segunda-feira, 28 de junho de 2010

ANAEL - 28 de junho

28 de junho de 2010

Mensagem de 28 de junho (publicada e 22 de julho de 2010) do SITE AUTRES DIMENSIONS



Questão: A parada do mental permite o acesso ao Supramental?

Bem amada, a parada do mental é uma condição necessária e obrigatória, mas não é suficiente para tanto.

Questão: A parada do mental corresponde a uma saturação Vibratória? Se sim, provém das frequências emitidas pela corda Celeste?

A partir do momento em que o mental se acalma, antes mesmo de sua parada, existe, efetivamente, uma ampliação Vibratória que pode ser percebida, naquele momento, pela própria Consciência.

Esta ampliação Vibratória não é, propriamente falando, de origem Supramental, mas ela se manifesta a partir do instante em que o mental está em repouso, porque o mental, de modo geral, em sua Dimensão, é desperdício Vibratório.

De fato, o modo que o cérebro humano decodifica e compreende o que foi colocado num plano Vibratório sonoro, necessita que a Consciência seja voltada para o que é emitido e o que é recebido e não mais para a Vibração da Vida que pulsa no organismo.

Questão: Se a ruptura de uma relação afetiva pode reforçar a ligação que se deseja cortar, como evitar este obstáculo?

Bem amada, convém compreender que, em suas relações estabelecidas nesta Dimensão, mesmo se lhe dá prazer falar de almas, falar de vidas passadas, uma relação, qualquer que seja, apenas se torna livre a partir do momento em que, como vocês dizem, a liquidação final é feita [saldo zerado].

Ora, bem frequentemente, numa separação, existe, para aquele que inicia a separação como para aquele que a sofre, de fato, há dependência que se cria ao nível Vibratório.

Não é porque você retira alguém de sua vida afetiva, sentimental ou outra, que a ligação se destrói.

Apenas o Amor pode permitir dissolver uma ligação.

E justamente, o que provoca o mais frequentemente a dissolução de uma relação, qualquer que seja, tal como a que você pensa, é exatamente a falta de Amor.

Assim, não está bem, apenas além da noção do perdão.
Apenas colocando-se vocês mesmos na Dimensão do Coração, em sua Vibração, que vocês poderão conduzir bem suas separações.

Porque todas as separações que vocês realizam em suas vidas, mesmo se fazem um trabalho Vibratório acima, mesmo se lhes é possível pensar que superaram uma problemática, esta lhes reaparecerá um dia ou outro, enquanto vocês não tiverem apagado, ou seja, transcendido, uma relação de Amor, qualquer que seja esta relação.

Assim é, bem frequentemente, nas relações de casais, nas relações de pais/filhos ou filhos/pais, que, eu os lembro, são sistematicamente relações de natureza cármica, em que há reparação pela instalação da relação. E há perpetuação do carma pela finalização desta relação e o final desta relação, quando não é realizado na Vibração do Amor.

Assim, vocês estão num círculo vicioso quase perpétuo.

Vocês não podem se liberar, dentro de suas leis habituais, de todas as relações que estabeleceram em suas diversas vidas.

Isso faz parte da matriz aprisionante.
Então, seu mental ou seu Espírito pensa compreender que pode se liberar, mas vocês não podem se liberar, em Verdade, de maneira definitiva, do que quer que seja e de quem quer que seja, enquanto vocês não são vocês mesmos.

E assim, vocês voltam, de ciclo em ciclo, de vida em vida, tendo a impressão de avançar, mas vocês não avançam. O único modo de avançar é aquele que lhes é oferecido doravante pela Luz e que lhes convém realizar em vocês.

Vocês não devem crer que a ausência de relação ou o fim de uma relação significa que ela não está mais operante nos planos os mais sutis.

Ela vai sempre no sentido da manutenção de uma ligação e não de uma liberação. Podem parecer palavras extremamente duras para ouvir, para vocês que imaginam e percebem estar separados de seus ex-cônjuges, de seus filhos, de seus pais etc..

A trama da matriz é constituída dessas relações.
É por isso que nós lhes dizemos e repetimos que, nos mundos Unificados, as relações, tais como vocês estabeleceram nesta matriz, absolutamente não existem.

Assim, quando vocês acreditam ter acabado, Vibratoriamente, carmicamente, na pacificação das emoções ou das relações referentes a quem quer que seja, de fato, esta relação está, eu diria, quiescente [em descanso] e, enquanto vocês não tiverem, vocês mesmo, realizado o Despertar de seu Fogo Interior, todas essas ligações não podem ser queimadas e elas os seguem de vida em vida, conduzindo-os a reencontrar, sistematicamente, as mesmas entidades e as mesmas relações, ao longo de suas vidas.

