sexta-feira, 6 de agosto de 2010

SNOW - 6 de agosto

6 de agosto de 2010

Mensagem de 6 de agosto (publicada em 11 de agosto de 2010) do SITE AUTRES DIMENSIONS


Meu nome é Snow.

Venho entre vocês para falar-lhes.
Falar da liberdade.

Daquela que é, daquela que não é.

Venho entre vocês, acompanhada de minha Vibração de Estrela de Maria.

No conjunto de minhas vidas passadas no mundo em que vocês estão, eu sempre fui uma alma próxima da Mãe Terra, da natureza e, portanto, do grande Espírito que vocês chamam de A Fonte.

Eu venho falar-lhes, a pedido de Maria, desta liberdade.

Hoje, sobre esse mundo em que vocês pisam seus passos, em seu povo como na maior parte dos povos, o sopro de liberdade, que existia nesta matriz, e que era ainda possível, foi suprimido.

Ele foi substituído pela segurança que os faz crer na liberdade.

Esta segurança os colocou, queiram ou não, no medo.
E o medo é, hoje, na humanidade, o elemento o mais limitante e o freio o mais importante para o acesso ao Espírito.

O medo é o oposto da liberdade.

Em meio ao meu povo, como em meio aos povos primitivos, antes da existência de todos esses fatores que vocês vivem, o medo não podia existir.

Não havia que se proteger de nada, porque o medo era desconhecido. Realmente !!!

Fosse através do que nos ensinavam, aqueles que nos educaram, fosse através de nosso modo de vida, do que fosse nossa capacidade espontânea de perceber a respiração da Terra e a respiração do Grande Espírito, não havia lugar para o medo, porque nós estávamos em segurança pelo pulso, mesmo, da Terra, que nós percebíamos.

Esta respiração que, hoje, mesmo em meu povo e em outros povos primitivos, quase não é mais percebida.

A Mãe Terra sempre foi nossa protetora.
E, em sua proteção, não havia qualquer medo, qualquer necessidade.

Nós éramos, realmente, como disseram outros Anciãos antes de nós, os Filhos do Céu e da Terra. E, em meio a este espaço, mesmo agora que eu sei ser falsificado, nós éramos realmente livres, por nossa conexão ao Céu e à Terra.

Hoje, as diligências do mundo ocidental e global voluntariamente os privaram desta conexão, por diferentes meios, simplesmente afastando-os da natureza.

Cortando-os da natureza, torna-se então muito fácil cortá-los do grande Espírito e do sopro de Vida e substituir a verdadeira liberdade por uma necessidade de segurança e, sobretudo, pelo medo.

Medo, eu o repito, que nos era desconhecido.
Desconhecido porque mesmo sentido por vezes por uma criança, frente a um animal selvagem, parava a percepção da Vida e da Terra.

E, mesmo para uma criança, ao fazer a experiência uma vez, duas vezes, bastava para fazê-la tomar Consciência que não podia existir qualquer medo entre o Céu e a Terra.

Certamente, a liberdade estava mesmo neste espaço.
Ela não se referia ao que, hoje, lhes é oferecido, que é o acesso, para além desse mundo, à verdadeira trama do mundo.

Mas o que lhes é oferecido pelos grandes Seres, por nós, lhes é difícil de ali asceder.

A preparação dura certo tempo.
Simplesmente porque os cortaram da Terra e, não tendo mais o apoio da Energia da Terra, o grande Espírito é simplesmente negado, muito naturalmente.

Eu já disse, há pouco tempo, que o contato com a natureza era um meio essencial de permitir-lhes restringir o medo e, portanto, melhorar, mesmo em suas Vibrações novas, a qualidade desta percepção e a qualidade de suas próprias Vibrações.

Olhem para o conjunto de suas vidas, mesmo para os mais avançados de vocês para o retorno à Verdade, o quanto o medo está presente. Este medo que, ainda uma vez, foi introduzido por múltiplos fatores, ele pode ser facilmente transcendido e superado, no que os grandes Seres, como os Arcanjos, denominaram “abandono à Luz”.

Mas vocês devem também encontrar a força, a força vital, que existe na Terra.
A Terra é seu apoio.

Não se esqueçam que a Terra faz o mesmo caminho que vocês, em seu retorno à sua Verdade, à sua sacralidade, como vocês dizem.

Ela os acompanha e ela os precede, mesmo.
Do mesmo modo que Maria está consciente de cada um de seus Filhos, a Mãe Terra, ela também, tem Consciência de vocês todos, sem exceção.

