quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

NO EYES - 13 de fevereiro

13 de fevereiro de 2011

Mensagem publicada em 16 de fevereiro, pelo
site AUTRES DIMENSIONS.


Meu nome foi No Eyes.
Eu sou hoje aquela que porta a Consciência da Visão.
Irmãos e Irmãs encarnados, queiram se dignar a aceitar a Graça da Visão.

Eu venho lhes exprimir, em minhas palavras, meu modo de ver o que se produz atualmente sobre esta Terra.

O que acontece, em minha vida eu denominei o despertar e o vôo da Fênix.

A Fênix, este pássaro que renasce de suas cinzas.
A Fênix que, em breve, entoará seu canto de Liberação, audível, por todos, sobre esta Terra.

Eu vou, primeiramente, se efetivamente quiserem, retomar algumas noções que, espero, permitir-lhes-á perceber e viver a diferença entre o que seus olhos podem ver e o que seu Coração pode ver.

O que vê o Coração não pode ser visto pelos olhos.
O que veem os olhos não pode ser percebido pelo Coração.

A Visão, a verdadeira Visão, é um mecanismo bem diferente e bem distinto da imagem que é percebida por seus olhos.

A visão do Coração é, de fato, a Visão real da Vibração, de sua percepção e de sua tradução, não mais em imagem, mas no que eu chamaria a linguagem da certeza e da Verdade que se imprime, em vocês, para além da imagem e para além do que é um reflexo da Luz.

O olho dá acesso ao reflexo da Luz e ao jogo da Sombra e da Luz.
O Coração dá acesso à Visão real, onde não há mais qualquer reflexo, onde não há mais jogo entre a Sombra e a Luz.

Desde muito pouco tempo esta Terra vive um mecanismo inédito.
Esse mecanismo inédito, vocês o vivem também pelas próprias modificações de suas próprias percepções Interiores, concernentes ao seu Coração, seu corpo, sua Consciência.

De fato, o ser humano, quando é levado por esta Terra, faz parte, por seu corpo, desta Terra, porque ele é constituído de seus elementos. Assim, o que vocês vivem em vocês, se vive também sobre a Terra para aqueles que estão em linha com ela. Isso tem por corolário que, aqueles de vocês que estão ainda defasados, não alinhados na frequência primordial do tambor [tam-tam] da Terra, podem ainda se sintonizar e se sincronizar na frequência da Terra.

Porque o tambor da Terra iniciou o canto do tambor do renascimento, da ressurreição. Assim, é-lhes oferecida hoje, pela Visão do Coração e não pela visão de seus olhos, a possibilidade de se re-sincronizarem com esse mecanismo que muitos de vocês chamam Ascensão, Transfiguração, Elevação, pouco importam as palavras.

A Terra vive o que vocês vivem.
Há uma ressonância e uma afinidade entre vocês e a Terra, como entre vocês e o Sol.

Porque sua cabeça recebe o Sol e seus pés recebem a Terra.
Vocês são, portanto, de algum modo, e nós todos, quando estamos encarnados, os embaixadores e os receptáculos do Céu e da Terra.

O impulso da Luz vem tanto do Sol como, agora, da Terra.
Cabe a vocês regarem-se e sincronizarem-se ao que acontece.

É claro, as imagens de seus olhos dão também percepções, para aqueles que estão atentos e que olham verdadeiramente para as percepções novas da Terra e do Céu, seja ao nível das cores, seja ao nível das formas.

Muitas coisas são mostradas aos seus olhos (por seus próprios olhos ou retransmitidas por outros olhos, chamados de câmeras), focadas numa transformação importante, numa modificação da Terra.

Os tambores da Terra despertaram-se.
Cabe a vocês perceberem o pulso e a Vibração deles, para além do que lhes dão a ver seus olhos, a fim de penetrar na própria Essência e não mais no reflexo do que seus olhos viram.