Então, obviamente, vocês não serão confrontados, de vida em vida, ao mesmo elemento perturbador, mas trata-se sempre da mesma ligação. É algo que não é para compreender, mas para desenvolver por vocês mesmos.

A partir do momento em que vocês se estabelecem no Fogo do Coração, não pode mais existir, pelo princípio de ressonância e de atração, uma ressonância em relação com suas problemáticas passadas.

Enquanto se manifesta a vocês uma situação, uma pessoa, um lugar que vai colocá-los em reação relativamente à sua vivência anterior, vocês não estão liberados, mas vocês estão plenamente na relação e na dependência de suas próprias emoções.

Apenas o Fogo pode, assim como aliás foi demonstrado nos sistemas iniciáticos, apenas o Fogo pode queimar as relações, e nenhum outro.

E esse Fogo é o Fogo do Amor.

Vocês podem, certamente, superar uma forma de relação e fazer crer a seu mental ou a suas próprias emoções vividas, que essa relação está dissolvida, mas é estritamente nada, enquanto vocês funcionam ao nível da personalidade. E se uma pessoa ou uma situação ou um lugar desaparece de sua vida presente, ser-lhe-á novamente servido em outro momento ou em outro tempo, dentro desta matriz.

Existia, nos diversos sistemas de civilizações passadas, rituais muito eficazes que permitiram a seres se liberarem de qualquer ligação, mas não para viver o Fogo do Coração, mas, antes, o fogo de paixões, o que não é verdadeiramente a mesma coisa.

Hoje, certamente, as circunstâncias são diferentes, porque vocês penetram na época do Fogo e, portanto, na época da liberação, na condição, certamente, de querer ser liberado.

Assim, se insisti tão longamente sobre o abandono à Luz e se vários interventores lhes falaram do princípio de atração e de ressonância, é preciso bem compreender que, nos mundos Unificados, como no mundo em que vocês estão ainda atualmente, esse princípio joga plenamente e os eventos que ocorrem no curso ou no decurso de suas vidas, virão sempre ilustrar a realidade ou a não realidade do que vocês pretendem ter superado.

A personalidade nada pode superar.
Apenas a Existência pode superar.

Assim, portanto, na matriz não pode existir cura, porque toda cura de uma relação, como de uma anomalia, é apenas transitória, temporária e ilusória. Mas, certamente, lhes é possível pensar que, num determinado momento, vocês são liberados de algumas situações, de alguns apegos, de algumas relações ou de alguns comportamentos.

E, efetivamente, eles são aliviados, apaziguados pelo que eu chamaria de caminhos de desvio. Assim, por exemplo, uma problemática em relação com o segundo chacra poderá se desviar utilizando as funções do quinto chacra. Mas vocês não poderão jamais apagar o mapa-mãe permanecendo no mesmo nível de funcionamento que aquele onde existem as relações.

O que eu falo não é um conceito.
Olhem simplesmente, em sua vida, aquela que vocês conhecem, seus próprios comportamentos, suas próprias superações, suas próprias desordens, suas próprias doenças.

Apenas o Fogo pode realmente queimar isso.
Sem isso, todo o resto é apenas transposição e desvio, mas não cura, no sentido o mais real e autêntico do termo.

A matriz literalmente os fechou nesses funcionamentos.
O único modo, o mais adequado, de se aproximarem desse Fogo do Coração é o que foi expressado e vivido por alguns seres.

Então, eu sei que, obviamente, muitos seres que vivem algumas emoções vão, muito a propósito, recordar o caminho de Cristo e aquele que caça, por exemplo, os mercadores do Templo.

Mas vocês são o Cristo?
Vocês realizaram o Fogo do Coração em vocês?
Se tal é o caso, naquele momento, tudo lhes é aberto.
Sem provocar, para tanto, reação ou qualquer carma ou qualquer reação.

Mas, antes de viver isso, vocês estão presos, literalmente, ao que vocês são. O próprio princípio do bem e do mal os provoca, de maneira inegável, a se instalar nesta matriz.

Vocês não podem se liberar do que quer que seja por vocês mesmos. Esse é um jogo absurdo da personalidade, que os provoca, em meio mesmo de diligências muito lógicas, chamadas energéticas, psicológicas ou outra, mas que, definitivamente, apenas fazem transpor, apenas melhorar, mas não os curarão verdadeiramente jamais.

