segunda-feira, 5 de outubro de 2009

ANAEL - 5 de outubro

05 de outubro de 2009

do SITE AUTRES DIMENSIONS


Saudações a vocês.

Eu sou Anael, Arcanjo da Relação e da Radiação Arcangélica.

Eu sou aquele que garante a relação, a comunicação e portanto o príncipe mesmo do Amor.

Os Arcanjos são legiões.
Pertencemos, todos, sem exceção, a mundos da Luz Unificada, pertencendo, em sua linguagem, a dimensões Autênticas, que vocês chamariam 18ª dimensão.

Nós somos Forma, nós somos Consciência, nós somos Cor, nós somos Vibração e nós somos Função.
Entretanto, nossas linhagens estão estabilizadas e evoluem, de maneira permanente, nesta dimensão.

Nosso papel é intervir durante a criação de algumas dimensões e de alguns mundos.
Nosso papel é intervir, mesmo nessas criações, no momento oportuno chamado mudança de ciclo, translação dimensional, despertamento ou ascensão.

Cada mundo criado na terceira dimensão, unificada ou dissociada, vai permitir a intervenção de uma ronda Arcangélica constituída de sete Entidades distintas e, entretanto, unificadas.

Assim, neste planeta Terra, nesse sistema solar, temos sido sete durante a instalação desta dimensão, lá se vão tempos imemoráveis e nós intervimos, de novo, desde o início de seu ano terrestre. Este ano, nós estamos reunidos no que chamaria Conclave Arcangélico, em que nós casamos e fusionamos nossas sete Radiações, a fim de permitir ao mundo em que participamos de uma criação a se elevar além do nível vibratório da criação.

Cada um de nós apresenta e possui uma esfera de influência, uma esfera de Radiação. De meu papel ao nível da comunicação, da relação e do Amor, intervirei, cada dia, como seu intermediário entre o Conclace e vocês, a título individual e coletivo.

Nossa Radiação, através do trabalho realizado e sintetizado pelo Arcanjo Miguel, de recepção e transformação de algumas qualidades vibratórias da Luz, chamadas Radiação do Ultravioleta, Radiação da Fonte e Radiação do Espírito Santo, permitiu, nesta Humanidade, desencadear uma primeira onda impulsora do Despertar coletivo.

Deixarei o Arcanjo Miguel falar muito mais longamente sobre esses fatos.

Assim como o falei, nesta 3ª dimensão e no conjunto de dimensões terceiras, nos multiuniversos, nós somos sete a intervir.

Na 5ª dimensão, somos 12 a intervir.
Na 11ª dimensão, somos 24 a intervir.

Enfim, agora, de volta ao longo do eixo Vibracional até a 18ª dimensão (que é nobre morada nos multiuniversos) nossas formas, nossa Radiância, nossas cores e nossas Vibrações, são profundamente diferentes em cada dimensão. Assim, as representações antromorfizadas, tendo sido dadas a ver a alguns Seres Humanos, não são mais que o pálido reflexo e a pálida cópia do que somos, em Verdade e em Unidade, em nossa dimensão. Esta forma, quando vocês penetrarem o corpo de Existência, quando o corpo de Existência da Terra se manifestar, lhe tornará visível a forma real e a Vibração e radiância reais de nossa Consciência individual e coletiva.

Entretanto, há preparação.
A ligação de seu plano com nosso plano só pode se fazer, de maneira direta, através de dimensões unificadas, ou seja, a partir da quinta dimensão e não abaixo. Há, portanto, efetivamente, um passo vibratório a fazer, de seu lado, para se juntar e apreender nosso lado.

Eu me permito, a partir de agora, dizer-lhes que lhes é solicitado prosseguir o esforço de subir em Vibração, tal como foi solicitado pelo Comandante dos Melquisedeques, tal como foi re-solicitado pelo Arcanjo Miguel, e tal como eu lhes solicito ainda uma vez, em nome do Conclave Arcangélico.

Este esforço vibratório corresponde a duas fases que podem se associar ou não segundo suas possibilidades: a primeira é um aspecto vibratório independente da noção de horários, corresponde à Vibração das cinco Chaves da Coroa da cabeça (chamadas as cinco sílabas sagradas: OD - ER - IM - IS - AL).
Em segundo, o acolhimento da Luz Crística, em Verdade e em Unidade.

E, de um outro lado, respeitar, durante esta semana, o período de 14 a 14:30h, como sendo o período propício à elevação vibratória da coletividade humana.

Repetindo, aí também, o que acabo de lhes dizer quanto à primeira parte, vocês podem se ajudar, durante este período, de um cristal chamado Fonte ou ainda dos protocolos dados pelos Regentes do Intra-Terra, há, agora, mais de um ano, correspondente à utilização de algumas formas cristalinas que vocês conhecem.

Aí está, quanto a mim, o que tinha a lhes apresentar.

Questão: Para colocar em vibração as 5 chaves da Coroa, convém focalizar sua atenção sobre um dos pontos da cabeça, pronunciando uma sílaba dada?

