sexta-feira, 17 de setembro de 2010

SRI AUROBINDO - 17 de setembro

17 de setembro de 2010

do SITE AUTRES DIMENSIONS


Eu sou Sri Aurobindo.

Irmãos e Irmãs, recebam todo meu Amor.

Eu venho a vocês para expressar certo número de elementos que vão entrar em ressonância com o aprendizado que vocês efetuam, pelo ensinamento e pelo que vocês realizam relativos aos novos corpos e os diferentes yogas que vocês praticam.

Vamos ver como, através de certo número de elementos muito simples, lhes é possível, pela ressonância de seu corpo e da respiração, levar a efeito e ação certo número de potenciais que, até o presente, não podiam ser tocados nem mobilizados.

Não voltarei, obviamente, sobre a definição do yoga ou dos yogas, porque existe, como talvez o saibam, uma imensidão. Cada um deles tem suas especificidades, cada um deles tem suas posturas, tem suas técnicas e seus objetivos.

Eu insistiria, sobretudo, em certo número de generalidades, concernentes a essas posturas, essas posições, qualquer que seja o yoga, que têm a particularidade de colocar em equilíbrio ao mesmo tempo a energia e ao mesmo tempo a Consciência.

O conjunto dos movimentos de seu corpo, de nossos corpos, são sujeitos a automatismos.
Esses automatismos se reproduzem durante toda a vida.
Eles permitem assumir certo número de funções que se tornam, assim, inconscientes, o que quer dizer que não há necessidade de levar a consciência sobre o ato de respirar ou de andar para que a respiração ou a marcha se efetuem.

O objetivo do yoga é, obviamente, o inverso.
É o de conscientizar os movimentos, as formas, as posturas, que são capazes mesmo, pela posição de diferentes setores do corpo, de colocar em equilíbrio certo número de movimentos de energia e, consequentemente, da Consciência.

Hoje, através da ativação de certo número de pólos do ser humano e, em particular, através da modificação do gradiente de carga elétrica existente entre a superfície da Terra e as camadas superficiais e profundas da atmosfera, esse gradiente é profundamente transformado, modificado.

Obviamente, ele se impacta no ser humano pelos pés, pela cabeça, e por tudo o que é de natureza eletromagnética, seja permanente ou intermitente.

Quero falar com isso do centro energético chamado baço, do plexo solar e, é claro, do plexo cardíaco.

Assim, portanto, o ser humano está sujeito, queira ou não, a modificações importantes das cargas elétricas existentes na superfície de seu envelope corporal.

Essas cargas elétricas podem ter efeitos que vocês qualificariam de deletérios, na medida em que eles podem induzir certo número de anomalias, tanto nos seres humanos que seguem um caminho de transformação para a Luz, como naqueles que se opõem pelo momento.

Isso é muito simples de compreender.
Isso vai se traduzir por uma modificação dos ritmos biológicos, por uma modificação importante do que é chamada de memória, e uma modificação importante dos modos de funcionamento que escapam, frequentemente, à compreensão do ser humano desperto ou adormecido.

A modificação dessas cargas elétricas é uma realidade.
Ela é, aliás, perfeitamente conhecida de seus cientistas, que dela se servem para tentarem se opor à chegada da Luz em seu mundo.

O desenvolvimento dos campos elétricos e do eletromagnetismo e da eletrônica é, antes de tudo, destinado não a lhes trazer conforto, mas para tentar evitar, justamente, a chegada da Luz e de certa forma de eletricidade sobre esse mundo.
Aí está o primeiro objetivo.

Entretanto, essas cargas elétricas são duravelmente modificadas.
Elas se impactam prioritariamente sob os pés e sobre a cabeça, vindo modificar, sem entrar nos detalhes, o que é chamado de gradiente eletrostático, fazendo com que a carga estática do ser humano (que é da ordem de várias centenas de milhares de volts) esteja sendo modificada e isso desde já certo número de anos importante, dado que em minha vida eu pude começar a compreender, vivendo, o que acontecia através desta modificação da eletricidade.

O objetivo é, obviamente, modificar a Consciência do ser humano.
Qualquer que seja seu grau de vontade para a Luz, qualquer que seja sua aspiração para não mudar ou para mudar, o ser humano, que ele queira ou não, está sujeito a esses gradientes.

Obviamente, o efeito desse gradiente e dessas modificações de carga elétrica será profundamente diferente, de acordo com a utilização que é feita e segundo, sobretudo, a Consciência que ali é colocada.

