quarta-feira, 4 de agosto de 2010

UM AMIGO - 4 de agosto

4 de agosto de 2010

Mensagem de 4 de agosto (publicada em 11 de agosto de 2010) do SITE AUTRES DIMENSIONS


Eu sou Um Amigo.

De meu Coração a seu Coração, recebam Amor e bênçãos.

Irmãos e Irmãs nesta assembléia, eu venho falar de certo número de elementos relativos ao que nós chamamos, e preferimos chamar, de Existência, ao invés de corpo Divino.

Devo retornar sobre certo número de elementos relativos a dados históricos espirituais, mais precisamente esta noção de corpo e porque, hoje, preferimos chamar esta estrutura, que lhes é desconhecida, de “corpo de Existência”.

Para alguns de vocês, vocês conhecem o que se chama de estrutura sutil do ser humano nesta matriz, composta de 7 corpos, ajustados uns nos outros, terminando-se por dois pontos extremamente pequenos, situados em sua estrutura física, atrás do Coração e chamados de corpo Espiritual e corpo Divino.

Para cada um desses corpos, existe um centro de Energia chamado chacra.

Cada corpo é ajustado no Interior do corpo físico, até se tornar cada vez menor, tanto que vocês chamam de “bonecas que se encaixam” (*).

(*) Tradução ao pé da letra de “poupées gigognes”, sendo “poupées” bonecas e “gigognes” objetos que se ajustam uns dentro dos outros.


Dentro dos diferentes ensinamentos, praticados tanto no Oriente como no Ocidente, a anatomia sutil do ser humano, na matriz, recorre a certo número de funções correspondentes às funções desenvolvidas pela própria Terra, quanto à sua estrutura sutil, ela também.

O que nos interessa, hoje, é falar-lhes essencialmente do corpo de Existência.

Nas descrições que foram feitas (seja nos textos deixados pelos Imortais, na Índia, ou ainda em alguns esotéricos ocidentais que dominaram perfeitamente o conhecimento e a visão desta estrutura sutil da matriz), sempre lhes foi ensinado que os corpos Espirituais e os corpos Divinos não eram revelados, nem desvendados, e estavam fechados, dentro de sua estrutura física, justamente atrás do Coração, correspondendo aos pontos chamados de chacra de enraizamento/alma e chacra enraizamento/Espírito: pontos que lhes permitem ativar o triângulo correspondente à Coroa Radiante do Coração, em seu chacra do Coração.

Esses dois pontos estão em relação com as zonas de Vibrações existentes portanto dentro do peito.

O chacra do Coração é, tradicionalmente, a sede do que é chamado de mental, subdividido, ele mesmo, em duas categorias: mental inferior e mental superior.

Mental inferior, em relação com a razão, a lógica, o aspecto discursivo da inteligência e o mental superior, ou Supramental, correspondente, ele, à inteligência, no sentido o mais nobre, e em relação com o próprio significado da palavra Inteligência: a capacidade de religar, sem passar pela análise discursiva ou lógica integrativa ou sintética.

Daí a assimilar a alma espiritual ao mental inferior e assimilar o corpo Divino (ou alma Divina ou corpo Divino) ao Supramental, há um passo que alguns cruzaram.

Tenho a lhes dizer que, qualquer que seja o que pôde ser escrito, nas diferentes tradições, relativamente ao acesso à Luz (nos mundos anteriores e nas encarnações anteriores de qualquer alma humana), anterior a 1940, era estritamente impossível asceder à Luz.

Somente alguns seres extremamente raros, vindos de espaços não matriciais, puderam gerar e criar um corpo de todas as peças, em algumas tradições.

Um número extremamente restrito de seres foi capaz de juntar-se à Existência levando esta estrutura física.

Entretanto, alguns seres, nas diferentes civilizações, foram capazes de tocar uma Vibração bem além da matriz, sem poder revelar e manifestar o corpo de Existência, permitindo então certo número de prodígios, aos olhos do comum dos mortais, em relação com os poderes espirituais inusitados chamados, por exemplo, bilocação ou ainda, a incorruptibilidade da carne.

O conjunto desses processos é um processo de contato com o corpo Divino, mas não de penetração da alma nesse corpo Divino.

O conjunto de experiências que têm sido vividas, de modo cada vez mais importante, por vários seres humanos, que foram estudadas por seus cientistas e chamadas de Experiências de Morte Iminente, não conduz à Luz Vibral, mas à Luz astral.

Esses seres, entretanto, traziam uma transformação importante, em relação com o Amor e uma vivência diferente do que é a Vida, uma vez realizada a experiência até este reencontro com a Luz.

Esta Luz, descrita como um banho de Amor, descrita como uma Luz que não queima, aquecendo e expandindo, não é a Luz Vibral, mas seu reflexo no mundo astral.

O corpo Divino, assim como foi percebido e descrito, tanto por Cristo como, por exemplo, por um neófito de sua tradição, chamado Steiner, corresponde à totalidade da Verdade.

O corpo de Existência é aquele que vocês observam quando olham o sol.

