terça-feira, 30 de novembro de 2010

ANAEL - 30 de novembro (2ª Parte)

30 de novembro de 2010

Mensagem publicada em 11 de dezembro, pelo site AUTRES DIMENSIONS.


Questão: Qual é esse som específico que se ouviu ontem à noite?

Bem amado, os sons que vocês percebem correspondem a modificações importantes produzindo-se atualmente em seus diferentes envelopes, existentes nesse sistema solar.

A penetração de certo número de partículas novas, além das partículas Adamantinas ao nível da ionosfera, provoca perturbações, ditas elétricas, audíveis. Elas são as premissas das que conduzirão a viver os mecanismos específicos sobre esta Terra.

Esses sons que vocês percebem em alguns momentos (como ontem) são também percebidos por alguns de vocês quando do alinhamento com a Merkabah interdimensional coletiva e traduzem, efetivamente, uma abertura Dimensional.

Questão: As escolas iniciáticas fazem parte da Loja Negra?

Bem amado, convém diferenciar formalmente os seres aderentes a essas escolas ditas iniciáticas ou a esses movimentos ditos ocultos que podem estar, eles, completamente no Coração.

É preciso efetivamente diferenciar a Atenção da alma humana, quando ela participa dessas escolas, da finalidade última que é frequentemente escondida dos adeptos ou daqueles que participam dessas escolas.

O objetivo confessado não tem, obviamente, nada a ver com a abertura do Coração, mas concerne ao conhecimento dito esotérico, espiritual ou oculto. Este conhecimento esotérico, espiritual ou oculto, necessário durante certo tempo para se aproximar de uma compreensão mental do Mistério de sua Dimensão, é hoje obsoleto.

Além da boa vontade que pode existir entre esses adeptos, existe um desvio de energia que permite alimentar algumas egrégoras ligadas à dualidade. Algumas dessas egrégoras ligadas à dualidade não tanto negativas, em termos de analogia dualitária, mas, entretanto, vêm, independentemente da própria vontade inerente aos adeptos, alimentar o princípio de dualidade.

Isso é inerente a todo sistema de conhecimento dito iniciático, esotérico, fazendo com que a humanidade, em seu conjunto, serviu-se para “evoluir”, em seu pensamento, seu intelecto, sua razão.

Hoje, o processo chamado Transmutação, que vocês vivem, faz de vocês Seres novamente multidimensionais (se tal é seu desejo), não tendo mais necessidade de exercer qualquer atividade cerebral para tocar certo número de mistérios, chamados como tais no conhecimento esotérico, qualquer que seja.

Questão: Os zumbidos são sempre ligados à construção do Antakarana, ou eles podem decorrer de doenças como aquela de Mésnière?

A doença de Mésnière existe, é uma doença e não se deve confundir esses sons com o Nada, ou cantos da alma, que são sons ligados à Luz Vibral.

A construção do Antakarana provoca, obrigatoriamente, sons percebidos ao nível dos ouvidos, mas podem também existir sons que são percebidos e que correspondem, estes, a uma doença.

Já foi respondido que os zumbidos do ouvido são, em alguns casos, estritamente patológicos. Em outros termos, nem todos os zumbidos no ouvido são forçosamente ligados à abertura dos chacras da clariaudiência ou do Antakarana.

Em contrapartida, todas as aberturas da ampola da clariaudiência provocam os zumbidos no ouvido.

Questão: Pode-se não ter o zumbido no ouvido e estar assim mesmo aberto?

Por um lado, o zumbido no ouvido é apenas um dos sintomas, apenas um dos Siddhis testemunhando a abertura à clariaudiência e, de outro lado, isolado, esse sintoma, ele sozinho, pode apenas garantir que a abertura se realize.

A ativação se sente pela Vibração e, quando há ativação, você ouve forçosamente o Nada, o canto da alma, isso traduz a conexão corpo – alma – Espírito.

Questão: A colocação no serviço dos novos corpos necessita a morte dos antigos?

Bem amada, vocês passam de um sistema de 7 para 12.
Se os antigos morressem, vocês passariam de 7 para 2, o que seria uma regressão muito profunda.

Então não há perda dos corpos emocional e mental?
Não, eles são transmutados.

O corpo emocional, assim chamado ao nível de sua Dimensão, o Corpo astral, ligado ao Manipura chacra, é transformado em outra estrutura religada diretamente às noções de atração, mas nada tendo a ver com as emoções.