Quando eu fui São João, em termos que à época me eram desconhecidos, sob o ditado do Cristo, escrevi que haveria muitos chamados, e que estes seriam marcados na fronte.
Essa marcação na fronte nada mais é que a redistribuição da eletricidade existente ao nível do pólo o mais alto do ser humano, ou seja, sua cabeça.

Como o sabem agora, não é porque a eletricidade se modificou ao nível da cabeça que há abertura à Luz.
É um preâmbulo e uma preliminar que, segundo a utilização que será feita dessas cargas elétricas pela Consciência, vão conduzir ou não à transformação luminosa do ser humano, substituindo progressivamente, ao nível da estrutura física constituída de moléculas de carbono pela associação, não mais de moléculas de prana, mas de partículas chamadas adamantinas, a estrutura de carbono em estrutura de silício.

Costuma-se compreender que os vegetais, por exemplo, desassimilam o carbono em silício, pela destruição do carbono.

O objetivo aqui é uma transformação alquímica real de suas células, ao mesmo tempo que de sua Consciência.

Isso permitirá, também, pela distribuição e a modificação das cargas elétricas, induzir ao nível celular o que é chamado de mutação genética, que se prepara para receber a Luz sob forma de partículas adamantinas e, sobretudo, de raios gama e de raios X, vindos dos fins longínquos do universo e, em particular, de três fontes bem distintas, chamadas e formando a Onda Galáctica.

A Onda Galáctica não é simplesmente a influência do Sol Central da galáxia ou a influência do Centro Galáctico, mas, bem mais, a emissão de irradiações gama vindas de fontes luminosas situadas em diferentes lugares deste universo, tal como vocês o vêem.

Essas irradiações têm por objetivo estabilizar as partículas adamantinas em sua estrutura.
Isso vai se traduzir, para a consciência do ser humano, sem entrar mais adiante nos detalhes, por certo número de modificações de percepções: ampliação da percepção do corpo, ampliação da percepção da consciência e da interação com o que é chamado de ambiente, traduzindo-se ao extremo por uma fusão no Todo, perda dos marcadores tempo-espaciais, perda dos limites do corpo.

Esse processo visa permitir, no momento vindo, poder acolher o que é chamado de corpo de Existência, que é uma estrutura que se situa fora desta Dimensão e, no entanto, chamada a entrar em contato com sua Dimensão.

É o que eu chamei, quando fui São João, de Corpo de Ressurreição.
Foi também chamado, no Apocalipse de São João, o momento da pesagem das almas, no momento em que os chamados e os escolhidos subirão um a um na Luz, por intermédio de uma Ascensão ilustrada pela transferência da consciência dissociada para a Consciência Unificada, por intermédio do veículo ascensional, pessoal ou coletivo, chamado Merkabah.

Essas Merkabah coletivas são ilustradas pelo aparecimento de luzes em seus céus, chamadas por alguns de vocês de Embarcações Mães ou cápsulas de sobrevivência ou, ainda, o termo está na moda, me parece, de orbes.
São essas estruturas, arranjadas de modo específico, que são capazes de lhes permitir realizar, seguindo as linhas de forças elétricas chamadas de Antakarana, de lhes permitir subir, seja numa embarcação, seja em seu corpo de Existência.

Esse processo iniciou desde uma geração,
Ele chega agora a seu termo, o que quer dizer que o conjunto de seus veículos está agora perfeitamente criado, perfeitamente alinhado para permitir esse momento.

Esse momento não é agora, mas ele está muito próximo.
Ele traduz também em suas vidas e na Consciência e no Ser, certo número de modificações que, para muitos de vocês, são fundamentais, podendo se traduzir ou por mudanças de lugares, ou por mudanças de pessoas, ou ainda por revoluções Interiores fazendo-os modificar seus comportamentos, seu papel social, e a vida toda simplesmente, tal como vocês a concebem e tal como a vivem.

Isso participa de uma mesma transformação comum à Terra, comum ao Homem e comum ao conjunto deste universo.

As premissas desta transformação são já visíveis para aqueles que se interessam pelo Céu, através do brilho dos planetas, evidentemente os de seu sistema solar, através da modificação da irradiação eletromagnética do sol, que obviamente perdeu sua cor amarelo-alaranjada e que emite, agora, no ultravioleta e no branco.

Essas modificações lhes são escondidas e lhes serão escondidas o mais longo tempo possível por aqueles que os escravizaram porque, evidentemente, eles não querem que vocês reencontrem sua Liberdade.