Ela registra, em sua matriz Cristalina Unitária, em seu centro, absolutamente tudo.

Eu sei que várias ferramentas lhes foram entregues, para permitir-lhes avançar para esta liberdade e que, definitivamente, hoje, o que resta, verdadeira e fundamentalmente, são os medos, que vêm das feridas, das crenças, de sua educação.

Lembrem-se que a Mãe Terra pode ajudá-los a encontrar, nela, um apoio e um desenvolvimento para o grande Espírito, porque é apenas através da conexão ao Céu e à Terra, a Gaia, como vocês a denominam, e à Fonte, que se transcendem todos os medos.

Peçam à Terra.
Entreguem-lhe suas feridas, seus sofrimentos e peçam-lhe.

Frequentemente, o ocidental pensa no céu, pensa na ajuda dos Grandes Seres, mas não pensam jamais na Terra.

A Terra também que, atualmente, vive sua mutação.
Como se lhes disse, ela dá à luz, ela se entrega e ela é portador, inteiramente, das mesmas Energias e da mesma Consciência que vocês, manifestadas diferentemente, percebidas diferentemente, mas as mesmas qualidades estão presentes.

A Terra é um apoio.
É em seu seio que vocês devem se elevar.

A Terra, como dizem ainda alguns povos primitivos religados, acelerou grandemente o som do tantã [espécie de tambor].

Sua frequência aumentou.

Ela Vibra mais forte.
Ela cresce, também.
Ela cresce e ela Vibra mais forte, acompanhando sua própria transformação. Ela vai, ela também, para sua entrega e, portanto, sua liberdade.

Eu sei que vocês, ocidentais, e muitos povos, hoje, foram forçados, de algum modo, a colocar sua segurança no exterior de vocês, no que vocês chamam de casa, banco e seguranças, quaisquer que sejam, seguros...

Mas o que representa, a seus olhos exteriores, vantagens em sua vida, tendo lhes conferido uma forma de liberdade, não é a liberdade.

Então, certamente, os seres que se despertam tornam-se mais conscientes e mais lúcidos do que povoa o grande Espírito, Presenças além desse mundo.

Não é necessário, simplesmente, esquecer a Terra.
Ela os acompanha, como vocês a acompanham.

Vocês são, de algum modo, e nós fomos todos, constituídos de sua carne.

Hoje, os sons do tantã da Terra crescem ainda mais, legando-os a se colocarem, eu penso, as boas questões.

Não vejam, na agitação da Terra, cataclismos, mas simplesmente a oportunidade de se colocarem as boas questões.

O homem, a mulher, tem tendência a se fechar nas falsas liberdades que protegem e nivelam certas dificuldades.

A técnica lhes trouxe, certamente, facilidades, mas essas facilidades são apenas aparentes, mesmo se têm, bem contra sua vontade, também servido à Luz e à Autenticidade.

Mas, no que concerne a seu caminho Interior, elas os impediram, bem contra a vontade de vocês, de serem livres.

Hoje, mais do que talvez há ainda algumas dezenas de anos, a técnica deve se esvair.

A parada desta técnica lhes permitirá, no momento vindo, retomar Consciência e contato em vocês mesmos, com vocês mesmos, com o Céu e com a Terra, também.

Compreendam bem que a técnica, como a Terra, emite ondas e os diferentes sons dos tambores da técnica, que vocês chamam de ondas, são, antes de tudo, criados para lhes mascarar o tantã da Terra.

Ela foi criada unicamente para isso.
Vejam hoje o futuro que lhes programaram aqueles que amam a técnica.

Querem, graças à técnica, ditar seu funcionamento, colocá-los na segurança.

Certamente, a técnica serve também.
Eu não coloco isso em dúvida.

Mas é preciso mesmo assim estar lúcido, totalmente lúcido, sobre o fato de que as ondas desta técnica, quaisquer que sejam, vão literalmente cortá-los da Terra, queiram ou não.

A liberdade deve, primeiro, ser-lhes restituída na Terra, para compreender e viver realmente o que acabo de viver, É por isso que, num determinado momento, todas as ondas da técnica devem parar.

Não se está ainda aí, mas isso virá.
A técnica não funcionará mais, porque a Luz e as ondas da Luz são bem mais potentes que as ondas da técnica.

Seu tantã não está no mesmo nível.
Vocês não têm que ser apreendidos de temor, porque a parada da técnica os tornará livres.