Não se esqueça que a falsificação consistiu em atuar unicamente no triângulo chamado Luciferiano, constituído entre AL, Bem e Mal ou AL, Atração/Repulsão.

A ação nesse centro modificou, de maneira importante, a Consciência, para que esta se exprima ou pelo 3º olho, ou pelo Manipura e, em todo caso, em caso algum, ao nível do Coração, tendo, portanto, provocado o princípio de ação–reação, bem-mal, julgamento-discernimento e, portanto, emoção, amo-não amo.

A estrutura física, ou o que é chamado o 1º chacra, é substituído, obviamente, por outra estrutura que é ligada aos 4 Pilares, em ressonância direta com a forma que é a nossa, mutável nos espaços multidimensionais. Isso poderia ser chamado um corpo de densidade física, ainda que a noção de física nada tenha a ver com qualquer estrutura em carbono nos mundos além da 3ª Dimensão.

Questão: Uma vez o Triângulo Luciferiano voltado, onde se situa o ponto AL?

O ponto AL permanece, no plano Vibratório, pelo momento (devido à sua estrutura nesse mundo dissociado), aí onde ele era colocado, no plano fisiológico.

No plano energético Vibratório Vibral, ele se situará na raiz do nariz, no alto da implantação do nariz, bem abaixo do ponto de junção das duas sobrancelhas. Agora, o desenvolvimento desse triângulo se voltando, ao final de certo tempo (ligado ao estabelecimento, mesmo na Terra e em seu ambiente, da nova dimensão, pelo estabelecimento desse triângulo, diferentemente) o ponto AL virá se confundir com o que é chamado o chacra da garganta.

Então, pelo momento, isso nada muda na ativação das 12 Estrelas?

Absolutamente não.

Questão: A que corresponde o fato de se inclinar a cabeça à frente e boca aberta quando das efusões, ao mesmo tempo percebendo modificações entre as zonas AL e OD?

Bem amada, a posição da cabeça inclinada é um processo normal nos processos de meditação que vocês vivem. É muito mais fácil integrar as Estrelas de Maria quando a Coroa da cabeça vem se colocar, de algum modo, na horizontal. O que não quer dizer que é preciso, necessariamente, fazer isso, mas que, se isso se produz durante os espaços de meditação, então, aceitem que sua cabeça se incline, permitindo então colocar num mesmo plano o Coração, Coroa Radiante do Coração e a Coroa Radiante da cabeça.

Isso permite um processo de alinhamento, de aproximação, ou de fusão, muito mais fácil entre a Coroa radiante da cabeça e a Coroa Radiante do Coração, para alguns de vocês. Obviamente, em seu processo de alinhamento, de meditação, as intervenções são múltiplas.

Elas estão ligadas às intervenções, mesmo em níveis inconscientes, em particular, aqueles de vocês que sentem laços aprisionando os tornozelos, os punhos ou o conjunto dos membros, isso foi dito, corresponde a um dispositivo de bloqueio de seu acesso à Existência, a fim de não deixar definitivamente esse plano.

Questão: Seguidamente, tive a impressão de viver a descida de uma criança, da cabeça até o ventre, seguido de sintomas de uma maternidade, dos quais, uma reversão no ventre.

Bem amada, ao nível das transformações Vibratórias que vocês vivem, a Luz Vibral vai induzir certo número de reversões.

Essas reversões são múltiplas.
Há, efetivamente, uma passagem do ego ao Coração que busca se efetuar. Isso se traduz por uma reversão mesmo do plexo solar, voltando-se então para o Chacra do Coração, ilustrando a passagem da porta estreita.

Essa reversão está inscrita também em outras estruturas Vibratórias existentes em seu abdômen e concorrendo para fazê-los ir para o abandono à Luz e a passagem desta porta conduzindo-os ao Coração.

Questão: Onde se situa meu papel de mãe, como educadora? Isso se torna difícil para mim.

Bem amada, atualmente, cada um está em seu lugar, em sua idade e em sua função.

Vocês passam por estados Vibratórios multidimensionais, mas o estado dimensional dissociado está ainda presente.

Vocês têm que realizar de frente duas vidas, profundamente diferentes, cujas finalidades não são as mesmas.

É o que vocês escolheram experimentar e viver.
Alguns de vocês ainda não entraram na vida ativa, alguns de vocês se colocam questões sobre um conjunto de tradições e de relações habituais nesta Dimensão. Convém, entretanto, realizar, na noção de desapego, todas as tarefas que lhes incumbem em função do que vocês escolheram viver durante este período.