É isso que se chama a Visão do Coração.
Então, é claro, o reflexo e a Visão real podem ser duas etapas sucessivas.

Há um exemplo que lhes foi dado pelos Anciãos e que o meu povo conhecia perfeitamente que é o de receber a irradiação do sol, pela manhã e à noite.

Isso estava presente em todas as tradições.
A saudação ao sol estava presente junto aos primeiros Anciãos de meu povo, mas também em todas as civilizações que vocês chamam tradicionais ou antigas ou nativas.

Hoje, mais que jamais, vocês têm a capacidade, para além da observação da imagem do sol por seus olhos e de sua transformação visível aos seus olhos, de perceberem a Essência e a quintessência, diretamente pelo Coração. É para esse olhar novo que eu os convido, que não é mais o olhar de uma imagem ou de um reflexo, mas o olhar da Verdade que assenta em seu Coração. O pulso da Terra bate também em seu Coração, como o pulso do Sol.

Passar do olhar exterior ao olhar Interior confere a verdadeira Visão. Esta Visão não tem as mesmas cores, nem os mesmos gostos que a visão dos olhos ou que a visão que se poderia qualificar de astral. A Visão do Coração é uma Visão direta, franca, imediata, que não passa, justamente, pela imagem, mas pela instantaneidade da percepção Vibratória, traduzindo-se em certeza Interior.

Então, é claro, vocês podem olhar com os olhos e constatar, por sua cabeça, as transformações que vive a Terra preparando seu vôo.

Mas há uma maneira, muito mais exata e importante, de perceber isso, e essa não passa pelos olhos, mas pelo Coração.

Porque seu Coração é realmente capaz de ver a Verdade.
Isso é muito simples, ao invés de olhar com seus olhos, seja o Sol, um Irmão, uma Irmã, uma árvore, fechem os olhos e olhem com o Coração.

Porque a Visão do Coração é uma Visão onde não há sombra.
Uma Visão onde se torna muito facilmente, hoje, fácil ver a Unidade da vida e o chamado da Unidade para juntar-se à sua própria Unidade. Assim, ao invés de olhar as mudanças aparentes do sol com seus olhos, fechem seus olhos e olhem, com o Coração, o sol.

Então, vocês perceberão, em seu Coração, o pulso do sol.
Da mesma maneira, não olhem, com seus olhos apenas, a Terra, mas levem sua Intenção, com seu Coração, para a Terra, e então vocês ouvirão o tam-tam da Terra, o seu canto de despertar, preparando o canto do seu vôo.

Tudo isso lhes é inteiramente acessível, mas isso demanda passar do olhar exterior, aquele dos olhos, ao olhar do Coração. O olhar do Coração é um modo de ver para além do reflexo, para além da Ilusão.

Porque o olhar do Coração não engana jamais.
A Vibração do que vocês vão olhar com o Coração vai se tornar evidente e evidência. O mental, além disso, não pode interferir, assim como as emoções, assim como sua história pessoal.

A visão do Coração é pura, porque se situa no instante e não é referenciada num jogo de Sombra e de Luz, tal como existe no reflexo, ou ainda referenciada em relação a lembranças.

A Visão do Coração será sempre exata.
É uma aprendizagem, eu repito, hoje, que lhes é facilitada grandemente pelas próprias Vibrações da Luz, pelo canto da Terra e o canto do sol.

Porque o Sol e a Terra cantam, verdadeiramente, em vocês.
O canto da alma, que vocês percebem em um ou nos dois ouvidos, é também o canto da Terra e do Sol. Esses cantos que, hoje, mudam, tornam-se mais intensos e, para alguns de vocês, de um golpe desaparecem, traduzem a alquimia que se produz e que vocês têm a capacidade de ver com o Coração.

Exercitem.
Olhem uma árvore e, de um golpe, fechem seus olhos e apontem seu Coração para a árvore. Naquele momento, vocês verão a árvore, não tal como seus olhos a veem, mas tal como o olho do Coração ou olho da Consciência a percebe.