Vocês têm, portanto, um corpo solar.
Esse corpo solar é chamado, também, de corpo Crístico.
Ele é o corpo de imortalidade, o corpo de Eternidade, que, hoje, lhes é desvendado e ao qual lhes é possível, para alguns de vocês, asceder.

O acesso a esse corpo de Existência se faz pelo que é chamado de uma saída fora do corpo, não pelo que foi chamado de uma viagem astral. A viagem astral e a experiência fora do corpo se fazem dentro mesmo da matriz e não lhes permite escapar da matriz.

Entretanto, é uma boa imagem do que é a Verdade, mas não é a Verdade.

A Verdade situa-se portanto no sol, para além do envelope matricial do sol, para além desta Dimensão falsificada.

O acesso à Existência, antes mesmo de falar da estrutura da Existência, se faz por uma porta precisa que é a porta do Coração.

Ela corresponde à ativação do chacra do Coração e, além mesmo da ativação do chacra do Coração, ao movimento de certo número de Vibrações, correspondente a certo número de pontos de consciência que lhes foram descritos, há quase dois anos, por Mestre RAM.

No que concerne à Existência, o fato de tocar esta Dimensão Vibratória específica, sem mesmo ali penetrar, de maneira lúcida (para além do veículo astral, certamente), vai se traduzir por certo número de modificações dentro mesmo da estrutura física e das estruturas sutis matriciais.

O acesso a esta Vibração da Existência se faz por um ponto de contato chamado de Vajra ou Fonte de Cristal, situada acima da cabeça, a aproximadamente 60 ou 80 cm da cabeça. É a esse nível, nesse ponto preciso de Consciência, que se encontra o que alguns, algumas pessoas, hoje, chamam de Merkabah.

Esse 13º corpo, assim se pode chamá-lo, corresponde à interpenetração de sua estrutura ilusória na matriz (corpo físico e estruturas sutis matriciais compreendidas) com o veículo de Existência.

Trata-se, portanto, de um ponto de junção ou de um ponto de contato, que é estabelecido e tornado eficiente, a partir do momento em que a Corda Celeste ou Antakarana é construída e lhes permite colocar em Vibração essas duas estruturas, perceptível pelo que é chamado de Nada ou Canto da alma, percebido no ouvido esquerdo, depois no ouvido direito, depois nos dois ouvidos.

O acesso à Existência vai se desvendar a vocês através de certo número de revelações inéditas: primeiro, a percepção de suas quatro linhagens espirituais, correspondente, para alguns, a suas linhagens estelares e, para alguns, à sua própria origem estelar.

Há, nesta estrutura de Existência, uma constituição específica que escapa totalmente à constituição matricial tal como a conhecem.

De fato, as partículas e as Vibrações que constituem esta estrutura de Existência estritamente nada têm a ver com a forma fixa, na qual vocês se encontram, hoje, nesse corpo, como nas estruturas sutis matriciais.

Existe, ao nível da Existência, certo número de modos de funcionamento, totalmente diferente do que lhes ensina a física do corpo físico, ou a física sutil, na matriz.

Esse corpo de Existência é uma estrutura móvel e uma estrutura mutável.
Essa é a grande diferença com relação à sua estrutura física e à consciência comum que habita nesta estrutura física.

Quando eu falo de estrutura mutável, isso quer dizer que a estrutura da Existência não é fixa dentro de uma forma, mas casa-se, em função dos mecanismos Vibratórios desta estrutura, e em função dos mecanismos Vibratórios do Espírito, com formas que podem ser profunda e eminentemente variáveis, segundo, justamente, este pensamento, este Espírito, mas também segundo sua Dimensão de origem, qualquer que seja sua Dimensão estelar de origem.

Há, na estrutura de Existência, prisioneira no sol, um elemento importante que todos e cada um podem constatar, que é o Fogo, o Fogo solar, o Fogo do sol.

Esse Fogo, que pode lhes queimar a pele, quando vocês estão fora, e que pode queimar esta estrutura de personalidade, não tem qualquer ação desse tipo ao nível da Existência, porque a Existência, em sua estrutura primordial, corresponde ao que vocês chamariam, em sua Dimensão falsificada, de Fogo.

O corpo de Existência é portanto uma estrutura ígnea, uma estrutura de Fogo mutável, móvel como o Fogo, mas que não se apaga jamais. Sendo partícula ígnea, constituída de certo número de partículas que não existem em sua Dimensão, é portanto mutável, como o fogo que vocês observam dentro de uma lareira que vocês acendem com madeira.

Esta forma, entretanto, é Inteligente, não responde às forças gravitacionais, mas às forças em relação com o Fogo primordial da Fonte.

Ela é portanto mutável.
A forma pode ser limitada ou ilimitada.
Eis aí já uma primeira dificuldade para seu cérebro: o corpo de Existência possui uma forma precisa, mas mutável dentro numa Dimensão.

Em outra Dimensão, dado que não há separação entre as Dimensões, o corpo de Existência pode tomar formas extremamente variáveis, em intensidade, em estrutura, em forma. O que quer dizer que as partículas que constituem o corpo de Existência não são estritamente as mesmas, segundo a Dimensão considerada e segundo a evolução desse corpo de Existência nas Dimensões.

