quarta-feira, 27 de outubro de 2010

UM AMIGO - 27 de outubro

27 de outubro de 2010

Mensagem publicada em 29 de outubro de 2010, pelo site AUTRES DIMENSIONS.


Eu sou Um Amigo.

De meu Coração a seu Coração, Irmãs e Irmãos na humanidade, recebam gratidão e amizade.

Eu expressei, no período que acaba de se escoar, certo número de elementos além do Yoga da Unidade, permitindo-lhes assimilar as ressonâncias entre a Consciência e a Vibração, de um lado e, do outro lado, assimilar as diferenças fundamentais existentes entre a manifestação da consciência do Ego e a Consciência do Si.

Sri Aurobindo, por sua vez, largamente e amplamente comentou a noção de emoção e de corpo de desejo.

Eu gostaria, agora, quanto a mim, neste espaço em que me é permitido expressar-me, talvez entrar mais adiante nos detalhes e nos elementos que, justamente, referem-se à Consciência e à Vibração, à consciência do Ego e à Consciência do Si e, em outros termos, a Vibração do Ego e a Vibração do Si.

Assim, portanto, vamos, esta noite, dialogar sobre isso.

Se existem então, em vocês, questionamentos persistentes com relação a esta noção de Vibração e de Consciência, esta Vibração do Ego e esta Vibração do Si, então, vamos poder avançar juntos sobre essas coisas.

Esta noite, então, eu lhes dou a palavra e eu escuto.

Questão: Poderia desenvolver sobre a Vibração do ego?

Cara Irmã, o ego é Vibração, por sua manifestação.

Esta Vibração é onipresente, que ela se traduza pela respiração, que ela se traduza pelo batimento do Coração ou pelos movimentos mesmo existentes nos músculos ou em tudo o que constitui esse corpo de carne.

Tudo é apenas Vibração, mesmo nesse nível.

Existem também, em meio mesmo deste ego, circuitos de Vibração bem conhecidos nos modelos orientais, sobre os quais é perfeitamente possível desenvolver.

De fato, o ego vibra e a Vibração do ego pode se traduzir pela própria circulação da energia vital do Prana, no que são chamados os meridianos ou os Nadis.

Indiscutivelmente, esta estrutura pertence ao ego, porque ela traduz mesmo a fisiologia de seu corpo.

A percepção dessas Vibrações, desta consciência das energias vitais, nada tem a ver com o Si.

Assim, portanto, o ego vibra também.
Obviamente, certo número de funções Vibratórias lhes foi tornado inacessível mesmo no ego.

Isso se refere, por exemplo, aos mecanismos que acabo de nomear, como os meridianos de acupuntura que, enquanto vocês não tiverem realizado um trabalho específico de conscientização no ego, vocês não podem perceber ou sentir.

Assim, portanto, o ego vibra, mesmo se vocês não se apercebam.

A Vibração do ego é marcada por certa forma de peso, de densidade.

Esta Vibração pode ser qualificada, mesmo, de física, mesmo no que concerne à percepção dita energética, em sua linguagem.

Esta percepção energética corresponde a uma circulação densa.

Aliás, ela recorre ao que é chamado eletromagnetismo e circula, efetivamente, nesses meridianos e no interior desses Nadis, e é apenas uma circulação de fluido eletromagnético, acompanhada ou não de elétrons.

E, aliás, isso é mensurável pelas técnicas que detectam a modificação desta eletricidade.

Assim, portanto, o ego é Vibração, como toda vida é Vibração.

Mesmo um morto, no sentido em que se entende nesta Dimensão, emite uma Vibração que pode ser captada e registrada.

Simplesmente, as escalas de Vibrações e as gamas de Vibrações nada têm de sobreponíveis, nem em sua circulação, nem em sua localização, entre o que se refere ao mundo do ego, o mundo Vibratório do ego e o mundo Vibratório do Si.

A própria palavra é uma Vibração, num espectro preciso eletromagnético.

O Verbo é simplesmente o momento em que a boca está aberta, ou seja, onde o 11º Corpo está ativo, permitindo, naquele momento, acompanhar a Vibração da palavra pelo Verbo.

Quer dizer que a Vibração que é emitida, naquele momento, é acompanhada de Partículas Adamantinas, o que não era, evidentemente, o caso na palavra existente na Personalidade.

Assim, portanto, tudo é Vibração, absolutamente tudo.

Simplesmente, a Vibração do ego não pode dar percepção da Vibração do Si, do mesmo modo que, quando a Vibração do Si é percebida, isso vai se traduzir por uma modificação radical da circulação das Vibrações do ego.

Nós estamos, de algum modo, sobre suas escalas de grandezas diferentes, duas escalas de Vibrações que não são sobreponíveis.