Esse olhar, eu repito, não é discriminante.
É englobante.

É o olhar da Unidade.
É o olhar da comunhão.
Aquele onde não há mais distância, enquanto que o olho, justamente, aprecia uma distância entre vocês e que vocês olham.

A Visão do Coração é abolição desta distância, porque ela os coloca no instante da comunhão com o que vocês olham e os faz viver esse olhar como uma espécie de comunhão bem real, abolindo, de algum modo, a distância que era colocada pelo olhar dos olhos.

A Visão Interior nada tem a ver com a visão exterior.
A visão exterior separa, ainda que seja útil para discernir também a beleza, a beleza do reflexo.

Mas a beleza do reflexo não é a beleza da Verdade.
A Visão do Coração os faz penetrar, de modo instantâneo e imediato, na comunhão com o Todo, com o Grande Espírito, com a Fonte, como vocês a nomeiam. Há, hoje, para a maior parte de vocês, aqui e em outros lugares, esta capacidade em vocês.

Ainda é necessário saber.
Ainda é necessário vivê-la.
E, quando começarem a viver isso com o Coração, vocês constatarão, de algum modo, a insipidez e a distância da visão com os olhos, contrariamente à Visão do Coração.

Na visão dos olhos, os objetos são iluminados do exterior, pelo sol, pela luz.

Na visão do Coração, é a própria Luz que se ilumina do Interior do que é observado.

A árvore não é mais um fantasma ou uma massa, mas a árvore torna-se uma Vibração de Luz com suas qualidades, suas Vibrações, suas informações que jamais vocês poderão captar com os olhos.

O olho torna-se, naquele momento, uma deficiência na percepção real que é a árvore e no que ela tem a lhes dizer. Porque tudo o que vocês olham com o Coração tem algo a lhes dizer, algo a trocar, justamente, porque o olho não está mais lá para colocar distância entre vocês e o que vocês olham.

A Visão do Coração confere, instantaneamente, a capacidade de fundir com o objeto de seu olhar e o objeto, então, ou a Consciência com que olham, não está mais separado de você mesmo. É nesta comunhão alquímica, se pode-se empregar essa palavra, que se realiza o verdadeiro conhecimento de um ser, de um objeto, de um planeta, de uma constelação.

Quando vocês olharem o sol, quando olharem uma estrela, uma árvore, um ser humano, não esqueçam jamais de fazer a experiência de fechar seus olhos e pedir ao seu Coração para ver a Verdade.

Isso é acessível a todos e a cada um.
Isso não é complicado.
Isso não necessita de ritual.

Há exatamente o fechar os olhos e pedir ao Coração para ver.
A passagem da visão exterior para a verdadeira Visão os fará descobrir um mundo insuspeito e, sobretudo, a Verdade para além da imagem e da aparência. Porque, enquanto vocês virem com os olhos e unicamente com os olhos, ainda que seu Coração esteja aberto, sua Consciência será sempre perturbada pela imagem do reflexo, pela fisiologia, pelo aspecto, pela aparência, pelo exterior.

E, ainda que seu Coração perceba o Interior, não o vê, no entanto.
Ver o Interior é aceitar não mais ver o exterior.
É Unificar a Consciência.

É Unificar-se com você mesmo e com o objeto de seu olhar.
É passar, como lhes teria dito Um Amigo, da distância à coincidência, passar da fragmentação à Unidade.

Esta capacidade está em vocês, porque é inscrita em suas 12 Estrelas.

Eu sou delas apenas a humilde representante.
As 12 Estrelas são ativadas em vocês, então sim, vocês têm a possibilidade, vocês também, sem perder a visão, contudo, de ver realmente com o Coração.

Quando existe um problema, mesmo que lhes pareça insuperável, parem de vê-lo com o olho crítico, com o olho do cérebro, o olho da cabeça e peçam para vê-lo com o olho do Coração. E então, vocês ficarão surpresos que, naquele momento, a solução está já inscrita no olho do Coração, enquanto que ela jamais estará no olho da cabeça.