Uma diferença essencial também com relação à matriz na qual nós todos passamos, é que, quando vocês falam de Luz, vocês falam da luz que vocês vêem no exterior ou sutilmente.

Mas ela está sempre no exterior.
Quer dizer que, mesmo numa viagem astral ou numa visão sutil astral, vocês poderão perceber luzes, situadas não no interior de um corpo, mas no exterior de um corpo ou de uma estrutura, qualquer que seja, na matriz.

Esse processo é estritamente inverso na Existência.
A Luz está no Interior da forma.
Ela não está no exterior da forma.

Assim, portanto, na estrutura de Existência, a estrutura é realmente da Luz, no sentido Vibral, porque ela está contida dentro da forma habitada pela Consciência.

A forma é mutável, o que quer dizer que a forma observada vai, dentro do corpo da Existência, desde as diferentes linhagens possíveis (que foram travestidas, na matriz, pelos Arcontes, sob forma do que vocês chamam de animais) e para além dessas linhagens, correspondendo o mais frequentemente às linhagens estelares de origem de seu Espírito.

Existe, também, uma mutabilidade de forma dentro das formas geométricas cada vez mais simples, a tal ponto que, além das Dimensões que nós qualificaremos de antropomórficas, existem planos Dimensionais onde a estrutura se torna, unicamente, uma forma geométrica simples, incluindo a Consciência a mais ampla possível.

Assim, quando é dito que a fonte é um ponto e que a Fonte é a Totalidade, esta é estritamente a Verdade, segundo a mutabilidade da forma da Fonte que está por toda parte, ao mesmo tempo, no mesmo espaço e em todos os tempos e em todos os espaços.

Na matriz, vocês estão limitados pela forma que habitam, fixos desde seu nascimento até sua morte, dado que há uma mutação que se faz de maneira extremamente lenta, segundo seu tempo, para conduzir do nascimento ao crescimento, ao estado adulto e ao decrescimento, até a morte desse corpo físico.

O que não é absolutamente nos diferentes veículos da Existência.

Agora, devemos desenvolver como se desenha a interação entre o corpo de Existência e o corpo físico e as Consciências que ali habitam, dentro mesmo desta matriz.

A primeira das manifestações do contato com a Existência é a Vibração percebida por intermédio do chacra da Coroa, permitindo receber os afluxos, por intermédio do Vajra, provando que existe uma conexão que se estabelece entre o corpo de Existência (ou Consciência de Existência) e o corpo físico (ou consciência do ego).

Esta Vibração, surgida ao nível da cimeira da cabeça, vai tomar progressivamente o ritmo de uma Coroa, estabelecendo-se progressivamente para, tal como um capacete, invadir a totalidade da cabeça.

Mas, nesse estado, não há ainda lucidez da Existência.

A lucidez da Existência, sem mesmo falar da viagem da Existência, apenas se realiza a partir do momento em que há abandono à Luz, como o Arcanjo Anael o definiu e a partir do momento em que as Energias (correspondentes, de fato, à descida da Tripla Unidade: Espírito Santo, partículas Adamantinas da Fonte e Ultravioleta) começam a escapar da influência do ego e da consciência do ego, ao nível da cabeça, para descer progressivamente, ir no Coração, ir no Sacrum e voltar a subir, acopladas ao Fogo da Terra e ao Fogo do Éter, para se estabelecer definitivamente no Coração.

É apenas naquele momento que o contato com a Existência se realiza, sem no entanto permitir ainda a transferência da consciência para a Consciência da Existência.

Mas, a partir desta etapa da subida das energias ao nível do Coração, vai se traduzir certo número de mecanismos que eu chamei, em muitas reprises, de Samadhi, ou de Alegria Interior.

A partir daquele momento, existe certo número de etapas que, como sempre nesta matriz, são em número de sete, que vão lhes permitir atingir o Maha Samadhi, que corresponde ao momento em que sua consciência do ego pode se transferir, inteiramente, para a Consciência da Existência.

Naquele momento, e somente naquele momento, a Consciência pode viajar no Ilimitado, experimentar e provar o que acontece na Existência, de maneira inteiramente desacoplada da estrutura do corpo físico e da consciência do ego.

Esta é uma viagem relativamente curta, que se tornou possível desde as primeiras efusões e a primeira Onda, o primeiro Portal Galáctico ocorrido em 1984. Foi naquele momento, aliás, que os maiores Mestres encarnados decidiram partir, para se juntarem à Ordem dos Melquisedeques.

Assim foi para Omraam Mikaël Aïvanhov, assim foi para outros grandes Mestres que não foram revelados pelo momento, por esse canal, nem por outros canais.

Esses Mestres foram portanto capazes, os primeiros, por antecipação, de conectar o corpo de Existência e, portanto, de criar um veículo Merkabah interdimensional coletivo, em meio às 24 Consciências Unificadas desses 24 Mestres de Luz Autêntica, que não são o Mestre da Luz, mas que tornam possível, por sua Unificação de Consciência, a Presença, em seu Círculo, da Consciência Ki-Ris-Ti.