E, no entanto, esta Liberdade está a caminho.
Ela lhes permite se estabelecerem no Ser ou na Existência, substituindo a civilização do ter pela civilização do Amor e do Ser, onde a autenticidade e a Verdade se tornam prioritárias sobre o ter.

Isso concorre também para transformar, de maneira durável e definitiva, a própria concepção que têm os humanos da humanidade, da sociedade e do papel desta sociedade.

Quer você queira ou não, quer você esteja desperto ou não, cada um irá para onde quiser, em função da alquimia se operando em seu Ser.

Então, seu corpo é um Templo.
Isso, Um Amigo lhes disse.
Mas esse Templo não é nada se não é vivificado pelo Espírito.

O que quer dizer que esse Templo se tornará ativo a partir do momento em que ele conecte o Espírito.
A conexão pelo Espírito corresponde ao momento preciso em que o 3º olho se abra e se torne vibrante.
Isso é apenas uma etapa, a primeira, bem a primeira.

Ela não basta, obviamente, para levar a termo a transformação em ressonância com a Luz.
Mas ela é, entretanto, a etapa inicial e primeira.

Muitos entre vocês, aqui como em outros lugares, vivem as transformações sem poder, contudo, ali colocar palavras, nomes, descrições. O mais importante, é claro, é vivê-lo, não tanto ter a explicação, mas viver as modificações de consciência, acompanhando essas modificações de percepções existentes mesmo nesta estrutura física, porque é através dessas percepções que a consciência se modifica.

Nós frequentemente lhes dissemos que a Consciência é Vibração, e ela o é.

Nos mundos supralumínicos, a Consciência, eu diria, é apenas Vibração, a corporeidade não é mesmo fixa dentro de uma forma, dado que ela se expressa através de um veículo que é modulável em função dos desejos, da própria coloração dos desejos que apresentam esta Consciência habitando um veículo, feito para vocês de partículas imateriais.

O que vocês chamam de imaterial em seu mundo são apenas partículas não conhecidas, porque não presentes em seu universo.

E, evidentemente, seus cientistas chamam a isso de antimatéria.

A antimatéria é, por definição, o inverso do que é chamado por seus físicos, buracos negros, mas bem mais a Luz. Há, aí também, uma inversão específica, fazendo temer os buracos negros e a antimatéria como algo que significa a aniquilação total da Consciência.

Ora, nada é mais falso do que isso.
É o mesmo princípio para o fogo: suas religiões, sem exceção (exceto, talvez, no hinduismo), sempre assimilaram o fogo às chamas do Inferno, enquanto que o fogo é, antes de tudo, iniciação e amor.

Vejam como é muito fácil inverter uma Verdade para fazer algo de falsificado, desviando inteiramente o sentido primeiro do que é observado, sentido ou vivido.
A antimatéria não é a morte, mas, ao contrário, a Vida.

Muito numerosos seres humanos fizeram a experiência de aceder a estados de Consciência fora do corpo e, no entanto, dentro da Matriz, sem poder sair.

Esta experiência, bem conhecida hoje, faz dizer àqueles que voltam que a morte se situa na vida, e que a verdadeira vida está na morte e, no entanto, eles não saíram da Matriz.
Eles saíram simplesmente no astral, na experiência fora do corpo, dentro mesmo da Matriz, na luz refletida pelo Sol.

E, no entanto, eles chamaram a isso «Amor».

A Vibração da Existência, a Vibração da antimatéria, lhes é totalmente ocultada.
Apenas penetrando nas esferas de Luz autêntica e Vibral que vocês podem dizer e fazer a experiência de ter deixado a Matriz viajando, não no corpo astral, mas no corpo de Existência.

Esse corpo de Existência que muitos, com relação aos anos anteriores, começam a perceber mesmo em suas estruturas, seja pela ignição das 3 Lareiras, seja pelos formigamentos percorrendo o conjunto do corpo físico com um sentimento de fogo que devora e que, no entanto, não queima, que traduz a expansão da Consciência e o acesso, de uma maneira como de outra, a esse corpo de Existência.

O acesso se realiza primeiramente pelo Antakarana, pela ponte de Luz unindo o princípio inferior ao princípio espiritual e divino. É essa ponte de Luz, chamada de Corda Celeste também, que vai lhes permitir se beneficiar de um afluxo de elétrons e de partículas adamantinas profundamente diferentes do que é observado comumente sobre a Terra.

Em seguida, instala-se um trabalho de transmutação.
Esta transmutação não se refere unicamente à Consciência, mas ela se refere também a esse corpo e seu metabolismo e sua fisiologia.