O que vocês não podem talvez aceitar pelo momento, tornar-se-á totalmente evidente quando vocês não forem mais cerceados pelas ondas, de nenhum modo.

Vocês restabelecerão, naquele momento, a conexão com a Terra.

Quando isso se produzir, vocês saberão instantaneamente que estão no caminho para a liberdade, sua liberação.

Mesmo se isso hoje, com seu olhar de hoje, possa lhes parecer falso, vocês viverão o inverso quando isso chegar.

A parada das ondas restabelecerá a percepção da onda da Terra e, portanto, tornará possível o que vocês chamaram de sua translação ou sua Ascensão para o Espírito.

Esta etapa, portanto, de liberação e de liberdade, é primordial e essencial e, eu diria mesmo, vital.

Vocês descobrirão então que seu Espírito é todo potente, que vocês podem se restabelecer em seu corpo, como em seu Espírito.

De fato, as ondas da técnica os comprimem e os fecham muito mais facilmente que os fechando numa prisão, porque esta prisão é invisível e muito mais forte que os muros.

Isso, eu duvido sim que vocês tenham dificuldades para conceber ou para aceitar, mas quando esse momento vier, vocês se lembrarão de minhas palavras.

Vocês descobrirão, então, uma precisão e uma profundeza que não conhecem ainda, mesmo para com esse mundo que, no entanto, vocês são chamados a transmutar e a deixar.

Mas esta lucidez dos últimos tempos é tão indispensável como seu Coração.

Eu diria mesmo que esta liberdade ali contribuirá, a seu modo.

Se vocês tivessem a possibilidade de se colocar em um espaço, nesta Terra, onde não houvesse qualquer onda, como é possível em lugares muito restritos, onde nenhuma onda chega, vocês constatariam muito rapidamente que sua consciência, mesmo comum, é muito mais livre.

Nada do que foi construído, em meio à escravidão do homem branco, e da humanidade, agora, não é contrário à lei de escravidão [dependência].

Mesmo se lhes parece efetivamente apaixonante mudar de continente, em algumas horas, ou de lugares, em algumas horas, se comunicarem de um extremo a outro do planeta, instantaneamente.

Certamente, eu concebo muito bem, mesmo sem o viver, que isso pode ser palpitante.

Mas a verdadeira comunicação não é essa.
Ela se faz de Coração a Coração e não de vozes a vozes, levadas pelas ondas.

Eu exprimi isso também com relação, quando de minha última vinda, há algumas semanas, a mesma coisa com relação ao dinheiro: o fato de dar uma peça, um bilhete [uma nota] não é a mesma coisa que trocar algo que foi feito pelo homem, sem intermediário.

Quiseram, é muito simples, colocar-lhes intermediários por toda parte: entre você e o Espírito, entre você e o chefe, entre você e aquele que tem ainda mais poder que aquele a quem você se dirige.

Mas qualquer coisa que não está na justiça do Espírito tem um fim, mais cedo ou mais tarde.

A natureza e o grande Espírito serão sempre mais fortes que as perversões de alguns.

Assim, falar de liberdade retorna a falar do que vocês não podem conhecer, devido mesmo às suas circunstâncias de vida, mas é possível aproximar-se da liberdade com a natureza.

Certamente, isso não basta, aí também, para liberá-los totalmente, mas concorre para.

Eu diria mesmo que, no momento em que as ondas pararem, a natureza será seu salvo-conduto e sua Consciência também, porque a natureza resistiu.

As árvores, por exemplo, resistiram à falsificação.
Elas mantiveram a conexão entre esta Dimensão e o grande Espírito (as Dimensões Unificadas, se preferem).

A árvore é um vetor importante de seu alinhamento, de sua retidão, de sua verticalidade.

Há ainda árvores, apesar de todos aqueles que abateram voluntariamente, não dentro de qualquer objetivo de serviço, mas para cortar esta conexão.

Mas ainda há, muitas.
Muitos de seus cientistas dizem que sem as abelhas não haveria mais vida.

Mas, sem as árvores, tampouco.
Quando existe em vocês um medo, uma ferida que volta e que os paralisa, recorram à natureza para tirar o medo, porque a natureza guardou ainda esta inteligência de sua conexão e de seu papel entre o Céu e a Terra.

Mais do que nunca a natureza se desperta, mesmo danificada.

É por isso que, quando ouvimos que a Terra morre, esse é o olhar daqueles que não estão abertos à Luz.