Durante o período que vocês vivem, que é o despertar total da Terra que prepara o vôo da Fênix, sua própria ressurreição e a ressurreição da Terra, vocês vão poder se guiar, sem serem cegos, com o olhar dos olhos ou do mental, mas verdadeiramente ver a Verdade com o olho do Coração.

Vocês têm todos, sem exceção, esta possibilidade.
A Cruz de sua cabeça é ativada.

As 12 novas fitas de DNA ativam-se e vocês têm, portanto, por sua Merkabah, a capacidade de abrir o olho do Coração. A Visão do olho do Coração, eu repito, permite-lhes ter acesso à Essência e à Verdade.

Jamais o olho da cabeça lhes permitirá isso.
Porque, logo que vocês vejam com o olho da cabeça, intervém um conjunto de elementos que os afastam da Verdade, no qual, pelo conhecimento de si mesmo, sobrepõe-se certo número de referenciais, como o estetismo, a beleza, seu próprio sentido da beleza, seu próprio julgamento, independente de sua Consciência.

O que não pode existir no olhar Interior.
Tomem o hábito, frente àqueles que olham, em vocês como no exterior de vocês, de passar sistematicamente do olhar dos olhos ao olhar do Coração.

Vocês ficarão surpresos com o que os colocará em movimento e em ação.

Então, sim, eu não falei disso antes porque era mais difícil antes.
Este antes sendo simplesmente alguns meses.

Hoje, devido às Passagens, aberturas que se criaram, devido à mudança do ritmo da Terra e da preparação do seu vôo, isso se torna extremamente fácil para levar a efeito.

Então sim, eu, como Visão, e o conjunto de minhas Irmãs, nós os convidamos a passar do olhar exterior ao olhar Interior. Nem mais, mesmo, sobrepor, como fazem, para os que têm o Coração aberto e Vibrante, o olhar do Coração e o olhar dos olhos, mas fazer funcionar, um após o outro, e vocês adotarão muito rapidamente o olhar do Coração, porque este lhes dá acesso, eu repito, à Essência e ao essencial.

Repito, não há técnica.
É suficiente simplesmente fechar os olhos e pedir para abrir o olho do Coração, de seu Coração e para ver com o Coração.

E vocês verão, naquele momento.
Vocês não verão uma imagem, mas verão a Verdade.
Vocês perceberão a Essência, a Vibração e qualquer outra coisa que seus olhos veem porque viverão do Interior o que era vivido anteriormente do exterior.

Isso concorrerá também para ir cada vez mais profundamente para sua Unidade, para a Vibração da Existência.

A experiência, se a reproduzem, parecer-lhes-á cada vez mais fácil e evidente.

Então não haverá mais qualquer dúvida.
Vocês apreenderão, inteiramente, o que quer dizer a palavra Visão, que nada tem a ver com a visão tal como pôde ser empregada pelos adeptos do 3º olho.

Nós não estamos mais ao nível do 3º olho.
Estamos realmente no Coração, isso faz toda a diferença.
Um mundo novo de percepções e de Vibrações abre-se a vocês.

De fato, sempre esteve aí.
Simplesmente, o olhar do olho da cabeça tinha favorecido a distância entre vocês e o resto do universo.

Hoje, esta separação toca ao seu fim.
O tam-tam da Terra despertou inteiramente e o vôo da Fênix é para logo.

Aí está, Irmãos e Irmãs, as algumas palavras que me encarregaram de lhes transmitir hoje, porque, hoje, é o momento.

O que eu disse é extremamente simples, mas a Verdade é simples.

Sempre.
Se há necessidade de explicações suplementares, complementares, em vocês, então, gostaria de responder.

Quanto a mim, terminarei por essas palavras: a imagem jamais é a Verdade.

A imagem, como a percebem pelos olhos, é falsa.
E isso seus cientistas sabem.