Questão: As linhas centrais são as ligações entre os planos Vibratórios e o ego e do Si?

Cara irmã, eu conheço apenas a palavra Nadis relativa à circulação de energia para o exterior do corpo.

Agora, e relativamente a tudo o que dissemos sobre o ego e o Si, é evidente que nenhuma energia, do tipo eletromagnético, ligada ao ego, possa, por ela mesma, dar a Vibração do Si.

Do mesmo modo que é apenas você, em Consciência, que pode abrir a porta do Coração.

A agregação das Partículas Adamantinas, tal como foi descrita, apenas se pode fazer por sua própria Consciência.

Nenhuma estimulação, que ela seja de origem magnética ou que ela seja ligada a uma tecnologia pode, de nenhuma maneira, nas gamas de frequência que vocês conhecem e que vocês aplicam, substituir o que é chamado de Partículas Adamantinas, cuja estrutura lhes é conhecida.

Essas Partículas Adamantinas foram inseridas, de algum modo, em sua realidade, desde uma geração, chamadas, de acordo com as respectivas velocidades, num primeiro tempo, Espírito Santo e, após, Ultravioleta e Irradiação da Fonte.

Mas, em qualquer caso, essas Partículas Vibrantes não sobreponíveis a uma circulação de energia no sentido eletromagnético, no que concerne aos meridianos de acupuntura ou também ao que é chamado os Nadis.

Vocês podem muito bem ter o que é chamado um chacra, desperto e aberto, mas, enquanto este não for investido pelas Partículas Adamantinas, ele não vibrará na Vibração do Si, mas permanece ao nível do ego.

Assim, há alguns movimentos, que existiram na superfície deste planeta, prometendo a ativação de tal ou tal chacra.

Obviamente, o chacra da fronte, prioritariamente, ou eventualmente o Kundalini, através de transferências de energias chamadas de eletromagnéticas.

Isso não conferirá jamais o Si, é impossível do exterior.

Questão: O ego é igualmente uma ilusão?

A partir do momento em que vocês consideram que esse Corpo é ilusão, sua consciência está inserida, efetivamente, numa ilusão total.

O ego é uma ilusão, assim como esse corpo ao qual vocês deram nascimento.

Evidentemente, enquanto isso é afirmado do exterior, permanece apenas um conceito.

Apenas vivendo a passagem ao Si e, eventualmente, à Existência, que se realiza esta proposição.

Enquanto vocês estão inseridos, inteiramente, numa ilusão e enquanto dão corpo, literalmente, a esta ilusão, vocês não podem se extrair e vocês consideram isso como real.

Assim como o ego, falando mesmo do que acontece nesta ilusão, não pode compreender o que acontece do outro lado, que é, no entanto, a persistência do ego, mas num outro estado Vibratório também, mesmo na matriz.

Assim, portanto, o ego se desloca entre o momento do nascimento e o da morte.

Ele não lhes dá qualquer percepção, e não lhes dará jamais qualquer percepção, nem qualquer Consciência, do que acontece nos outros níveis.

O ego é, portanto, o apêndice da realidade que vocês vivem.

Ele apenas existe, aliás, nesta Dimensão.
A alma, quanto a ela, apenas existe nos mundos intermediários, denominados matriz astral.

Em Verdade, vocês são apenas Espírito.

Questão: A identidade corresponde ao Si?

Eu não estou seguro de ter apreendido o alcance que há atrás dessas palavras.

A identidade é uma projeção, numa pessoa, que é uma máscara.

A identidade e a pessoa não têm qualquer realidade diante de Si.

O Si não é sua identidade.
Enquanto vocês buscam o Si em sua identidade, vocês não podem encontrá-lo.

O Si é, justamente, o acesso a um outro estágio de Vibração, traduzindo-se pelas primícias e os sintomas que foram perfeitamente descritos por várias pessoas que viveram, justamente, este desaparecimento da pessoa em favor do Si.

Seja nos escritos antigos do Oriente ou ainda através da descrição de alguns estados vividos pelos místicos, há sempre esta onipresença da Consciência energia e Vibração, vibrando em níveis que nada têm a ver, justamente, com a pessoa, consistindo, em todo caso, no Ocidente, ao acesso a uma transcendência.

Esta transcendência podendo ser ilustrada por uma identificação total com, por exemplo, a energia do Cristo e, portanto, o que vocês chamaram de estigmas.

No Oriente, a identificação e a projeção em um nível de consciência diferente não se fazem, obviamente, segundo os mesmos modelos, mas conduz, necessariamente a um mesmo estado e à mesma Consciência Vibratória.

Eu prosseguiria nesta noção de Consciência e de Vibração, se querem, até que vocês tenham outros questionamentos.

Foram referidas, nas escrituras Orientais, duas qualidades de energia denominadas Prana e Cittá.

O Plano Prânico corresponde à mobilização do que nós chamamos, no Oriente, os glóbulos de vitalidade ou Prana, que alguns de vocês podem perceber.

Esses glóbulos de vitalidade podem circular no interior de linhas de menor resistência, chamados, justamente, de Meridianos ou Nadis.

O que circula no interior desses circuitos são as partículas de seu mundo.

Não é acelerando ao máximo essas partículas que elas vão conduzir a outras partículas.

A circulação e a percepção da energia denominada Cittá ou Plano da Cittá apenas se poderá fazer se essas referidas partículas estão presentes e circulam e vem, então, se agregar, como nós o assinalamos, ao redor de alguns circuitos existentes.

Não há, portanto, transformação de uma energia, dita Prânica, em energia mental, eis que ela se refere a duas gamas de Vibração diferentes e, sobretudo, a duas partículas ou corpúsculos profundamente diferentes.

É nisso que alguns seres podem ser, nesses tempos atuais, enganados e, então, manifestar as energias chamadas do Plano Prânico e tomá-las pelas energias do Coração, o que estritamente nada tem a ver, independentemente da própria percepção Vibratória, diferente entre o Prana que circula e a energia da Cittá que circula, que são as próprias modificações da consciência.

É evidente que, enquanto a energia circula num meridiano (fosse você um grande Mestre da circulação desta energia), será que, no entanto, você ascende ao Si?

Não, absolutamente não.
A energia permanece confinada, aí também, num modo de funcionamento que está ligado ao que é chamado o ego ou, se preferem, seu Plano Dimensional.

A energia da Cittá, a energia Supramental, não pertence a esta Dimensão.

Ela começa a se manifestar e a entrar em manifestação nesse Plano de manifestação e é justamente a entrada nesse plano de manifestação, desta qualidade e de corpúsculo e de ondas profundamente diferentes que colocará fim, como o sabem, a esta Dimensão.

Não há portanto sobreposição possível.
A única sobreposição é que as Partículas ditas Adamantinas vêm se agregar sobre as estruturas existentes e vêm revelar, também, as estruturas que, até o presente, não estavam ativas.

É sobre o que vocês trabalharam durante esta semana.

Há, portanto, verdadeiramente, uma sobreposição de dois modelos Vibratórios que não vêm dos mesmos mundos, mas que permitem, contudo, revelar, em vocês, o que deve sê-lo, permitindo-lhes então ascender ao seu veículo de Existência ou, em todo caso, no mínimo, ao seu Si.

O Si não pode ser revelado ou realizado partindo da energia Prânica, contrariamente ao que alguns quiseram fazê-los crer.

Questão: Quais são os efeitos, nos circuitos energéticos, das tatuagens, piercings etc.?

As cicatrizes podem, efetivamente, bloquear a circulação da energia dita Prânica, mas não podem, em caso algum, bloquear a circulação da energia Adamantina.

É por isso que, quaisquer que sejam as circunstâncias de seu corpo, quaisquer que sejam as cicatrizes físicas, psicológicas, etéreas, existentes nesse corpo, elas não podem ser, absolutamente, de modo algum, a causa de um bloqueio do acesso à Existência, eis que a Existência apenas se abre do Interior e é naquele momento somente que fazem irrupção as Partículas Adamantinas.

Isso vai, portanto, explicar, geralmente, que aqueles que abrem a porta do Coração e que vivem as Partículas Adamantinas, veem, progressivamente, ou e maneira fulgurante, desaparecer certo número de anomalias que estavam ligadas, justamente, a esse corpo do ego que se dissolve.

O que vocês devem, também, ao mesmo tempo aceitar e viver (e alguns de vocês o vivem) é que, assim que o centro cardíaco está totalmente funcional (ou seja, que a Coroa Radiante do Coração, o Fogo do Coração está ativo e este se torna quase permanente), naquele momento, torna-se extremamente fácil para vocês agregarem ainda mais Partículas Adamantinas, permitindo-lhes então amplificar sua própria Irradiação do Si.

De fato, mesmo no Si, existem vários estados discerníveis correspondentes aos 7 Samadhis diferentes conduzindo, ao final e finalmente, ao Maha Samadhi e ao acesso ao Corpo de Existência.

Do mesmo modo que, na energia Prânica existente nos meridianos, os meridianos existem e, no entanto, para aprender a senti-las, existe, então, certo número de ginásticas ou de práticas que vão permitir senti-las.

Mas não é porque elas não são sentidas que elas não existem, é claro.

Do mesmo modo, ao nível do Si, existe certo número de etapas de integração.

A ativação de novos Corpos é uma parte.
A fusão das 3 Lareiras é uma outra.