Consciência Ki-Ris-Ti que (desde que o Fogo do Éter e o Fogo da Terra, pela intervenção do Arcanjo Miguel, tocaram a Terra) pode, hoje, e desde 17 de julho, se revelar progressivamente à sua consciência, mesmo no ego.

O corpo de Existência é portanto mutável.
Ele é constituído de partículas que nada têm a ver com as que os constituem.

As partículas essenciais são partículas adamantinas ou partículas de Luz Supra-lumínicas, constituídas de Agni Deva, cuja forma e organização se faz por seis, criando partículas hexagonais de Luz e não mais as partículas de Prana etérea, de fótons, tais como vocês as descrevem em sua ciência.

Essas partículas hexagonais são Inteligência e Inteligentes.
Elas são capazes de se agenciar, segundo os dados do Espírito, da Consciência, para se agenciar, sob toda forma possível, nas dimensões que pode visitar, à vontade, a Consciência Ilimitada.

O agenciamento é portanto diferente, nessas partículas adamantinas, e permite manifestar formas profundamente diferentes, entre a 5ª Dimensão e a 18ª Dimensão.

Assim, um Arcanjo, com uma representação antropomórfica de 5ª Dimensão, torna-se uma forma específica nada mais tendo a ver com qualquer antropomorfismo, a partir da 11ª Dimensão e até a 18ª Dimensão.

Para além da 18ª Dimensão não existe mais qualquer antropomorfismo, mas simplesmente formas geométricas simples.

Há a Civilização dos Triângulos, há as colônias que apóiam a formação dos mundos, quaisquer que sejam as Dimensões.

Há tubos de Luz, cujo mais digno representante é o Senhor Metatron, em pessoa.

Há as Rodas nas Rodas, chamadas também de Quatro Vivos ou Hayot Ha Kodesh, que governam e que difundem a Lei da Fonte, Lei de Graça, no conjunto dos universos e no conjunto de Dimensões.

A estrutura, na Existência que é a sua, como ser humano prisioneiro desta matriz, vai portanto ser diferente, conforme vocês venham de tal Dimensão, de tal outra Dimensão. Ela vai ser, também, diferente segundo suas próprias linhagens espirituais e segundo suas origens estelares que, por vezes, podem coincidir.

Assim, portanto, vocês poderão viver, no sol, o reencontro com o corpo de Existência e se aperceberem que, quando vocês estão na Consciência Ilimitada, o sol não é quente, nem mesmo morno.

Não há, aliás, qualquer característica térmica.
É simplesmente a realidade do que podem descrever os seres que vivem uma experiência de morte iminente, como esta Luz de Amor, à qual eles não podem asceder.

Alguns seres efetivamente puderam atravessar o sol e não foram, até agora, jamais queimados, certamente.

Há, atrás do sol, o acesso, por esta porta solar, às outras Dimensões.

Assim, a maior parte das embarcações da Conferência Intergaláctica, que não estão ligadas a esta matriz, começaram a investir, há vários anos, passando pelas portas solares ou pelas portas intraterrestres, para poder aceder à sua Dimensão, não ao mais próximo da Terra, mas, ao menos, no ambiente do sol.

Isso corresponde a coisas bem reais, que lhes são cuidadosamente escondidas pelo conjunto daqueles que detêm as imagens e as provas desta existência.

Meu objetivo não é, no entanto, este.
Ele é o de fazê-los compreender, com sua cabeça, o que pode ser a Vibração da Existência e o corpo de Existência.

Assim, portanto, esse corpo de Existência é constituído de Luz.
Uma Luz, portanto, irradiante, no exterior, mas uma Luz Interior, que é então, não centrífuga, mas centrípeta.

Existem nos corpos de Existência, segundo sua origem Dimensional, várias constituições possíveis – prejulgando, aí também, de sua origem Dimensional, antes de sua prisão na matriz.

Assim, portanto, encontrando seu veículo de Existência, vocês podem ali encontrar:

- Um veículo de Luz constituído de partículas adamantinas.
Trata-se do corpo, realmente, de Luz, pertencente à 5ª Dimensão.

- Vocês podem reencontrar um corpo de Cristal, correspondente, quanto a ele, à 11ª Dimensão. A Luz, naquele momento, é aquela de um Cristal, tal como vocês o veriam em sua matriz, a única diferença é que esse Cristal não é fixo, mas apresenta um antropomorfismo estritamente sobreposto, um antropomorfismo no qual vocês se encontram, nesse corpo, mas este antropomorfismo não tem necessariamente um rosto que vocês qualificariam de humano.
Naquele nível, vocês reencontrarão o rosto de uma de suas origens estelares, de suas quatro linhagens misturadas ou puras. Assim, vocês podem perfeitamente ter um corpo de Cristal em relação com uma cabeça de gato, uma cabeça chamada de cão, uma cabeça chamada de leão, uma cabeça chamada de águia, significando, assim, sua origem estelar e portanto sua origem, ao nível de seu DNA, correspondente a suas quatro linhagens.

