, a mais absoluta, na Luz, a fim de penetrar a Luz.

Vocês nada podem levar do que creem ser (suas diferentes posses, aquelas do ego como aquelas da matéria) à Existência.

A situação na qual vocês se encontram, uns e outros, em graus diversos, corresponde, inteiramente, ao que havia sido explicado e anunciado pelo Bem amado SRI AUROBINDO, concernente ao choque da humanidade.

É necessário aceitar que nada há em que se prender.
Vocês não podem ir para o desconhecido com o que quer que seja de conhecido. Esse mecanismo da consciência corresponde, justamente, à passagem da Porta Estreita.

O ego não lhes é de utilidade alguma para ir ao Coração.
Ele é mesmo o obstáculo essencial.

É o ego que quer fazê-los crer que é ele quem dirige a situação e que aquele não pode conduzi-los para a Luz, o que, obviamente, é totalmente falso.

O que se pode dizer, ao nível coletivo da humanidade, é que o ego coletivo da humanidade entrega-se aos seus últimos combates. Aqueles que serão os mais rudes, onde as forças de atrito e de oposição à Luz vão manifestar-se de maneira importante, coletiva e individualmente.

Vocês devem compreender que, através das modificações elementares da Terra, vocês nada mais terão, efetivamente, ao que se prender de conhecido.

E isso está às suas portas.
De sua capacidade para aceitar isso, para transcender isso, decorrerá seu futuro Vibratório e de Consciência. É o ego que quer sempre prender-se a algo de conhecido e de existente.

O conjunto de Vibrações (que vocês viveram, uns e outros, em seus níveis respectivos) teve apenas um único objetivo: é o de conduzi-los para essa porta.

E vocês ali estão.


Questão: Pode-se viver a Alegria, o Samadhi, antes de passar essa porta, ou unicamente após?

Não, isso é possível antes.
Isso é possível a partir da ativação das Cruzes da Redenção, das Cruzes Anterior e Posterior e das Cruzes Mutáveis (coisa realizada já desde certo tempo para muitos de vocês).

Mas é uma coisa viver o Samadhi por experiência (a Alegria, a Serenidade e a Paz, por experiência), é outra coisa ali estabelecer-se de maneira definitiva.

E isso, efetivamente, pode ser feito apenas pela passagem da Porta Estreita, pelo nascimento do Embrião Crístico, que assinala a Crucificação total do ego.

É isso que os conduz à sua Ressurreição e nada mais.


Questão: Que quer dizer transcender?

Transcender não é uma evolução.
Transcender não é um melhoramento.
Transcender não é uma transformação.

Mas é bem além.
Transcender é ascender a outro estado Vibratório.
É o que foi chamado, em um tempo, o Switch da Consciência, permitindo penetrar a Vibração densa do ego e passar, naquele momento, na Vibração da leveza do Coração.

A transcendência corresponde estritamente a isso.
Não é passagem de um estado a outro, como uma forma de continuidade, mas, efetivamente, desaparecimento de um estado e aparecimento de outro estado, sem solução de continuidade.


Questão: Se não se sente apego e está-se pronto para dar o salto no nada, pode-se, apesar de tudo, prosseguir esta vida para compartilhar essa alegria com os outros?

A Alegria é um estado de Irradiação que se faz naturalmente, sem qualquer vontade pessoal.

A noção de partilhar é inerente, mesmo, ao acesso ao Coração, porque a Irradiação é Doação. O acesso ao Coração é uma Doação permanente, que não tem necessidade alguma de justificação de palavras, nem de atitude alguma específica, se não é Irradiar, si mesmo, seu próprio Coração.

O partilhar, nesse caso, efetua-se por si, pela Irradiação do Coração.


Questão: Não é então mais necessário exercer qualquer atividade humana?

Toda atividade nesse mundo é reavaliada pelo próprio Coração.

Assim, portanto, você pode estar num jardim, você pode estar na contemplação do Sol, você pode estar, simplesmente, em Comunhão com outro ser humano. Mas essas relações, ou essas comunicações não são mais definidas por qualquer convenção, qualquer que seja, mesmo do Serviço, porque a Doação do Coração é espontânea, ela não necessita mais de outra construção (e, em particular, de construção do ego), num sentido de Serviço ou num sentido de ajuda, porque a ajuda e o serviço fazem-se espontaneamente pela Irradiação do Coração.

Assim, como vocês foram chamados, pelo Arcanjo MIGUEL, Ancoradores, Semeadores de Luz, corresponde à estrita Verdade, na condição, é claro, de que esse estado de Ancoradores, de Semeadores de Luz não se torne um ato de reivindicação, apropriado pelo ego, mas, simplesmente, uma Irradiação natural, estabelecendo-se para além de qualquer vontade pessoal e de qualquer reivindicação pessoal.

A partir daí, eu poderia dizer a você a frase: «ame, e faça o que lhe agrada».

Há tanto Amor a dar, por um ser que vive numa caverna como por aquele que vai ao encontro de seus Irmãos e de suas Irmãos.

Qual dos dois dá mais?
É aquele que encontra, fisicamente, seus Irmãos e suas Irmãs, ou aquele que está na Irradiação Crística no interior de sua caverna?


Questão: Uma flor, por exemplo, irradia por si. Como discernir, como ser humano, o que releva da Irradiação ou de uma forma de vontade específica?

E bem, naquele momento, bem amada, torne-se a flor que exala seu perfume, sem nada perguntar mais.

E sem qualquer outra ação.


Questão: É preciso então isolar-se, como Buda, numa caverna, ou continuar a estar ativo?