A única maneira de curar é asceder ao Fogo.
Não há outras.

Mesmo se é completamente compreensível que o ser humano tenha necessidade, às vezes, de ser tranqüilizado e aliviado.

Vocês não podem tratar, dito de outro modo, uma problemática ao nível em que ela está situada.

Vocês apenas podem tratá-la passando a outro nível de Consciência.

Isso dito, considerando a época que vocês vivem, a solução será definitiva.

É uma grande lei e terminarei, com relação a esta questão, com isso.

Com relação a um acontecimento que você viveu, em seu passado ou no instante presente, você tem sempre apenas duas escolhas e somente duas escolhas, na personalidade: se subjugar ou se subtrair.

Num caso como no outro, trata-se de uma reação e a reação, qualquer que seja, mesmo considerada como boa ou lógica ou amorosa, vai provocá-los, necessariamente, na reação.

Que vocês se submetam a uma injunção comportamental, que vocês se subtraiam de uma injunção comportamental, paternal, por exemplo, ela existirá sempre em sua vida.

Porque, como vocês querem imaginar que uma ação que provocou uma reação, há tempos imemoráveis, se solucione pelo mesmo princípio de ação e de reação?

É simplesmente impossível.
É o jogo do ego que os faz crer que isso é possível.

Certamente, há alívio.
Certamente, há transformação.

Mas eu posso lhes assegurar que, visto de mais alto, não há jamais cura no sentido em que vocês a entendem, jamais.

Assim, vocês poderiam dizer que retirar um órgão doente vai, obviamente, permitir fazer desaparecer a doença.

Mas o próprio fato de haver esta cicatriz vai permitir o surgimento de algo em ressonância com sua ação.

Se não for para esta vida, isso seria para uma vida futura, e isso gira indefinidamente desta forma.



Questão: O que é a grande Cruz do Céu e qual será o impacto para a Terra e para os humanos? Por que há uma pequena antes?

Bem amada, é relativo, simplesmente, à posição dos astros em seu sistema solar Interior e exterior.

Existem alinhamentos que produzem o que é chamado, na astrologia, de quadrados e, na astronomia também. Esse princípio de oposição provoca uma modificação considerável das forças gravitacionais.

Ora, como o sabem, as forças gravitacionais fazem parte das forças que foram colocadas em jogo pela matriz, para mantê-los na ilusão.

É em meio, aliás, dessas forças chamadas gravitacionais, que se exprime melhor o princípio de ação e de reação, ilustrando sua vida na matriz, que é ausência de liberdade.

A pequena cruz está ligada a influências em relação com o eclipse lunar.

A grande cruz corresponde ao alinhamento de planetas extremamente pesados de seu sistema solar e a aspectos que modificam as forças de tensão gravitacionais de modo extremo, implicando em várias modificações na superfície da Terra e também em suas Consciências.

Trata-se, portanto, antes de tudo, de um evento astronômico cujo alcance é astrológico, mas, antes de tudo, espiritual.

Questão: A Vibração do Coração é Consciência?

Toda Consciência é Vibração, assim como o disse quando de minha primeira resposta a suas questões. Assim, quando o mental se cala, a Vibração aparece ao nível do corpo.

Do mesmo modo, com exercícios apropriados, vocês podem mesmo sentir as Vibrações e a circulação da Energia no que vocês chamam de meridianos e nadis de seus corpos e também de seus chacras.

A Vibração do Coração, percebida e sentida, é Consciência.

Ela não é Existência, porque esta deve passar no Fogo do Coração, que é uma modificação da Vibração percebida.

A passagem da consciência comum à Consciência do Coração, em sua Vibração percebida, sentida e manifestamente entendida, corresponde a uma primeira etapa que os conduz a viver o Fogo do Coração.

É nesse Fogo do Coração que se resolve a Cruz.
É nesse Fogo do Coração, do chacra do Coração e da nona lâmpada, por intermédio da irradiação da Fonte e do Fogo da Fonte, que se resolvem os antagonismos.

Apenas nesse nível que as forças de ação/reação cessam, para fazê-los entrar na lei de ação de Graça, onde tudo é Unidade e onde o princípio de atração e de ressonância vai fazer com que se manifeste a vocês o que está em acordo com a Unidade reencontrada.

Naquele momento, a vida é repleta de Graça.
Não pode ali haver emoção.