- Além desse corpo de Cristal, alguns seres podem se juntar ao que se chama de corpo de diamante, pertencente à 18ª Dimensão. Existe, aí também, um antropomorfismo evidente, mas, neste antropomorfismo, a mutabilidade das formas é ainda maior segundo as Dimensões percorridas. Entretanto, vocês podem assimilar isso ao brilho do diamante, não exterior, mas no Interior.

- E também, há uma quantidade não negligenciável de seres que vêm do que é chamada de Civilização dos Triângulos ou 24ª Dimensão, que se fizeram prender e que, de fato, se sacrificaram, há mais de 300.000 anos, a fim de evitar que esse mundo fosse definitivamente cortado da Luz, assim como diferentes estratagemas realizados, também, todos os 50.000 anos, para evitar que a Luz fosse cortada definitivamente.

Eis aí o que se refere às diferentes manifestações possíveis do corpo de Existência.

O que acontece quando a Consciência penetra no Ilimitado (não mais nesta estrutura física, mas diretamente na estrutura de Existência), não estando mais, ou ao mínimo, unida à consciência do ego?

Naquele momento, a consciência descobre seu Ilimitado.
Quer dizer que ela se torna capaz de viajar instantaneamente.

Quando eu digo instantaneamente, eu não falo mesmo da velocidade da Luz. O Espírito se desloca no instantâneo.

Ele se torna, segundo um conceito que vocês conhecem, nesta matriz, um holograma capaz de se manifestar em função de seu pensamento, em função de seu Espírito, instantaneamente, não importa qual Dimensão, não importa qual sistema solar, quaisquer que sejam essas “distâncias”, aparentes de seu ponto de vista na matriz.

Por que é que eu atraio sua atenção sobre a Existência?
Porque, devido a que certo número de prazos Vibratórios se aproximando, alguns de vocês vão começar a explorar essas esferas da Existência, sendo ao mesmo tempo desacoplados da esfera da consciência limitada.

Que acontece?
É a imagem que empregamos, de Consciência de borboleta e Consciência da lagarta: trata-se efetivamente de duas consciências distintas.

O que acontece, da consciência limitada ou ego para a Consciência Ilimitada é a própria Consciência.

Mas não se trata da mesma consciência, eu diria, sem fazer jogo de palavras, não se trata de forma alguma da mesma Entidade.

Isso pode parecer paradoxal e difícil para compreender e assim o é porque não é algo que vocês possam compreender, é algo que vocês podem viver.

O que acontece, naquele momento?
Quando vocês passam na Existência, a consciência da personalidade não existe mais. Vocês não são mais um observador do que quer que seja, vocês se tornam a totalidade da Fonte.

Naquele momento, vocês não têm mais qualquer limitação correspondente a esse corpo.

Vocês são capazes de evoluir no Ilimitado.
Esta experiência única lhes confere a imortalidade.

O que quer dizer que, a partir do instante em que penetram a esfera da Existência, qualquer que seja a necessidade de retorno nesse corpo de personalidade, o mundo não será mais jamais o mesmo, para vocês, naquele momento, mesmo se a experiência não se reproduzir, porque, para muitos de vocês, é necessário permanecer nesta matriz, para levar a efeito sua missão, até o final desta matriz.

Mas a experiência confere a imortalidade, não certamente, desse corpo, mas da própria Consciência.

A aproximação dos mecanismos de dissolução da personalidade não é para apreender. Quaisquer que sejam as Vibrações que vocês vivam na consciência limitada, mesmo se a Coroa Radiante da cabeça está perfeitamente ativa, mesmo se a Coroa Radiante do Coração está perfeitamente ativa e mesmo se suas novas lâmpadas estão ativas, pelas percepções Vibratórias existentes nos novos corpos, isso não lhes permite eliminar, inteiramente, o medo da dissolução.

Ora, a passagem da consciência da lagarta para a Consciência da borboleta implica num sentimento de dissolução, chamado, nas diferentes tradições, de morte do ego.

Compreendam bem que esta morte não é definitiva, mas é vivida como definitiva pelo mental, porque é naquele momento que o mental não pode mais dominar, nem controlar, o que quer que seja de sua vida.

Do mesmo modo que, naquele momento, vocês não estão mais submissos à lei de ação/reação, mas, permanentemente, em sua vida, à Lei de Ação de Graça, que permite manifestar-se a Fluidez, a Unidade, a sincronia e a Alegria.

Aí está o que tinha a lhes dizer com relação a esse corpo de Existência.

Vocês não estão sem saber que, no momento da dissolução da matriz, o conjunto de corpos de Existência dirigir-se-á sobre cada um de seus proprietários, em cada consciência limitada.

Assim, portanto, a consciência que está ancorada, e que quer perdurar na consciência limitada, verá, face a face, o que foi traduzido no Apocalipse de São João pelo corpo Imortal ou corpo sem Costura.

Cada um se verá face a face, mas esse face a face não é um face a face do ego com o ego, é um face a face do ego com a Existência, da consciência limitada face à Consciência Ilimitada que, ainda uma vez, estritamente nada tem a ver.

Da capacidade de sua identificação Vibratória, de sua capacidade para ter despertado o veículo ascensional ou Merkabah ascensional, decorrerá sua capacidade, ou não, para transferir a totalidade de sua consciência, com ou sem esse corpo físico, para o veículo de Existência.