Bem amada, é preciso isolar-se no Interior de seu Coração, porque todo o mundo, o mundo Verdadeiro, não está no exterior. Esse mundo que você pode tocar, esse mundo que você pode provar é uma Ilusão total.

Como você quer penetrar o Coração, enquanto você dá peso à Ilusão?

Mesmo se isso se chame um impulso do Coração, ou de Serviço.
O que não quer dizer que aquele que penetra a Unidade e a própria Existência não aja mais, bem ao contrário.

Mas é preciso, antes, penetrar o Reino dos Céus, e não o inverso.
Se não, é o ego, sempre e ainda, que se apropria das virtudes do Coração.


Questão: Se se sente já na Alegria, e ela é amplificada estando simplesmente no jardim, isso é o início do estado de felicidade para o qual se é chamado a ir?

Inteiramente.
Qualquer que seja a atividade exterior, busquem o Reino dos Céus, e o resto ser-lhes-á dado em acréscimo.

E não o inverso.
Vocês não tocarão jamais o Reino dos Céus servindo-se do ego, para agir ou para fazer. Mas, se vocês penetrarem o Reino dos Céus, ou o Reino do Coração, então, naquele momento, tudo o que vocês farão será impregnado de Graça e far-se-á na Alegria.

O que não é o caso no inverso, onde predominam, então, naquele momento, estados emocionais, de frustração e de prazer, que não são a Alegria.


Questão: Se o mundo é Ilusão, o humano e as relações entre humanos são também Ilusão?

Bem amada, inteiramente.
O outro é um apoio.
O mundo é um apoio.

CRISTO disse: «vocês estão sobre esse mundo, mas vocês não são desse mundo».

Seu Espírito não se importa com esse mundo.
Ora, é questão, hoje, de reencontrar o Espírito.
Lembrem-se: ser-lhes-á feito, muito exatamente, segundo sua Vibração.

Vocês não podem pretender o Reino dos Céus e o reino da Terra (desta, não da nova) enquanto vocês não tenham realizado o Si. Enquanto vocês não tenham penetrado o desconhecido, vocês não podem viver a Luz, inteiramente.

Vocês vivem, naquele momento, apenas um sucedâneo da Luz, satisfazendo o ego (num papel de serviço, de ajuda, aportados para aliviar).

Hoje vocês não estão mais nos tempos lineares desse mundo onde, efetivamente, a alma humana ia para uma vontade de Bem, ia para uma necessidade de melhorar sua condição.

Lembrem-se de que vocês mudam de condição.
As circunstâncias não são mais de modo algum as mesmas.

As leis da matéria não são as Leis do Espírito.
As Leis do Coração não são as leis do ego.
As leis da ilusão não são as Leis da Graça.

Elas são, sem medida comum.
Por que é que a maior parte dos sábios, dos seres despertos (seja no Oriente ou no Ocidente, ou em outros lugares) imergiram-se nos aspectos de contemplação, de meditação ou de oração, nesse espaço de tensão para o absoluto e a Luz?

Após, obviamente, a vida deles foi feita de Serviço.
Mas foi necessário, primeiramente, encontrar o Reino dos Céus.

Hoje vocês são, todos, chamados a tornar-se Realizados.
Para isso, vocês devem mudar sua própria condição e suas crenças e suas satisfações.

Enquanto vocês consideram que o Reino dos Céus pode ser encontrado nesse mundo, vocês não podem ir para sua Unidade.

Cabe a vocês escolher.
O conjunto de processos Vibratórios que conduziram ao despertar de uma de suas Lareiras, à ativação da Coroa Radiante da cabeça e das Estrelas (que inúmeros de vocês percebem) são preliminares para sua entrada no Coração.

Nós sempre dissemos que a Consciência é Vibração.
Ter boa consciência, através de uma boa ação, não será jamais o acesso para a Consciência, mas para as satisfações do ego.

Mesmo se isso é difícil a entender, é a estrita Verdade.
Ninguém pode servir a dois mestres ao mesmo tempo.

É ou o Si, ou o «Eu».

Hoje, nesses tempos específicos, o acesso ao Si é grandemente facilitado porque a Luz veio até vocês.

CRISTO disse: «A Luz brilha nas Trevas, e as Trevas não a reconheceram».

O que são as Trevas, se não a consciência limitada do ego?


Não temos mais perguntas, agradecemos.

Bem amados Filhos da Luz e bem amadas Sementes de Estrelas, a cada dia, doravante, nós falaremos em palavras e em Vibrações, a fim de encorajá-los, por vezes de maneira forte, a ir para o Coração.

Não há outra alternativa, não há outra solução que o Coração.
O Coração de que falo é sua Unidade, é o Si.

Esse Si não se importa, ao limite, com o que pode dizer um Arcanjo, com o que pode dizer uma Ilusão presente nesse mundo.

Ser Livre e autônomo é viver isso.
Primeiramente, e em prioridade.

Em seguida, o resto da vida que lhes resta a percorrer nesse mundo será impregnado da Graça e da Alegria Eterna, da Unidade reencontrada.

Mas não antes.

Eu voltarei, quanto a mim, acompanhá-los em seu alinhamento diário de 19 horas [hora francesa].

Esperando que a Paz, a Alegria, o Amor e a Luz sejam seu Reino.

Até muito em breve.



___________________________
Compartilhamos essas informações em toda sua transparência. Agradecemos em fazer o mesmo, se as divulgarem, reproduzindo integralmente este texto e informando sua fonte: http://www.autresdimensions.com/
Versão do francês para o português: Célia G.
Revisão: beto junior

Nenhum comentário:

Postar um comentário