Não pode ali haver manifestação de elementos que venham contrariar o que vocês são, porque o que vocês são não está mais sujeito à ação/reação, somente naquele momento.

Questão: Ver a Verdade pode querer dizer ter uma compreensão diferente desta ilusão?

Não.

A compreensão permanece e permanecerá sempre no mental. Assim como disse e assim como vários dos anciãos disseram, a compreensão não é resolução. A compreensão é algo de que se apreende o mental, para se justificar a si mesmo de sua existência.

A verdadeira compreensão não é uma compreensão.
É uma vivência do aqui e agora, no Coração e na Verdade.

Assim que a compreensão entre, qualquer que seja, ela os afasta da Vibração do Coração.

Quando vocês estiverem habituados a perceber e a sentir sua própria Vibração cardíaca e o Fogo do Coração, vocês se aperceberão muito rapidamente que se vocês voltam a descer às questões ou à compreensão, o Fogo do Coração se apaga.

O Fogo do Coração é um estado de ser.
Neste estado de ser, há a Graça.
Não pode ali haver compreensão.
Há Ser e ser no Ser se basta por si.

Não há mais necessidade de qualquer compreensão, eis que é questão simplesmente de Ser na irradiação da Fonte e Ser si mesmo tornado em Unidade.

Lembrem-se, e guardem presente, em algum lugar em vocês, que aquele que quer compreender e justificar, que aquele que quer explicar, não é jamais a Existência e é sempre o ego.

É o ego que se orgulha sempre de compreender, de satisfazer sua curiosidade e que lhe dará a insinuação que vocês estão evoluindo.

Não pode haver evolução sem Vibração.
Pode haver, certamente, ampliação do campo de compreensão.

Pode haver ampliação de certo número de percepções, mas não há acesso à Verdade. Porque a Verdade é unicamente Ser no ser, na Vibração do Coração e do Fogo do Coração.

Neste espaço, não existe qualquer questão, porque tudo é resposta e não surgirá no espírito da Existência deixar emergir a menor questão.

Porque num estado de ser onde tudo é resposta, não há utilidade em deixar emergir questões, quaisquer que sejam.
As palavras de Samadhi de que lhes fala Um Amigo, a vivência desse Samadhi por numerosos místicos, lhes dá a chave.

Eu poderia dizer que não há salvação sem Samadhi.
Não há Samadhi sem Fogo do Coração ou Vibração do Coração.

Compreendam bem que é sempre a personalidade que quer explicar, que quer amar e ser amada e que recusa, assim, Ser.

Porque ser dá medo.
Ser no Ser implica em passar pela morte das ilusões, pela morte das crenças, pela morte do mental, pela morte a si mesmo, também.

Se nós insistimos em lhes dizer, como o diz frequentemente Omraam, que há menos de dez por cento da humanidade que está mesmo vivendo isso e que haverá, no final, nós esperamos, talvez um pouco mais de dez por cento, é que a maior parte dos outros seres humanos está tão fechada em si mesma que não vê mais a prisão, nem as grades.

Para eles, eles se consideram num estado natural e todo o resto, para eles, é apenas ilusão astral ou quimera, e que podemos nós?

Absolutamente nada.

Enquanto vocês estão apegados à menor parcela do que vocês são nesse mundo, vocês não podem tocar a Existência.

O Cristo realmente pronunciou essas palavras, para seus apóstolos e aqueles que o seguiram em sua vida.

Ele lhes dizia sistematicamente: “Sigam-me, deixem os mortos enterrarem os mortos”.

Ele era o único a poder dizer “Siga-me”.
Mas, hoje, se vocês querem seguir seu caminho, vocês são obrigados a passar por esta morte.

Vocês aceitam morrer ou não?

Lembrem-se também que falei longamente das quatro etapas que conduzem a esta aceitação e a este abandono. Não voltarei nisso hoje, mas eu os remeto à leitura do que enunciei há mais de um ano.

(nota: abandono à luz - http://leiturasdaluz.blogspot.com/2009/05/anael-11-de-maio-de-2009.html - terceira questão)

Porque, definitivamente, seja a morte física ou a morte da personalidade que vocês sejam chamados a viver, trata-se exatamente do mesmo processo.

Enquanto vocês estão apegados ao que quer que seja, ou uma pessoa, ou um objeto, ou um automóvel, ou uma situação, ou um lugar na rede social, vocês não estão prontos para morrer.

Essas palavras não são duras, elas são Verdade e Amor.