Esse é um processo que eu qualificaria de matemático, porque ele obedece a leis que não são suas leis físicas, mas leis ultrafísicas, correspondentes ao modelo Supralumínico existente nos mundos Unificados.

É esta preparação que vocês vivem, alguns de vocês, desde muito numerosos anos e, outros de vocês, de maneira muito mais recente.

A ativação de todas as lâmpadas novas (oitavo, nono, décimo, décimo segundo e, sobretudo, o décimo primeiro corpo) permite a reversão completa e a passagem da consciência limitada para a Consciência Ilimitada, sem remorsos, sem medo e sem risco de dissolução do que quer que seja.

A dificuldade é portanto o medo da dissolução.
Esse é o último medo existente no veículo da consciência limitada, que se oporá, com todas suas forças, à sua passagem no Ilimitado.

É ele que será, não para vencer, mas para transcender e para superar e será realizado muito mais facilmente se vocês estão abandonados à Luz, permitindo então à Inteligência da Luz trabalhar, ela mesma, para estabelecer a ponte de comunicação, terminar a construção do Antakarana com seu veículo de Existência, por intermédio do Vajra, transformando-se em Bindu na cimeira do crânio e dando-lhes então a percepção de uma Coroa na Coroa: a Coroa ampla da Coroa Radiante da cabeça, girando e despertando o que é chamado de 12 Estrelas de Maria.

As 12 Estrelas de Maria sendo o preparativo da passagem em sua Existência. É a ativação dessas 12 Estrelas, por intermédio da ativação de seus 7 chacras essenciais, e das 4 lâmpadas novas, que se realiza a alquimia necessária e a transmutação de sua consciência, de uma consciência limitada em uma Consciência Ilimitada, que vocês ainda não conhecem.

A aproximação ligada à Alegria Interior e ao Samadhi é indispensável, porque é nesta Alegria Interior e nesse Samadhi que se realiza, em parte, a dissolução do medo da dissolução.

O desaparecimento progressivo deste medo que congela, bem além do mental, porque é o último medo existente no ser humano.

O abandono à Luz, assim como lhes definiu Anael, vai portanto se viver por certo número de etapas, qualquer que seja seu grau de Despertar, correspondente ao que é vivido também pelas pessoas que vão passar do outro lado do véu, na matriz, na morte.

Há então recusa, há então negociação, há então uma discussão, antes de viver o abandono.

Esse é um processo muito normal.
Hoje, a Luz Supralumínica os apressa para realizar este abandono à Luz.

Ela os apressa, através do que vocês percebem, na Coroa Radiante da cabeça ou, para alguns de vocês, ao nível do Sacrum, ligado ao Despertar do Kundalini.

Qualquer que seja o Fogo (aquele da cabeça ou aquele existente em sua própria Terra, que é o Fogo do Sacrum), os dois devem se juntar ao nível da Vibração do chacra do Coração e, além, ao nível da Coroa Radiante do Coração e de seus pontos de Vibração.

Apenas pela alquimia e pelo alinhamento do que chamei de Três Lareiras é que se realizará a facilitação do acesso a seu corpo de Existência.

É difícil ir mais adiante nos detalhes das linhagens.
Obviamente, é impossível revelar-lhes, do exterior, o que são suas linhagens.

Do mesmo modo que é impossível revelar-lhes, do exterior, os estados Dimensionais que vocês podem provar, viajar e manifestar, porque isso depende, de fato, de sua capacidade para ali penetrar.

Ora, a consciência limitada não pode ali penetrar.
Apenas na morte da consciência limitada, naquele momento, vocês penetrarão as Dimensões e as linhagens estelares que são as suas.

O importante é compreender que o trabalho que vocês realizam neste espaço, como o conjunto de conhecimentos que comuniquei através do Yoga Celeste, do Yoga da Luz, é que lhes permitirá se aproximarem, ao mais perto, desta noção de perda, de dissolução do ego e de abandono à Luz.

Vamos sempre dizer, uns e outros, que apenas você é quem pode realizar essa última etapa.

E, realmente, há apenas você.
Há, nesse nível, um mecanismo específico que não pode ser desencadeado por ninguém mais além de você mesmo.

Nenhum salvador poderá desencadear, para você, essa ignição.

Apenas você que pode fazê-lo.
Entretanto, elevando sua Vibração, tal como o realiza também por outros meios, torna-se mais fácil se aproximar desta etapa da dissolução.

É tudo o que nós desejamos e é tudo o que nós esperamos, atualmente, para um máximo de seres humanos em encarnação.

Aí está o que tinha a revelar.

A Existência, pelo momento, está portanto ainda prisioneira no sol, o que explica que alguns de vocês podem ali asceder emprestando o que eu chamaria de Antakarana coletivo, que é, de fato, uma ponte elétrica que une esta Terra com o sol.

Alguns seres têm também a capacidade de descer nos mundos Unificados do Intraterra. Mas isso corresponde a contratos (que foram preestabelecidos, há muito tempo, bem antes da dissociação desta matriz com a Fonte), se preverem, chamados contratos de almas, contratos de Espírito.