Não.
Para aqueles que conhecem o Mestre RAM, ele comunicou, há um ano, um protocolo chamado a ativação do Coração. Esse protocolo estava ligado à focalização da Consciência na Coroa radiante do Coração, ligada a uma focalização do mental sobre pontos precisos, de modo a desencadear a Vibração da Coroa da cabeça.

É exato dizer que cada sílaba sagrada corresponde a um ponto preciso do cérebro e da cabeça, constituindo a Coroa da cabeça. Entretanto, não é necessário, para a Coroa da Cabeça, utilizar, além disso, a ferramenta mental de focalização.

O aspecto vibratório da pronunciação basta e é suficiente por si.

Questão: Pronunciar as cinco sílabas sagradas interiormente pode convir igualmente?

Não.
A Vibração é uma vibração sonora pertencente a seu mundo.

Assim, não ouvir a Vibração não corresponde à Vibração.

Questão: Pessoas, em outros tempos, pronunciaram essas cinco sílabas?

Essas cinco sílabas pertencem à língua matricial silábica existente sob forma vibratória, além mesmo da linguagem. Essas cinco sílabas sagradas são as chaves Metatrônicas de Luz que lhes foram comunicadas no período de 15 de agosto.

Jamais esses sons foram revelados em sua Humanidade.

Questão: Pronunciação em diferentes ritmos poderia induzir efeitos diferentes?

Não.
Cada um é livre de pronunciá-las a seu modo.
O importante sendo que a língua vibre e desencadeie a Vibração ao nível de seu corpo.

O ritmo lhes é próprio e lhes é particular.
A língua se posiciona da maneira a mais natural que seja.

Qualquer que seja sua língua, qualquer que seja o funcionamento de seu cérebro, pronunciar, com a língua, o OD, só se pode fazer de uma maneira.

Questão: Pronunciar essas sílabas em grupo traz algo a mais do que fazê-lo só?

Sim.
A partir desse momento, vocês unificam, em fase de abertura de Consciência, suas Consciências.

E isso favorece um tanto a mais o fenômeno de translação e o fenômeno de aumento vibratório de sua Consciência.

Questão: Fazê-lo em várias vozes ou de acordo com diferentes tipos de melodias seria interessante?

Isso seria complicar as coisas ao extremo.

Permaneçam, e continuem simples, se querem efetivamente.

Questão: Isso pode apresentar um interesse de se gravar para reencontros em seguida, como um eco?

Não, porque acoplando a vibração sonora produzida pela posição de sua língua, ao mesmo tempo, é isso que desencadeia a ativação de zonas precisas em seu cérebro.

Escutar esses sons sem as pronunciar seria apenas uma Ilusão.

Há associação da Vibração sonora com a posição da língua, que modifica as ondas cerebrais e o funcionamento de sua Consciência, em seu cérebro.

Questão: O número de vezes que essas sílabas são repetidas é importante?

A importância está ao nível em que você a coloca.

Questão: É prejudicial pronunciá-las juntos?

Não.
A partir do momento em que vocês multiplicam as Consciências humanas que fazem o mesmo exercício, vão ressoar e amplificar, cada um segundo seu ritmos próprios e a abertura se produzindo ao nível da Coroa radiante da cabeça vai permitir unificar suas Consciências, não pela repetição mas pelo que ocorre depois da repetição.

Quando vocês pronunciam a alta voz o OD - ER - IM - IS - AL, vocês ativam os cinco pontos de sua cabeça. A ativação desses cinco pontos permite o derramamento, em vocês, de uma qualidade vibratória ligada à Luz Metatrônica que se realiza mais próxima da Fonte.

Vocês são portanto alimentados pela Fonte.
O fato de fazê-lo em conjunto não vai melhorar sua própria conexão mas, estando todos conectados à Luz da Fonte, vocês irão, nesse momento, unificar, não suas Consciências individuais, mas a Consciência, em cada um de vocês, da Fonte. E, nesse momento, vocês realizam um espaço sagrado permitindo acessar, de maneira muito mais consciente, eu diria, esta Consciência.

Questão: Isso pode provocar vibrações, em eco, da coluna vertebral até o sacrum?

Sim.
Isso corresponde à atualização, em vocês, desta descida da tripla Irradiação da qual acabo de falar cujo objetivo é, efetivamente, abrir a Coroa do Coração e, em alguns casos, ativar o Triângulo do sacrum. Enfim, em um outro caso, reunificar o Triângulo sagrado do sacrum, a Coroa do Coração e a Coroa da cabeça.

Questão: São esses fenômenos que permitem desenvolver o Antakarana?

O Antakarana, muito felizmente, pôde se desenvolver bem antes da Presença, em vocês, do OD - ER - IM - IS - AL. Ele corresponde, este Antakarana, à conexão consciente entre o corpo e a alma, e a alma e o Espírito. Esse processo iniciou desde o início, a nível coletivo da descida do Espírito Santo, que começou a se manifestar em seu Sistema Solar a partir do mês de agosto de 1984.