A Terra não morre, ela se desperta, ela se revela.
Apesar de suas feridas, como as suas também, a Terra Vibra, cada vez mais.

Ela se libera, ela também.
E, portanto, em seu seio, vocês podem encontrar apoios importantes, em seus elementos.

A água.
As árvores, também.

Quando vocês voltam a ter confiança na natureza, ela lhes retorna: ela os coloca na confiança.

Ela lhes serve, ainda uma vez, de apoio para ir mais alto e se elevarem.

Portanto, sim, a Terra sofreu pelo que lhe fizeram alguns dos seres que andam sobre ela. Mas ela se desperta e esta Vibração de Despertar é, se sua Consciência está bem orientada, muito mais perceptível que suas Vibrações de sofrimento.

Ligando-se a suas árvores, a seus elementos, vocês captam esse fluxo novo de Vida, porque a Terra acolheu, ao mesmo tempo em que vocês, o Espírito Santo, em seu núcleo, em seu Cristal, e ela lhes restituem.

Eu gostaria de dizer que o «combate» que existe em vocês existe também na Terra, mas vocês sabem bem que a Terra é mais potente que vocês.

Ela pode portanto ajudá-los a ir para a liberdade.
Como o sabem, existem muitos povos, sobre a Terra como na Terra, inúmeras Consciências muito diferentes, do mesmo modo que existem numerosos seres muito diferentes, que os assistem, ou que simplesmente vieram ver o que acontece, porque um nascimento é sempre algo de importante nos mundos, sobretudo quando um nascimento se acompanha de uma mudança tão radical e tão importante.

Tentem superar as imagens que alguns seres quiseram fazê-los adotar, de sofrimento da Terra, de Terra que agoniza.

Sim, o que agoniza, é o antigo.
Ela também faz sua mudança.
Não apenas vocês.

Portanto, superem esta visão de catástrofe, de destruição, porque esta destruição, justamente, permite também ir para a liberdade.

Ainda uma vez, aí também, como o disseram os Anciãos, tudo depende do olhar, tudo depende do ponto de vista: ponto de vista da lagarta ou ponto de vista da borboleta.

Para a Terra, é a mesma coisa.
Compreendam bem e aceitem que isso faz parte da liberação da Terra.

Nenhuma autoridade e nenhuma potência podem matar a Terra.

É impossível.
Seria necessário, para isso, fazer explodir seu núcleo Cristalino e ele é imortal.

Como vocês.

Portanto, não se atrasem nas lutas, nem nas consequências dessas lutas, mas vivam antes a promessa do nascimento na nova Dimensão.

Aceitem também a partida de alguns irmãos animais.
Eles reencontram, eles também, sua liberdade em seu mundo de origem, confirmando em todos os pontos o que a lagarta chama de morte e a borboleta chama de nascimento.

Apenas a visão do medo que fala de morte.
Vocês têm a oportunidade, porque é uma oportunidade, de viver o que vocês vivem, mesmo se isso represente, para alguns desafios importantes, é uma oportunidade que, efetivamente, mesmo aqueles que vocês chamam de Anjos desejam, porque vocês estão plenos nesse nascimento.

Então, certamente, pode sempre haver o medo de não saber o que vai nascer. Mas, quanto mais tiverem confiança, mais se aproximarão do que há após o nascimento.

Vocês perderam a Consciência de sua imortalidade e, portanto, há este medo, onipresente, da morte.

Ora, o conjunto dos Grandes Seres que vêm vê-los, vem lhes dizer que não é mais a morte, bem ao contrário, é o final da morte e o início da vida.

A verdadeira.
Não lhes é pedido para crer, mas para viver isso.

Isso é facilitado pela Terra.
Isso é facilitado pela Luz que os banha, cada vez mais, e que está aí, por toda parte.

Então, certamente, mais a Luz chega, mais as sombras querem mudar isso.
Mas isso não tem qualquer importância.

A única importância seria de ali atribuir sua Consciência.
Concentrem-se e abandonem-se à Luz, e isso bastará.
Vão para o que é simples.

Alguns Anciãos falaram de humildade, de simplicidade.
Para mim, e também para vocês, a natureza é o que há de mais simples.

Ir para a liberdade é, obviamente, aceitar ser livre.
E ser livre, antes mesmo do nascimento, é aceitar viver a Alegria, quaisquer que sejam as circunstâncias de suas vidas, porque o nascimento que é anunciado é um verdadeiro nascimento.