Assim, alguns de vocês começam a viver modificações de comportamento, tanto alimentar como sexual, como afetivo, que os faz completamente mudar de modo de funcionamento.
Isso não resulta qualquer privação, mas sim, realmente, uma transmutação ligada à Luz.

Existe, nesse Templo que é seu corpo, a possibilidade, pelo que eu chamei desde pouco tempo de posturas integrativas, de realizar uma assimilação de Luz muito mais simples e muito mais rápida.

É necessário, entretanto, compreender que, a partir do momento em que os pontos novos se ativam em seu corpo, esses pontos são os nós da Consciência, permitindo, como nós, se tornarem chaves de abertura, chaves de acesso a potenciais novos.

É por essas chaves e esses potenciais novos que se realiza, de algum modo, a comunicação, a amarração (porque é a palavra a mais exata) que vai se fazer através de seu corpo físico, com o corpo de Eternidade.

Esse corpo de Eternidade é profundamente diferente para cada ser humano, em função de sua origem dimensional, em função, certamente, de suas linhagens espirituais, em função de suas afiliações espirituais.

Cada ser humano é, então, assim, diferente, e não mais fixo dentro da mesma forma, o que explica que as modificações identificáveis naqueles que seguem o caminho da Luz podem ser as mesmas ao nível do que se chama de 3 Lareiras, mas se tornam profundamente diferentes quando se começa a entrar nos meios de conexão com esse corpo de Existência.

Maria e Um Amigo lhes revelaram as 12 Estrelas, assim como o Senhor Metatron, permitindo pelos 12 Raios de Luz religá-los muito mais seguramente do que com as cordas celestes, de um lado o corpo de reunificação da Luz, chamado Fonte de Cristal ou Bindu, e o veículo interdimensional chamado de Merkabah.

Esta Merkabah possui uma estrutura geométrica, mas a nada serve sobrecarrega-los porque ela é extremamente complexa, com suas 144 faces.

Há simplesmente que perceber os efeitos ao nível do que é chamado de 12 Estrelas de Maria e os 12 tubos de Luz partindo da cabeça e se juntando ao veículo de Existência.

Vocês são, portanto, religados por pontos de Consciência extremamente precisos.

O primeiro é chamado de Antakarana ou Cordas Celestes, que são em número de duas, existentes lateralmente em relação às suas orelhas e subindo nos planos sutis os mais elevados, até o Sol.

Desde pouco tempo está então ativado, e vai se ativar progressivamente cada dia, o corpo do Ser em seu veículo dissociado, por intermédio de 12 Raios de Luz que estabelecem o contato com o corpo de Existência.

No momento do nascimento, o corpo do Ser humano, no momento do primeiro sopro, recupera alguns fios de Luz, em número de 24. Doze fios de Luz para a alma, doze fios de Luz para o Espírito, que se impactam diretamente ao nível dos chacras de enraizamento da alma e do Espírito.

O processo, hoje exteriorizado, corresponde à ativação dessas 12 Estrelas, ao nível de sua cabeça, colocando-os em contato consciente e lúcido, e não mais interiorizado unicamente, com o que resta de sua Divindade, mas a totalidade de sua Divindade existente no veículo de Existência preso no Sol.

O Sol, que nós modificamos, e, em particular, pelo trabalho dos Arcanjos e do conjunto de embarcações, 21 embarcações da Frota Intergaláctica Mariana, que literalmente modificaram as forças aprisionadoras da Matriz ao nível da heliosfera.

Assim, portanto, nós modificamos, uns e outros, cada um a seu modo, a armadilha solar.
Essa armadilha solar distendeu-se até estabelecer, desde agora quase dois anos, uma ponte de Luz permanente que eu chamaria, se querem, de Corda Celeste, o Antakarana, e a ponte de Luz interdimensional que existe doravante de maneira definitiva entre o Sol e a Terra.

É por este «Arco» chamado elétrico por seus cientistas, que se derramam as energias de liberação da Terra, desde o Sol, via seus veículos de Existência. Ele permite elevar seu nível Vibratório pessoalmente e também ao nível da Terra, permitindo-lhes elevar globalmente o nível Vibratório do conjunto: homens, vegetais, animais, todas as formas de vida e a própria Terra, até um momento que eu chamaria de limiar, que permitirá, no momento vindo, realizar o que eu chamei de Ascensão e o reencontro com o Cristo.

Isso se desenrolará sem fazer intervir qualquer atividade mental ou qualquer atividade emocional.

Isso resultará da lei de atração e de ressonância.
Vocês não têm, portanto, que se colocar questões sobre o desenrolar desse processo porque, eu lhes asseguro, ele é estritamente natural. Ele necessita unicamente que sua Consciência trabalhe, ela, como disse Maria e como nós o repetimos, na humildade, na simplicidade e também na facilidade.
Porque a Luz é simples, ela é humilde e ela é fácil, na condição de que o mental não lhe faça obstáculo, na condição de que as emoções não lhe façam obstáculo, e na condição de que a personalidade se abandone totalmente à Luz, a fim de viver a transfiguração e, enfim, a crucificação.
São as únicas condições.

Não há nada mais a pensar, não há nada mais a realizar.
A prática do yoga, o posicionamento de seu corpo e de sua Consciência vai trabalhar para a facilitação e a atualização desse trabalho.

É a única coisa que vocês têm a fazer.

Fazendo isso, vocês participam do esforço das linhas de menor resistência desses corpos e das consciências que se despertam para a Luz e vocês permitem um trabalho global do conjunto do sistema de vida de Gaia para sua Dimensão nova de Vida.

Obviamente existem, e vocês não estão sem o saber, forças que resistem e que se opõem a esta nova Dimensão, o mais frequentemente pelo medo, o mais frequentemente pela incompreensão e raramente de maneira consciente, simplesmente porque o ser humano se esqueceu de onde ele veio, porque o ser humano esqueceu que ele era Luz e lhe é muito difícil conceber a Luz fora de seu campo de experiência de vida e fora desse corpo.

E, no entanto, vocês são a Luz do mundo, mas a Luz não é desse mundo, como Cristo o disse.

Assim, então é para alguns seres humanos, no entanto no caminho, uma dificuldade essencial que é compreender que esse corpo e esta personalidade são estritamente ilusórios.

Há, portanto, um passo a cruzar, chamado por Anael «abandono à Luz», que muitos não chegam a cruzar, porque o desconhecido é uma dúvida. Ora, este desconhecido, cada vez mais seres humanos começam a vislumbrar e a viver mesmo nesse corpo ilusório.

Assim, portanto, esses seres que os precedem no caminho são os pioneiros, de algum modo, deste despertar à Existência. Este despertar à Existência que, como o sabem, foi obstruído em certo momento por configurações genéticas específicas ligadas a um trabalho de enfraquecimento tecnológico realizado por aqueles que se opõem à Luz.

Este obstáculo não está mais.
Não existe mais qualquer obstáculo exterior para seu estabelecimento na Existência.

O único obstáculo, como foi dito, é e permanecerá você mesmo.
Não existe qualquer obstáculo exterior para seu estabelecimento na Existência.
Isso não é feito, obviamente, para provocar uma dualidade ou uma culpabilidade, ou um medo, mas para fazê-lo tomar consciência e tornar-se lúcido do que, em você mesmo, bloqueia o acesso a esta Eternidade.

Isso é para ponderar, contudo, pela intensidade e o fluxo de partículas adamantinas que se derramam agora na alta atmosfera terrestre e até esta Terra.

A Onda Galáctica não tocou a Terra inteiramente, e, no entanto, os efeitos lhes são perceptíveis dia a dia.
Vocês o constatam pelas pressões diversas ao nível de seu corpo, pela modificação, eu disse, de seus ritmos biológicos e fisiológicos, pela modificação de sua consciência, dando-lhes acesso, quando de suas noites ou mesmo quando de suas meditações, a fenômenos inusitados e totalmente novos.

Se vocês permanecem na humildade e na simplicidade, vocês permanecerão centrados.
Não há qualquer risco de sair do centro, se não é a personalidade que quereria se apropriar.

Não se esqueçam tampouco que, através deste acesso, que o tempo é ilusão.
Que o que lhes parece se desenrolar de acordo com uma marcha precisa e mesmo se nós aí concorremos, através das efusões de energia que lhes oferecemos, elas são apenas destinadas a atrair sua Consciência de maneira consciente e muito pontual, eu diria, para momentos precisos, sobre todo o planeta, por razões obviamente de amplificação Vibratória.

Não se apeguem, tanto à sua personalidade como a qualquer percepção que quereria levá-los a vidas passadas ou a vidas futuras.

O centramento no instante é essencial.
No yoga da Unidade, o que lhes comunicou Um Amigo é essencial, permitindo-lhes encontrar o alinhamento e o centramento necessários à transmutação final de suas estruturas e de sua consciência.

Nada mais lhes é necessário.
Absolutamente nada mais.

Se você se centra nisso, se você chega a perceber a Cruz central em sua cabeça, então, tudo se passará perfeitamente bem.