Há portanto um certo tempo que esta Presença radiante da Coroa do Espírito Santo está em vocês. Ela que permitiu, inicialmente, começar o trabalho de despertamento que se completa hoje pela Radiação do Ultravioleta que lhes transmitimos e pela Radiação da Fonte que decidiu, este ano, e durante os Casamentos Celestiais, manifestar sua Presença e sua Radiância, antes do esperado, a chegada de Metatron.

Questão: O conjunto de estrelas do Universo são Embarcações de Luz?

A Embarcação de Luz é uma Consciência e uma forma que viaja, que se desloca nas dimensões, no espaço e em diversas funções que vocês poderiam chamar temporais, mesmo se elas não o são.

Assim, toda forma de Consciência existente ao nível de uma forma, assim como ao nível de uma onda, pode ser chamada Embarcação de Luz. Assim, os planetas, as estrelas, os sóis, se deslocam num circuito específico, podendo também ser assimilados como Embarcações de Luz.

Vocês mesmos, como Sementes de estrelas, como Seres Humanos redescobrindo sua Verdade essencial, como Seres de Luz, e Seres de transcendência, vão, vocês também, reencontrar sua dimensão de Embarcação.

É difícil colocar em conceito de palavras, ou mesmo lhes fazer saber, o alcance real do que acabo de enunciar, enquanto vocês não o viverem. Entretanto, durante suas primeiras viagens na Existência, vocês se libertarão de condições ligadas à Vibração desta dimensão em que vivem. Terão, então, nesse momento, a possibilidade real e concreta de penetrar espaços totalmente diferentes quanto à sua posição, quanto à sua emanação e quanto a seu princípio. Reencontrarão, nesse momento, o que é chamado Embarcações de Luz.

Toda Embarcação de Luz é uma forma inscrita numa intensidade específica e participando de um movimento.

Assim, sim, a resposta pode ser assim dada: um planeta, como uma estrela, são efetivamente Embarcações de Luz.

Questão: Uma Embarcação de Luz é dotada de Consciência?

A Consciência habita tudo, absolutamente tudo.
Assim, a Consciência que chamaria, em sua linguagem, última, aquela que poderá se definir como sendo alfa e ômega, podendo se definir como estando aqui e agora, podendo se definir como o conjunto da criação, ou seja, o infinito e o indefinido, poderia se densificar até estar presente num átomo ou partícula constituinte de um átomo.

A particularidade da Consciência, quando não está limitada e prisioneira de uma forma, é de viajar mesmo e se expandir no infinito e se retirar ao infinito. Assim o é a Fonte Pai/Mãe Una que foi capaz de habitar, de maneira temporária, um corpo de densidade terceira dissociada, ou seja, um corpo Humano.
Ela foi capaz de estar num sistema planetário ou num Sistema Solar, até mesmo numa galáxia.

A Consciência não conhece limites.
A Consciência desse corpo no qual vocês estão é limitado e finito.

Isto é, aos olhos da Fonte, heresia, mesmo se vocês chamam isso experiência, mesmo se a experiência lhes permitiu crescer em Luz, ninguém deverá mais, nunca, ser cortado da Fonte.

Então, sim, a Consciência é onipresente.
A Consciência, consciente dela mesma, é um outro paradoxo, em seu universo, sobre o qual é difícil colocar palavras.

Nos multiuniversos e multidimensões, a Consciência é infinita.

Ela é infinita e pode ser, mesmo, indefinida.
Ela pode se definir ela mesma, num processo transitório, mas ela escapa a esta finitude percorrendo novamente os caminhos do indefinido e da finitude.

Isso é específico na evolução da Consciência.
Vocês estão, não se esqueçam, numa Consciência dissociada e dual.

A partir do momento em que reencontrarem a Existência, a partir do momento em que reencontrarem os domínios em que não há mais separação, onde não há mais limites, a Consciência se torna sem separação e sem limite.

Vocês não são compartimentados, vocês podem fusionar sua Consciência com outras Consciências.

Não há mais, nesse nível, separação.
A Consciência está, literalmente, aberta a todos os ventos, a todas as Vibrações e a toda outra Consciência.

Questão: Qual a diferença entre uma Flor de estrelas e uma Semente de estrelas?

Uma semente não é uma Flor.
Uma Flor é o resultado da Semente mas a Flor dá, também, Sementes.

Há uma diferença entre Semente e Flor.
A Semente de estrelas não revelou sua dimensão de Flor e, no entanto, ela a contém; a Flor de estrelas é aquela que chega ao pleno florescimento da Consciência, nos multiuniversos e multidimensões não dissociados.

Assim, uma flor pode ser e se tornar um planeta ou um Sol.

A diferença situa-se na própria emanação.
A Semente possui todas as qualidades da Flor, não manifestadas, não atualizadas.

As forças lhe são voltadas para o interior.
Na flor, as forças são voltadas para o exterior.
Há um sentido de orientação da Consciência que diferencia a Semente de estrelas da Flor de estrelas.

Questão: Como ir para o abandono à Luz?

Bem amada, o abandono à Luz é, antes de tudo, um consentimento à Luz. O fato o mais importante que seja, em relação à Luz, é que ela é inteligente.

