terça-feira, 3 de agosto de 2010

ANAEL - 3 de agosto (1ª Parte)

3 de agosto de 2010

Mensagem de 3 de agosto (publicada em 7 de agosto de 2010)do SITE AUTRES DIMENSIONS


Pergunta: Poderia nos falar dos fenômenos solares que acontecem nesse momento?

Bem amado, o sol, como o sabem agora, desde algum tempo, corresponde ao conjunto de seus corpos de Existência [corpos de Estado de Ser] tendo sido separados do que vocês são, ao nível de sua Consciência.

Dessa forma, e como vários de seus cientistas observaram, o que se passa no sol se traduz, na Terra, por movimentos importantes, tanto ao nível da estrutura geofísica da Terra como ao nível do comportamento dos humanos.

É também possível verificar, em sua Terra, que todos os fenômenos de tipo guerreiro surgem sistematicamente de maneira concomitante às auroras boreais, visíveis nas latitudes as mais afastadas dos pólos.

Assim, o que se passa nesse momento é a prefiguração e a antecipação do efeito do alinhamento de certos planetas, em seu sistema solar, e de seu efeito, à vezes sobre sua Consciência e sobre a humanidade, em sua globalidade.

Assim então, entre esse dia e o dia 15 de agosto, vocês entram no período correspondente à aparição da Cruz no Céu e a alguns eventos que contribuem para revelar a realidade da Luz e para revelar o que deve ser, de maneira certamente muito mais intensa do que tem sido o caso desde o início de seu ano.

O humor do humano, de forma geral, se calca sobre o que se passa ao nível do sol.

O que acontece ao nível do sol não é tanto o que vocês chamam de mancha solar mas, bem mais, está diretamente ligado às modificações magnéticas que ocorrem na superfície do Sol como no que é denominado heliosfera.

Vocês não estão, não mais, sem saber que a heliosfera, desde agora aproximadamente dois anos, sofreu modificações extremas, preparando o retorno da Luz nesse seu sistema solar.

***

Pergunta: Estes dias, qual é a influência particular que isso pode ter sobre nós?

Tudo depende, bem amado, da capacidade da Consciência que encontra essas anomalias ou essas modificações do sol.

Para aqueles cujos chakras estiverem despertos, abertos, isso vai se traduzir por acentuação nas percepções Vibratórias existentes ao nível da cabeça ou do Coração.

Agora, para aqueles de vocês que não estiverem, nesse planeta, abertos ao nível dos seus centros energéticos, a Energia passará, da mesma forma, pela cabeça, mas irá se dirigir para o plexo solar ou para os chakras inferiores, acarretando, por reação, exacerbações emocionais e exacerbações de sentimento que eu denominaria ‘guerreiro’ e então de oposição e de confrontação.

***

Pergunta: Como fazer para fazer partir os desencarnados que estão ainda em minha casa?

Bem amada, alguns desencarnados, realmente, podem ainda se encontrar nesses espaços intermediários, nos resíduos que persistem, chamados de astral.

Se se manifesta o que é denominado um desencarnado, em seu ambiente, é que há, necessariamente, no que você é, uma falha correspondente ao “engate”, desse desencarnado.

Há portanto, em você, a necessidade de encontrar um fator de superação, permitindo elevar suas Vibrações para além do medo da morte.

Bem amada, a atenção que você dá àqueles que partiram para o outro lado, demonstra, aí também, um apego a certa forma de comportamentos que não tem lugar de ser, na Unidade.

É muito gratificante e isso, eu concebo, para algumas almas em encarnação, querer atrair a benevolência dos antepassados, a benevolência daqueles que nos foram queridos.

Mas não contribui, de modo algum, para a liberação de si próprio manter essa forma de apego, essa forma de pensar e essa forma de atenção para com aqueles que partiram.

***

Pergunta: Eu sinto os eventos chegarem e eu tenho medo de não estar pronto, no momento vindo.

Bem amado, a única maneira de estar pronto, como eu defini e exprimi inúmeras vezes, é se abandonar à Luz.

A Luz está presente.
Ela está aí, em toda a parte, à sua volta.

Mesmo se ela ainda não é perceptível aos seus olhos, ela desce, no entanto, desde algum tempo.
Ela se consolidou desde as Núpcias Celestes.

Assim, toda pessoa que se interessa pelo que denominam espiritualidade e que não vibra, o mínimo, em meio à Coroa Radiante da cabeça, enfrenta o medo.

Este medo, bem compreensível no humano, está inscrito nas feridas vividas durante esta vida, nas vidas passadas, em relação com o medo do desconhecido e o medo de se abandonar.

Assim, portanto, a problemática não é achar «estar pronto», porque isso nada quer dizer, mas, bem mais, abandonar-se à Luz, a fim de sair do círculo do medo.