Vocês não serão afetados de modo algum pelas circunstâncias ambientais.

Vocês não serão afetados pelas resistências da Luz, as resistências à Luz, pelas resistências da Sombra à Luz.

Vocês serão, vocês mesmos, Luz e se tornarão progressivamente totalmente transparentes.
Esta transparência de que falo é uma transparência Interior, uma clareza Interior que se tornará, no momento final, uma transparência total que verá a dissolução total do que é chamado de Matriz e, portanto, do que é ilusório no interior desta Matriz.

É para esse momento que vocês precisam se preparar agora e já.

As preparações Vibratórias que vocês vivem, que vocês viveram desde o início deste ano, bem após os Casamentos Celestes, através do acolhimento da Luz Crística em Unidade e em Verdade, através das meditações que nós lhes propusemos, de recepção, assim como de efusão da Luz, são destinadas a terminar esta Obra em vocês.

Aí estão algumas palavras que tinha a lhes dar, relativas à transformação em curso que lhes concerne, além de sua individualidade, ao conjunto da Terra. Porque o que vocês realizaram é um trabalho extremamente potente, não a um só, mas a vocês todos.

Devido mesmo a esta associação do número de pessoas, houve uma real multiplicação do efeito das primeiras irradiações da Luz Adamantina, das primeiras irradiações da Fonte e das primeiras irradiações do Ultravioleta em seu sistema solar.

Sejam agradecidos e congratulados como nunca.

Agora, caros Irmãos e caras Irmãs, se, com relação a esse processo que acabo de fazer sobrevoar, há questionamentos, então, vamos tentar responder juntos.

Questão: Os 3 dias participam desta transformação do corpo de carbono em corpo de silício?

Sim, para os que eu qualificaria de «a equipe no solo».
Para aqueles de vocês que seguiram os Casamentos Celestes e os realizaram, haverá, efetivamente, duas humanidades que compartilharão certo tempo esta Terra.
Alguns seres se tornarão, através mesmo de seus corpos físicos, realmente luminosos.
E isso será visível após esses três dias.

Questão: O que você chama de «respiração consciente» e como colocá-la no trabalho?

A respiração consciente é simplesmente respirar com consciência.
Quer dizer sair do automatismo da respiração para adotar uma respiração voluntária e consciente, seja superficial, profunda, ventral ou torácica.

O importante é estar consciente da respiração.
Portanto, respirar conscientemente.

É toda a diferença entre a respiração que se faz naturalmente, automaticamente, sob influência dos centros reptilianos situados no tronco cerebral e a respiração conscientizada, cuja influência se faz pelo neocortex e, portanto, ao nível das camadas as mais superficiais da consciência, que correspondem ao acesso ao Divino.

Questão: Poderia explicar os termos «humildade» e «simplicidade»?

A humildade e a simplicidade é o que decorre de sua colocação, em consciência, ao nível do Coração.

E o momento em que a personalidade se apaga diante do Coração.

É o momento em que não há mais «eu quero».
É o momento em que não há mais «é preciso que».

E o momento em que as coisas se desenrolam na simplicidade, na fluidez, na Unidade, na sincronia e de acordo com o princípio de atração e de ressonância.

É o momento em que a personalidade não se coloca mais à frente.

É o momento em que ela se apaga diante do Coração e do Fogo do Coração.

A humildade, ser humilde, é não reivindicar o que quer que seja se não é o lugar do Ser.

A simplicidade, quanto a ela, corresponde a fazer simples, ao nível de seus pensamentos, a fazer simples, ao nível de seus comportamentos, a não cultivar o que é complicado.

O que é complicado é, por exemplo, querer buscar o que você foi numa vida passada, porque isso o afasta do instante.

É, por exemplo, se projetar num futuro para saber o que vai lhe acontecer amanhã ou dentro de um mês.
Isso é muito complicado.

A simplicidade e a humildade se vivem no instante presente, no Aqui e no Agora e são totalmente indiferentes ao ontem e ao amanhã.

O mental vai sempre procurar provocá-los numa referência com relação a uma experiência passada ou numa projeção no futuro.

O mental é complicado, o Coração é simples.
Vocês devem sair e desaprender certo número de comportamentos que, evidentemente, até o presente, eram os únicos possíveis para lhes permitir viver nesta Ilusão.

Mas vocês não podem manter as leis das ilusões se querem sair da Ilusão.

Quanto os textos orientais disseram que esse mundo era Maya, Ilusão, eles falavam estritamente a Verdade.