Muitos profetas, visionários, o anunciaram, desde sempre.

Teriam então todos mentido?
Não haveria, sobre esta Terra, apenas coisas falsas?

Certamente, o mundo é falsificado.
Mas se não houvesse o menor grama de Verdade, mesmo a falsificação não poderia existir.

Isso, as sombras compreenderam perfeitamente.

Aí estão, Irmãos e Irmãs que evoluem nesse mundo, as algumas palavras que tinha vontade de dizer com relação à liberdade.

Não sei se me resta tempo ou não para acolher suas questões, se há...

Questão: Posso estar admirado e na emoção face à visão de paisagens na natureza, mas aspectos da vida da fauna, os combates, por exemplo, me fazem mal. Por que?

Irmão, isso é característico de seu condicionamento e de seus medos porque, se você está em total confiança na natureza, mesmo os animais que se batem não se baterão mais, não se comerão mais, em sua presença.

Assim, portanto, os aspectos que você vê com seu olhar são unicamente ligados ao condicionamento da matriz e ao medo, mas também à própria falsificação desta matriz, onde um elemento, que não existia nos Mundos Unificados, foi introduzido.

Este elemento se chama de predação, que é totalmente ausente nos Mundos Unificados, mesmo de carbono.

A predação resulta de uma modificação inscrita nos genes e no cérebro, que não existia antes.

Questão: Isso significa que em outros espaços os animais se alimentam de Luz?

Os mundos de carbono, mesmo Unificados, são obrigados a se alimentarem de proteínas ou do que existe nos mundos de carbono, mas sem, para tanto, que exista espécies animais (mesmo no que vocês chamam de insetos) que vivem pela predação.

Essas espécies não existem simplesmente, nesses mundos.

Lembre-se também que, nos mundos que vocês percorrem e que nós percorremos, muitas espécies não existem, porque são linhagens espirituais.

É portanto muito difícil fazer-lhes uma descrição fiel desses mundos de carbono Unificados.

Questão: A ressonância com as árvores me traz retidão, felicidade. Esta forma específica de confiança depende da presença física da árvore?

Irmã, para alguns seres, a Presença física não é indispensável.
Eles são conectados e religados, pela sua história nesta matriz, de sua reencarnação passada, pela experiência dessas reencarnações passadas e o contato com as árvores.

Alguns têm necessidade de ali se colocarem fisicamente, outros, não.

Quando a comunicação é estabelecida com uma árvore, você é reconhecido por todas as árvores, onde quer que você esteja, mesmo dentro de um espaço onde não há árvores.

E você pode, portanto, efetivamente, estabelecer uma conexão com elas, mesmo se não estão presentes, fisicamente.

Isso necessita um aprendizado.
Mas talvez, para você, este aprendizado foi realizado há muito tempo.

Questão: Por que sinto tal chamado, desde algum tempo, pelas árvores, as florestas?

Irmã, este chamado corresponde ao que eu disse: as árvores estão, desde sempre, religadas.

Mais facilmente ainda, hoje, que o humano.
E, portanto, este chamado lhe permite se alinhar a si mesma.

Isso me parece muito natural e muito benéfico.
Muitos seres, mesmo entre os despertos, não têm esta consciência de utilidade da árvore.

E, no entanto, ela é extremamente útil.

Questão: O núcleo Cristalino vai seguir a evolução da Terra?

Como poderia ser de outro modo?

Sem núcleo Cristalino não há Terra, qualquer que seja a Dimensão.

Questão: A Terra, em sua evolução, vai então guardar o mesmo núcleo Cristalino?

Inteiramente, mas liberado dos freios que foram colocados pelas sombras.

Do mesmo modo que vocês desaparecerão desta Ilusão, a Terra, também, desaparecerá desta Ilusão e reaparecerá na nova vida.

Eu creio que, em seus escritos sagrados (os únicos que permaneceram sagrados, no Apocalipse), é dito que haverá sim novos Céus e uma nova Terra.

São as visões que compartilhei com meu povo, em minha vida, e que várias das Estrelas transmitiram à humanidade.

Não temos mais perguntasm, agradecemos.

Irmãos e Irmãs, então, eu lhes dou todo meu Amor e,
eu espero, até uma outra vez.

___________________________
Compartilhamos essas informações em toda sua transparência. Agradecemos em fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente este texto e citando sua fonte: http://www.autresdimensions.com/
Versão do francês para o português: Célia G.

Nenhum comentário:

Postar um comentário