A segunda coisa é compreender que a Inteligência da Luz será sempre superior à Inteligência de seu cérebro e mesmo, eu diria, da Inteligência de seu Coração.

É suficiente, portanto, aceitar que a Luz aja e deixá-la trabalhar em suas estruturas. Obviamente, eu falo de todas as estruturas: físicas, emocionais, energéticas, mentais e espirituais.

Este abandono é algo a se realizar.
A maior parte de seres humanos, mesmo no caminho espiritual, está presa por hábito e por experiência de controlar e dominar. Ora, justamente, a passagem da dualidade passa pela cessação do controle, pela cessação da referida dualidade e, portanto, pelo processo de abandono de se controlar a si mesmo.

O que não quer dizer, obviamente, fazer não importa o que.
Isso quer dizer, simplesmente, abandonar-se a outra coisa, esta outra coisa sendo considerada como mais ativa e mais apta a fazer-lhe encontrar a Unidade do que você mesma.

Entretanto, isso que falei está inscrito, também, em você.
Não é questão de procurar isso ao exterior mesmo se, efetivamente, a qualidade e a quantidade de irradiação que chega sobre esse sistema solar é profundamente diferente desde mais de um quarto de século.

Entretanto, convém compreender que este abandono só pode ser feito por você. Nós não podemos forçar, obrigar, constranger, nenhuma alma a viver este abandono.

Existe um certo número de técnicas visando acelerar esta noção de abandono.

Quais são os obstáculos ao abandono?
São de duas ordens, essencialmente: a primeira estando ligada a uma grande causa que eu chamaria o excesso do mental. Nesse mental, não se situam unicamente o raciocínio ou o questionamento mas também o que chamaria as crenças que são induzidas por suas próprias experiências de Vida.

Assim como o disseram numerosos Sábios ou numerosos Místicos, os exemplos são muito numerosos, o mental é o obstáculo essencial à percepção desta Luz que eu qualificaria como supramental. Quando falo de Luz, eu falo de Vibração, não falo de Luz astral, não falo mais de Luz física. Ainda que a Luz supramental seja um dia visível nesta densidade, eu falo sim de uma Luz situada em uma outra dimensão.
A particularidade desta Luz é que ela não é astral, ou seja, que ela não faz parte de seus mundos intermediários mas sim de uma realidade supra sensível, situada acima das esferas habituais nas quais vocês evoluem.

Esta Luz supramental é caracterizada por uma Vibração extremamente rápida que podemos qualificar de diferentes modos. Ela põe também em relação com um estado que não é um estado de humor, mas um estado de Ser, chamado a Alegria Interior.

A Alegria Interior é um estado, não de indiferença, mas de destacamento real de tudo o que pode acontecer na Vida, agradável como desagradável.

Esse estado não se adquire pela prática obstinada da meditação.

Cada caminho é diferente: alguns Seres podem encontrar este estado, simplesmente meditando, outros vão encontrá-lo passeando na natureza, outros vão encontrá-lo ouvindo a música.

O importante sendo fazer calar a atividade mental.
Cristais também podem ali chegar.

Como você vê, bem amada, existem inumeráveis modos de chegar a fazer calar o que faz tela, literalmente, a esse supramental.

A segunda coisa é, obviamente, tudo o que está encrustrado em você, programado em você, através de algumas estruturas, interiores e exteriores, que induzem em você emoções.

Todas as emoções, eu preciso, são contrárias à Alegria.
A Alegria de que falo não é uma emoção.

A Alegria de que falo não é um contentamento ligado a circunstâncias exteriores, é um estado de ser Interior que leva ao que é chamado, na tradição oriental, o Samadhi, ou seja, à Alegria interior ligada ao despertamento.

Ela é diferente de tudo o que é emoção: uma emoção é algo que é, por essência, efêmero, que é uma reação ou um modo de reação, se preferem, em relação a um estímulo vindo modificar seu ambiente.

Por exemplo, se você prova o prazer, vocês sabem todos, muito bem, que, qualquer que seja a causa desse prazer, ele não durará mais que o momento em que a estimulação exterior que gerou esse prazer esteja presente e desaparece a partir que o estímulo exterior desapareça.

A emoção, qualquer que seja (cólera, tristeza, prazer que acabo de falar ou, ainda, medo e sobretudo medo) são elementos que vão impedir, literalmente, seu acesso a esta dimensão supramental porque as emoções, de uma maneira geral, representam um estado vibratório.

Este estado vibratório é uma reação, participa da dualidade e não da Unidade. Recordem-se que o supramental participa da Unidade, e unicamente da Unidade.

Compete-lhes encontrar a técnica que lhes é própria, a cada um de vocês, para favorecer esta eclosão da Alegria interior.

Questão: Que significa: o poder do Amor não é o Amor?

Sim, absolutamente, o poder do Amor não é o Amor.

O Amor é Ser.
O Amor é Alegria.
O Amor não quer nada e não pode nada, nesta dimensão.

O Amor é um estado de ser.

A partir do momento em que o ser sai do ser para entrar em ação, nesta dimensão, ele se afasta do estado de ser e portanto do Estado de Amor.

Assim, mesmo os seres tendo encontrado o Amor o mais absoluto, ou seja, o estado de Ser o mais ligado à Fonte, a partir do momento em que esses seres aderem a sistemas existentes ou criam sistemas de crenças (através de exercícios ou através de religião, mesmo as mais conhecidas entre eles), eles saem deste Estado.

Aí está o paradoxo: o Amor não é poder mas ele é todo poder, a partir do momento em que você abandona seu próprio poder ao Amor.

O amor é uma radiação, é uma qualidade de ser, em relação com a transparência, a capacidade de uma Consciência a deixar se infiltrar e se coar dela a qualidade vibratória que recebeu, sem modificá-la de qualquer mqneira.

Isso associa os princípios que você descobre, nesse momento mesmo, ligados à integridade, no sentido da responsabilidade, à transparência.

Quer dizer que o que deve sair de sua boca não deve ser contrário ao que pensa seu cérebro, que o que se exprime, através de seus gestos e seus comportamentos, deve estar impregnado desta qualidade de transparência.

Então, o controle, assim como o defini aqui, é um abandono de toda vontade de poder.

O Amor é um abandono do poder do Amor.
O Amor confere um estado de ser, este estado de ser se basta a ele mesmo, age por ele mesmo.

Hoje, é-lhes solicitado isso.
Na época de Cristo, as coisas eram bem diferentes: a Revelação da Luz não podia se fazer ao nível da Humanidade, ela devia passar pelo sacrifício de uma Entidade específica, ela devia passar por um ensinamento, por parábolas, por metáforas, por histórias.

Hoje, vocês estão muito além disso, mesmo a título individual. Entretanto, a modificação, hoje, é, antes de tudo, uma modificação coletiva, ela não é preparatória, isso foi o caso para a Vida e o sacrifício de Cristo.

Ela é atualizada, hoje, em sua dimensão.
Assim, é-lhes solicitado de não se oporem, de não entrarem em reação, de ser neutro de ser, neste estado de alinhamento, a fim de se beneficiarem ao máximo da qualidade vibratória da Luz da Fonte, da Luz do Ultravioleta, da Luz do Espírito Santo, que são irradiadas até vocês.

Vocês devem aceitar e abandonar toda vontade própria, todo desejo pessoal, toda atividade mental, e toda atividade emocional, para tocar este estado de Existência. Isso se produz, de maneira muito simples, porque há um afluxo e influência e ação energética, real, em suas diferentes estruturas, físicas e sutis.

A partir do momento que vocês captam, de uma maneira ou de outra, esta Vibração, a Essência desta Vibração vai penetrá-los e vai transformá-los.

Não há nada mais a fazer do que isso.
Obviamente, nesta Humanidade dissociada de 3ª dimensão, vocês se habituaram, desde sua encarnação e progressivamente em suas encarnações, a manifestarem esse princípio de ação e reação.

Entretanto, a ação/reação não é a Graça.
A ação/reação está submissa ao princípio de Carma.
Resolver o Carma, passar da era do Carma, da era da ação/reação, para a era da Graça, passa pelo que poderíamos chamar, eventualmente, o Karma-Yoga, ou seja, passar da noção de ação/reação para a noção de Serviço desinteressado.

Servir o outro é certamente a melhor maneira de chegar a se liberar de seu próprio mental e de suas próprias amarras. Obviamente, associado a isso, vocês devem sair do julgamento.

O julgamento é ausência de transparência.
Na transparência não pode haver julgamento de qualquer sorte, de qualquer maneira e de qualquer pessoa.

Isso não necessita um esforço, no sentido intelectual, isso não necessita um ascetismo, sobre o plano de exercícios a realizar, mas bem mais um mecanismo, que eu qualificaria de quântico, no funcionamento de sua Consciência, consistente a não mais lutar, não querer, não desejar.

Mas isso lhes é conhecido por diferentes ensinamentos, em particular, orientais.

Questão: Qual é a diferença entre o mental e o ego?

O ego é o conjunto de estruturas (não unicamente mentais, mas também emocionais, mas também ligadas a suas crenças e seus comportamentos) que levam, de uma maneira geral, tudo para si.

Esse tudo para si não é, em si, negativo mas traduz um movimento de energia do exterior para o Interior enquanto que o movimento da doação de si é um movimento do Interior para o exterior.

Assim, o ego é constituído do mental.
O mental pertence indiscutivelmente a esta dimensão, eis que ele não existe além desta dimensão e eu diria mesmo que não existe nesta dimensão que chamaria unificada, com seus Seres vivos que não foram cortados da Fonte, em outros universos e outras galáxias.

Assim, portanto, o mental é a ferramenta colocada à disposição do ego. O mental passa seu tempo a discriminar, a classificar e a analisar e, por vezes, a fazer a síntese mas, em nenhum caso, o mental lhes permitirá integrar o que vem do supramental.

Nesse sentido, o mental é um obstáculo à emergência do supramental e portanto da Luz.

O ego corresponde ao que chamamos corpo de personalidade. Ele tem uma utilidade de perpetuar a Vida nesta dimensão, perpetuar uma certa forma de Ilusão. O ego está ligado ao mental, o supramental está ligado ao que está acima da alma, ou seja, ao Espírito.

O mental alimenta e mantém o ego e garante sua persistência e o fato que ele permaneça constante.

O ego leva a si.
O supramental transmite, a partir do momento em que é recebida, uma Vibração específica que nada tem a ver com a Vibração do mental.

O mental planeja sempre um acontecimento, qualquer que seja, em termos de relação ou perda e isso é inexorável, vocês não podem escapar. Não existe qualquer capacidade, no mental, de tocar o Coração ou de tocar a Unidade.

Isso é impossível, isso é apenas a estrutura induzida pelo mental.

O mental não pode admitir esse princípio do Coração, por uma razão que é muito simples, é que, a partir do momento em que o Coração é encontrado, ou que a transparência se estabelece, a partir do momento em que a Inteligência da Luz, ligada ao abandono vivido, se traduz realmente nos fatos cotidianos, nesse momento, o mental perde sua preeminência e ele não quer perdê-la, certamente.

Questão: Fazer perguntas e ouvir suas respostas faz ainda parte do mental?

Absolutamente.
A partir do momento em que uma palavra é emitida, obviamente, ela faz intervir o mental. Mas, entretanto, existe uma Vibração ligada à confiança e à Radiância, os dois são possíveis e, nesse momento, agem interiormente, além do que você percebe.

Através de palavras, há um aspecto vibratório e um aspecto de Consciência que é independente mesmo de palavras que são pronunciadas.

Assim, há alguém que é chamado Mestre RAM, que se manifestou numerosas vezes, e que lhe traduziu, através de respostas, por palavras, pelo silêncio, pela Luz, e pela Vibração, a mesma qualidade de resposta.

A palavra induz necessariamente ao trabalho do mental mas, entretanto, outros níveis são iniciados, ao mesmo tempo. Entretanto, você não encontrará jamais a porta de saída pelo mental, quaisquer que sejam as palavras que eu pronuncie.

É por isso que foi dito, por mim mesmo, pelo Arcanjo Miguel e por muitos outros canais, por muitos outros interventores, que jamais encontrará a porta do Coração pela cabeça. Entretanto, somos conscientes que algumas palavras, além mesmo do aspecto vibratório que é induzido por minha Radiância ou nossa confiança, tem um efeito em suas estruturas, além mesmo da compreensão que você tem, pelo mental ou pelas palavras.

Questão: Como a porta do Coração, então, pode se abrir?

Unicamente, assim como eu ali me empenhei, durante inúmeras horas, pelo abandono. É a única palavra que lhes coloca, sobre a Terra, o mais de problemas.

Eu me expressei extremamente longamente, eu diria o equivalente a várias horas, sobre o conceito de abandono. Obviamente, ler ou ouvir palavras sobre o abandono não conduz ao abandono mas lhes permite, já, eliminar o que não é o abandono.

A partir do momento em que viveram os Casamentos Celestiais e que perceberam as Vibrações, inúmeros de vocês perceberam as Vibrações da coroa do Coração e, nesse momento, o mental se cala.

Assim que o mental se reative, a coroa do Coração se interrompe. Há, aí, um aprendizado verídico do que é a dimensão do supramental ligada à coroa do Coração e do que é a Vibração do mental.

Entretanto, assim que você saia deste estado de Unidade, a Vibração da coroa do Coração se interrompe.
Há portanto, aí também, aprendizagem da persistência de um Estado vibratório. Entretanto, a primeira etapa é verdadeiramente o que chamei, não há outras palavras: abandono.

Abandono é se dar.
Dar-se a que?
A algo que você não pode conhecer, justamente, a não ser se abandonando e se você conseguir viver esse abandono.

Questão: O chamado à Luz Crística em Unidade e em Verdade pode representar um passo para esse abandono?

Trata-se de um passo essencial que lhe foi comunicado.
Entretanto, compreenda bem que o aspecto da Luz Vibral, da Vibração da Luz que se impacta, mesmo em sua cabeça, deve, aí também, fazer o objeto de um abandono. Porque, a partir do momento em que você capta a Vibração em seus Chacras superiores situados no alto de seu corpo, se você não dirige, se você não canaliza, pela Consciência e também pela vontade, naquele momento, a energia e a vontade desta energia ao Coração, você vai deixá-la girar em sua cabeça e terá assim nutrido o mental.

Não se esqueça que a ativação das cinco chaves Metatrônicas permite penetrar, na cabeça, a Coroa do Coração: há interpenetração, assim como o disse o Arcanjo Miguel, da Coroa do Coração e da Coroa da cabeça.

A Coroa do Coração e a coroa da cabeça são Coroas brilhantes que devem se sobrepor, se alquimisar e se resolver uma na outra. Então, sim, a primeira etapa, tal como a definiu, ou seja, acolher a Luz Crística, é já uma primeira via para o abandono. Em seguida, a segunda via para o abandono é quando você tem a chance de perceber a Vibração ao nível de certas partes de seu corpo ativar a Vibração do Coração, servindo-se dessas Vibrações de seu corpo.

Progressivamente, à medida que você penetrar o santuário do Coração, e que você chegar a manter a Coroa radiante, você se aperceberá que a Alegria inunda seu Espírito, que o mental não pode mais intervir e que você penetra em domínios de experiências novas.

A Vertade está nesse nível e em nenhum outro lugar.
Obviamente, o que você vive, nesse momento, é totalmente independente de todo sistema de conhecimento, qualquer que ele seja.

O conhecimento, ele mesmo, deve desaparecer, qualquer que ele seja, para dar lugar à Vibração do Coração.

Questão: Abrir sua Consciência sem limite não provocará uma perda de individualidade, do ego?

Bem amada, absolutamente não.
A perda da individualidade apenas existe durante um fenômeno chamado dissolução.

Esse fenômeno, chamado dissolução, não pode existir.
É o que quiseram lhes fazer crer.

Uma Consciência criada, uma Consciência nascida, não pode ser aniquilada, de nenhuma maneira possível. Assim, portanto, o acesso do ilimitado na limitação, o acesso da personalidade ao corpo de Existência, provoca, simplesmente, o desaparecimento do corpo de personalidade e a passagem da Consciência no corpo de Existência.

Não há interrupção da Consciência, não há dissolução da Consciência, mas há sim expansão da Consciência e passagem de uma esfera de experiência a outra esfera de experiência.

Obviamente, transferir totalmente a Consciência do corpo de personalidade ao corpo de Existência necessita não mais estar presa a qualquer posse, em todos os sentidos do termo.

O poder é uma posse.

Questão: O que entende por translação dimensional?

Nós, Arcanjos, preferimos chamar o fenômeno específico de transição que vocês viverão, e que vivem já, por uma certa parte e uma certa parte dentre vocês, «translação dimensional». Esta translação corresponde, realmente, ao termo exato: vocês transladam de um nível de Consciência a outro nível de Consciência.

Do mesmo modo que vocês transladam da vigília ao sono, do mesmo modo que vocês transladam da vigilância à meditação, do mesmo modo, sua Consciência deve passar e se transladar do corpo de personalidade ao corpo de Existência, com a fusão com o corpo de personalidade, ou sem esta fusão, de acordo com o caso.

Entretanto, a Consciência não será interrompida.
Não há portanto um adormecimento de Consciência, não há portanto uma mudança de Consciência, há continuidade da Consciência numa translação dimensional.

Uma vez que você nasça nesse mundo, você perde o conhecimento do que viveu antes de sua vinda. Do mesmo modo, a cada encarnação e pelos jogos daqueles que lhes constrangeram a viver esta experiência da encarnação, você tem um esquecimento, um véu de esquecimento, que acompanha cada nascimento e cada morte.

Hoje, é questão de um novo nascimento, mas este novo nascimento não provoca uma morte, no sentido em que você entende até agora.

Trata-se sim de uma real translação dimensional.

Esta translação dimensional corresponde aos indivíduos, pelo planeta, mas também ao conjunto de seu sistema solar, o que não é portanto um fenômeno isolado.

Questão: Como se explica o calor vindo do Céu mas não do sol diretamente?

Bem amado, existe, atualmente, certo número de Radiações que nós retransmitimos para vocês, que são conduzidas através de certo número de processos ligados à Luz e às Radiações.

Algumas dessas Radiações lhes chegam de muito longe, ao nível de Sistemas Solares extremamente distantes, de constelações extremamente afastadas. Existem também Radiações cada vez mais perceptíveis, emitidas pelo conjunto de planetas de seu próprio sistema solar.

Assim, aqueles que, até o momento, rejeitaram a emissão da influência de Radiações de planetas, que vocês chamam astrologia, vão compreender seu erro. Obviamente, não há apenas a Lua, seu próprio satélite, que possa modificar as marés e os cursos de água e o clima.

Muitos planetas emitem irradiações novas.
Assim, frequências específicas são emitidas, nesse momento mesmo, pelo conjunto de planetas de seu sistema solar.

As Radiações são profundamente transformadas pela Luz e por certo número de transformações se misturando, elas também.

O Despertar da Luz Interior , em seu corpo biológico, corresponde também ao despertar de diferentes planetas de seu sistema solar. Este despertar emite uma forma de Radiação, do mesmo modo que um Ser Humano que desperta emite uma Radiação.

Vocês captam, vocês também, as Radiações ligadas aos planetas. É preciso bem compreender que o que vocês vivem no Interior de vocês corresponde ao que acontece no exterior de vocês, como também em seu mundo planetário, como em outros planetas. O que significa que, efetivamente, vocês vão perceber cada vez mais o fluxo de Radiações, independentemente daquelas que chegam dos fins remotos das galáxias e do cosmos.

Vocês vão receber as Vibrações novas de seus próprios planetas. Alguns planetas desse sistema solar já balançaram seus polos físicos e magnéticos.

O conjunto desse sistema solar está a caminho para sua translação. O que vocês percebem, sob forma de aquecimento, em alguns lugares de seu Céu, não ligados ao Sol, está, efetivamente, ligado a irradiações planetárias. Agora, eu não posso situar, de maneira precisa, o lugar onde foi essa irradiação mas você pode recebê-la de diferentes lugares de seu corpo e de seu Céu.

Questão: As modificações do DNA vão reduzir as reações da Sombra?

Sabemos qual é a finalidade do que acontece e sabemos que é perfeito e luminoso. Entretanto, é preciso bem compreender que os Casamentos Celestiais e a Radiação que vocês vivem não são, no momento, captadas pelo conjunto da Humanidade, ao nível de seus Chacras superiores, ou ditos superiores, ou seja, a partir do Chacra do Coração.

É preciso bem compreender que, na fase de transformação, não é jamais o novo que se impõe, é sempre o antigo que morre por si. O problema é que algumas formas de energia e algumas Consciências ancoradas no poder não querem morrer e, no entanto, elas devem, mesmo se isso deva passar pela morte do corpo.

Assim, alguns Seres vivem em resistência e tentam resistir, de uma maneira ou de outra, tanto à Luz como à Sombra.

Os dois são erros.
Obviamente, essas almas não podem sabê-lo, no momento, então assim vocês se dirigem, efetivamente, para períodos chamados de confrontação, de atrito, literalmente, entre a Sombra e a Luz. Entretanto, os Seres que descobrem hoje a dimensão espiritual nova da Existência, que vivem através do estabelecimento, nela, da Alegria interior, do silêncio interior, ou da nota Si, são capazes de resistir a essas reações.

Recordem-se que a Unidade não pode ser reação.
A Unidade é viver em Unidade.

A única maneira que vocês têm de ajudar aqueles que estão ainda nesta dualidade é de, sobretudo, não participar de seu combate, de um lado ou de outro, mas sim continuar a elevar seu nível vibratório. É assim que você rende o maior Serviço a esta Humanidade e a esse sistema solar.

Então, não se retarde ao que poderia chamar de som de botas. Isto está, obviamente, planejado e, como já o sabem, outros interventores lhes disseram que, no Céu, os planos limitantes (para chamá-los assim ou o que outros interventores chamaram de maus rapazes) não têm mais razão de ser: eles foram desfeitos no Céu, do mesmo modo que serão desfeitos sobre a Terra.

Mas, entretanto, alguns não podem admitir, por uma razão que é muito simples: eles sempre funcionaram na noção de poder e de medo.

O medo serve o poder, e o poder se serve do medo, isso será reproduzido neste período final. Entretanto, a limitação desta confrontação não pode vir senão de sua própria possibilidade de elevação vibratória, de translação dimensional.

Progressivamente, à medida que os Seres Humanos, cujo número é cada vez mais importante, se abrem a esta nova Vibração, descobrem espaços inexplorados. Os novos elos descobrem também que é possível manter um estado de neutralidade benevolente, um estado de Alegria interior, quaisquer que sejam as circunstâncias de sua própria vida e não se sentem mais obrigados a penetrar os espaços de reações, de emoções, de mental, para permitir favorecer a elevação desse sistema solar, esta famosa translação da qual falamos.

Todo o desafio está aí: que vão fazer vocês de seu caminho permanecendo nesta dimensão?

Vão decidir, em sua alma e Consciência, entrar em resistência e se oporem?

Vão decidir, em sua alma e Consciência, se confrontarem?
Esta será sua escolha, mas recordem-se que essa escolha, e pela Essência, faz parte da dualidade. Isso quer dizer que devemos aceitar? A questão não deve ser colocada assim.

Se seu nível vibratório se separa, literalmente, desta ação/reação, desta confrontação, desta crise econômica, desta vontade de dominação de uma pequena parte da Humanidade sobre o conjunto da Humanidade, e se vocês encontram os recursos para elevar seu nível vibratório, vocês verão que, muito facilmente, escaparão assim a toda confrontação e a todo ataque a sua pessoa, a sua integridade ou a sua vida.

A vocês cabe escolher.
Eu retomarei a frase de Cristo: «Que isso seja feito segundo tua fé».

Vocês não podem pretender o estabelecimento da Unidade e da Luz combatendo a Sombra. Isso, alguns de vocês viveram e integraram em sua Consciência e em seu campo vibratório.

Agora, vem a hora de colocar em prática, numa escala muito mais vasta.

Não temos mais perguntas, nós agradecemos.

Então, bem amados, eu lhes transmito minhas saudações e a Radiância do conjunto do Conclave Arcangélico.

Recebam todos nossa gratidão pelo trabalho efetuado.

Nós os abençoamos, a todos, juntos.

___________________________
Compartilhamos essas informações em toda sua transparência. Agradecemos em fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente este texto e citando sua fonte: http://www.autresdimensions.com/
Versão do francês para o português: Célia G.

Nenhum comentário:

Postar um comentário