Obviamente, enquanto vocês não tenham acesso ao outro lado, vocês consideram esse mundo como a única realidade. Vocês consideram que seu corpo é real, que sua vida é real, que seus filhos lhes pertencem, que vocês são diplomados em tal escola etc.etc.

Mas tudo isso cai diante da Verdade e da simplicidade do Coração.

É isso que é preciso aceitar.
Isso participa grandemente ao abandono à Luz.

Enquanto vocês estão apegados ao seu papel, seja social, seja afetivo, seja profissional, enquanto vocês estão apegados a esse corpo, vocês não podem tocar a simplicidade, o que não quer dizer, evidentemente, colocar fim a esse corpo, mas é uma mudança de ponto de vista capital, que lhes permite ir para a simplicidade.

Trata-se, de certa forma, de uma desidentificação, desidentificação de todos os seus papéis, da própria personalidade.

Isso permite o acesso ao impessoal, isso corresponde ao acesso a Brahma e isso corresponde ao acesso à Existência.

Nós insistiremos cada vez mais nesta noção, porque, atualmente, cada vez mais Irmãos e Irmãs vivem a transformação da Luz através da ignição das diferentes Lareiras.

Mas resta, é claro, a experiência da Existência, que não foi realizada por muitos deles.
E por isso é muito difícil conceber outra realidade, outra Verdade.
É muito difícil conceber que a Luz não se importa com seu corpo, assim como sua Existência não se importa com a ilusão que vocês acreditam ser.

Enquanto você está apegado a algo de você mesmo, e mesmo ao que vocês chamam de Luz, você não é a Luz.

Questão: Como a Ascensão coletiva se articula com a Ascensão individual?

Cara Irmã, aí está o gênero de questão que não é simples e que afasta da Verdade do que é vivido.

O processo da Ascensão é extremamente simples quando a porta do Coração está aberta.
Ele se torna extremamente complicado através do filtro mental.

Descrever a estrutura da Merkabah e de sua 144 faces tornar-se-ia extremamente fastidioso.
E não é porque vocês têm a descrição de algo de exterior que vocês o vivem.

A Ascensão acontecerá segundo diversas ondas sucessivas, individuais, coletivas e finais, que nada têm a ver umas com as outras.

O momento ainda não chegou, talvez, de lhes permitir compreender, em Verdade e em simplicidade, esse triplo processo.

Resta-lhes viver o que é para viver durante esses 12 dias.
Resta-lhes viver o período que precederá o que é chamado de 3 dias de Trevas.

Contentem-se de vivê-lo e as coisas lhes aparecerão muito mais claramente naquele momento, enquanto que elas apenas os fariam se confundir pelo momento.

Do mesmo modo, imaginem que há 2.000 anos, um pouco menos, em lugar de falar dos chamados que seriam marcados na fronte, se o Cristo me tivesse pedido para escrever o que eram as 12 Estrelas, mas quem teria compreendido?

Considerando-se que, mesmo hoje, aqueles que não vivem a transformação da Luz não podem absolutamente compreender o que quer dizer ser marcado na fronte.

Vocês apenas podem compreender o que vocês vivem com o Coração.

O resto é e permanecerá uma armadilha do mental.

Questão: Até onde se estende a responsabilidade pessoal?

Então, em resposta a esta questão, sou obrigado a fazer um preâmbulo.

Compreenda e aceite, e isso se torna evidente, eu estou seguro, para muitos de vocês, a Matriz ilusória, o fechamento pelas forças de atrito eletromagnéticas gravitacionais induzidas por Lúcifer e os Dracos, há tempos muito antigos, comprimiu literalmente certo número de consciências.

Esta consciência apenas pode perdurar pelo jogo da Dualidade chamado de Bem/Mal (Atração/Repulsa), ou, se preferem, Carma.

Assim, portanto, vocês foram formatados, no corpo e no mental, a sempre reagir e a vislumbrar a ação como uma sequência de ações e de reações, no plano cármico, como no plano das simples forças existentes na Matriz.

Vocês aderiram, portanto, para alguns desde muito tempo, a um modo de funcionamento totalmente dual.

Enquanto vocês mantiverem esta Dualidade, ainda que fazendo o Bem para responder ao Mal, vocês permanecem sob a influência da Matriz.

O absurdo da coisa foi fazer crer à humanidade que, à força de fazer o Bem, o Mal desapareceria.
Isso é arqui-falso.
Isso não pode ser.

Apenas encontrando o Ser e o Si que vocês escapam à Matriz.

Vários místicos, vários Santos, mesmo em sua tradição, o demonstraram.