Vocês percebem apenas uma banda de frequências extremamente limitada pelos olhos. O que não é o caso do Coração que, ele, capta uma banda de frequências extremamente larga, indo bem para além dos limites do olho e que lhes dá acesso ao que está atrás da imagem, à própria Luz, que gera a imagem.

Irmãos e irmãs, é com vocês, se há perguntas.


Questão: Hoje onde viajam os xamãs? Na Visão do Coração ou no astral?

Cara Irmã, tudo depende do xamã.
Mas muitos xamãs serviram-se da trama astral que é um reflexo, aí também, da Verdade.

O xamã tem poderes.
Esses poderes exprimem-se no astral.
O que lhes falei hoje nada tem a ver com a visão xamânica.
A Visão do Coração não é a visão do xamã.

Aliás, quando fizerem a experiência da Visão do Coração, vocês se aperceberão que as cores e as luzes não estão no exterior, mas efetivamente no interior do que é visto.

Toda a diferença está aqui.
Enquanto vocês estiverem numa luz exteriorizada, tudo o que é visto pelo olho da cabeça ou o olho Luciferiano, aparecer-lhes-á, como o re-transcreveram muitos artistas, com luzes exteriores que vocês chamam aura, entre outras coisas, ou irradiação.

O olho do Coração lhes dá a Visão Interior e, portanto, a Luz está no interior e não no exterior.

É a grande diferença.
No olho do Coração não há Sombra.
No olho astral há sombras.


Questão: Como manter a Visão do Coração na relação ao outro, os olhos abertos?

Isso é impossível porque, quando seus olhos estão abertos, ainda que seu Coração esteja aberto, a visão do olho predominará sempre. É necessário verdadeiramente transcender muitas coisas para chegar a conservar o que eu chamaria a Visão do Coração ou a Visão Unitária, conservando ao mesmo tempo os olhos abertos.

Não é por acaso, se a meditação faz-se de olhos fechados, e a oração também. Mas, uma vez que tenham realmente visto com o Coração, pode-se, contudo, dizer que a Visão dos olhos não será mais, jamais, a mesma, porque vocês saberão, naquele momento, que ela é falsa e falsificada.


Pergunta: O olhar do Coração e a percepção que daí decorre, poderia ser a intuição profunda?

A intuição pode situar-se em diferentes níveis.
A intuição, que é mais ligada ao que eu chamaria de instinto, que passa pelo ventre.

Há a intuição da cabeça, ligada a uma visão astral ou Luciferiana.
Há a intuição do Coração que é mais um mecanismo de fusão, onde não há mais distância entre sua Consciência e a Consciência do que é olhado.

É uma percepção de conhecimento direto.
Então, talvez, isso poderia chamar-se a intuição profunda.
Esta intuição profunda é o conhecimento direto que não passa pelo filtro do mental, que não passa por uma visão astral, que não passa por um símbolo, e que não passa, tampouco, pelas tripas.


Questão: É necessário viver a Vibração do Coração para ter a Visão do Coração?

Sim.
É preciso que ao menos uma das Coroas radiantes esteja ativa.
Aliás, se a Coroa radiante do Coração não está ainda ativa, ou não suficientemente, o fato de abordar esta Visão do Coração poderá, por si só, ativar o Coração.

Para aqueles cujo Coração está ativo, ao nível da Coroa radiante, isso será efetivamente muito mais fácil e direto.


Não temos mais perguntas, agradecemos.

Irmãos e Irmãs encarnados, foi uma muito grande alegria para mim estar com vocês.

Todo meu Amor os acompanhe, em Unidade e em Verdade.

Eu espero, até breve.

Eu saio agora.



___________________________
Compartilhamos essas informações em toda sua transparência. Agradecemos em fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente este texto e citando sua fonte: http://www.autresdimensions.com/
Versão do francês para o português: Célia G.
Revisão: Beto Schlichting

Nenhum comentário:

Postar um comentário