Existe, portanto, através do abandono à Luz (e não na luta contra seus próprios medos) a possibilidade de encontrar a força Interior para ir para a Luz e não mais estar sujeito a este medo.

A dificuldade é que o ser humano, geralmente, se identifica e diz ter medo, enquanto que o medo não lhe pertence.

O medo é o que congela e que faz peso.
Como elemento que congela e que faz peso, o medo vem bloquear a própria Vibração da Consciência e sua expansão para a leveza.

Bem amado, a partir do momento em que há abandono à Luz, há Vibração e a Luz penetra e mergulha, eu diria, literalmente, no chacra superior.

Assim, portanto, qualquer que seja a reivindicação, muito justa, de dizer que você se abandona à Luz, se a percepção da Vibração não se faz, é que não há abandono à Luz.

Não existe qualquer doença, no sentido humano, não existe qualquer freio, qualquer limitação possível, ligada à idade ou não importa ao que mais.

O único modo de explicar (em todo caso, para os seres humanos que se interessam pelos Casamentos Celestes, que seguiram os Casamentos Celestes e não sintam a Vibração) corresponde a um medo que convém iluminar, abandonando-se à Luz.

Há, certamente, vontade de se abandonar à Luz, mas há também resistência ligada aos medos.

Ora, assim como o defini, o abandono à Luz não faz parte da vontade, do mesmo modo que o Amor não faz parte da vontade de bem.

O medo se dissolve por si, no abandono à Luz.
Assim como o disse, em outros termos, recentemente, o bem amado Omraam Mikaël Aïvanhov, não é mais tempo de juntar resistência à resistência.

Identificar os medos, querer saber de onde eles vêm e querer lutar contra, pertence à dualidade e à consciência do ego.

O abandono à Luz realiza esse trabalho.
Não há portanto que dissolver os medos.
Isso é uma não compreensão.

É nesse sentido que certo número de meios, de técnicas, lhes foi dada para subir seu nível Vibratório, porque esta é a única maneira, hoje, de vencer (se essa palavra pode ser empregada) o que se opõe ao estabelecimento da Luz em vocês.

Não há outro meio de asceder à Vibração e ao Fogo do Coração.

Querer identificar seus próprios medos, querer olhá-los, querer dissolvê-los, apenas fará com que se reforcem.

Vocês não têm qualquer meio de escapar aos medos pela consciência limitada do ego.

***

Questão: Poderia aprofundar sobre a noção de “viver a Vibração”?

Bem amada, viver a Vibração é conscientizar a Vibração. Assim, quando você levanta um braço, você tem consciência que levanta um braço. Assim, quando o Coração Vibra, você tem consciência que ele Vibra.

Esta não é uma visão do espírito.
Esta não é uma projeção, mas é a realidade do que é percebido e vivido, realmente.

Tanto mais que esta Vibração, qualquer que seja seu estado, se acompanha de uma modificação da percepção do estado da consciência, quanto a seu humor, quanto à sua polaridade e quanto à sua expansão. Assim, portanto, viver a Vibração corresponde, realmente, ao que eu disse.

Não há qualquer subentendido aí.
A liberação apenas se encontra, como lhes foi dito, anunciado por vários intervenientes, na porta do Coração.

Do mesmo modo, o estabelecimento na Alegria apenas pode se fazer pelo abandono à Vibração da Luz em seu Coração.

O mental resistirá, até o último minuto, para afastá-los desta Vibração, por uma razão que é muito simples, porque, nesta Vibração que é vivida, o mental não existe, simplesmente, mais.

Ele não tem mais o primeiro papel.
Ele tem um papel secundário.
E isso ele não pode jamais encarar.

Assim, é construído atualmente o ser humano, nesta Ilusão onde o mental é predominante e quer, a todo custo, encontrar uma justificação para sua própria existência.

Vocês não podem voltar à iluminação do Supramental ou à Vibração da Coroa Radiante do Coração sem que em determinado momento o mental se apague.

Certamente, ele voltará depois, por suas atividades usuais, mas não terá mais a primazia da manifestação.

Ele se tornará hierarquicamente inferior.
O que não é o caso enquanto sua consciência está no ego.

Assim, portanto, o mental vai procurar, permanentemente, explicar, justificar, compreender. O que não é o caso quando vocês instalaram e viveram a Vibração doa Coração.

Toda a dificuldade está aí.
Mesmo nas trocas que formulamos, uns e outros, com vocês, se vocês permanecem no estado da palavra, vocês não podem apreender o que há atrás da palavra, nem Vibrá-la.

A própria atitude de escutá-la e do sentido da questão vai corresponder a seu nível Vibratório do instante.

Vocês não podem se apreender do Coração, porque é ele que deve apreendê-los.

Ora, o mental recusa até o último limite.
Isso faz parte de todos os ensinamentos que lhes foram emitidos nas diferentes tradições ditas iniciáticas.