Seu caminho não é, para a maior parte, o de se juntar ao Intraterra, mas, bem mais, num primeiro tempo, juntar-se à sua Dimensão Ilimitada.

O trabalho o mais essencial está nesse nível.
Ele passa, ainda uma vez, pela porta do Coração e por certo número de trabalhos Vibratórios.

Existe, também, certo número de trabalhos que eu qualificaria de psicológicos, de comportamentais ou de espirituais, que lhes serão desenvolvidos pelo venerável Mestre Philippe de Lyon, dentro de alguns instantes, ou um pouco mais tarde, de acordo com suas questões.

É também em meio a esses comportamentos, que lhes convirá trabalhar para ir para mais desapego e mais facilidade para viver esta dissolução e esta morte do ego.

Aí estão as palavras que tinha a lhes dar.
Se, nesse discurso, vocês têm questões a me colocar, eu tentarei, de meu Coração a seu Coração, responder.

Questão: A passagem da consciência limitada para a Consciência Ilimitada se faz espontaneamente ou por etapas?

Existem muitas etapas prévias, tais como as descrevi.
Mas a passagem do mental ao Supramental se faz por um Switch.

A passagem do Supramental na Existência se faz também por um Switch. Ele se realiza a partir do instante em que a Coroa Radiante do Coração está totalmente funcional e a partir do instante em que as 12 Estrelas de Maria são ativadas.

Mas isso se produz em um instante.
As etapas anteriores são etapas prévias.
Há, se pode-se dizer, em sua linguagem, um antes e um depois.

Eu aproveito de sua ausência de questões para continuar, num processo especial que é chamado de Consciência Unificada, correspondendo à estrutura que temos em meio aos Melquisedeques.

Esta estrutura existe também, do mesmo modo, em meio ao Intraterra, seja entre os humanóides ou ainda entre os Delfinóides.

A Unificação da Consciência que está para se realizar em vocês, pela morte da consciência limitada se transmutando em Consciência Ilimitada, passando na Consciência Ilimitada, permite também funcionar num modo não separativo.

Nesse modo não separativo, as Consciências se associam Vibratoriamente, quaisquer que sejam suas distâncias ou sua Dimensão.

Assim, ao nível dos 24 Anciãos, nós somos reunidos por grupos de seis.

Existem portanto quatro grupos de seis.
Cada um dos grupos de seis constitui, a si somente, um conjunto hexagonal de Luz. Esses quatro grupos hexagonais de Luz, associados, formam então uma Consciência Unificada, num Conselho de 24, representando uma Unificação da Luz.

Cada grupo de seis está sob a influência de um dos Pilares centrais da Criação, Hayot Ha Kodesh. Os quatro elementos, assim nomeados na matriz, são o pálido reflexo do que existe ao nível da Fonte, constituindo o conjunto dos universos, chamados também de quatro elementos.

Existe portanto um Hayot Ha Kodesh do Ar, um Hayot Ha Kodesh da Água, do Fogo e da Terra.

Assim, nós mesmos, Melquisedeques, somos agrupados por seis, segundo nossa origem Vibratória elementar, situando-se ou ao nível da Água, ou ao nível da Terra, ou ao nível do Ar, ou ao nível do Fogo.

O comando (aquele que federa, aquele que reunifica) é sempre um Melquisedeque de Fogo. Esse papel é atribuído, hoje, como o sabem, a Omraam Mikäel Aïvanhov em sua vida.

Omraam Mikäel não é o chefe, ainda que se apresente como tal. Ele é, sobretudo, o que nós apelidamos de Federativo de nossa Energia Unificada, e esse papel é sempre atribuído a um Melquisedeque de Fogo.

Eu sou, quanto a mim, assim como o sabem, um Melquisedeque que está próximo, muito próximo, de Sri Aurobindo, ligado ao Ar.

Muitos Melquisedeques do Ar se exprimiram entre vocês.
Existe, portanto, por nossa polaridade nesses veículos ígneos, que é nosso veículo de Existência, uma capacidade para manifestar um elemento de suas capacidades, traduzindo-se também pelas qualidades deste elemento, no conjunto de multiuniversos e no conjunto de Dimensões que percorremos.

Questão: Poderia definir o que você chama de “qualidades dos elementos”?

É o mesmo que o seu.
Simplesmente, é muito mais amplo.

O Fogo está diretamente ligado à Fonte.
A Fonte é do Fogo.

O aspecto ígneo é o que confere a mutabilidade a mais importante.

O elemento Terra (mesmo se, obviamente, nossa Terra, nas Dimensões Unificadas, nada tenha a ver com os constituintes existentes nas estruturas de carbono) não reside menos elementos fixos e elementos sustentadores e que acolhem a Vida.

O elemento Água remete, inevitavelmente, o mais frequente, ao mundo de Sírius, em relação com os Golfinhos, em relação com os Mestres geneticistas, devido mesmo à plasticidade da água.

Que seja a água que vocês conhecem nesse mundo, ou a Água do alto, chamada de Água Benta ou Água do Mistério.