A cada vez, são novas qualidades Vibratórias, ligadas às Partículas Adamantinas, que se desdobram e que vão então acompanhar sua Consciência e servir, de algum modo, de apoio à sua Consciência, que se torna, literalmente, esta Consciência nova em meio às Partículas Adamantinas, porque vocês são constituídos, em diversos graus, de Partículas Adamantinas.

E, portanto, a Consciência vai seguir, eu diria, de algum modo, a quantidade de Partículas Adamantinas que os habita, assim como a qualidade de sua própria circulação.

Questão: Quais são as virtudes, as qualidades que permitem adquirir mais Partículas Adamantinas?

Elas lhes foram amplamente comentadas e comunicadas: Humildade, Simplicidade e os quatro Pilares.

Não há outras.
Quanto mais você se tornar Humilde, quanto mais você se fizer pequeno, mais você crescerá na Luz.

Não há outra alternativa.
Aquele que quer representar ou desempenhar um papel, nesta matriz ou nesta ilusão, o faz às custas de suas Partículas Adamantinas.

Isso lhes foi expresso de diferentes modos em todas as correntes espirituais, não é?

Eu resumiria isso numa frase lacônica: “Vocês não podem ao mesmo tempo pretender Ser e ter”.

Questão: O que é que diferencia o ego, no sentido corrente, do ego espiritual?

Atrás do ego espiritual, há simplesmente a vontade (inconsciente ou consciente, pouco importa) de manifestar uma ascendência sobre o outro, antes de manifestar uma ascendência sobre si mesmo.

Há, portanto, uma falta de Coração, mesmo se a máscara do coração possa estar na dianteira da cena, querendo simplesmente tomar o poder sobre o outro por carência de poder sobre Si.

O ego espiritual vai se nutrir de capacidades ditas espirituais, chamadas de poderes da alma.

O Coração é Humilde e Pequeno.
O Ego espiritual não pode compreender e não pode aceitar esta humildade, esta simplicidade e esta noção de pequenez.

Há, portanto, uma inflação do ego, chamada ego espiritual, mas não há nada de espiritual ali, mesmo se os poderes espirituais estejam presentes.

O ego espiritual consistiria (que as Partículas Adamantinas tenham sido ativadas à recepção ou não) em desviar unicamente a energia para o que vai servir à vontade e ao poder.

Que esta vontade, esse poder se expressem, mesmo, sobre a noção de querer fazer o Bem.

Querer o bem do outro não é sempre bem, porque quem pode saber, melhor que o próprio ser, o que é bom para ele mesmo?

Nós não falamos, obviamente, com isso, de conhecimento do ego (como as doenças em que um médico seja necessário), mas nós falamos do Ser, o Ser profundo.

Ninguém pode conhecer nosso Ser profundo, nem mesmo o próprio ego.

Apenas o Si é que pode conhecer isso.

Quando o ser realiza o Si, mais ele se instalar no Si, em seu próprio poder e em sua própria mestria, menos ele terá necessidade de manifestar qualquer atividade em ressonância com a tomada de ascendência ou o poder sobre o outro.

É tão simples assim.

Questão: Quando se viveu uma forma de Abandono à Luz, questionamentos, medos que voltam, sobre o próprio caminho, podem relevar de uma forma de ego espiritual?

Isso releva simplesmente da resistência do ego, não espiritual.

O ego espiritual tem a particularidade de ser voltado sobre todos os outros e não sobre si.

Há necessariamente, nas fases de subida Vibratória e de acesso às Partículas Adamantinas, abertura ao Si, fases em que o ego vai tentar voltar a se manifestar.

Este ego não é o ego espiritual, porque ele se refere ao Si com seu próprio ego.

O Ego espiritual se refere a seu ego com os outros egos, daquele que quer criar ou manter uma ascendência ou uma dependência com relação a si mesmo.

A maior parte do que foram chamados Mestres espirituais são, geralmente, seres no ego espiritual, onde a vontade de bem vai fazer de modo a que seus discípulos sejam completamente subjugados a seus Mestres.

Há uma relação de dependência que se instala, que é chamada de ego espiritual, porque, se um verdadeiro Mestre abrisse o Coração de seu discípulo, não haveria mais discípulo porque, naquele momento, este se tornaria um Mestre, por sua vez.

Assim, portanto, o que você viveu nada tem a ver com o ego espiritual, que se refere a um mecanismo exterior a si, sempre.

Trata-se, simplesmente, da confrontação entre o ego, que não quer morrer completamente, e o Si.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

Irmãos e irmãs na humanidade, de meu Coração a seu Coração, Amor e Paz entre nós.

Até breve.


___________________________
Compartilhamos essas informações em toda sua transparência. Agradecemos em fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente este texto e citando sua fonte: http://www.autresdimensions.com/
Versão do francês para o português: Célia G.

Nenhum comentário:

Postar um comentário