Não é conveniente cortar o que quer que seja.
Obviamente, a partir do momento em que vocês estão abandonados à ação da Luz Vibral, esta pode instaurar algumas circunstâncias fazendo-os efetivamente mudar, de maneira por vezes bruta ou mais suave, alguns comportamentos, algumas ações ou alguns papéis, na sociedade ou em sua vida.

Não há modo mais adequado do que outro de gerir isso.
Simplesmente, o estabelecimento da Consciência no Coração permite viver a tarefa, qualquer que seja, na Alegria.

Existem, e nós estamos conscientes disso, e já o dissemos, uns e outros, algumas circunstâncias por vezes penosas e, em particular, nas relações próximas em que um dos seres se dirige para a Existência e o outro recusa absolutamente ouvir falar desse gênero de coisas. Isso faz parte da experiência que vocês vieram viver, naquele momento preciso, neste espaço, sobre esta Terra.

Não há resposta pronta, nem outra possibilidade do que a de estar na Alegria do Coração e na Paz, permitindo levar a efeito as ações na Unidade, mesmo concernentes à dualidade, concernentes à vida comum por vezes a mais penosa para alguns de vocês.

O único modo de aliviar o que é vivido como pesado é unicamente viver na Alegria do Coração.

Compreendam efetivamente e apreendam efetivamente que as circunstâncias que lhes são propostas, durante este período, obviamente profundamente diferentes para cada um de vocês, ilustram perfeitamente, através do que existe como relações, como apegos perfeitamente lógicos nesta dimensão dissociada, como sendo os fatores de transformação e de transmutação.

Questão: Permanecer na Alegria significa então, também, não mais intervir frente a um filho?

Bem amada, eu jamais disse isso.
A partir do momento em que a Alegria é estabelecida, pode haver ação mesmo da dualidade. Simplesmente, esta ação não é uma ação ligada à própria dualidade, mas é procedente da Unidade, o que é profundamente diferente.

A Alegria de que eu falo é a Alegria Interior, ligada à ativação do Coração. Isso não é, e nada tem a ver com a noção de indiferença ou ainda deixar fazer.

Vocês têm todos, pelo momento, tarefas a realizar, quaisquer que sejam. Essas tarefas não devem ser suspensas ou paradas.

Vocês têm que se alimentar, vocês têm que trabalhar, alguns. Toda a diferença é o ponto de vista segundo o qual se fazem essas atividades que vocês têm a realizar por obrigação, por desprazer ou por prazer.

A partir do momento em que essas tarefas e essas obrigações são realizadas na Alegria do Coração, não há que se colocar questão quanto a como vão se desenrolar essas intervenções, seja na educação de um filho, seja na ação ou na atividade de uma tarefa ingrata ou que lhes pareça, em todo caso, ingrata, hoje.

Questão: Você fala frequentemente de Multiuniverso, Universo etc. Mas o que é um «verso»?

Um Universo corresponde simplesmente a um conjunto preciso, com referências precisas (no plano da Consciência, no plano matemático e nos diferentes planos físicos), podendo existir nas Dimensões.

Um Super-Universo é constituído de um conjunto de Universos.

Um Multiuniverso é a associação de várias Dimensões num Universo.

Um buraco de “minhoca" ("vers") [*] é o que vem perfurar as dimensões, permitindo uma comunicação num mesmo Universo ou Multiuniverso.

Um Super-Universo é, quanto a ele, a associação de certo número de Universos.

Agora, a etimologia da palavra "verso" não deve ser necessariamente desatrelada de Universo, Multiuniverso ou Super-Universo.

A raiz Vibratória nada tem a ver com a palavra “verso” em si mesma.



***********
[*] Aqui há uma conotação mais compreensível no francês, uma vez que "vers" nessa língua significa "verme, minhoca", levando a explicação a "buraco de minhoca", como explicado nesse trecho:

Em física, um buraco de verme ou buraco de minhoca é uma característica topológica hipotética do continuum espaço-tempo, a qual é, em essência, um "atalho" através do espaço e do tempo. (fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Buraco_de_minhoca).



___________________________
Compartilhamos essas informações em toda sua transparência. Agradecemos em fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente este texto e citando sua fonte: http://www.autresdimensions.com/
Versão do francês para o português: Célia G.

Nenhum comentário:

Postar um comentário