A água é uma matriz, não matriz limitante ou aprisionante, como a sua, mas matriz na qual pode se desenvolver a Vida.

Ela nutre a Vida, em todos os sentidos do termo.
Do mesmo modo, nesta matriz, vocês não poderiam viver sem água, sejam os seres humanos, os vegetais ou os animais.

No que concerne ao Ar, há um elemento essencial que é o ensinamento e a transmissão, coisa que realizou Mestre RAM, que realizou Sri Aurobindo e que eu realizo, hoje, com vocês.

Questão: Aqueles que contatam o corpo de Existência favorecem a passagem dos outros humanos?

Sim, pelo efeito da ressonância.
É evidente e nós lhes dizemos que, quanto mais houver seres que tiverem ativado sua Coroa Radiante do Coração e que tocarem as esferas do Samadhi (sem mesmo ir na Existência), isso tornará as coisas muito mais fáceis para aqueles de seus Irmãos que não estão ainda despertos.

É nesse sentido que Gaia, como nós mesmos, como vocês mesmos, esperaremos o extremo limite das possibilidades desta Terra para manifestar esta Dimensão, para permitir a um máximo de seres humanos se juntarem à Vibração da Existência e à Existência.

Questão: Haveria uma noção de massa crítica que permitiria a todos transladarem?

Meu Irmão, é preciso que você aceite, como uma lei verdadeira e única, que a Fonte, mesmo na dissolução desta matriz, não pode impor a ninguém voltar no Ilimitado.

É preciso aceitar e, sobretudo entre os seres ditos em marcha espiritual, que inúmeros deles não estão prontos para deixar a dualidade, porque ali aderiram de maneira forte.

E é sua liberdade.
Não há portanto, nem a esperar, nem a desejar, que a totalidade dos seres humanos retorne à sua Unidade.

Esse não é o objetivo.

Questão: Reconhecer um elemento essencial, em nós, nos ajudaria a transladar mais facilmente?

Cara Irmã, não creio.
O mais importante é a Consciência do Coração e sua Vibração.

Unicamente isso.

Questão: Quando se sente os seis pontos de Consciência ao nível da Coroa do Coração, pode-se considerar que a Coroa Radiante do Coração está acesa?

A percepção dos seis pontos de Consciência do Coração, dados por Mestre RAM, corresponde às primeiras etapas que permitem começar a fusionar o que é chamado de nono corpo com o chacra do Coração, traduzindo-se por fenômenos de pressões em barra na parte alta do peito, desembocando na percepção da rotação do chacra do Coração.

Essas etapas são, efetivamente, o sinal de que há uma construção particular, que lhes permite, a prazo, asceder ao Samadhi e ao Maha Samadhi.

A Alegria está, já, presente.

Mas, como eu emprego a palavra Samadhi, isso traduz uma expansão da consciência mesmo nesse corpo de personalidade, fazendo-os viver o Ilimitado nesta forma limitada.

Mas isso corresponde efetivamente a uma possibilidade de acesso à Existência.

Lembrem-se que as três últimas Estrelas de Maria, ativadas para alguns seres que tiveram acesso à Existência quando da primeira onda, estão hoje em fase e passam a ser reveladas na humanidade, permitindo então àqueles que, efetivamente despertaram a Coroa Radiante do Coração ou o chacra do Coração, poderem aceder à sua Existência.

Eu afirmo que, a meus olhos, o acesso pela Vibração me parece mais fácil. É evidente que certo número de preceitos comportamentais e emocionais, ainda, é capaz de aproximá-los de seu Coração.

Mas retenham que, qualquer que seja a aproximação, definitivamente apenas há a ignição do Coração quando este vibra e quando a pressão, a Vibração, o calor, a rotação ou um desses elementos é percebido e, ao mesmo tempo, começa a se manifestar, de maneira espontânea, a Alegria Interior.

Questão: Os corpos de Existência estando no sol, o que é das projeções de partículas do sol?

Primeiramente, o estabelecimento de uma ponte de comunicação, sempre maior, entre a Terra e o sol.

E, portanto, entre sua consciência limitada e sua Consciência Ilimitada.

A onda de partículas, pelo momento extremamente leve com relação ao que deve advir, é uma primeira descida Vibratória das partículas que constituem o corpo de Existência, permitindo a alguns seres humanos conectar e viver a Existência.

O que foi tornado possível, pela primeira vez, estando ainda encarnados, pela passagem das Chaves Metatrônicas, no ano passado, será tornado ainda mais eficaz a partir do advento da Cruz no Céu e no momento em que o Arcanjo Metatron desvendar as últimas Chaves.


Não temos mais perguntas, agradecemos.

Irmãos e Irmãs nesta humanidade, vou então abandoná-los algum tempo, eis que não voltarei hoje.

Assim, portanto, de meu Coração a seu Coração, eu lhes transmito todo o Amor possível.

___________________________
Compartilhamos essas informações em toda sua transparência. Agradecemos em fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente este texto e citando sua fonte: http://www.autresdimensions.com/
Versão do francês para o português: Célia G.

Nenhum comentário:

Postar um comentário