O mental não os conduz jamais ao Coração, quaisquer que sejam os esforços e qualquer que seja a vontade que vocês ali coloquem, que se chame de vontade de bem, que se chame de vontade de bem fazer, que se chame de estar no Coração, como eu chamo, da cabeça (ou seja, querer fazer o bem, querer ser amável, querer ser caridoso, que não é a Vibração do Coração).

Quando falamos de Coração, falamos de Centro.
Quando falamos de Centro, falamos de Unidade.
Quando falamos de Unidade, falamos de Vibração Supramental e absolutamente não de qualquer concepção ou ideia ou pensamento existente em sua cabeça.

Toda a problemática vem daí.
Trata-se, de fato, de suas crenças, de seus próprios condicionamentos dentro de certo modo de funcionamento.

A Consciência Ilimitada não tem qualquer ligação com a consciência limitada.

Os mecanismos de funcionamento são profundamente diferentes e, eu diria mesmo, antagônicos e opostos. Assim, frequentemente, mesmo num caminho espiritual, a cabeça vai se satisfazer de estar no Coração, ou seja, controlar o que acontece ao nível de seu afeto, de suas emoções e de seus pensamentos, o que não é a Vibração do Coração.

A Vibração do Coração é gravidade no peito, Vibração da Coroa Radiante e, sobretudo, modificação da consciência através do Switch da Consciência, que vai então se estabelecer na Alegria Interior chamada de Samadhi.

Jamais a cabeça lhes permitirá viver isso.
Vocês apenas podem ali chegar utilizando, eventualmente, algumas posturas (tais como lhes deu Um Amigo, referente ao Yoga Celeste – «reunificação dos Novos Corpos», na rubrica «protocolos» de nosso site) (*) ou ainda mesmo através de ferramentas variadas, como um passeio em meio à natureza, como os cristais.

Mas, nesses momentos, o que acontece?
O mental está limitado.

Ele é, de algum modo, restringido, permitindo-lhes se aproximarem ao mais perto da Vibração do Coração.

Mas, lembre-se também que, naquele momento, apenas você pode efetuar esse último passo no que eu chamaria de dissolução do ego, a dissolução da personalidade que, obviamente, não é a morte do ego e da personalidade.

Assim que vocês voltem a esse mundo vocês estão, necessariamente ainda, no ego e na personalidade.

Mas vocês devem fazer essa passagem, de maneira imperativa, para chegar a viver a Vibração no Coração.

Enquanto vocês não a tenham feito, seu mental os fará girar em círculos e evitará, a todo custo, que as Vibrações cheguem em seu Coração.

Lembrem-se também que eu entendo por mental não unicamente a atividade de seu cérebro, mas também o conjunto de crenças de comportamentos e de suposições existentes em seu modo de funcionamento.

Crer na Luz não revela jamais a Luz.
Crer no Coração não revela jamais o Coração.
Comportar-se com o coração não é jamais a Vibração do Coração.

Obviamente, uma vez que vocês estejam estabelecidos na Vibração do Coração, seu comportamento, seus pensamentos, suas ideias estão, o mais frequente, em acordo com a Vibração do Coração.

Mas não é a mesma coisa querer viver isso antes de considerar que vocês tenham chegado ao Coração.

É mesmo o que os afastaria.
Toda a falsificação é baseada nessa incompreensão, para colocar na frente a fibra humana do Amor que existe na humanidade, para falsificar, justamente, o Amor e, portanto, impedi-los de atingir seu estado Unitário.

Assim, portanto, a maior parte dos seres humanos oscila de emoção em emoção, de tristeza em Alegria.

Mas isso não é a Alegria Unitária, são apenas oscilações que os fazem crer que se aproximam do Coração, enquanto que vocês se afastam. Todos os sistemas, eu diria a maior parte dos sistemas espirituais existentes, se baseiam unicamente neste equívoco.

Pode-se dizer, em outros termos, que o Coração subiu à cabeça.

Nós insistimos, uns e outros, qualquer que seja nossa esfera de origem, cada vez mais, sobre esta noção, sobre a distinção essencial existente na vibração do ego (que é gravidade e peso, alternância de alegrias e tristezas, que é portanto marca de dualidade) e a Vibração da Consciência Ilimitada no Coração (que é Alegria, Samadhi e Unidade).

Não temos mais perguntas, agradecemos.

________________________________

(*) Reunificação dos 5 novos corpos -
http://despertardaluzinterior.blogspot.com/2010/06/protocolo-praticar-9-de-abril.html

___________________________
Compartilhamos essas informações em toda sua transparência. Agradecemos em fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente este texto e citando sua fonte: http://www.autresdimensions.com/
Versão do francês para o português: Célia G. e Zulma Peixinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário