domingo, 27 de junho de 2010

AÏVANHOV - 27 de junho de 2010 - Autres Dimensions

27 de junho de 2010

Mensagem de 27 de junho (publicada em 22 de julho de 2010)  do SITE AUTRES DIMENSIONS


E bem, caros amigos, estou extremamente contente de me reencontrar entre vocês, nesse dia dedicado à Energia de Maria e à Presença de Maria.

Mas Maria, e também nós, estamos aí, nós, os Croûtons (Anciãos) e nós somos vários a vir com vocês, porque é importante.

Então, de início, eu lhes transmito todas minhas bênçãos, todo meu Amor e espero que avancemos juntos, grandemente.

Então, vamos começar como de hábito, caros amigos.

Questão: Gostaria de conhecer minha taxa Vibratória.

Então, aí, cara amiga, não é questão de eu, de lá onde estou, mesmo se percebo seus casulos de Luz, lembrem-se que lhes dar uma taxa Vibratória é talvez uma verdade no plano em que vocês estão, mas que isso vai congelá-los, de maneira inexorável, ao nível em que lhes disserem.

Então, se vocês acharem que é demasiado baixo, não ficarão contentes.

Se lhes dizem que é muito bom, ficarão tranqüilos.

Então, vocês têm ainda sistematicamente, eu observo, a necessidade de se tranqüilizarem a si mesmos.

Tranqüilizarem-se de que?
Por que vocês querem medir ?

O importante é sua capacidade para se estabelecerem na Presença, no Supramental, na Vibração do Coração, no Fogo do Coração, no alinhamento das 3 Lareiras.

O resto é apenas ilusório e é uma projeção do mental.

Mesmo se exista, ao nível tecnológico, mesmo se exista, ao nível do pêndulo, hoje, nós, os Croûtons e o conjunto da Confederação, nós lhes pedimos que se ocupem de seu Coração, o resto não tem mais qualquer, estritamente qualquer, importância.

Portanto, enquanto vocês quiserem se afastar para saberem se vocês estão, como dizem os radiestesistas, a 12.000 angström, a 20.000 angström, se a água que bebem está a tanto de Vibrações e se o lugar onde vivem está a tanto de Vibrações, vocês recaem inexoravelmente na dualidade.

Portanto, é ainda uma marca do ego.
Portanto, é completamente possível medir.
Mas, qual é a finalidade?

Guardem presente no espírito que o que é importante, nos tempos reduzidos em que estão, não é saber se vocês vibram a tanto ou a tanto, mas subir sua Vibração.

Então, a partir do momento em que os congelam numa Vibração, ainda que seja ela a mais tecnologicamente medida, qual é o interesse?

Qual é essa necessidade de se tranqüilizar no exterior?
Qual é a necessidade que vocês têm, de maneira compulsiva, de ter uma confirmação no exterior, uma vez que, tanto os Arcanjos, como todos os Seres despertados que se sucederam sobre esta Terra, sempre lhes disseram a mesma coisa: a única resposta está no Interior.

E, cada vez mais, nós insistimos nisso.
Isso vocês o sabem.
Mas também nós insistiremos cada vez mais.

A cada vez que forem perguntar, coloquem-se a questão de por que há essa pergunta.

E, para tudo, é assim.

Porque, enquanto vocês procurarem uma resposta no exterior de vocês (quando digo no exterior de vocês, é por uma entidade que não seja você mesmo), vocês se afastam de vocês mesmos.

Então, é verdade que dá prazer ao ego saber que se vibra a 15.000, ou que se vibra como o Cristo, ou que se vibra na Vibração de um Arcanjo, ou etc. etc..

Mas tudo isso são mecanismos exteriores que os afastam da reversão.

E, sobretudo, isso os afasta da simplicidade.

Vocês acreditam que nós, onde estamos, passamos nosso tempo a nos medir?

Será que viria ao espírito de um Arcanjo medir a Vibração de outro Arcanjo?

Portanto, é importante compreender que somente é determinante sua Consciência e sua Vibração.

Mas, agora, se você diz com sua Consciência: «onde está minha Vibração?», é que você não identificou a Vibração ao nível da Consciência, porque jamais viria ao espírito da Consciência que Vibra saber onde ela vibra.

Ela se contenta de Vibrar.
E quanto mais ela Vibra, mais tem vontade de Vibrar, é tudo.

E é preciso verdadeiramente ir, e vão lhes dizer sem parar: para a simplicidade.

Ir para a simplicidade é também ir para a humildade.

Também, quando há algo que emerge, assim, de vocês (como querer um pirulito, querer um bombom), de onde vem isso?

O que é que expressa em vocês esse desejo?

Vocês acreditam que a Luz tenha necessidade de um pirulito ou de outra coisa?

Ela tem necessidade de Ser.
Ser, é Ser.
Não é ter.
Não é saber.

Assim que vocês pronunciam a frase, que ouvi muito frequentemente em minha vida, como aqui, quando você diz, “gostaria de saber”, vocês se fazem ter vocês mesmos.

O objetivo não é saber.
O objetivo é Ser.

E quando é que vocês aceitarão, porque aí os tempos são cada vez mais apertados, eu posso lhes dizer.

Nós diremos outras palavras daqui a pouco, progressivamente e à medida das questões.

Mas o importante é se centrarem.
Vocês podem fazer o que quiserem.

Vocês podem fazer o amor, chupar um pirulito, correr de quadriciclo, se vocês estão no Ser, não há qualquer problema.

Mas se vocês saem do Ser para compensar, ou para uma noção que nada tem a ver com o Ser e descerem no nível Vibratório, o que quer que façam vai afastá-los do Ser.

Em contrapartida, se vocês estão no Ser, naquele momento, a frase que lhes diria e que é certamente uma das frases mais importantes, não hoje, não minha, é: “Ame e faça tudo o que te dá prazer”.

E amar não é saber, amar é Ser.
O resto é secundário, como vocês dizem.
Vão cada vez mais para a simplicidade.

A identificação da Vibração, do Coração, de sua Vibração, do Fogo e do alinhamento das Lareiras, tudo isso, se querem, é essencial.

O resto apenas vem depois.

Então, é evidente que é muito emocionante saber qual é seu Anjo guardião, saber quais são suas linhagens, mas, se eu lhes digo do exterior, isso não tem de forma alguma o mesmo valor e a mesma eficácia que se são vocês que descobrem, pela Vibração, pela elevação Vibratória e pela elevação de Consciência que vai junto, como tudo isso se revela.

São também as palavras de Cristo, que ele realmente pronunciou: “Procurai o reino dos Céus e o resto lhes será acrescentado”.

Isso vai se tornar cada vez mais capital e cada vez mais urgente.

Todo o resto (e quanto mais vocês avançam nos dias que se anunciam) se estabelecerá por si mesmo.

Mas vocês serão obrigados a se manterem nesta Vibração, nesta Consciência, nesta Alegria, para evitar viver o que eu chamei de Terror.

Não é uma piada, nem uma visão do espírito.
É a estrita verdade.

Mas eu lhes peço para acreditarem em mim.
Eu lhes peço simplesmente para viverem o que vieram viver.

E viver é Vibrar.
E viver é elevar a Consciência.

Quando lhes dizemos que vocês estão num período que é mesmo único desde mais de 50.000 anos, isso deveria incitá-los a ter o fogo nos fundilhos e no Coração.

Não é uma piada.
Não há nada, tampouco, de sério aí: há algo de grave.
Mas grave, no sentido de intenso, de profundo.

É um período que foi anunciado, é um período que foi preparado pela Luz, como pelas forças opostas à Luz.

A Luz ganhou, desde quase um ano.
A Luz se estabelece.
A Luz conquistou.

Ela conquistou Sendo e ela lhes pede para Ser.
Não é mais tempo de fazer tolices, ao nível espiritual, quero dizer.

Depois, vocês fazem o que quiserem de sua vida.

Se vocês tocam o Ser, vocês podem ir colher flores, vocês podem ir ao teatro, isso não tem qualquer espécie de importância.

Vivam cada minuto como se fosse o último, mas vivam-no no alinhamento, no Ser e na Vibração.

Depois, façam o que lhes dá prazer.

Questão: Pode nos falar da origem da palavra
AM-OR?

A palavra Amor vem de IM, que é a raiz do OD-ER-IM-IS-AL.

O IM está ligado aos Mistérios, e o Amor é um Mistério.

Agora, OUR (porque no francês se escreve AM-OUR – amour) está em relação com uma Chave Metatrônica que não lhes foi revelada pelo momento.

Mas vocês saberão mais este verão (inverno no hemisfério sul).

A palavra Amor é (como o disse em muito numerosas vezes, cada um emprega à vontade), globalmente, um fantoche, na humanidade.

Porque a maior parte, vocês falam de amor, vocês fazem o amor e, quando vocês fazem o amor, vocês encontram uma fulgurância da Unidade, mas isso não dura, certamente.

A menos que façam o amor 40 vezes por dia, não é?

Ainda que vocês tivessem a força para fazê-lo; a sexualidade tem um lado, efetivamente, sagrado. Mas o mais importante, eu diria, finalmente, é fazer o amor consigo mesmo.

Atenção, eu não falo de se fazer o amor como vocês fazem o amor com outra pessoa.

Eu falo de se fazer o amor a si mesmo, é se amar a si mesmo. Se amar a si mesmo não é satisfazer pequenos prazeres ou pequenos desejos.

É entrar em seu próprio Coração.
É escutar o que diz o Coração e não escutar o que quer saber a cabeça.

Então, a raiz da palavra Amor: a palavra que corresponderia mais, ao nível Vibratório, em relação com UR, com a Lemúria, com AM-OUR (no francês) seria, se querem, IM-IM.

E isso os remete, de maneira fundamental, ao Mistério da Criação.

A Criação, que é Amor e Atração.
Mas, certamente, quando vocês dizem «eu te amo», isso não é uma Vibração, são insinuações.

Quer dizer que há já a projeção do que vocês têm em sua cabeça com relação ao desejo de posse.

Sempre.

Seguidamente, então, essa palavra foi empregada a tal ponto que, na língua anglo-saxônica, diferencia-se o amor sob diferentes planos: amar, gostar, na tabela.

Amar na tabela não é amor com um A maiúsculo, ou “Love”, como se ama alguém. E mesmo nesse grande «Love» há a noção de posse, sobretudo entre os seres humanos.

Agora, eu, o que eu amei mais em minha vida, foi o sol. Eu tinha uma adoração pelo sol.

Agora, vocês, o que vocês devem amar mais que tudo, é a Fonte e o sol, que é um reflexo da Fonte e vocês mesmos e o conjunto da humanidade.

Porque, enquanto vocês detestam qualquer pessoa, mesmo os maus rapazes, naquele momento, vocês não podem estar no Amor.

O Amor inclui tudo.
O Amor é Vibração da Unidade.

E a Unidade não se importa, a Fonte não se importa, se você é um mau rapaz ou um bom rapaz.

Ela ama indistintamente e ela nutre do mesmo modo a todos, como Maria.

Há, para cada sílaba sagrada, mesmo invertida, uma raiz.

Todas as línguas que vocês chamam de indo-européias, ou seja, a maior parte das línguas faladas na superfície da Terra, é derivada dessas raízes sumérias.

Sem exceção.

Aliás, houve uma aproximação original que foi conduzida, eu creio, pouco tempo após minha partida desse plano, por seres que descobriram que o cérebro falava por sílabas e não por letras e não por representações específicas, exceto nas línguas que vocês chamam de ideogramaticais.

Mas o cérebro reconhece sílabas e as sílabas são meios de programação, do que se servem, aliás, os maus rapazes, através de siglas, através de símbolos.

Mas, da mesma forma, as sílabas são Vibrações e são essas Vibrações silábicas que são percebidas e reconhecidas na Vibração e no cérebro, antes mesmo do significado da palavra.

É o que se chama de linguagem silábica original, mesmo que tenha sido invertida nesse mundo.

Questão: Como praticar o questionamento com o Coração, a escolha com o Coração?

Isso faz parte dos ensinamentos que foram dados pelo mestre RAM, eu creio.

Basta se colocarem primeiro no alinhamento, na meditação, em oração, no recentramento, empregue a palavra que lhe convém.

Colocar a Consciência no Coração, se ajudando eventualmente da respiração, de posturas, de cristais, do que quiser. Perceber a Vibração e a rotação do Chacra do Coração.

Nesta rotação ou nesta Vibração, mais ou menos forte, você vai, naquele momento, colocar sua questão ou sua pergunta. E você vai ver o que acontece, naquele momento, na Vibração do Coração.

Se ela não se move, já não é mau.
Se ela se amplia, a resposta é sim.
Se ela desaparece, inteiramente, a resposta é não.

Isso é válido para as escolhas.
É válido para tudo.

É assim a resposta do Coração, não é mais a resposta da cabeça, da lógica, do prazer, dos apegos, do afetivo.

É a verdadeira resposta do Coração, que está em relação com seu caminho.

Questão: Colocar uma questão ao outro, sem esperar resposta, simplesmente para permitir ao outro se exprimir, é certo?

De forma alguma, porque a resposta será colorida, a princípio, da compreensão do outro.

Você vê, já, que, para a mesma palavra (a todo o momento falamos da palavra Amor), cada um tem uma vivência, uma compreensão e um sentido determinado, mesmo ao nível Vibratório, que é profundamente diferente.

Mesmo a palavra Luz.
A Sombra também, ela fala de Luz.
Ela vai lhes falar do diabo curvado, certamente, mas se emprega as mesmas palavras.

Como você quer confiar nas palavras?

Então, a partir do momento em que você coloca uma questão a alguém, é preciso ainda que ele tenha compreendido a mesma coisa que você.

As palavras não são absolutas, jamais.
Cada palavra, se não é acompanhada de Vibrações, tem sempre uma colocação diferente para cada um.

Um exemplo muito simples: se eu lhes peço para imaginarem uma cadeira, vocês todos sabem o que é uma cadeira.

Todo o mundo o sabe, não é?

Mas se eu lhes peço para ver uma cadeira, ou pensar em uma cadeira, haverá tantas descrições ou desenhos, é similar, como seres humanos presentes na sala.

Mas é similar para a palavra Amor.
Vocês percebem, já, para os objetos.
Então, vocês imaginam bem para os conceitos que não são objetos.

E mais, quando vocês colocam uma questão ao outro, há sempre um nível que corresponde ao visível da questão que vocês colocam e há um nível invisível, que é sua própria projeção.

É sempre assim.

Questão: Como responder a uma questão para a qual eu não tenha a resposta?

Então, se você responde, é que você mente.
A honestidade consiste em dizer o que?
Que você não tem a resposta.
Ou então fazer silêncio, não responder.

Primeiro, é preciso bem compreender que, caro amigo, o que você define quer dizer, já, através da questão que você coloca, que você se sente agredido através das questões, não é?

Há muitos seres humanos que colocam questões para se tranquilizarem a si mesmos, mas eles não se dão conta que, para se tranquilizarem a si mesmos, eles colocam o outro numa situação insustentável.

Isso se chama de desrespeito e esse desrespeito, frequentemente para aquele que coloca a questão, é chamado de amor.

É assim em todas as relações.
Seja numa assembléia política como no leito com seu marido ou sua mulher.

É preciso estar lúcido de tudo isso.

Questão: Qual é o papel de minha vida?

Caro amigo, a resposta está em seu Coração.
Quem tem a melhor resposta que você mesmo?
Quem tem a melhor resposta que seu ser profundo?

O único papel que você tem a conduzir, doravante, é de se estabelecer no Ser.

É o papel o mais importante, é o que eu disse anteriormente.

Estabelecer-se nesse papel, que é seu único papel, o resto são apenas comédias.

Depois, você faz o que lhe dá prazer.

Mas você não encontrará, na vida, sobretudo agora com a aceleração Vibratória, com a aceleração do mundo, com a duração de vida que é muito mais longa desde 3-4 gerações, você não encontrará qualquer satisfação durável no efêmero.

Mesmo se eu sei que os amantes se dizem amor eterno, se possível até o túmulo, certamente, isso tranqüiliza.

Todo o mundo se crê eterno.
Mas o eterno não está no efêmero.

Então, vocês não têm todos a mesma percepção e vivência do tempo que passa.

Primeiro, Sejam.

Depois, divirtam-se a se projetar a 10 anos, a 20 anos, façam, como se diz, planos sobre o cometa, se querem.

Mas enquanto vocês vivem no futuro, vocês não estão no presente.

E enquanto vocês estão no passado, vocês não estão tampouco no presente.

É preciso também saber o que vocês querem.

Não se pode Ser e querer ter.
Não se pode Ser e estar sujeito às influências de seu próprio passado.

Não se pode Ser e estar dependente de uma autoridade exterior. Então, é preciso saber se vocês querem Ser ou não.

O resto é supérfluo, o resto vem por si.

Uma vez que vocês estão no Ser, as sincronias, a fluidez da Unidade, todas as leis de atração e de ressonância se instalam para que sua vida se desenrole segundo o plano do Ser, que é perfeição, que é abundância e que é serenidade.

Enquanto vocês não estão no Ser, não procurem a serenidade.

Vocês não a encontrarão.
E isso será cada vez mais verdadeiro nos dias e nas semanas que vêm.

Lembrem-se, também, que vocês colocam questões muito lógicas, que os afastam do Ser.

Hoje, o Ser está ao alcance da mão.
Vocês são ajudados como nunca, mas, ainda uma vez, há somente vocês que podem dar esse passo.

Apenas você, e somente você, ninguém mais.
E nós os engajamos a dar esse passo, certamente, porque é importante para vocês.

Então, saber se o raio rosa vai descer amaná, se Maria vai chegar numa embarcação de cor azul ou amarela ou rosa, isso não tem qualquer espécie de importância.

Saber se um cometa vai cruzar seu céu, tudo isso são coisas que nós lhes demos progressivamente e à medida do tempo.

Mas, como o constatam, o discurso de uns e de outros será cada vez mais nesta noção de urgência a Ser.

Eu diria que vocês devem se alegrar: as cenouras estão cozidas.

É tempo de cozinhar outra coisa.
E lembrem-se também que vocês estarão, no plano vibratório, no momento certo, no lugar certo, e com as pessoas certas.

Quanto mais vocês estiverem alinhados com seu Coração, mais as projeções de desejo («ah, mas sim, mas aí, não está bem», «ah, mais aquele lá, ele é assim», «ah, bem, sim, aí, me falta isso») não terão em breve mais curso.

Vocês estarão tão contentes de terem encontrado a Vibração do Coração, naquele momento, porque o único contentamento sairá dali.

O resto será apenas estéril.
O resto será apena sofrimento, e não é uma piada o que lhes digo.

Vivam cada minuto, e eu já disse no ano passado, como se fosse o último.

Questão: Existe um marcador do estabelecimento do Fogo do Coração?

Sim.

Aí não é questão de sentir a Vibração.
Todos os seres que reencontraram Maria, mesmo sem crer em Maria, reconhecem a Vibração de sua Mãe.

Para o Fogo do Coração, que é sua Vibração como Ser ardente, como Ser Unificado, assim que ela caia sobre você e você a vive (a Vibração), você apenas pode constatar que há o Fogo do Coração.

Mas esse Fogo do Coração não é mais uma Vibração, não é mais uma pulsação, não é mais uma respiração, é uma Lareira que consome sem consumir.

Dificilmente se pode descrever com palavras.
É o que tento fazer.

Mas, assim que vocês o vivem, vocês sabem o que é.

Agora, quando se chega a esta alquimia do Coração, ou seja, perceber a Vibração do Coração, começar a misturar a respiração e a pulsação cardíaca, o que acontece?

Acontece que vocês respiram com o Coração.

Vocês não têm mais a impressão de que o Coração é dois, boum-boum.

A respiração é dois também, mas é mais ampla e, de repente, vocês passam no Fogo do Coração.

Aqui se está bem além do switch da Consciência.

Questão: Há uma diferença entre Presença e Existência?

Sim, totalemente.

Primeiro, é preciso compreender que Existência é um corpo. Que esse corpo é um corpo que lhes é desconhecido.

Que a Presença é a Presença a si mesmo: é o alinhamento da Consciência no Coração, se manifestando pelo switch da Consciência e pela Vibração do Coração.

Nesta Vibração do Coração se estabelece a possibilidade de estabelecer um contato com a Dimensão de Existência e a Dimensão ou a Vibração também, da Existência.

Portanto, a Presença, é já estar presente a si mesmo, é estar alinhado no instante.

É ser capaz de se estabelecer na Vibração do Supramental, lá onde o mental não vem mais perturbar, lá onde as emoções não vêm mais perturbar.

É nesta Presença que pode se estabelecer a Existência.
São, eu diria, etapas sucessivas.

As palavras empregadas pelos Arcanjos, ou por nós mesmos, quando decidimos empregar a palavra Luz Vibral (Luz da Vibração), era evidente que queríamos diferenciar, desbanalizar, de algum modo, a palavra Luz (porque todo o mundo emprega a palavra Luz à vontade, como a palavra Amor) e atrair sua Consciência para o fato de que a Luz é Vibração.

E isso vocês o sabem, no sentido físico, certamente, mas, ao nível espiritual e ao nível de seus diferentes corpos, é também uma verdade. Quer dizer que se pode muito bem perceber uma Luz como processo de visualização, mesmo pelo 3º olho.

Pode-se imaginar ver o sol.
Pode-se ter o efeito do sol.

Naquele momento, há uma diferença.
Num caso, estou no meu imaginário, que me é próprio, portanto, eu imagino que eu vejo o sol, eu estou numa praia e eu vejo a praia, eu vejo a água, eu vejo o sol.

Isso, é imaginário.
Mas este imaginário tem o meio de tocar o que chamam de mundo imaginal, ou seja, o mundo dos arquétipos e da Vibração.

O exemplo que dei, há 4 anos, era muito preciso, eu me lembro, imaginem, eu digo: “ah, eu vejo o sol”.

Isso lhes dá nem calor, nem frio, não é?
Se eu quero traduzir esta emoção para vocês, o que vou fazer?
Eu posso pintar, desenhar ou descrever o que vejo.

O que eu vejo é completamente real, se o vejo, mas, entretanto, pertence ao meu imaginário.

Em contrapartida, se eu digo que vejo o sol e vocês começam a ter uma queimadura de sol, aí estamos no mundo dos arquétipos.

O que diferencia?
É a Vibração.

Então, obviamente, alguns artistas muito dotados são capazes, pela pintura, por exemplo, de sugerir a Vibração pela cor do que eles viram, mas a diferença essencial é que o imaginário lhes é próprio e não é portador de Vibração no exterior de vocês.

O imaginal é outra coisa.
O imaginal é verdadeiramente asceder à Essência da Vibração.

Quer dizer, ao que está além mesmo da forma.
Quer dizer, o efeito.

Questão: Vi uma lemniscata horizontal, correspondente à Coroa Radiante do Coração, com uma lemniscata vertical, correspondente à Coroa Radiante da cabeça, fundir com aquela do Coração. Tudo isso corresponde à realidade?

Aí também, se está no imaginário.

Existem lemniscatas sagradas, que são circuitos energéticos, que podem ser uma representação que vocês têm nas estruturas que vibram, e o Arcanjo Miguel lhes falou da lemniscata sagrada que cruza ao nível da garganta, não é?

Aliás, não há duas lemniscatas, caro amigo, há muito mais e, do mesmo modo, ao nível do Chacra da Coroa, coronal, há pontos de Vibração que lhes foram revelados.

Esses pontos são unidos segundo princípios de oposição, um a um, mas também lateralmente. Você pode muito bem imaginar que entre um ponto ou dois pontos e dois outros pontos há uma lemniscata e é uma verdade.

Caro amigo, vamos ser claros.
O que você vive é a sua verdade.
Ela é verdadeira para você.

Nesta Dimensão, não existe qualquer Verdade absoluta.

A única Verdade absoluta é o acesso à Existência, todo o resto é relativo.

Questão: Se uma Criação tem por vocação se tornar superior a seu Criador, o que significa a escala de valor superior/inferior nos mundos Unificados?

Absolutamente nada.

São vocês que emitem, na palavra superior, através desta questão, um julgamento de valor, eu não coloco nenhum.

Quando digo superior, falo de estado Dimensional.
O que é superior é simples: os níveis os mais elevados não tem mais qualquer antropomorfismo.

Mas eles não são superiores para nós.
Eles são simplesmente uma forma de Consciência que Vibra diferentemente.

E é chamada superior, não porque é superior, simplesmente porque comporta mais simplicidade e mais elevação para a Fonte.

A palavra elevação também não deve ser tomada no sentido de que estamos longe da Fonte, nós. Eis que nós estamos, todos, interligados, nas Dimensões Unificadas.

Simplesmente há Consciências que exprimem potenciais diferentes e formas diferentes, Vibrações diferentes e organizações diferentes.

Questão: Em que o homem será superior a seu Criador, no caso, sua Criadora Maria?

Atenção, sua Criadora desse corpo biológico e somente desse corpo biológico.

Vocês não foram criados, integralmente, por Maria.
Ela é sua Criadora, certamente, mas vocês são seus próprios Criadores, certamente, também.

Portanto, há uma relação de filiação, não espiritual, mas genética, com relação a Maria.

Vocês podem muito bem ter filiações espirituais que nada têm a ver com suas linhagens de Sírius, a maior parte de vocês, aliás, é o caso.

Mas sua Criadora é Maria, na Dimensão que vocês habitam, antes que ela fosse contaminada.

Quando uma forma biológica dotada de Consciência é criada, esta forma é chamada a se tornar de longe superior à Dimensão original de Maria.

O que quer dizer superior, nesse sentido, é se tornar ainda mais simples que Maria, quer dizer se tornar um triângulo ou um planeta ou diretamente uma estrela. É nesse sentido que Miguel os chamou de Sementes de Estrelas.

Porque, tendo participado de uma Criação nas estruturas carbonadas, vocês serão todos, um dia, um verdadeiro Sol ou um verdadeiro planeta, e não um anjo, lamento.

Questão: Além da ausência de palavras, o que é o Silêncio no Ilimitado?

Essa é uma questão para Um Amigo ou para Sri Aurobindo, mas eu diria, em minha modesta linguagem, que é, para mim, a dissolução no Tudo.

É o momento em que todos os marcadores desaparecem.
Você não sabe mais quem você é, você não sabe mais onde você está, você não sabe mais nada, exceto que você É.

É assim, o Silêncio: a perda total de todo marcador.
Não há nada do exterior onde se pendurar.
Há somente que manifestar o Ser.

Questão: Em que Silêncio Interior e Alegria Interior podem se reunir?

Porque a Alegria não é exaltação ou exuberância.

A verdadeira alegria de que lhes falam, de que fala Sri Aurobindo, de que fala Um Amigo e outros, não há outras palavras, é difícil.

O Fogo do Coração, também, é uma Alegria, mas em outro nível, em outro estado de expansão e de dissolução.

No Fogo do Coração, vocês são identificados a Shiva ou à Fonte, se preferem, ou a Miguel.

Vocês se tornam vocês mesmos a Vibração Micaélica que está, aliás, em vocês, como o disse o próprio Miguel.

Como Maria está em vocês, já.
Como o Cristo está em vocês.
Como o conjunto da Criação está em vocês.

Quando eu digo em vocês, é no Ser, mesmo nessas estruturas biológicas no entanto falsificadas.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

Então, caros amigos, eu lhes digo, quanto a mim, até muito breve.

Fiquem bem.

___________________________
Compartilhamos essas informações em toda sua transparência. Agradecemos em fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente este texto e citando sua fonte: http://www.autresdimensions.com/
Versão do francês para o português: Célia G.

Nenhum comentário:

Postar um comentário