Compreendam bem que nós os esperamos e que nós os esperaremos sempre.

Nós lhes propomos, mas são vocês que realizam.
Então, muitos seres humanos, em seu caminho espiritual, querem encontrar a Luz, querem sim mudar algumas coisas, mas não querem morrer.

Vocês devem renascer novamente.
As palavras de Cristo não foram palavras vãs: “Ninguém pode penetrar o reino da Luz se não renascer de novo”.

Compreendam que essas palavras nada têm de simbólico, nada têm de um imaginário mental, mas são a estrita Verdade.

O Fogo do Coração, quando se acende, queima tudo em vocês, absolutamente tudo. Apenas por esta purificação que vocês podem encarar considerar sua vida como podendo se apagar de um instante a outro, porque vocês tocaram a Verdade e a vivenciaram.

Naquele momento, e somente naquele momento, vocês são liberados de todas as leis de ação/reação e não antes.

O bem amado Omraam, em sua vida, insistiu amplamente no que ele chamava, à sua época, o ascetismo espiritual, a vontade espiritual. É preciso que esta busca tome cada respiração de sua vida, o que não quer dizer se retirar do mundo, o que não quer dizer se colocar num lugar e não mais mover.

Isso quer dizer que vocês devem ser Conscientes, a cada minuto, a cada respiração, de seu objetivo e que nada, absolutamente nada, os afasta.

Nesses tempos reduzidos, nesses tempos de tribulações e de resolução do final desse mundo, resta-lhes pouco tempo para manifestar isso.

Cabe a vocês saberem onde querem ir e lembrem-se que, em definitivo, é a Vibração que vocês levarem, naquele momento, que determinará onde vocês irão. Ou vocês estarão em adequação com o Fogo e irão no Fogo, na Existência, ou permanecem nas zonas de sombra, nas zonas de peso, nas zonas de tensões e, então, vocês não poderão aceder ao Fogo.

É este, de alguma forma, o julgamento final.

De sua capacidade para se elevar na Vibração do Fogo decorrerá seu lugar e, para isso, é preciso aceitar não ser mais nada. Assim, como o disse Ki Ris Ti, ele era o menor dentre aqueles que estavam aí, nesse mundo, mas ele era o maior no Céu.

Vocês não poderão ter qualquer lugar nesse mundo e ter um lugar elevado no Céu.

É isso que é chamado humildade e simplicidade.
Mas, lembrem-se também que vocês são Sementes de estrelas.

Como Sementes de estrelas, vocês são os mundos, os universos em formação e vocês não podem ser o que creem nesse mundo e tornar-se este Universo.

Aí também, cabe a vocês escolher, sabendo que não é sua cabeça que escolhe, mas, sim, a Vibração.

Questão: A beleza, os perfumes, os sons da natureza fazem subir na Vibração ou vinculam mais à matéria?

Os sentidos podem conduzir à Existência.
Nos mundos Unificados, a beleza é onipresente.
Nos mundos Unificados, os perfumes são onipresentes.

Então, a natureza é um elemento de contato com uma Dimensão Unificada.

Mas é preciso também conceber e aceitar que alguns seres, à vontade nesse mundo, vão procurar, na natureza, um meio de ali se manter. Tudo depende, aí também, de seu objetivo, de seu ponto de vista e do que vocês desejam.

A natureza pode ser um maravilhoso elemento para favorecer sua elevação Vibratória para a Existência.

A natureza pode também, segundo seu ponto de vista diferente, prendê-lo nesse mundo.

Os dois são possíveis.
Tudo depende de seu ponto de vista.

Questão: Que significa, quando do acolhimento da Luz, formigamentos intensos na região do fígado?

A Luz, quando chega no Fogo e no Supramental, pode efetivamente revelar zonas de sombra, zonas que têm necessidade de ser iluminadas e queimadas pelo Fogo da Luz. Assim, os formigamentos na zona hepática e vesicular traduzem a existência, nesse órgão que é, eu o lembro, a casa da alma, certo número de feridas de natureza emocional que não foram eliminadas.

O fato de sentir, nesse nível, formigamentos, Vibrações, não é sinal de anomalia, bem ao contrário, mas ao fato que o que deve ser purificado, o é.

Questão: O trabalho Vibratório feito pelo Arcanjo Uriel sobre o Coração, as células, é realizado mesmo quando o estado Interior não é estável?

É realizado, e esse trabalho Vibratório sobre o Coração pode, naquele momento, nutrir a personalidade e não a Existência.