O Serviço, no sentido o mais nobre, que corresponde à doação de Si, não é fazer o Bem.
É dar-se, você mesmo, o que não é de forma alguma a mesma coisa, eu diria mesmo que é o oposto.

Assim, fazer o Bem ou fazer o Mal não muda estritamente nada e mantém, eternamente, o próprio jogo da Matriz, o combate do Bem e do Mal, o combate da Sombra e da Luz, ilustrado ao mesmo tempo pelo mito de Prometeu, e pelo combate Sombra/Luz que vocês realizam, aqueles que buscam a Luz desde tanto tempo.

O acesso à Luz Vibral implica em se desincrustar, literalmente, desse modo de funcionamento.
Isso não quer dizer indiferente ao mundo, isso quer dizer, simplesmente, colocar-se fora da lei de ação/reação (tão cara a muitos de vocês, dado que vocês a chamaram de «livre arbítrio») para substituir isso pela Lei de Graça ou pela Lei de Liberdade, que escapa às induções do Bem e do Mal.

Sua responsabilidade, quando vocês vivem o que vivem ao nível consciente, é sair desses esquemas de funcionamento que mantêm, literalmente, a Matriz.

O que mantém, antes de tudo, a Matriz, pela confrontação permanente do Bem e do Mal, foi chamado de sistema de controle humano, injetando, literalmente, na consciência coletiva, crenças às quais todo ser humano adere.

A crença na Luz não é a vivência da Luz.
A crença no Cristo não é a vivência de Cristo.
A crença em uma religião não é viver o fato de estar religado.

A própria etimologia de suas palavras, quaisquer que sejam as línguas e a raiz indo-européia, remete sempre à Ilusão.

Poder-se-ia citar muito numerosos exemplos, isso foi feito.
Assim, portanto, sua única responsabilidade é não se re-prender você mesmo no combate do Bem e do Mal.

Certamente, vocês estão num corpo dual que participa ao combate do Bem e do Mal.
Mas seu Espírito não.

Assim, portanto, tornando-se Unitário, em Consciência, assim, portanto, tornando-se unitário e colocando-se além da ação/reação, colocando-se na Lei de Ação de Graça e na Lei de Unidade, como Filhos da Lei de Um, vocês escapam, de maneira definitiva, do combate do Bem e do Mal.

Vocês não estão mais, literalmente, sujeitos a essas forças.
Vocês saem do complexo Deus/Diabo para entrar no complexo da Fonte e da Unidade, refazendo de vocês Filhos de Luz, Filhos da Lei de Um, e Sementes de Estrelas.

Enquanto vocês aderem, por seu ponto de vista, por seu comportamento, à Matriz, ainda que fazendo o Bem, vocês participam à Matriz, e vocês não podem dela sair.

Compreendam com isso que eu não disse que era necessário nada fazer, mas extrair-se desse jogo dual é uma preliminar para agir segundo a ação de Graça.

O próprio princípio da ação de Graça é realizar ações independentes de qualquer reação.
É ação para a ação.

Não é de modo algum uma reação.
A ação para a ação, privada de qualquer ação/reação, os conduz a viver a evidência do Coração, a simplicidade, a humildade e, sobretudo, a Lei de menor resistência, quer dizer que tudo o que acontecer em sua vida se fará de maneira simples, evidente e fácil.

Isso assinalará para vocês, de maneira direta, sua verdadeira responsabilidade e sua aquiescência à saída da Matriz, ainda conservando esse corpo.

Pretenderem-se responsáveis uns dos outros, seja através de um papel social, afetivo, ou mesmo genético, é um erro.

Os laços que foram criados na Matriz, chamados laços filiais, pai, mãe, filho, não têm qualquer sentido fora da Matriz, porque vocês são imortais e eternos.

Vocês não passam, portanto, pelos ciclos de vida e de morte.
Não há afiliação a um DNA e a uma linhagem, no sentido genético.

Vocês são afiliados a suas linhagens espirituais as mais livres, assinando suas origens estelares, e, por vezes, também sua origem Dimensional.

Isso é profundamente diferente e fará de vocês seres livres e responsáveis.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

Meus Irmãos e minhas Irmãs, eu lhes peço que acolham todas as minhas bênçãos.
Recebam e acolham meu Amor, como eu acolho o seu, e eu lhes digo até breve.

___________________________
Compartilhamos essas informações em toda transparência. Agradecemos de fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente o texto e citando a fonte: http://www.autresdimensions.com/
Versão do francês: Célia G.

Nenhum comentário:

Postar um comentário