Tudo depende de sua qualidade de acolhimento Vibratório.
Novamente, é uma questão de ponto de vista.

Para alguns, a pacificação será obtida, porque há uma tensão para a Existência.

Para outros, ao contrário, há uma tensão que existe para a personalidade, em relação com frustrações ou bloqueios.

Naquele momento, a Luz vai nutrir isso.
Mas é preciso bem compreender que não é a Luz que desencadeia o que quer que seja.

Sua tensão é mais intensa para a Existência ou para a personalidade?

E, definitivamente, o que é iluminado e se manifesta então, apenas traduz ressonâncias que estão ainda presentes no Interior e que, então, não são superadas ou transfiguradas pela Vibração da Existência.

Questão: Existe um símbolo da pura Consciência? Se sim, qual é e como utilizá-lo?

Bem amada, a resposta me parece difícil.
O símbolo, etimologicamente, é o que é lançado.

São as duas faces de uma mesma peça ou os dois pedaços de uma peça que se montam para realizar a Unidade.

É o inverso, exatamente, do “diabole”.
Entretanto, além disso, a Luz não é símbolo, é Verdade.

Assim, querer utilizar um símbolo qualquer que seja, mesmo o mais elevado, os puxará para o emocional e para o mental.

É nesse sentido que, quando da questão anterior, eu lhes sugeri jamais querer procurar interpretação para uma imagem ou para um símbolo que chega, porque o mental se apreenderá sistematicamente.

Então, em contrapartida, é também possível imaginar que um ser humano, no momento de seu acesso ao Fogo do Coração, vai poder perceber ou ver um símbolo preciso que será, para ele, a marca do switch da Consciência e também da passagem para outro estado de Consciência.

Esse símbolo se basta para ele mesmo, pode ser completamente diferente para outra pessoa.

Ainda uma vez, o importante é que se manifesta, não o significado.

Guardem sempre que o que procura compreender um símbolo, definitivamente, é sempre apenas o mental.

Questão: Que é a natureza espiritual ou a Consciência espiritual do Ser?

Bem amado, ela está além das palavras.
Quaisquer que sejam as palavras que ali colocasse, afastaria da Vibração.

Penso que o Arcanjo Uriel, como Um Amigo, lhes permitem asceder, por sua Presença, alguns estados Vibratórios que são, para muitos de vocês, uma aproximação da Existência.

Há, para tanto, palavras?
Mesmo se essas palavras são portadoras de Vibração.

A única importância é a intenção da Consciência de se colocar em alguns pontos do corpo, permitindo ali ativar algumas Vibrações que facilitam o acesso à Existência.

Eu não posso falar da Existência, eu apenas posso fazê-los se aproximar de algumas de suas qualidades.

Vocês devem admitir, porque vocês apenas o viverão deste modo, que o único acesso à Existência é o momento em que vocês capitulam inteiramente, ao nível das emoções, ao nível do mental.

É o momento em que vocês não controlam mais nada da Vibração da Vida que ela pode se instalar e que o Fogo do Coração pode se acender.

Isso corresponde à crucificação e à ressurreição.
Vocês não podem asceder à ressurreição sem passar pela crucificação.

Isso é impossível.
Vocês devem morrer a vocês mesmos, morrer à personalidade, inteiramente.

E vocês não podem manter um estado transitório e tocar o Eterno.

A abertura e a vivência no Eterno, na Consciência Supramental, na Existência apenas se pode fazer com o final do efêmero.

O que poderia ser chamado de pequena morte.
A única porta e a única chave é o Coração.
Não haverá jamais outras, nesse mundo ou nos mundos Unificados.

Questão: Quando as lágrimas de Alegria sobem espontaneamente, elas provêm necessariamente do Fogo do Coração?

Geralmente sim.

Elas concorrem, quando de suas primeiras etapas de Samadhi, quando de suas primeiras entradas no Fogo do Coração ou da Vibração do Coração, na aproximação de sua Existência.

E isso é uma grande Alegria, dando efetivamente lágrimas, que não são de emoções ou então uma emoção final, aquela que se funde com a Alegria do Coração.

Não temos mais perguntas, agradecemos.


___________________________
Compartilhamos essas informações em toda sua transparência. Agradecemos em fazer o mesmo, se a divulgarem, reproduzindo integralmente este texto e citando sua fonte: http://www.autresdimensions.com/
Versão do francês para o português: Célia G.
http://leiturasdaluz.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário